Voltar

A importância da educação infantil para alunos com o Transtorno do Espectro Autista

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um transtorno do neurodesenvolvimento que afeta a comunicação, as habilidades sociais e o comportamento. Como se trata de um espectro, cada criança apresenta diferentes sintomas e necessidades únicas.

O TEA pode ser diagnosticado por volta dos 3 anos, ou até mesmo antes disso. A identificação precoce é importante para que as crianças possam receber tratamentos e intervenções enquanto ainda são pequenas. 

Na educação infantil, professores podem usar estratégias para incluir as crianças com autismo, que serão fundamentais para a sua aprendizagem. Saiba mais, neste artigo.

A importância da Educação Infantil no TEA

O diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista é feito por profissionais especializados, geralmente por uma equipe multidisciplinar com médicos, psicólogos, terapeutas comportamentais, entre outros.

Quando o diagnóstico é precoce, o aprendizado das crianças é favorecido, pois é possível adotar estratégias específicas para o desenvolvimento de suas habilidades.

Os professores da educação infantil têm um papel ativo nesse processo, utilizando práticas pedagógicas inclusivas para ajudar seus alunos com autismo a desenvolver habilidades de comunicação, sociais e comportamentais.

A educação infantil é a porta de entrada da escola, portanto, a base do processo de aprendizagem. Dessa forma, é muito importante conhecer as características e necessidades dos alunos com autismo, para entender quais as melhores estratégias para usar em sala de aula.

O TEA na educação infantil

Em seguida, daremos algumas dicas que facilitam a socialização e aprendizagem dos alunos com autismo na educação infantil.

Divida as tarefas em etapas 

As crianças com autismo podem ter dificuldade para planejar, organizar e completar tarefas. Ao dividi-las em etapas, com cuidado para não fornecer muitas informações de uma vez, elas compreendem melhor o que precisam fazer.

Uma dica é pedir ao seu aluno para repetir as instruções para saber se ele compreendeu o que você disse. Muitos professores fazem isso cantando, como uma forma de fazer uma transição de atividades.

Outra dica, é criar listas com imagens das etapas das atividades, para que os alunos possam verificar em que ponto estão, marcando cada etapa concluída.

Crie um cantinho de relaxamento 

A estimulação sensorial, como luzes e ruídos, pode desencadear uma sensação de sobrecarga nas crianças com autismo. Isso pode deixá-las desconfortáveis e agitadas, com dificuldade de concentração.

Crie um canto na sala aconchegante, onde ela possa descansar um pouco. Use almofadas, pouca luz, brinquedos calmantes, como massinha e fones de ouvido para isolar o barulho. Mostre para o aluno que esse é um espaço para ele ir quando se sentir sobrecarregado, levando-o até lá quando o perceber dessa forma.

Dê instruções claras

Muitas crianças com autismo podem ter dificuldade em compreender intuitivamente as regras sociais, por isso fale com clareza o que espera que façam. 

Na verdade, essa dica se estende a todos os alunos, já que todas as crianças têm mais probabilidade de seguir as regras se elas forem ditas claramente. 

Ajude seu aluno a identificar suas emoções

A regulação emocional é uma habilidade que algumas crianças aprendem naturalmente, enquanto outras precisam de mais apoio para desenvolvê-la. O primeiro passo para aprender a controlar emoções é reconhecê-las. 

A raiva, a frustração ou até mesmo a superexcitação podem ser assustadoras para as crianças que não entendem bem o que está acontecendo com seu corpo. 

Observe seu aluno, identifique o que está sentindo e dê a ele opções, como fazer uma pausa ou beber uma água, por exemplo. Assim, você o ajuda a reconhecer suas emoções e quais estratégias usar.

Use recursos visuais

As pesquisas mostram que os recursos visuais melhoram as habilidades de comunicação e podem ser muito úteis para a aprendizagem dos alunos com autismo. Por exemplo, você pode usar imagens para ensinar seu aluno a ir ao banheiro, lembrando-o de cada etapa. 

Imagens também podem ser usadas para mostrar aos alunos a programação do dia e até mesmo como forma de comunicação, através do desenho, por exemplo. Muitas crianças com autismo podem achar mais fácil se comunicar dessa forma do que com palavras.

Estabeleça uma comunicação com os pais

A comunicação entre a escola e família é fundamental, especialmente para as crianças da educação infantil. Reúna-se regularmente com os pais do seu aluno com autismo para pensar em estratégias, avaliar o que funciona ou não e trocar informações relevantes para o processo de aprendizagem.

Use atividades lúdicas e brincadeiras

As crianças aprendem brincando e a brincadeira é uma ferramenta poderosa para ensinar novas habilidades. Ao brincar, as crianças aprendem a ter paciência, revezar, lidar com a perda, compreender os pontos de vista dos outros, controlar as emoções, fazer amigos, ouvir instruções, lidar com situações difíceis e solucionar problemas.

Especialmente na educação infantil, a brincadeira e a ludicidade devem estar presentes no dia-a-dia em sala de aula, pois é através do brincar que elas mais aprendem!

Se você gostou deste artigo, compartilhe em suas redes e ajude outros profissionais da educação infantil a criar estratégias com seus alunos com TEA!

Referências:

DE PAULA, Jessyca Brennand. Mônica Ferreira Peixoto. A INCLUSÃO DO ALUNO COM AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. http://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/viewFile/1289/473

Você também pode se interessar...

2 respostas em “A importância da educação infantil para alunos com o Transtorno do Espectro Autista”

Adorei as dicas e instruções de como propor mais qualidade de vida na aprendizagem de crianças com TEA, parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *