Skip to content Skip to footer

ESTRATÉGIAS DE CONVIVÊNCIA PARA CRIANÇAS AUTISTAS

ESTRATÉGIAS DE CONVIVÊNCIA PARA CRIANÇAS AUTISTAS

ESTRATÉGIAS DE CONVIVÊNCIA PARA CRIANÇAS AUTISTAS – As estratégias de convivência auxiliam no desenvolvimento das crianças e adolescentes com autismo. Pois ensinam o comportamento básico em diversas situações.

A IMPORTÂNCIA DAS ESTRATÉGIAS DE CONVIVÊNCIA

Ou seja, ao implantar estratégias de convivência, caso seu filho tenha Transtorno do Espectro Autista (TEA), você estará ajudando a aprender como agir em diferentes situações do dia a dia.

Nesse caso, se a criança sabe a maneira mais adequada de se comportar nas diversas ocasiões, ela começa a entender como agir.

As estratégias de convivência são positivas e, quando bem aplicadas, favorecem as relações sociais. Também a independência dos infantes. Portanto, promover essas estratégias são importantes para crianças com autismo.

ESTRATÉGIAS DE CONVIVÊNCIA PARA CRIANÇAS AUTISTAS
  • Entender o comportamento apropriado e inadequado em casa ou em outro ambiente;
  • Desenvolver habilidades sociais, como a capacidade de criar vínculos e se dar bem com as outras pessoas;
  • Aprender a entender, conhecer, gerenciar e expressar seus sentimentos e emoções.

Ademais, para que as estratégias de convivência tenham uma maior margem de sucesso… É imprescindível possuir um relacionamento carinhoso e amoroso com seu filho.

ESTRATÉGIAS DE CONVIVÊNCIA

As estratégias a seguir podem orientar e melhorar a convivência de crianças com TEA. Sem dúvida, a fim de estimular o bom comportamento.

1-    ELOGIAR POR COMPORTAMENTO ADEQUADO

Nos momentos em que seu filho recebe elogios ou recompensas por se comportar de maneira ideal, é comum que ele tente manter a boa convivência.

Desse modo, ao elogiar o pequeno, você deve dizer o motivo de estar elogiando. Pois dessa forma vai aprender que através do bom comportamento, recebeu esses elogios. Por meio disso, você irá estimular a manter o bom comportamento.

Entretanto, nem todas as crianças autistas respondem positivamente ao elogio. Pois muitas vezes elas tendem a se afastar do convívio e não possuem motivação para agradar.

Já em outros casos, elas podem não ter uma capacidade de linguagem desenvolvida. Com toda certeza, isso contribui para que elas não entendam as palavras.

Nas situações em que os elogios não são eficazes, você mesmo pode estimular a resposta positiva do seu filho. A princípio, oferecer recompensas que pode ajudar na compreensão do infante. Pois depois de um tempo, tende a gostar do elogio por conta própria.

2-    REGRAS SOBRE O COMPORTAMENTO

Estabeleça regras, pois uma vez que as crianças terão noção das ações que são permitidas ou não. Sendo assim, será possível ter conhecimento do comportamento esperado e dos limites.

As regras devem ser claras para que os pequenos não tenham dúvidas. Mas elas não precisam ser extremamente rígidas. Pois o intuito é orientar e educar a criança para uma boa convivência. Por exemplo: “Não pode brincar pela manhã até que você esteja pronto para ir à escola”.

Além disso, você pode auxiliar o entendimento do pequeno através do uso de suportes visuais. Por exemplo, um cronômetro, para que ele saiba quanto tempo falta até a hora de ir para a escola.

3-    CONSEQUÊNCIAS POSITIVAS E NEGATIVAS

As consequências são usadas em algum tipo de comportamento específico do infante, podendo ser:

  • Positiva: se ele cumpriu com todas as regras e conseguiu se arrumar dentro do tempo limite para ir à escola. Pois poderá ficar mais tempo no parque;
  • Negativa: caso ele esteja jogando o brinquedo no chão, ficará 10 minutos sem brincar.

As estratégias de consequências positivas e negativas podem ser usadas para orientar o comportamento dos pequenos. No entanto, é mais eficaz dar atenção aos comportamentos positivos. Pois assim, normalmente, você não precisará usar tantas consequências negativas.

4-    HABILIDADES SOCIAIS PARA SITUAÇÕES DESCONHECIDAS

Antes de mais nada, muitas vezes os indivíduos com autismo parecem estar se comportando mal. Mas a realidade é que eles não conhecem ou não possuem habilidades para lidar com a situação.

À exemplo disso, se seu filho não cumprimentar as pessoas, não significa dizer que ele está agindo mal de de propósito. Pois simplesmente pode ser que ele não saiba que deveria ter cumprimentado aquela pessoa.

Além disso, existem outras situações nas quais o pequeno pode se comportar de maneira inadequada. Pelo fato de não possuir as habilidades.

Por esse motivo, estimular e capacitar essas habilidades sociais e as estratégias de convivência são passos importantes. Pois desenvolve o desenvolvimento e bem-estar das crianças com autismo.

REFERÊNCIAS

JORGE, Gabriela Heusi et al. Envolvimento paterno de pais de crianças com o Transtorno do Espectro Autista. Bol. – Acad. Paul. Psicol., São Paulo, v. 41, n. 101, p. 175-184, dez.  2021.   Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-711X2021000200004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 29 ago. 2022.

Discipline strategies for autistic children and teenagers. Raising Children, 2020. Disponível em: https://raisingchildren.net.au/autism/behaviour/common-concerns/discipline-for-children-teens-with-asd. Acesso em: 29 ago. 2022.

3 Comments

Leave a comment

0.0/5