Skip to content Skip to footer

Estratégias pedagógicas para alunos com TDAH

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma das causas de dificuldade de aprendizado de natureza neurobiológica mais comum durante a infância e a adolescência. Ocorre em 6-10% das crianças e pode acarretar sérios prejuízos no rendimento escolar e na capacidade de se apropriar da aprendizagem adequada da leitura, escrita e matemática. O diagnóstico deve ser o mais precoce possível a fim de prevenir lacunas de conteúdo e futuros distúrbios de aprendizagens. Seu tratamento deve sempre envolver uma abordagem interdisciplinar com uso de medicações, psicoterapia e intervenções nos atrasos de desenvolvimento que podem se associar ao transtorno. Ressalta-se neste contexto, como estratégia fundamental, a adoção de formas e meios pedagógicos para otimizar e melhorar o engajamento atencional da criança com TDAH.

Mas, como trabalhar a pedagogia com o TDAH?

Estas crianças tem dificuldade de memorização de sequências, não percebem detalhes, reincidem nos mesmos erros, desorganizam-se constantemente, esquecem conteúdos correlacionados ao tema principal, perdem-se nos eventos que são paralelos ao evento principal de uma determinada matéria, no passo-a-passo das fórmulas e dos conceitos das matérias mais decorativas ou monótonas. Portanto, a escola deve participar do processo terapêutico formulando práticas e caminhos que facilite e otimize a absorção de conteúdos e a desenvoltura nas avaliações.
No tocante ao TDAH na escola, podemos dividir tais estratégias em 3 eixos de ação: didática em sala de aula, meios de avaliação e apoio organizacional. A didática em sala de aula deve buscar meios que melhorem a concentração deste aluno: mudar tom de voz de acordo com a necessidade dando ênfase em momentos mais importantes do assunto, colocar este aluno para sentar bem próximo do professor, começar a aula com algum tipo de motivação (uso de quiz ou perguntas que devem ser respondidas ao final após a transmissão do conteúdo e que, em caso de acerto, pode ser dada uma nota que se somará à média final), associar o assunto da aula a alguma situação do contexto que interessa ao aluno ou que tenha uma aplicação prática, utilizar–se de estímulos audiovisuais ou sensoriais, os quais têm grande poder de memorização, ser mais emocional na transmissão da aula, menos cópia e menos texto.
Em relação aos meios de avaliação, o professor pode variar e enriquecer as formas de averiguar se este aluno absorveu ou não a matéria aplicando não somente as clássicas provas objetivas, mas também trabalhos, pesquisas de campo, apresentações em sala, participação em discussões, etc. As provas devem ser enxutas, objetivas, curtas, sem pegadinhas. Como este aluno se distrai e se perde nos detalhes, é importante ao final da prova que seja dado um tempo complementar para que reveja as questões em busca de possíveis lapsos ou distrações e dada à oportunidade de corrigir ou refazer a questão. Alguns alunos podem ser favorecidos com o professor lendo as provas antes de iniciá-las, pois podem compreender melhor as questões ouvindo-as.
No apoio organizacional, o professor pode ajudar criando uma rotina pré-estabelecida com o aluno o qual deve seguir repetidamente e diariamente. Esta espécie de roteiro serve para ser um lembrete diário.

Neste, pode-se escrever assim, passo-a-passo:

  1. fazer as tarefas de hoje;
  2. selecionar dúvidas para levar ao professor;
  3. verificar maiores dificuldades;
  4. estudar para as provas mais próximas;
  5. organizar o material para o dia seguinte; etc.

Assim, ao chegar em casa, este roteiro servirá de apoio para lembrar e criar uma forma de resolver sem se perder. Neste quesito, a família tem papel fundamental ao ajudar a concretizar este processo e sentar com a criança para fazer suas tarefas, tirando suas dúvidas e motivando a terminá-las. A escola estimulará, assim, o engajamento dos seus cuidadores no cuidado em preservar o gosto de seu filho pelos estudos. Uma bela parceria, não?

120 Comments

  • Selma Maria Neri da Silva
    Posted 13/09/2016 at 9:12 pm

    Me interesso muito por assunto de inclusão pois trabalho com essas crianças é muito bom saber de estratégia para trabalhar com tdah

  • Milene
    Posted 13/09/2016 at 10:59 pm

    Boa noite! O déficit de atenção (sem hiperatividade) pode levar a dislexia?

    • MIRLENE SILVA DA COSTA
      Posted 19/09/2016 at 9:43 pm

      Sim, é um dos três subtipos de transtorno, embora as dificuldades escolares são diversas e multifatoriais, dificultando, muitas vezes, delimitações mais precisas. No entanto, o comprometimento de habilidades estratégicas para o aprendizado, como atenção e leitura, pode determinar prejuízos persistentes e difusos, justificando uma avaliação mais sistemática e aprofundada destas funções. O avanço no conhecimento sobre transtornos como o TDAH e a Dislexia tem melhorado a compreensão geral sobre estas funções, orientando ainda estratégias mais específicas e eficazes de intervenção.

