Skip to content Skip to footer

A importância do diagnóstico precoce do autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição complexa que afeta a interação social, a comunicação, os interesses e o comportamento. O diagnóstico precoce do autismo é importante, pois as intervenções também poderão ser feitas precocemente.

O diagnóstico é feito por especialistas, baseado na observação do comportamento da criança e conversa com os pais. Dessa forma, os pais devem estar atentos aos sinais de autismo, que surgem no comportamento e nas interações sociais.

Ansiedade e estresse diante por mudanças na rotina, ausência de fala, falta de contato visual, podem ser sintomas de TEA. Em um primeiro momento, o diagnóstico de autismo pode parecer assustador, mas é o primeiro e mais importante passo para buscar as melhores intervenções. 

Saiba mais sobre a importância do diagnóstico precoce do autismo, neste artigo.

Diagnóstico precoce do autismo

É importante diagnosticar o TEA precocemente, pois o diagnóstico tardio pode prejudicar muitas áreas da vida, incluindo a aprendizagem e a interação social. O resultado de um diagnóstico tardio pode surgir em comportamentos desafiadores, isolamento social e dificuldades na escola.

Quando o autismo é detectado precocemente, os pais e os profissionais que trabalham com a criança podem aprender a melhor maneira de ajudá-la. Buscar as melhores intervenções, seja com profissionais especializados ou na escola, auxilia no desenvolvimento e na aprendizagem.

É importante que os pais e as crianças saibam dos aspectos positivos sobre o TEA e que esse diagnóstico não é sinônimo de impossibilidade. Muitas pessoas que receberam o diagnóstico de autismo são bem sucedidas, capazes de fazer amigos e podem ter grandes habilidades, como grande capacidade de resolução de problemas, por exemplo.

Sinais e sintomas de autismo

Para o diagnóstico precoce, é importante que os pais conheçam os sinais e sintomas de autismo para que possam detectá-los em seus filhos. Um dos principais é a capacidade da criança de brincar usando a imaginação. No autismo, se o fazem é repetindo frases de um programa de tv ou de algum parente próximo.

Também é importante observar se as crianças brincam da mesma maneira na maior parte do tempo; se não inventam histórias ou dramatizam. Algumas crianças com autismo gostam de alinhar brinquedos ou agrupá-los em conjuntos, de acordo com suas características.

Outro ponto para observar é como a criança se relaciona com seus pares de idade. As crianças com TEA podem preferir brincar sozinhas e observar outras crianças à distância. Podem ter dificuldade para compartilhar brinquedos, esperar sua vez, perder um jogo, ir a festas de aniversário ou atividades em grupo podem ser difíceis para elas.

Se a criança se tornar obsessiva pelos seus interesses quase a ponto de excluir outros brinquedos, também pode ser um sinal de autismo. Assim como falar repetidamente sobre determinado assunto a ponto de achar difícil conversar sobre outras coisas.

Um dos primeiros sinais que os pais percebem é a falta de contato visual. Da mesma forma, a comunicação não verbal é comprometida, como a dificuldade de usar gestos para se comunicar. 

Geralmente, as crianças com TEA acham a mudança de planos muito angustiante, mesmo pequenas mudanças no ambiente em casa podem causar sofrimento. Isso porque elas gostam de rotina e podem insistir em querer sentar no mesmo lugar na mesa de jantar, por exemplo, ou comer no mesmo prato. 

Crianças com TEA também têm alguma forma de sensibilidade sensorial: certos ruídos podem incomodar, assim como etiquetas das roupas ou texturas de alguns alimentos.

Como é o diagnóstico de autismo

Não existe um teste ou exame para o autismo. Normalmente, o diagnóstico envolve uma avaliação médica para excluir outros diagnósticos; entrevista com os pais para saber do desenvolvimento da criança e observação da mesma.

Na avaliação, o profissional observa as interações sociais, comunicação, compreensão emocional e imaginação da criança, segundo critérios de diagnóstico de autismo do DSM-V.

Intervenção precoce no autismo

Não há cura para o TEA, nem consenso sobre suas causas. Da mesma forma, não há um tratamento que serve para todos. No entanto, quanto mais cedo a intervenção começar, mais diferença fará na vida das crianças.

Assim, o diagnóstico precoce do autismo otimiza os resultados das intervenções. Os primeiros sintomas podem aparecer entre os 12 e 18 meses, mas muitas crianças recebem o diagnóstico só mais tarde.

