Skip to content Skip to footer

Como diagnosticar o TDAH?

Resumo:

O objetivo deste artigo é trazer aos leitores o que está por trás do diagnóstico do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e como realizá-lo. Para que os profissionais possam chegar ao resultado, torna-se necessário atentar-se aos critérios diagnósticos e estabelecer a abordagem diagnóstica, que conta com o acompanhamento interdisciplinar na busca pelas intervenções a serem aplicadas em consultórios e na escola.
Palavraschave: Diagnóstico TDAH – Desenvolvimento infantil – TDAH

Introdução

O Transtorno de Déficit de Atenção é considerado por muitos como o transtorno neurocomportamental mais comum observado em pacientes infanto-juvenis. Dentro dessa proporção, a amostra de crianças diagnosticadas com o TDAH é de 5 a 6% da população infantil. Além disso, uma informação importante é que 95% desses pacientes demonstram os sintomas até os primeiros 12 anos. Por outro lado, aproximadamente 60% podem mostrar alguma característica antes dos 7 anos.
No entanto, tais sinais podem ser vistos com mais clareza a partir do contato diário de professores e outros profissionais da escola. Isso é explicado pelas suspeitas que surgem no decorrer da convivência do pequeno no ambiente escolar. A hiperatividade, a impulsividade e o déficit de atenção podem ser considerados como sintomas-alvo do TDAH.
Especialistas utilizam os chamados critérios diagnósticos para auxiliar de maneira complementar a confirmação do transtorno na vida da criança. Vejam a seguir quais são esses critérios de acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais 5ª edição (DSM-V).

Os critérios diagnósticos

Importante ressaltar que esse conjunto estabelecido pelo DSM-V divide o TDAH em dois grupos com o objetivo de esquematizar e facilitar a identificação dos sintomas que podem evidenciar a existência do TDAH.
– Déficit de atenção –
Desatenção a detalhes e erros;
Dificuldade em sustentar atenção; Parece não ouvir;
Dificuldade com instruções, regras e prazos;
Desorganização;
Evita/reluta tarefas de esforço mental;
Perde, esquece objetos;
Alta distração;
Não automatiza tarefas do cotidiano.
– Hiperatividade e impulsividade –
Movimento excessivo do corpo durante postura;
Dificuldade em permanecer sentado;
Sobe, escala, exposição em perigos;
Acelerado para as atividades;
Faz tudo “a mil”;
Fala demais e se intromete;
Responde antes de concluir perguntas;
Dificuldade em esperar;
Interrompe inoportunamente.

Abordagem diagnóstica

É sempre válido lembrar que o diagnóstico do TDAH deve contar com a interdisciplinaridade Essa diversidade é composta em sua grande maioria por profissionais de saúde e educação. No entanto, os pais exercem um papel de extrema relevância nesse processo.
Quando analisamos a abordagem diagnóstica, vemos um esquema estabelecido pelas partes envolvidas e o que elas desempenham ou ficam responsáveis. Vejam mais a seguir.
Médico: anamnese, escalas de avaliação, exame complementar;
Pais: disponibilizam o perfil comportamental e desenvolvimento; relatam a rotina de sono e os prejuízos afetivos e sociais;
Escolas: a instituição deve fornecer relatórios referentes ao percurso do aluno; além disso, dados sobre aprendizagem e comportamento também são imprescindíveis nesse processo;
Equipe: os especialistas ficam por conta de disponibilizar a avaliação psicognitiva e afetiva, além da presença indispensável de fonoaudiólogos e psicopedagogos.

Existe alguma dificuldade para o diagnóstico do TDAH?

Alguns estudos sugerem que o diagnóstico voltado para o subtipo desatento costuma ter o seu grau de dificuldade em função da falta de comportamentos evidentes (LARROCA e DOMINGOS, 2012). Um detalhe é que as manifestações clínicas que são utilizadas para conduzirem ao seu diagnóstico podem ter causas originadas em fatores associados, como alguns déficits (sensorial e intelectual).
Um ponto que simboliza o desafio para a realização do diagnóstico, de acordo com Folquitto (2009), é que tanto o déficit de atenção e a hiperatividade, sintomas presentes no TDAH, são tidos como “aspectos dimensionais na população, ou seja, manifestam-se, em menor intensidade, no comportamento de crianças e adultos de um modo geral”.

Buscando ajuda

Como pode ser visto acima, o diagnóstico do TDAH não é algo simples e depende de observação prévia, sobretudo no ambiente escolar na execução de tarefas ou em detalhes do aspecto comportamental. Os professores comunicam aos pais. Estes, por sua vez, precisam procurar auxílio médico e psicopedagógico para o início dos tratamentos.
Referências
FOLQUITTO, Camila Tariff Ferreira. Desenvolvimento psicológico e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH): a construção do pensamento operatório.  2009. Dissertação (Mestre em Psicologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47131/tde-21032009-095322/publico/camila_tarif_folquitto.pdf. Acesso em: 07 fev. 2020.
LARROCA, Lilian Martins; DOMINGOS, Neide Micelli. TDAH – Investigação dos critérios para diagnóstico do subtipo predominantemente desatento. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 113-123, jan./jun. 2012. Divulgado em: http://www.scielo.br/pdf/pee/v16n1/12.pdf. Acesso em: 07 fev. 2020.

36 Comments

  • Jaciara Gonçalves Almeida dos Santos
    Posted 17/02/2020 at 8:30 pm

    Como são os sintomas na fase adulta?

  • Juliana
    Posted 21/02/2020 at 9:21 pm

    Olá! Primeiramente gostaria de agradecer sobre as elucidações sobre o assunto! Gostaria de saber, por favor, a partir de qual idade a criança pode ser diagnosticada com o TDAH, ou que tem propensão ao mesmo. Obrigada!

    • Suporte Neurosaber
      Posted 26/02/2020 at 9:04 am

      Olá Juliana , o diagnóstico e tratamento pode ser iniciado a parti da idade pré- escolar entre 4 e 5 anos.

      • Kelcia Roberta
        Posted 10/02/2021 at 1:38 am

        Olá!
        TDAH é um transtorno neurobiologico ou transtorno do desenvolvimento???

        • NeuroSaber
          Posted 10/02/2021 at 11:21 am

          Olá Kelcia,
          O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico.
          Acesse nosso canal do YouTube: https://youtube.com/neurosabervideos temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
          Atenciosamente,
          Equipe NeuroSaber

  • Damiana
    Posted 22/02/2020 at 1:12 pm

    Boa tarde!
    Por onde devo começar esse diagnóstico? Por um neuro? Percebo alguns sintomas em meu filho. A escola solicitou uma intervenção com um fonoaudiólogo e pisicopedagogo. Mais nenh chegou a conclusão de um diagnóstico. A fonoaudiologa que o acompanha percebeu que ele tem uma disortografia,mais na da além. Apesar dele ter começado essa intervenção a pouco tempo.
    Obrigada

    • Suporte Neurosaber
      Posted 26/02/2020 at 9:09 am

      Olá Damiana , procure um neuropediatra para uma avaliação .

  • Domingos Sávio De Araújo Chaves
    Posted 23/02/2020 at 1:02 am

    Gosto muito das postagens.

    • Suporte Neurosaber
      Posted 26/02/2020 at 8:41 am

      Olá Domingos, obrigada pelo carinho! Continue sempre acompanhando!

  • Ailton
    Posted 11/03/2020 at 3:31 pm

    Olá! Poderiam me informar, por gentileza, que ano foi publicado esse artigo?
    No aguardo

    • Suporte Neurosaber
      Posted 12/03/2020 at 8:11 pm

      Olá Ailton , faça a citação usando link conforme as normas da ABNT .

  • Lia de Paula Moraes
    Posted 11/03/2020 at 11:48 pm

    O livro infantil JOÃO AGITADÃO é principalmente indicado para crianças com TDAH. Narra de forma leve e divertida características do comportamento dessas crianças.

  • Natália
    Posted 14/04/2020 at 3:37 pm

    Como ocorre o processo de avaliação após o diagnostico?

  • Verena Nascimento dos Santos Braga
    Posted 30/05/2020 at 1:32 pm

    Boa tarde!
    O TDAH tem cura?
    Uma criança de 3 anos com suspeita de TDAH, já pode ser indicado a medicação respiridona?

