Skip to content Skip to footer

Como lidar com a Ansiedade Infantil

A ansiedade infantil é comum em crianças, mas mesmo assim, muitos pais e responsáveis podem apresentar dificuldades em identificar os sintomas e saber quando buscar auxílio médico. 

Normalmente, a ansiedade só é notada pelos pais e professores quando há problemas de comportamento, acompanhados de sintomas físicos (dores de cabeça, ânsias de vômito, tonturas e etc.).

Portanto, assim como adultos, crianças podem se sentir preocupadas e ansiosas às vezes. E isso também deve ser levado a sério antes que desperte algum transtorno mais grave durante a vida adulta. Leia mais aqui.

O que causa a Ansiedade Infantil?

As crianças podem se sentir ansiosas em relação a diferentes coisas em diferentes faixas etárias. A maioria dessas preocupações fazem parte de seu processo de desenvolvimento.

A partir dos 6 meses até os 3 anos de idade, é muito comum que crianças tenham ansiedade de separação. Elas podem ficar muito apegadas e é comum chorarem quando são separadas de seus pais ou cuidadores, por exemplo. 

Esse é um estágio normal no desenvolvimento infantil e deve parar perto dos 2-3 anos.

Também é comum que na época de pré-escola a criança desenvolva medos ou fobias específicas. Medos comuns durante a infância incluem animais, insetos, tempestades, altura, água, sangue e escuro. Normalmente, esses medos vão embora sozinhos.

Existem outros momentos onde a ansiedade infantil também pode estar presente. Por exemplo, é comum que as crianças fiquem ansiosas quando estão indo para uma nova escola ou antes de provas e atividades. Algumas crianças também podem apresentar timidez em situações sociais e precisarem de apoio de seus pais e cuidadores.

Quando se torna um problema?

A ansiedade vira um problema quando começa a atrapalhar o dia a dia da criança.

Por exemplo, se você for a uma escola antes de uma prova, é normal que todas as crianças estejam ansiosas. Mas algumas podem estar tão ansiosas que nem conseguiram chegar à escola neste dia. 

Portanto, esse tipo de ansiedade severa pode ferir o bem-estar mental e emocional da criança, afetando sua autoestima e confiança. Com isso, elas se tornam introvertidas e fazem grandes esforços para evitarem coisas ou situações que despertem sua ansiedade.

Quais são os sintomas da ansiedade infantil?

Os sintomas podem não estar presentes 24h por dia no comportamento da criança. Eles surgem de maneira alternada, com duração e intensidade variadas. Portanto, é importante prestar atenção em como esses sintomas afetam seu bem estar e convivência social.

Quando as crianças se sentem ansiosas, elas nem sempre entendem ou expressam bem o que estão sentindo. Esses são alguns dos sinais que você pode notar:

  • A criança é irritadiça, chora com facilidade e é muito apegada;
  • Tem dificuldade para dormir;
  • Acorda no meio da noite;
  • Faz xixi na cama com frequência;
  • Tem muitos pesadelos;
  • Sentimento de desmotivação ao realizar novas atividades;
  • Preocupações e medos excessivos;
  • Constantes dores de cabeça.

Por que meu filho ou aluno está ansioso?

Algumas crianças têm uma tendência maior a apresentarem preocupações e ansiedade do que outras.

É comum que elas se sintam ansiosas e agitadas ao mudarem de escola ou de casa, por exemplo.

Crianças que passaram por situações angustiantes como por exemplo, acidente de carro ou incêndios, podem sofrer de ansiedade também.

Um ambiente familiar com brigas e conflitos constantes também pode desencadear o sentimento de insegurança e ansiedade em crianças.

Como lidar com a ansiedade infantil?

Se a criança está sofrendo com a ansiedade, existem algumas coisas que pais e cuidadores podem fazer para ajudar.

Por isso, é importante conversar e entender quais são as ansiedades e preocupações da criança. Faça com que ela se sinta segura e demonstre que você compreende seus sentimentos.

Se a criança tiver idade suficiente, explique o que é a ansiedade e quais são seus efeitos em seu corpo. Pode ser de grande ajuda explicar que a ansiedade é como uma onda que cresce e logo depois vai embora.

Além de conversar com a criança sobre suas preocupações e ansiedades, é importante ajudá-la a encontrar soluções.

Por exemplo, se ela se demonstrar preocupada em ir para uma festa do pijama, você pode dar a opção de ela simplesmente não ir. Porém, isso pode significar que a criança sinta que sua ansiedade irá a impedir de realizar outras atividades.

Portanto, é melhor ajudá-la a reconhecer sua ansiedade e sugerir soluções para amenizar o seu desconforto, a fim de que ela vá para a festa do pijama com um plano em prática.

Tratamento para a ansiedade infantil

Tratamento e diagnóstico precoce são os melhores aliados para evitar que a ansiedade prejudique o desenvolvimento e a vida social da criança.

Portanto, para a ansiedade infantil, um tratamento eficaz consiste no acompanhamento de psicoterapeutas e o uso de medicações apropriadas.

Se não tratada, a ansiedade pode evoluir para episódios mais graves e até mesmo evoluir para um caso de depressão, por exemplo.

Estudos comprovam que a ansiedade infantil pode ser um fator de risco para o aparecimento de transtornos comportamentais durante a vida adulta.

Portanto, podemos concluir que a ansiedade infantil pode fazer parte do processo de amadurecimento das crianças, mas devemos ficar atentos aos sintomas que podem prejudicar o seu bem estar social e emocional.

Em conclusão, além de estarmos atentos aos sintomas acima, ressaltamos a importância de contar com a opinião de um profissional para fechar o diagnóstico.

Por isso, trouxemos esse vídeo com o Dr. Clay Brites para te ajudar a identificar os primeiros sintomas da Ansiedade Infantil!

Clique aqui e assista!

Fonte: UK, NHS., 2019. Anxiety in children. [online] nhs.uk. Disponível em: <https://www.nhs.uk/mental-health/children-and-young-adults/advice-for-parents/anxiety-in-children/> [Acesso em 26 de julho 2021].

Leave a comment

0.0/5