      • Michele
        Posted 20/04/2020 at 10:31 am

        Bom dia! Sou professora particular de matemática e tenho um aluno adolescente, 14 anos, com TDH sem hiperatividade, na verdade é bem lento, pra tudo, não só nos estudos, mas é da natureza dele , se tentar acelerar ele trava. Ele está no nono ano, comecei a dar aula pra ele ano passado, bem no final do ano, na prova do ultimo bimestre, estava quase reprovado, passou, mas não aprendeu o conteudo dado nem do oitavo ano e nem dos anos anteriores, algumas coisas ele aprende, mas sempre tenho que revisar tudo de novo e isso me impede de seguir com a matéria. Ele estuda em um colégio curso, cujo objetivo é obter notas boas no ENEM, a escola é excelente, mas acho que ele não acompanha, acho um outro ritmo, que pra ele não funciona. Ele tem diagnóstico, faz prova separado de todo mundo, mas eu acho que em sala de aula, ele não acompanha. Vejo que a mãe dele, não tem uma preocupação em que ele aprenda as coisas e sim que ele passe de ano, claro que não é por mal,todas as mães querem isso. Não sou pedagoga, sou uma engenheira civil que gosta de dar aulas de matemática, não entendo muito bem sobre o mundo da educação, mas percebo a dificuldade de cada aluno e queria muito ajudá-lo, não sei como abordar o tema com a mãe, nem sei se devo, e nem sei como ajuda-lo, temos feito progressos na disciplina, mas de forma lenta, repetimos várias vezes o mesmo conteúdo e então ele aprende. Volto sempre nos conteudo passado, antes de iniciar um novo para ver se ele lembra, acho que ajuda, mas tudo é muito devagar,por mim tudo bem, não me importo de ver e rever várias vezes, mas e a escola, o rítmo da escola é frenético, testes e provas a cada 4 semanas, ele não consegue desenvolver todo o conteudo nesse tempo. Como posso ajudar? Amei o blog, a propósito estou fazendo licenciatura agora e em breve poderei dar aulas oficialmente!

        • Suporte Neurosaber
          Posted 21/04/2020 at 12:14 pm

          Olá Michele, Ainda não temos um conteúdo sobre este tema para te auxiliar nesse processo, mas vamos colocar em nossa pauta abordar sobre este assunto também. Obrigada pelo contato.

          • Marilza Conceição
            Posted 08/02/2023 at 9:51 am

            Alunos com processamento auditivo podem ter autonomia? Como trabalhar autonomia com esse adolescente?

          • Luciana
            Posted 20/05/2023 at 11:44 am

            Olá, tenho, um questionamento muito parecido com a Michele. Porém tenho muita dificuldade em elaborar as atividades e repassar o conteúdo. Gostaria, também de ver artigos com exemplos de atividade diversas para o Ensino Fundamental II e Ensino Médio, pois percebo que tem bastante no Fundamental I .

          • Jhulli
            Posted 12/06/2023 at 6:31 pm

            Olá Luciana, tudo bem?

            Ainda não temos um conteúdo sobre este tema para te auxiliar nesse processo, mas vamos colocar em nossa pauta abordar sobre este assunto também. Obrigada pelo contato.

            Jhulli, Equipe NueroSaber 💙

        • Marcelo
          Posted 13/12/2020 at 1:24 am

          Seja bemvindo. Sou Engenheiro Eletrônico, fazendo o mesmo caminho:
          – licenciatura R2 em MAtemática e Física (já completada)
          – atualmente concluindo Pedagogia e Psicopedagogia.

          Recomendo ambos os cursos para complementar sua formação. :- )

          Com relação ao seu aluno, sugiro encontrar correspondências entre o que está sendo ensinado e o mundo dele, até que você encontre esta ligação. A partir de então creio ele se interessará mais pela aula e pelo conteúdo.

          Com relação ao problema: Não tente diagnosticar. Mas você pode discutir a questão junto a coordenação pedagógica da sua escola e estes sim podem decidir por orientar os pais a buscar ajuda profissional. E o profissional (e não o professor) sim, terá a função de diagnosticá-lo.

          A nós, caberá a função de incluí-lo quando diagnosticado.

        • Priscilla
          Posted 27/05/2021 at 2:40 pm

          Olá Michele, muito bonito isso que vc faz! Percebo que ensina por amor e se preocupa para ver seu aluno progredir. E não somente para cumprir o protocolo, continue assim e tenho certeza que vocês colherão os frutos!!! Parabéns!!!
          Vim escrever, para tentar ajudar, baseando na minha história…
          Tenho 34 anos e descobri há uma semana que tenho TDA.
          Nunca entendi o porque não conseguia (até hoje) estudar, quando começava a ler ou prestar atenção no professor, meus pensamentos começavam a voar e quando “voltava ao planeta Terra”, já tinha perdido metade da explicação! Então ficava com vergonha de perguntar e ia embora sem entender nada. E assim, um dia após outro… Por isso sempre fui uma aluna “mediana”, sempre passava raspando e hoje ainda não consegui me formar na faculdade…
          Infelizmente como nunca fui diagnosticada, meus pais nem sonham que tenho esse transtorno, então por isso acabou dificultando um pouco mais o meu aprendizado. Mas não os culpo por isso, agora que descobri, vou procurar o tratamento adequado e sabendo deste transtorno, agora facilita as coisas, porque agora vou finalmente aprender a estudar… Como diz o ditado: “antes tarde, do que nunca”, não é mesmo?!
          Então como seu aluno já tem o diagnóstico, tudo facilita!
          Bom, vamos lá, resolvi escrever não para ficar falando de mim, mas sim ajudá-los, não é mesmo? rsrsrs…
          O que facilita no meu aprendizado e o que faço hoje (pois faço curso e estudo para concurso).
          * Aulas em vídeo ou gravado – Percebo que tenho mais facilidade em aprender escutando ou assistindo, até pq se eu não entender ou começar a “voar”, dá para voltar e assistir de novo. Então esse recurso me ajuda muito. E viva a internet! \o/
          * Se preciso ler, prefiro aquele recurso de escutar, alguém lendo para mim. Porque quando eu tenho que ler (e principalmente algo que não me interessa muito) a probabilidade em me perder nos meus pensamentos, é bem grande! E por isso preciso reler 300 vezes o mesmo parágrafo.
          * Mas se mesmo assim, preciso ler e não tenho como utilizar os 2 recursos anteriores, dá para ler fazendo “metinhas”. Por exemplo: Vou ler este conteúdo em 30 minutos, ou vou ler este parágrafo em 5 minutos, etc… Li em um artigo (pq agora estou pesquisando sobre esse transtorno), que fazendo pausas de 30 minutos ajuda bastante…
          ***Uma dica***
          Não sei se o que tenho se aplica a todos que têm TDAH, mas vou falar baseado em mim…
          Tenho MUITA facilidade em “viajar nos pensamentos”!
          Então para vc saber se seu aluno prestou atenção/entendeu no que vcs acabaram de estudar, faça perguntas!
          Leia um parágrafo e explique, depois peça para ele te explicar de volta.
          Pode ter certeza que ele vai conseguir absorver o conteúdo!
          Nós TDA’s, conseguimos aprender! Mas precisamos de um pouco mais de dedicação, só isso que temos de diferente. 😉
          E com pessoas dispostas a nos ajudar, facilita muuuuuuuuito!!!
          Vou ficando por aqui, pq já falei muito, rsrsrs…
          Mas me coloco à disposição para ajudar no que eu puder!
          Whats (67) 9 9818-6677 / @priscillagcs / [email protected]
          Bjs e fiquem com Deus =***

          • Marta Laura
            Posted 15/09/2021 at 4:42 am

            Olá Priscilla
            Bom dia!!
            Poxa, muito obrigada pelas suas palavras. Tenho um filho de 13 anos com TEA em grau leve e TDah porém não é hiperativo. Ele tem dificuldades em estudar as matérias de humanas sozinho, sempre tenho que estudar com ele. Faço exatamente do mesmo jeito o qual você comentou no texto em relação aos estudos. Agora gostaria de uma opinião sua, se puder é claro, referente a questão da escolha da escola. Fiz a pré matrícula do meu filho em um colégio que tem um ritmo frenético, acredito que eu tenha me equivocado. Deixa eu te explicar, como ele tem o TEA na forma leve, precisa de um AT escolar para acompanhá-lo nos estudos na sala de aula, justamente para trabalhar o processo de inclusão e observação de comportamentos. Em relação ao TDAH ele toma o Ritalina, mas ele fala que mesmo assim em determinados momento da aula se desfoca e logo tenta voltar. A questão é que esse colégio que tem conteúdo frenético aceita o AT escolar, porém soube através de uma mãe que tem um filho lá que são muitos trabalhos em equipe, em dupla, sarau, feira de conhecimentos etc… No entanto já imagino que o meu filho terá grandes dificuldades e isso está me preocupando. Por outro lado, descobri um colégio que trabalha com o método de ensino ELEVA e segundo eles, é mais voltado também a parte psicológica de ensino e não só a cognitiva, tive a resposta que lá também aceita o AT escolar para acompanhamento das aulas. Como ele tem essa dificuldade já passou por alguns bullyngs e isso muito me preocupa. Você acha que para o meu filho, qual o modelo de ensino melhor se aplica na situação dele? Gostaria da sua ajuda pois estou um pouco perdida.
            Se puder me ajudar, ficarei muito grata.

