Voltar

A Ecolalia em crianças com Transtorno do Espectro Autista

Você sabe o que é ecolalia? É a repetição de palavras e sons. A ecolalia pode ser um sintoma de vários distúrbios, como demência, lesão cerebral e esquizofrenia, mas é mais comum no autismo.

Nas crianças com autismo, a ecolalia pode ser uma das primeiras maneiras de usar a fala para se comunicar. Embora possa ser descrito como um sintoma de autismo, também pode ser um ponto de partida para o tratamento com um fonoaudiólogo.

Em alguns casos, a ecolalia não tem um significado comunicativo; pode ser uma forma para a criança com autismo se acalmar, da mesma forma que agita as mãos ou o corpo. Saiba mais, neste artigo.

Ecolalia no Desenvolvimento Infantil

A ecolalia faz parte do desenvolvimento infantil: quando as crianças aprendem a falar, elas imitam os sons que ouvem. No entanto, com o tempo, começam a usar a linguagem para comunicar seus desejos, necessidades e ideias, sem precisar usar esse recurso.

Por volta dos 3 anos, a maioria das crianças se comunica selecionando palavras ou frases elaboradas, usando suas próprias vozes e entonações. Aos 4 ou 5 anos, são capazes de fazer e responder perguntas, manter conversas e usar a linguagem para se comunicar com outras pessoas.

Ecolalia no autismo

Muitas crianças com autismo usam palavras ditas na mesma ordem e no mesmo tom, como aquelas que ouviram em um programa de TV, de seu professor, ou de alguma outra fonte.

A ecolalia no autismo pode ter vários propósitos, que podem mudar com o tempo. 

Algumas crianças com autismo imitam a fala sem entender o significado por trás desses sons. Elas podem usar a ecolalia como uma saída sensorial — uma maneira de se acalmar quando estão ansiosas ou para lidar com desafios sensoriais. Nesse caso, a ecolalia é uma forma de auto estimulação.

Outras crianças com autismo usam frases prontas para comunicar ideias quando é muito difícil para elas formularem seus próprios padrões de fala.

Para muitas crianças com autismo, a ecolalia é um primeiro passo em direção a formas mais típicas de comunicação verbal. Por exemplo, podem repetir a frase de um professor (“diga obrigado”), exatamente da maneira que ele diz, em vez de dizer “obrigado”.

Frases memorizadas também podem ser uma ferramenta para conversas internas. Por exemplo, uma criança pode falar consigo mesma usando frases que ouviu dos pais, professores ou na televisão.

Ecolalia Imediata e Tardia

Às vezes, a ecolalia é imediata. Por exemplo, a mãe diz “João, você quer beber alguma coisa?” e João responde “Você quer uma bebida”. Nesse caso, ele pode estar respondendo à pergunta da mãe e querer uma bebida. 

Já a ecolalia tardia ocorre quando a criança com autismo assiste a desenho na TV, por exemplo, e, mais tarde canta um trecho da música tema.

As crianças com autismo podem ter memórias auditivas extraordinárias e, em alguns casos, recitam partes de seus filmes favoritos, com entonação e acentos. Às vezes, pode usar as palavras ecoadas para um propósito; outras, são apenas sons repetidos.

Ecolalia Funcional e Não Funcional

Para algumas crianças com autismo, a ecolalia é simplesmente a reiteração de sons sem sentido. Esse eco não funcional de palavras reais em ordem lógica pode confundir os pais, pois parece que ela está usando uma linguagem significativa, quando isso não é verdade.

Uma criança pode ser capaz de recitar um episódio do Bob Esponja, mas não ter compreensão de quem são os personagens, o que estão dizendo ou o que a história significa. Nesse caso, a reiteração de sons memorizados tem um efeito calmante.

A ecolalia funcional é o uso apropriado de frases memorizadas para um propósito real. Por exemplo, uma criança ouve uma frase na TV como “tem leite?” e depois, quando estiver com sede, pode dizer “tem leite?” exatamente no mesmo tom e sotaque do anúncio na TV.

Neste caso, a criança está usando a frase memorizada e repetida de maneira funcional. Ela está pedindo uma bebida e seu pedido pode ser compreendido. 

Tratamento para ecolalia

Sabemos que repetir palavras e frases pode parecer incomum e estranho para algumas pessoas, mas a ecolalia tem uma função valiosa e positiva no autismo. Por isso, não é indicado tentar acabar com ela.

Quando a ecolalia é funcional, é uma ferramenta para comunicar desejos e necessidades, verbalmente. Com a ajuda de um fonoaudiólogo, a criança com autismo pode desenvolver novas habilidades de comunicação, mesmo quando a ecolalia é menos funcional.

Por exemplo, uma criança pode memorizar partes inteiras de seu vídeo favorito e recitá-las indefinidamente. O propósito pode ser se acalmar ou reduzir a ansiedade, mas a repetição também pode indicar um verdadeiro fascínio pelo vídeo.

Em ambos os casos, a fonoaudiologia pode ajudar a criança com autismo a usar suas habilidades de linguagem de forma cada vez mais apropriada.

A longo prazo, a fala ecolálica se tornará mais típica e funcional. Mesmo que a criança com autismo nunca desenvolva as habilidades típicas de comunicação, usar palavras para se acalmar é melhor que um comportamento agressivo.

Restou alguma dúvida sobre a ecolalia no autismo? Deixe nos comentários.

Referências:

MERGL, Marina  and  AZONI, Cíntia Alves Salgado. Tipo de ecolalia em crianças com Transtorno do Espectro Autista. Rev. CEFAC [online]. 2015, vol.17, n.6 [cited  2020-10-15], pp.2072-2080. ISSN 1982-0216.  https://doi.org/10.1590/1982-021620151763015

MERGL, Marina; Azoni, Cíntia Alves Salgado.Tipo de ecolalia em crianças com Transtorno do Espectro Autista / Echolalia’s types in children with Autism Spectrum Disorder. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-770085

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *