Skip to content Skip to footer

Como reduzir um comportamento agressivo em autistas?

A imagem de uma pessoa com autismo está sempre relacionada aos surtos e às agressões, correto? Errado. Quem faz este tipo de ligação não conhece, exatamente, o que é um autista. Há muito equívoco em relação a isso por conta de casos específicos que merecem atenção. Posso ter uma criança autista com comportamento agressivo? Sim, pode. No entanto, isso é um detalhe que pode ser trabalhado e reduzido com sucesso. É diferente do que ter uma predisposição à agressão. Precisamos conversar mais sobre o assunto.

Por que ocorre o comportamento agressivo?

Imaginemos uma situação de incômodo: um barulho estridente, uma roupa que pinica a pele ou um cisco no olho. Nós conseguimos reagir de forma que essa situação seja resolvida, seja por conta própria ou pedindo ajuda a alguém. A criança com autismo, não. Ela não sabe como se comportar diante dessa provável irritação. Então ela pode fazer birra, gritar, chorar em voz alta, tapar os ouvidos e até arranhar seu próprio corpo, para citar alguns exemplos.

Se essa condição é solucionável, o que pode ser feito?

A primeira providência é identificar o que causa essa reação no pequeno; o que provoca esse estresse. Importante lembrar que nem sempre a birra tem origem física (incômodo em alguma parte do corpo), mas pode estar ligado à frustração. Eis aí um exercício de observação que você deve desempenhar: saber o que está acontecendo.

Se a criança fica aos cuidados de uma babá ou algum membro da família, por exemplo, peça à pessoa para que faça anotações durante o dia e analise cada comportamento.

Em se tratando de um caso de autismo, é provável que os pais ou responsáveis pelo pequeno tenham acompanhamento de especialistas desde o diagnóstico. Isso é importante porque o médico pode propor intervenções que fazem a diferença.

Quais são as dicas que podem ser aplicadas em casa?

– Crie meios para que a criança consiga se comunicar sobre aquilo que está causando incômodo a ela (seja por meio de gestos ou algum sinal de fácil percepção);

– Tente identificar o momento que antecede o possível estresse: cara fechada, cabeça baixa, musculatura tensa, etc;

– Ensine ao pequeno como externar o momento de incômodo, ou seja, indique as frases que ele pode usar ante uma irritação;

– Explique à criança que esse comportamento (agressivo) não é legal. Então proponha uma parceria com ela, oferecendo alternativas;

– Escolha um local da casa que possa oferecer tranquilidade em momentos de irritação. Muitas vezes esse comportamento é causado por algum barulho excessivo, cheiro, etc. Um lugar mais afastado desses estímulos pode acalmar a criança;

– Nunca obrigue seu filho (ou filha) a nada. É importante que o diálogo seja a regra. Até em situações como tomar banho, por exemplo. Explique a importância de se lavar, leve brinquedos que o pequeno goste para o banheiro e torne o ato rotineiro em um momento lúdico;

– Tenha paciência e entenda que a criança precisa de você. Se faltar calma de sua parte, o pequeno não terá como ficar tranquilo.

– Converse sempre com médicos, outras mães de autistas e torne-se um (a) parceiro (a) de sua criança.

Veja este vídeo sobre agressividade no TEA com o Dr. Clay Brites:

15 Comments

  • Thais
    Posted 30/11/2017 at 9:24 pm

    Meu filho tem 5 anos é autista moderado.
    Todas as vezes que ele sai da escola na hora da saída ele se joga no chão chora sem parar.. E quando chega em casa ao fecha o portão de casa ele corre para portão e começa a chora socando o portão.
    No banho se repete para entra uma briga quando sai do banho chora corre para banheiro e se joga no chão.
    Não sei mais que fazer. ..Porque agora ele deu para bater na cabeça e no peito forte..
    Dr Clay me ajuda eu fico desanimada triste sem saber que fazer para ele não fazer mais isso

  • Sirley Queiroa Ramos
    Posted 03/12/2017 at 2:11 pm

    Oi boa tarde! Tenho lido os artigos que falam principalmente de Autimo e o aprendizado tem sido muito bom.
    Muito obrigada pelas dicas pois tem sido de grande valia na escola. Lido com alguns casos e um diferente do outro e com suas pallestras aprendo muito e posso trabalhar também os pais, principalmente aqueles que não aceitam as dificuldades apresentadas pelos filhos.

  • Míriam Couto Ferreira
    Posted 03/12/2017 at 5:45 pm

    O assunto é muito importante!

    • Rany gomes
      Posted 03/02/2018 at 1:31 pm

      Meu filho tenhe 4anos pouco usar palavras,ultimamente está muito agressivo a momentos em que ele está tão carinhoso mais em instante ele se stressa e bate em todos converso,colo de castigo ele não tornar medicação,mas o neuro receitou neuphil. To desesperada.

  • Damires
    Posted 03/12/2017 at 7:52 pm

    Assunto importante. Obrigada pelo apoio essencial. Abraços.

  • MARIA VALDENORA
    Posted 07/12/2017 at 2:27 pm

    Maravilhoso!

  • Maria Jane Pacheco Lanzoni
    Posted 21/12/2017 at 9:43 pm

    Meu neto se torna agressivo quando quer sair, as vezes não podemos, não estou sabendo como lidar . Ele tem autismo, não fala, tem 4 anos.

  • Suzane Cavalacante
    Posted 06/03/2018 at 6:50 pm

    inventar estórias , como meu sobrinho de treze anos conta coisas que fez , que nunca na verdade fez, como ir visitar sua namorada, que na verdade ele nem tem. lembrar qdo era bebezinho , afirmando veementemente que é verdade, isso faz parte do Autismo ou é outro tipo de transtorno?

  • Eliana Aparecida de Souza
    Posted 18/03/2018 at 9:43 pm

    Meu filho é tem TEA,tenho a impressão que me odeia fala que não precisa de mim,me desacata com palavras horríveis,é normal esse comportamento??

  • Marcia dos Santos
    Posted 17/06/2018 at 4:38 pm

    Boa tarde meu filho fica muito agressivo porque nao quer sair do banho o que eu faço??

  • MONICA
    Posted 25/07/2018 at 2:14 am

    Meu filho tem 9anos ele tem autismo e a agressividade tinha diminuído bastante ,mas no momento esta voltando.

  • Elizandra
    Posted 25/07/2018 at 10:35 pm

    Sou tia de um Autista !
    Sempre que ele perde o controle, falo de frente para ele peço calma, abraço e depois que ele se acalma conversamos para identificar a causa do descontrole emocional.
    As vezes é necessário ser mais severa com ele deixando ele sozinho tentando se auto controlar e confortar para depois termos um diálogo.

  • EVALDO LIMA DE ARAUJO
    Posted 17/08/2018 at 11:20 am

    com relação a irritação na pele

  • sebastião carlos assensio
    Posted 15/10/2018 at 6:17 pm

    temos filho autista , sua rotina diaria e bem confusa procuramos buscar ajuda com profissionais , mas alem das medicações acorda cedo procura nos com muitos disturbios agresivos ate se alimentar . seus horarios são
    levanta as 6:00 hs toma seu cafe apos espera mais uma hora quer novamente , fica irritante gritando mais alto possivel ele tem 16 anos .não consegue distinguir sua frustções ou porque. procuramos , alentar lo . mas se torna agressivo .
    ele apos vai para seu quarto e segue sua rotina não tem atividades esta sem escola pois esta sendo traatado sua medicção , e as 9:00 h toma aristab 1 mg , orap .apos as 10 :00 horas ajuda com as tarefas de casa so para acompnhar e nao ficar inativo , as 11:30 horas ele acompanha .

  • Alexsandra torres
    Posted 17/10/2018 at 11:06 pm

    À pouco tempo descobri q meu filho é autista e agora ele anda mt agressivo qual tipo de remedio posso dar pra ele pra controla lo ele tem 7 anos

Leave a comment

0.0/5