          • Juliana
            Posted 21/02/2022 at 8:14 pm

            Sensacional, Priscilla! vc me ajudou muito. Acabei de ler o laudo da minha sobrinha e vou estudar com ela para as provas bimestrais. Ano passado já tinha feito mais ou menos isso que vc descreveu e deu certo. Agora vou continuar, apenas diminuindo o tempo de estudo ininterrupto. Obrigada!

        • Rosemeire de Jesus Vieira silva
          Posted 03/08/2021 at 5:23 pm

          Boa tarde tenho uma aluna na educação infantil 4 anos que não consegui entender os comandos durante as atividades ela observa mas faz o contrário se não é para pintar ainda ela pinta quando questionada ela meche os lábios como se estivesse se explicando porem não emite som e muitas vezes sai a última palavra do contexto que em sua cabeça ela falou ou chora oque faço que profissional preciso pedir que os pais procure oque colocar no relatório

    • CYBELLE FRAGA
      Posted 09/12/2020 at 9:49 pm

      Não. A dislexia é um transtorno da aprendizagem que pode estar no paciente com TDAH ou não. Muitos diagnósticos são fechados de TDAH erroneamente, e a pessoa tem dislexia. Portanto, é muito importante que se faça uma avaliação neuropsicológica para uma hipótese diagnóstica acertada.

  • Deusa Idem
    Posted 14/09/2016 at 9:57 am

    bom dia
    Meu filho tem 6 anos e desde os dois anos estamos tentando fechar um diagnóstico com ele através de psicólogos, neuros e agora psiquiatra. Ele já foi diagnosticado com Asperger e agora deduzem que é TDAH severo, ele esta tomando dois medicamentos o neuleptil pra dormir a noite e de manha o venvance, ele também frequenta duas escolas uma particular de manhã e uma publica a tarde, porem meu filho não aprende, eu estou desesperada não sei mais o que fazer com ele, por favor me orientem, pois estou pior que cego em tiroteio.

    • EVELISE IZUMI KAWASAKI
      Posted 13/09/2018 at 10:50 am

      Deusa, eu sou pedagoga e já fui coordenadora na Ed. Infantil. Sei como é difícil a sua situação como mãe. O primeiro passo é você se acalmar. Tenha consciência que, apesar das dificuldades na escola, o seu filho tem uma porção de qualidades. Ele tem boa saúde? É uma criança alegre, carinhosa e cheia de vida? Então diga isso para ele todos os dias e agradeçam juntos pelas bênçãos nas suas vidas. Diga para ele que você quer que ele seja feliz e que você CONFIA nele. Muitas escolas pressionam os pais porque elas querem alunos bons, comportados e que não dão trabalho. Mas para você, o que é mais importante? As notas, ou o desenvolvimento dele como um ser humano equilibrado, autoconfiante e feliz? Ore para que ele tenha progresso em todos os aspectos da vida. Nam-Myoho-Rengue-Kyo!

      • Luci sales
        Posted 12/01/2021 at 9:06 pm

        Eu é que vou orar por encontrar alguém que pense como eu, pois é tão difícil. Essa valorização do ser humano está tão desumana,mas me alegro quando ainda vejo que existo pessoas como você, que pensa como você.

        • Maria Aparecida Mendes Fernandes
          Posted 17/03/2021 at 9:10 am

          Obrigada pelas palavras, a gente se desespera quando vê o filho perdido por causa do déficit de atenção.!

    • cinthia
      Posted 09/10/2019 at 4:38 pm

      Boa tarde. Seu filho frequenta o atendimento educacional especializado? O AEE é de extrema importância para o desenvolvimento de alunos com Aspenger. O professor de AEE junto com o professor da sala comum buscarão estratégias para atender a necessidade do seu filho. Verifique a possibilidade de matriculá-lo no AEE , já que ele é público-alvo.

    • Bruna Pacheco
      Posted 20/04/2020 at 8:05 pm

      Boa Noite , vejo o Seu comentario Dia 20 /04/2020 , espero que o Seu filho esteja melhor , e que a Senhora Esteja Mais tranquila , essa situação é muito delicado e posso garantir que existi meios com que ele Possa se desenvolver melhor , Cheguei um Pouco Tarde , mais gostaria de saber como anda Seu Filho e seu desenvolvimento , Grata Com toda atenção Do mundo Bruna Pacheco <3

    • Mery Elen
      Posted 31/05/2020 at 4:00 pm

      Seu filho tem 6 anos, transtorno e dificuldade de aprendizado e voces colocaram ele em 2 escolas???? E ele descansa que horas?? E tempo para assimilar o que esta tentando aprender??? Se a gente , adulto, fica esgotado no fim do dia quando acaba a jornada de trabalho, imagine uma criança de 6 anos tendo que estudar 12hs por dia.