    • Suporte Neurosaber
      Posted 01/06/2020 at 6:45 pm

      Olá Verena , Não tem cura mas tem uma melhora com tratamento .
      Com relação a medicação é importante fazer uma avaliação com profissional especializado na área ,para lhe dar melhores informações e orientação para uma intervenção.De qualquer forma , temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e também em nosso blog que podem te ajudar em muitas questões.

  • Meire
    Posted 29/09/2020 at 7:18 pm

    Oi queria saber como o médico faz pra dar o diagnóstico pq hoje fui ao médico ele me falou que meu filho e imperativo e aumentou a dose do remédio ele toma respiridona e só assim ou eles tem que dar algum papel

    • NeuroSaber
      Posted 30/09/2020 at 8:43 pm

      Olá Meire,
      Diagnóstico é feito por médico especialista em Tdah que vai fazer uma anamnese(entrevista ), para mais informações acesse o site https://tdah.org.br/.

  • Esther Codeceira
    Posted 22/11/2020 at 11:46 pm

    Gostaria de saber como ocorre o processo de avaliação na fase adulta, na pandemia percebi sintomas que embora eu já tinha passava despercebido achava normal, coisa da correria mas vi que não. Pesquisando e conversando com algumas pessoas tem bastante chance de ser tdah, mas não sei nem por onde começar a diagnosticar isso

    • NeuroSaber
      Posted 24/11/2020 at 5:12 pm

      Olá Esther,
      Avaliação é feita com Neurologista.
      Atenciosamente,
      Equipe NeuroSaber

      • Sandra
        Posted 26/05/2022 at 10:03 am

        Nem sempre é tão fácil achar um profissional. Meu filho fazia acompanhamento com a psicóloga, em virtude da série de problemas que apresentava na escola desde os 7 anos, ela pela desconfiança que fosse TDAH, encaminhou pra neuro, que disse que ele precisava de uma psicóloga especializada em TDAH, porque não tinha como fazer exames pra dar essse diagnóstico. Meu filho continua tendo problemas, e eu ainda não achei onde ter este diagnóstico. Agora ele tem 16 anos e o prejuízo na vida escolar dele é enorme e só aumenta a cada dia.

        • Solange
          Posted 26/05/2022 at 1:26 pm

          Olá Sandra, tudo bem?

          Compreendo a sua situação e entendo que não seja fácil, a informação técnica e de qualidade seguida do diagnóstico de um profissional responsável é a melhor forma de lidar com esse tipo de situação. Temos conteúdos disponíveis em nosso site e canal do Youtube acerca da temática, vale a pena conferir: https://youtube.com/neurosabervideos

          Sol,
          Equipe NeuroSaber 💙

  • Lilian
    Posted 05/04/2021 at 1:38 am

    Qual a idade mínima pra diagnóstico ? Minha filha tem 1 ano e 2 meses e estamos com MT dificuldade com ela ( ela custa a pegar no sono e quando pega logo chora , ela n para quieta sair com ela de carro MTS vezes é difícil , a toda hora ela se morde e se falamos q n pode ela finge q b é com ela ela é MT arteira e MT agressiva ) n sei mais o q fazer estamos MT cansados pois ela demanda MT mais cuidados q a irmã acabamos deixando a outra de lado pra estar TD HR atrás dela

    • NeuroSaber
      Posted 07/04/2021 at 1:26 pm

      Olá Lilian,
      Primeiramente obrigada pela confiança!
      Nesses casos orientamos buscar um especialista pessoalmente para lhe dar melhores informações e orientação assertivas sobre o caso.
      De qualquer forma,temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos que podem te ajudar em muitas questões.
      Atenciosamente,
      Equipe NeuroSaber

  • joel borges oliveira
    Posted 13/05/2021 at 10:37 pm

    estou investigando a questao do tdah minha mãe é bipolar e esquizofrenica meu sobrinho tem autismo e minha irmao tdpm 3 psiquiatras suspeitaram de tdah estou tratando com o psiquiatra tomando venvanse me ajuda muito gostaria de saber quais exames pode ajudar pra eu ter certeza absoluta se é ou nao tdah desde ja grato

