Skip to content Skip to footer

Emoções e comunicação: a importância do aprendizado das Expressões Faciais para crianças autistas.

Jogos de representação e materiais de apoio visual auxiliam os autistas a entender e lidar melhor com as emoções.

Assim como todos os outros indivíduos, crianças e adolescentes autistas experimentam uma gama de emoções, mas podem precisar de apoio para reconhecer, entender e gerenciá-las. Autistas também podem precisar de apoio para reconhecer, interpretar e responder adequadamente às emoções de outras pessoas. Nesse contexto, as expressões faciais são uma ferramenta humana poderosa de comunicação, mas que precisam ser apresentadas e treinadas para que sejam aprendidas por crianças com TEA. 

As expressões faciais são utilizadas pelos seres humanos desde os primeiros meses de vida como sinalizadores da comunicação entre o bebê e a família. No processo de neurodesenvolvimento, aprendemos a relacionar tais expressões com as emoções de seu portador. Um dos sinais precoces de diagnóstico de autismo em crianças é justamente a inibição desses sinais, como não sorrir, não manter contato visual ou não responder adequadamente aos estímulos do ambiente por meio de suas emoções.

ENTENDENDO AS EMOÇÕES

À medida que crescem, as crianças autistas podem passar a se referir a todas as emoções negativas ou desagradáveis como “raiva”, por exemplo, e reagir a essa experiência como agiria se, de fato, estivesse com raiva. Eles podem ainda não reconhecer quando estão alegres e facilmente descreverem seu estado geral como “entediado”, já que o Transtorno do Espectro Autista atinge justamente o desenvolvimento da linguagem e a comunicação, incluindo a percepção de si, do seu mundo interior e a relação com os outros, comprometendo assim o comportamento social.

Por isso, trabalhar a consciência das próprias emoções e das emoções de outras pessoas é o primeiro passo para ajudar crianças e adolescentes autistas a aprenderem sobre elas. Você pode usar interações cotidianas para ajudar crianças autistas a aprender sobre emoções, como:

  • Nomeie as emoções ao se deparar com elas durante o dia. Você pode apontar emoções quando estiver lendo, assistindo TV ou visitando amigos. Por exemplo, ‘Olha, Maria está sorrindo. Ela está feliz’.
  • Chame atenção para as emoções da criança. Por exemplo, diga: ‘Você está sorrindo. Você deve estar feliz’.
  • Enfatize suas próprias respostas emocionais. Por exemplo: ‘Estou TÃO animado! Bate aqui!”, voltando o rosto para ele ver sua expressão;
  • Ajude seu filho a descobrir como seu corpo se sente quando está sentindo uma emoção. Ao perceber nervosismo, pode dizer: “’Você parece nervoso. Você está com uma sensação estranha na barriga?”
  • Faça um desenho do corpo para mostrar onde as pessoas sentem emoção – por exemplo, palmas das mãos suadas ou batimentos cardíacos mais rápidos. Então, peça ao seu filho para desenhar como está se sentindo.
  • Faça uma atividade de emoções com seu filho. Você escolhe uma emoção como “triste” e a representa com seu filho. Você pode transformar essa atividade em um simples jogo de adivinhação.

Entre as ferramentas para trabalhar as emoções, os cartões de emoção contendo imagens de rosto – reais ou em desenho – demonstrando as expressões faciais são bastante famosos e fáceis de encontrar atualmente. Com eles, é possível ensinar as emoções básicas ao seu filho.

COMPREENDENDO E ACEITANDO EMOÇÕES

Se seu filho autista entender por que se sente de determinada maneira, isso pode ajudá-lo a aceitar suas emoções. Você pode ajudar explicando como os pensamentos podem levar a sentimentos. Por exemplo, você pode fazer um desenho de um cachorro com uma criança. Então apresente duas situações: “Se um cachorro pular em você e você achar que ele vai morder, você vai se sentir assustado (desenho uma expressão de susto). Mas se você acha que é um cachorro divertido e brincalhão, você pode se sentir animado (apresente a expressão relacionada)”.

Você também pode usar conversas em quadrinhos mostrando personagens com várias expressões faciais e balões de pensamento para ajudar seu filho a vincular emoções com pensamentos e comportamentos. Para isso, desenhe figuras de seu filho e de um amigo para ilustrar uma conversa. Use cores diferentes para mostrar o que eles estão pensando, dizendo e sentindo. 

Como parte da compreensão das emoções, é importante que seu filho saiba que todos experimentam uma variedade de emoções . Por exemplo, você pode dizer: ‘É normal se sentir feliz, triste, ciumento. Às vezes os sentimentos são grandes e às vezes são pequenos. Todos esses sentimentos são ok!”. 

Um profissional experiente pode ajudar seu filho a entender e gerenciar suas emoções. Um bom primeiro passo é conversar com o pediatra, o psicólogo ou outros profissionais de saúde do seu filho sobre terapias e apoio para crianças autistas .

REFERÊNCIAS:

Recognising, understanding and managing emotions: autistic children and teenagers. Disponível em: https://raisingchildren.net.au/autism/development/social-emotional-development/recognising-understanding-emotions-autistic-children-teens

Figueiredo, Thiago Constantino de. RECONHECIMENTO DAS EMOÇÕES ATRAVÉS DAS EXPRESSÕES FACIAIS EM CRIANÇAS AUTISTAS. Centro Universitário de João Pessoa – UNIPÊ. João Pessoa, 2018.  

Leave a comment

0.0/5