    • Dahiara
      Posted 14/04/2022 at 2:19 am

      Deusa boa noite, vi seu relato e me identifico muito. Tenho um filho com 6 anos também com diagnóstico de TDHA, TEA, TOD e Autismo leve. Sou professora e tenho muita dificuldade em alfabetizar meu filho. Porém descobrir que alunos com esses tipos de transtornos se muito “forçados” eles acabam “congelando”, em todo o aprendizado. Aqui em casa por exemplo no antigo colégio do meu filho ele ficava das 6:30 da manhã até as 18:00 ficava em período integral no colégio, recentemente trocando s ele de colégio e optamos em colocar ele no período da manhã. Percebemos uma grande diferença em todo o aprendizado dele e também no quesito do TOD ele está mais calmo. A T.O dele também nos solicitou que quando falássemos com ele tocacemos nele para ele sentir toda a emoção do momento e conseguir absorve e se concentrar melhor.

      Ps: Sou professora de Ciências e possuo também a pedagogia, mais confesso que está sendo um frande desafio.

    • Juci
      Posted 03/05/2022 at 5:55 pm

      Posso tentar passar algmas dicas (91) 983829937

  • Fabiana
    Posted 17/09/2016 at 11:12 am

    Queria uma ajuda . Meu filho tem 6 anos está no primeiro ano com uma aprendizagem bem lenta na leitura e escrita. Estando atrás do grupo. A professora percebeu uma lentidão em obsorver os conteúdos, um breve esquecimento após cada explicação, não acompanha a turma nas tarefas, parecendo realizar uma pausa no pensamento. Vou iniciar as avaliações com os profissionais mas muito apreensiva pois ele teve aos 2 anos um diagnóstico não fechado de um quadro de meningite. Que foi levado o tratamento até o final. Mas não confirmada pois na época era Carnaval fomos atendidos em um hospital público e não conseguiram vaga para realizar o procedimento em tempo hábil para diagnosticar. Assim ficamos com esse ponto de ???? Mas aparentemente não tinha seqüelas, mas só crescer percebíamos uma grande dificuldade em noções matemáticas que superou, uma mudança de humor repentina e irritabilidade ao ser contrariado. Agora só adquirir a fase da leitura e escrita. Me ajudem …. sei que só terei esse maior retorno após as avaliações.

    • iraci
      Posted 29/08/2019 at 9:10 am

      Fabiana, passe segurança a seu filho leia muito pra ele, não nascemos sabendo tudo aprendemos a comer a falar tudo no tempo de cada um, muitas vezes a pressão faz que aconteça um bloqueio não queira que ele seja igual ao filho dos outros mas sim seu filho, a melhor fase de aprendizagem é da educação infantil ao quinto ano do ensino fundamental mas sem atropelo tudo no seu tempo não deixe ele se sentir obrigado a aprender mas que tenha vontade aprender com amor.

  • Flavia
    Posted 17/09/2016 at 11:28 am

    Quais orientações para para um TDA predominante desatento?

  • Ademilde
    Posted 17/09/2016 at 4:47 pm

    Estou trabalhando com uma criança hiperativa mais inteligente.. boas notas.. se destaca por ter uma estatura um pouco diferenciada.. quer dizer maior que os coleguinhas… gostaria de algumas dicas para trabalhar com ele no atendiemnto clinico psicopedagogico.. grata

  • Vanusa Albuquerque de Sousa
    Posted 17/09/2016 at 6:33 pm

    Boa noite Luciana o meu filho e tdah como deve proceder no quesito de cobrar da escola esses trabalhos que, foram mencionado no texto ele tem apresentado um bom rendimento escolar, so que tem horas que ele estressa e nao quer e nao faz as tarefas e nem estufas as atividades proposta, pela professera. Ate hoje nao consegui um professor de apoio para ele. A professora diz que ele esta acompannando bem a turma so de vez enquando ele esquece.

  • Irenice Maria Silva Miranda
    Posted 17/09/2016 at 7:03 pm

    Boa noite Luciana!
    Sou professora de apoio de um aluno Autista e como eu sei que que ele esquece de mostrar aos pais os deveres de casa eu uso uma agenda para registrar os deveres que ele precisa fazer e também as mudanças em seu comportamento depois das aulas. Sempre me coloco á disposição da família.

  • Heloisa Helena Tanaka
    Posted 17/09/2016 at 10:42 pm

    Minha filha tem 6 anos tdah..toma rispiridona é c.nortriptilina socialmente teve boa melhora porém na escola ela não para quieta…anda rasteja pela escola, tira atenção das crianças, lambe …não é violenta mas dá muito trabalho pra escola que parece não estar adequada e preparada para essas crianças com tdah.Como devo cobrar essas mudanças? É difícil pois td dia tem reclamação da minha filha e isso me estressa pois não fazem nada pedagogicamente falando para ela se motivar.me ajudem…obrigada.

    • Cida
      Posted 03/07/2019 at 3:02 pm

      Boa tarde, estou na mesma situação, sei que seu post porém me identifiquei, estou passando pior essa fase meu filho não tem diagnostico fechado então a escola só fica me cobrando e eu fico maluca, agora a escola disse que quer retira ele da turma, não concordo com isso, gostaria de saber o desfecho sobre a situação que você estava vivendo, grata.

    • Selma Fernandes
      Posted 03/01/2020 at 10:30 am

      Olá, sou Selma Fernandes, professora, psicopedagoga e psicanalista.
      Tenho experiências incríveis como professora. Quando percebo crianças com TDAH, procuro colocá-las o mais próximo de mim, associando o conteúdo a sua realidade, mudando a tonalidade da voz. Procuro também trabalhar com a compensação, ou seja, sempre ao final das atividades, distribuo miniaturas de bichinhos, carrinhos e também massa de modelar. Tenho um netinho que é muito inquieto e vinha dando muito trabalho na escola por causa do seu comportamento. Minha filha o levou a uma psicóloga e a mesma prescreveu uma rotina doméstica e a cada tarefa cumprida a mãe o elogiava e o recompensava com passeio e brincadeira em família. Não precisa ser um tempo de quantidade mas sim um tempo de qualidade visto que nem sempre temos tempo pra brincar com nossos filhos por causa do trabalho. Mas é preciso dispor de um tempo de qualidade com eles. Portanto, faça um quadro de metas a ser cumprido em casa com seu filho (a), e sempre que cumprida, faça elogios e procure recompensar com uma ida no cinema, com um jogo divertido em família. Isso ajudará no desenvolvimento de sua responsabilidade e o tornará mais atento.

    • Luci sales
      Posted 12/01/2021 at 9:23 pm

      Oi! A sua filha faz o AEE? É muito importante fazer, porque lá é feito um PDI e ela será trabalhada naquilo que mais necessita. Essa impulsividade, falta de interesse e outros..a medicação direitinho e adequada é outro fator preponderante. O TDAH precisa ser trabalhado na sua escola com os recursos, ferramentas que chamem a atenção dela.Que gere interesse. Caso isso aconteça, ela não terá a menor vontade ou atracão em participar daquilo que lhe chama a atenção.

  • Cristiane mascarenhas
    Posted 19/09/2016 at 7:27 am

    Quero participar .email [email protected]

  • Rosangela
    Posted 19/09/2016 at 10:19 am

    Olá descobri muito tarde q minha filha tem TDAH com 11 anos ela não sabe ler o q mais me deixa de mãos atadas e q a escola diz q não tem obrigação de alfabetizar minha filha eles simplesmente passam a tarefa e provas e não ajudam ela o que eu faço

    • Lu
      Posted 13/01/2017 at 5:44 pm

      Primeiro, hoje a lei já protege quem tem diagnóstico… a escola deve se informar a respeito e preparar seus profissionais! mas às vezes uma discussão torna-se desgastante! Já pensou em mudar de escola?!

  • Luciana
    Posted 19/09/2016 at 11:56 am

    Olha estou amando receber todas essas dica e sempre lendo as duvidas que sao indagadas.tenho um sobrinho com Autismo,me formei em serviço social,para poder de alguma forma ajuda nas informaçao de direitos não informando.tenta os serviço publico fornecer mais assistencial

  • Eliete de Moura Beserra Esturari
    Posted 19/09/2016 at 8:12 pm

    Ótimas intervenções sugeridas.

  • Liana
    Posted 19/09/2016 at 9:34 pm

    Gostaria de saber como lidar com uma criança com QI acima da média.

  • Sênia Maria H. Saraiva Ramos
    Posted 20/09/2016 at 11:14 am

    Como sempre m ótimo artigo sobre a dislexia. Poderiam nos dá exemplos de imagens escritas, onde por meio destas caracterizam-se dislexia. Parabéns equipe Neuro Saber.

  • Cassia Monteiro
    Posted 20/09/2016 at 11:26 pm

    Boa noite
    Não trabalho com crianças com TDAH, a vida e uma surpresa posso estar me aprendendo para num futuro próximo estar passando estes conhecimentos que estou adquirindo para pais de alunos ou até mesmo esta trabalhando com criança que tem TDHA.

  • MARLI
    Posted 22/09/2016 at 10:05 pm

    como estudante de pedagogia, sempre é bom ter esses materiais em função de nos orientar melhor.

  • Jaqueline Couto
    Posted 23/09/2016 at 6:53 pm

    Valiosíssimo essa matéria muito edificante para pais e professores conhecimentos e estratégias aqui mencionados concerteza ajudará compreender e trabalhar com crianças com TDAH. Valeu mesmo pela dicas. Deus continue abençoando e recompensando a equipe Neuro Saber fica aqui meus agradecimento vcs tem sido um canal de Deus para abençoar a muitos!

  • Quézia
    Posted 23/09/2016 at 9:08 pm

    Boa noite,
    Ótimo artigo!!! Sou professora de AEE e dou atendimento a um aluno com TDAH e gostaria de receber mais dicas de intervenção pedagógica para trabalhar com este aluno.

  • Rosangela
    Posted 25/09/2016 at 12:27 am

    Excelente Matéria! Gostei muito das dicas! Obrigada!

  • Hermínia Medrado
    Posted 25/09/2016 at 5:40 pm

    Este texto sobre TDAH foi bastante esclarecedor, ajudou muito, especialmente no quesito como ajudá-lo a se organizar para não se perder. A rotina diária e a estimulação em sala de aula com metodologias apropriadas pode ser de grande valia. Muito obrigada por contribuir com o nosso conhecimento.Bjos

  • maria lidiane dos santos silva almeida
    Posted 19/10/2016 at 11:06 am

    Eu parabenizo o casal pelos textos,vídeos que são bastantes esclarecedores e estar contribuindo de uma forma muito significativa para o meu conhecimento…Obrigada !!!!

  • Andréa Mandetta
    Posted 22/11/2016 at 11:58 am

    Bom dia . Tenho um filho com 13 anos q foi diagnosticado a pouco tempo com Déficit de Intelectual Leve . O que vcs poderiam me ajudar para ensina lo a memorizar as matérias da escola pois ele faz pela segunda vez a 5 série e ao menos sabe tabuada e contas em geral . Não dia mês e ano semana não grava nada . Fico triste com essa situação TDs as escolas q passou não o auxiliou mesmo pq somente esse ano descobrimos o q ele tem. Obrigada pela atenção

  • Andréa Mandetta
    Posted 22/11/2016 at 12:01 pm

    Meu filho tem 13 anos e sofre de DIL . O que vcs podem me ajudar para ajuda lo a memorizar as matérias da escola ele tem déficit de 3 anos .Obrigada pela atenção

  • Luzivalda de Souza lima falcao
    Posted 27/11/2016 at 9:38 pm

    Sou pedagoga e leciono em uma sala de 1 ano tenho um aluno que tem uma dificuldade enorme de memorização e é muito desastrado está sempre derrubando o lápis caindo por nada

  • Claudia Câmara
    Posted 10/01/2017 at 1:10 pm

    Boa tarde…
    Muito bom as informações e rico para o meu crescimento profissional….
    Excelente para ficar informado…

    • NeuroSaber
      Posted 10/01/2017 at 2:18 pm

      Obrigada Claudia!acompanhe as neurolives no canal da Neurosaber no youtube e as aulas disponiveis com muitas informaçoes.

  • Elizabeth Ferreira Macedo
    Posted 10/01/2017 at 3:58 pm

    Boa tarde. Estou aqui pra agradecer a todos os textos e explicações sobre esse tema. Meu filho tem 8 anos e demorei pra descobrir q ele tem tdah, ele estava mal na escola, a professora e a coordenadora da escola dele me alertaram que ele poderia ter algum distúrbio de aprendizagem, então resolvi leva-lo ao Neurologista. Lá o médico fez algumas perguntas que se encaixaram no seu comportamento em casa e na escola. Logo descobri q realmente ele tem tdah. Mas os esclarecimentos de vcs me alertaram e me ajudaram, com ele na escola. Por isso quero agradecer e dizer q vejo sempre os videos e o site de vcs.

    • NeuroSaber
      Posted 11/01/2017 at 10:14 am

      Muito obrigada Elizabeht! abraços

  • Ester
    Posted 10/01/2017 at 5:01 pm

    Ótimo artigo para o meu trabalho será muito importante. Seguirei suas orientações, obrigado!

    • NeuroSaber
      Posted 11/01/2017 at 10:13 am

      Ester obrigada! temos varias orientaçoes, aulas e neurolives disponiveis no canal da neurosaber no youtube. Confira!

  • Célia Ximenes
    Posted 10/01/2017 at 8:55 pm

    Boa noite!
    Se buscarmos uma revisão através do contexto histórico, a respeito de uma abordagem sobre a Educação Inclusiva, em se tratando dos transtornos que tanto afetam as pessoas(crianças), principalmente, na idade escolar, observa-se que muito tem-se avançado, porém, muito se tem tem, ainda, a descobrir através do conhecimento sobre essas causas, Nós, estamos, sim, buscando isso, mas essa temática, costumo dizer, encontra-se em parte, na germinação, mas que teremos muitos frutos a colher pela frente, se fizermos nossa parte e buscarmos socializar com os colegas (professores) familia, e, porque não, toda comunidade, em particular, a escolar? Depende de mim; Depende de Nós!