Uma vez diagnosticado, o tratamento deve começar o mais rápido possível, pois a intervenção precoce melhora as habilidades sociais, de comunicação e o desenvolvimento da criança. 

O tratamento precoce pode reduzir os sintomas das crianças com autismo e melhorar seu desenvolvimento, ajudando-as a aprender novas habilidades que lhes permitirão ser mais independentes ao longo da vida. 

Ao receber tratamento adequado em estágios essenciais do desenvolvimento, as crianças com autismo se tornam mais aptas a adquirir habilidades sociais, a ser mais independentes e a precisar de menos apoio à medida que crescem. 

Se restou alguma dúvida sobre a importância do diagnóstico precoce do autismo, deixe nos comentários.

Referências:
ZANON, Regina Basso. Bárbara Backes Cleonice. Alves Bosa. Identificação dos Primeiros Sintomas do Autismo pelos Pais.

VISANI, Paola  and  RABELLO, Silvana. Considerações sobre o diagnóstico precoce na clínica do autismo e das psicoses infantis. Rev. latinoam. psicopatol. fundam. [online]. 2012, vol.15, n.2 [cited  2021-03-29], pp.293-308.

7 Comments

  • Janete Bastos
    Posted 07/04/2021 at 7:17 pm

    Acho muito interessante esse assunto.Que bom que temos vocês para nos orientar,sou uma admiradora do casal,sempre que posso assisto os vìdeos.

  • Gercina
    Posted 28/05/2021 at 7:57 pm

    Os comentários sempre muito interessante. O autismo é muito complexo, apresenta várias dificuldades para a interação da criança ou adolescente. Os cursos ajudam os pais na grande maioria a contribuir com as intervenções com os filhos, a participar do cotidiano, acompanhando as etapas de desenvolvimento dos filhos.

  • Trackback: Quais os principais sintomas do Autismo Leve? - Entendendo Autismo
  • Lilian
    Posted 14/04/2023 at 12:09 am

    Quais as melhores formas de intervir nas crises de emocionais, que por vezes em alguns acompanha a autoagressividade, ou agressividade com o outro?

    • Livia
      Posted 14/04/2023 at 5:10 pm

      Olá Lilian,

      Intervir em crises emocionais pode ser um desafio, principalmente quando há risco de autoagressão ou agressão a terceiros. Aqui estão algumas sugestões que podem ajudar a lidar com essas situações:

      Mantenha a calma: É importante manter a calma e a compostura para evitar que a situação se torne ainda mais tensa. Isso pode ajudar a pessoa em crise a se sentir mais segura e protegida.

      Ofereça suporte: Tente oferecer suporte e conforto à pessoa em crise, mostrando que você está presente e que se importa com ela. Escute atentamente o que ela tem a dizer e demonstre empatia pelo que ela está sentindo.

      Reduza o estresse: Remova qualquer estímulo ou fonte de estresse que possa estar contribuindo para a crise. Isso pode incluir barulho, luz forte, multidões ou qualquer outra coisa que possa causar ansiedade ou estresse.

      Ofereça técnicas de relaxamento: Técnicas de respiração profunda, meditação, relaxamento muscular progressivo ou outras técnicas de relaxamento podem ajudar a pessoa em crise a se acalmar e reduzir a intensidade das emoções.

      Estabeleça limites claros: Se a pessoa em crise está agindo de forma agressiva, é importante estabelecer limites claros e seguros para proteger a si mesmo e aos outros. Isso pode incluir afastar-se da situação, buscar ajuda ou chamar as autoridades.

      Busque ajuda profissional: Se a crise é recorrente ou intensa, é importante buscar ajuda profissional de um psiquiatra, psicólogo ou profissional de saúde mental treinado para lidar com crises emocionais. Eles podem fornecer orientação e aconselhamento sobre como lidar com a situação e ajudar a pessoa a obter tratamento adequado!

  • Thainá
    Posted 14/04/2023 at 3:20 pm

    Boa tarde, sou estudante de fisioterapia do 5 período, estamos com um trabalho muito legal na faculdade, onde vamos falar sobre diagnóstico precose do autismo, gostaria muito de fazer uma parceria de um workshop falando sobre o tema, e agente divulgar na faculdade onde tem muito interesse obrigada.

    • Livia
      Posted 14/04/2023 at 4:53 pm

      Olá Thainá, tudo bem?

      Primeiramente agradecemos a confiança em nosso trabalho 💙

      Por favor, envie um email para [email protected] que a equipe responsável te atenderá.

      Abraços,
      Equipe NeuroSaber

Leave a comment

0.0/5