  • Natalia
    Posted 14/05/2021 at 1:46 am

    Meu filho passou no Neuropsicólogo para avaliação e não constou o tdah. Ja passando com o Neuropediatra ele informou que ele tem sim e pediu o exame eletro. Fiquei pensando como um profissional não enxergou durante a avaliação essa possibilidade e o outro sim

  • Valeria
    Posted 07/05/2022 at 9:41 am

    Meu filho tem 9 anos e eu sofri muito pra ter diagnóstico.. hije tá bem mais fácil. Ele só apre du a ler com quase 9 anos..os médicos e professores não tive sorte d
    Foram péssimos. Vocês corram atrás ra ajudar seu filhos.. Agradeço a Neiro saber. Porque ajuda com i formações.

    • Solange
      Posted 09/05/2022 at 1:06 pm

      Olá Valeria, tudo bem?

      Acompanhar nosso trabalho com certeza irá ajudar. A informação técnica e de qualidade seguida do diagnóstico de um profissional responsável é a melhor forma de lidar com qualquer tipo de situação.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Marcella
    Posted 11/05/2022 at 2:42 pm

    Agora a idade mínima para o diagnóstico é de 12 anos? antes era 7 anos; fala-se então em “vigilância para o transtorno” com idade inferior a 12 anos?

    • Solange
      Posted 11/05/2022 at 4:15 pm

      Olá Marcella, tudo bem?

      De acordo com alguns estudos que 95% desses pacientes demonstram os sintomas até os primeiros 12 anos. Por outro lado, aproximadamente 60% podem mostrar alguma característica antes dos 7 anos. Para investigação o ideal é procurar um especialista quando os primeiros sintomas surgirem já na primeira infância, em nosso blog temos muitos conteúdos sobre o tema, vale a pena conferir.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Flávia Aparecida de Oliveira Vicente
    Posted 08/07/2022 at 9:14 pm

    Olá tenho um filho de 6 anos e desconfio que ele é hiperativo, mas não tem dificuldade de aprendizagem, é possível que uma criança hiperativa não tenha dificuldade de aprendizagem. Ele é muito inteligente inclusive com 4 anos ele já estava lendo tudo e escrevendo.

    • Solange
      Posted 11/07/2022 at 1:12 pm

      Olá, Flávia, tudo bem?

      Cada criança é única e nem sempre ela tem que apresentar todas essas características. Existem casos mais leves e outros mais graves, mas independente do grau, a criança precisa de um acompanhamento multidisciplinar.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Henrique César Rocha
    Posted 13/07/2022 at 11:46 pm

    Tem muitos textos no artigo! Já me perdi logo nas primeiras linhas, pulei de pagina em página e nada li!
    Esse balão de “suporte” foi colocado de propósito? É um “prato cheio” para tirar a atenção ou a ausência dela!
    Sou extremamente desatento, por conta de um tumor cerebral que tratei com 2 cirurgias, radioterapia, quimioterapia ha poucos anos e, já foi eliminado, mas, o TDA parece ser irreversível!
    Sou formado e especializado nas áreas de engenharia florestal, ambiental e de segurança do trabalho e, se tenho que lidar com um fluxo de informações grande, acabo ficando confuso, estressado e irritado! Isso me prejudica de forma significativa no trabalho!

    • Solange
      Posted 14/07/2022 at 2:14 pm

      Olá Henrique, tudo bem?

      No site temos a opção para que entre em contato com o nosso suporte de uma maneira mais rápida. Te convidamos também para conhecer nosso canal no youtube.com/neurosabervideos.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Alessandra
    Posted 23/07/2022 at 11:29 pm

    Meu filho foi diaguinoaticado com TDHA ele realmente é muito agitado não para pra nada porém aprende tudo o que encina pra ele tem uma memória fotográfica se lembra de coisas de anos ele tem apenas 3 anos e 7 meses

    • Solange
      Posted 26/07/2022 at 7:58 pm

      Olá Alessandra, tudo bem?

      Em nossos canais temos muitos conteúdos que vão te ajudar a entender melhor. Confira nosso canal no Youtube e nosso Blog e continue sempre de olho em nossas redes sociais! 💙

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

Leave a comment

0.0/5