    • NeuroSaber
      Posted 11/01/2017 at 10:02 am

      Com certeza Celia! a socialização dos conhecimentos é essencial para bons resultaods.

  • Antônia Lúcia F. Da Costa Vieira
    Posted 11/01/2017 at 12:39 am

    Boa tarde Dr: Luciana . Tenho enfrentado um problema, pois tenho um filho com 22 anos que aos 16 anos foi feita uma avaliação e resultado foi este que o mesmo tem Qi elevado ou possui Altas habilidades. mas o tempo foi passando e Lucas se destacava como por exemplo em matemática e outras disciplinas. Ele concorreu um exame de seleção no IFRN aqui em Natal, foi aprovado em primeiro lugar, mas houve outros problemas que fizeram com que ele de concluir o curso, então ele concluiu o segundo grau em outra escola.
    Depois ele fez o enem foi morar em João Pessoa, também enfrentou outros problemas e não consegui resolver sem ajuda de alguém como o pai ou a mãe, então foi que comecei a perceber que tinha algo de errado pois já estava com 18 anos e não conseguia resolver seus próprios problemas, por mais simples que fosse, tem medo, é tímido se isola com frequência. Em resumo vejo que apresenta dificuldade em concluir um curso. Preciso de ajuda. Quando ele fez um curso de montagem e manutenção de micro professores e a coordenadora observaram que ele apresentava sintomas de autismo leve , segundo elas, no Centro Educacional Dom Bosco. Como faço pra min comunicar melhor com vocês. preciso da ajuda de vocês.

    • NeuroSaber
      Posted 11/01/2017 at 10:00 am

      Antônia, voce pode entrar em contato pelo telefone 43 991411059 ou na clinica 43 30552324.

  • Cilmara
    Posted 11/01/2017 at 12:51 pm

    Ótimo texto. Tenho um centro pedagógico e observo que há níveis de comprometimento e que, quanto mais velho o aluno, melhor ele lida com a dificuldade. Mesmo assim, ainda encontro algumas dificuldades, porque nem sempre os professores estão preparados para lidar com o aluno com TDAH. Muitos ainda trabalham com a escola tradicional, o que transforma o reforço escolar em uma verdadeira repetição do que acontece na escola.
    Para 2017 pretendo adquirir brinquedos pedagógicos que auxiliem na aprendizagem. Acredito que pode ser um bom recurso.

    • NeuroSaber
      Posted 12/01/2017 at 8:37 am

      Sim Cilmara! mas em seu centro pedagogico poderá levar mais informaçoes aos seus professores atraves das aulas disponiveis pela Neurosaber.Abordam varios aassuntos importantes para o trabalho do professor e até para conscientização dos pais.

  • Guiomar Rita do Carmo Scheeren
    Posted 11/01/2017 at 6:16 pm

    Gostaria que se fizesse uma abordagem , também sobre o transtorno de atenção sem hiperatividade.
    Estão e parabéns,os vídeos e os textos sobre como trabalhar com altismo,foram muito bons.

    • NeuroSaber
      Posted 12/01/2017 at 8:34 am

      Guiomar, no site, e nas neurolives no canal do youtube da Neurosaber voce encontrará varias aulas sobre TDAH onde terá muitas explicaçoes sobre o transtorno com predominancia na desatenção.

  • Jane Santos
    Posted 16/01/2017 at 2:56 pm

    Boa tarde,
    Sou diretora em uma escola particular e trabalhei diretamente com um aluno diagnosticado com TDA que já se encontra no sétimo ano do E.F. Ele apresenta várias das características citadas pelos pais nos comentários, porém o que se torna mais difícil é que ele não quer fazer as atividades. Já tentamos várias situações diferenciadas e ele consegue burlar tudo que lhe é apresentado no que diz respseito a tarefas escolares. Sou a única pessoa com quem ele realiza as atividades, principalmente as de Matemática. Sua leitura é compreensível mas ele precisa dar uma melhor pontuação e um rítmo mais cadenciado para que ele próprio entenda o que está lendo. Você pode me dar alguma sugestão de trabalho com ele?

    • NeuroSaber
      Posted 18/01/2017 at 8:45 am

      Ola Jane! parabens por seu empenho em ajuda-lo, mas pelo que nos relata pode estar ocorrendo algo mais que está fora do alcance escolar.Seria interessante fazer uma avaliação mais detalhada com uma equipe multidisciplinar para se ter certeza do que realmente está ocorrendo.

  • Janice
    Posted 29/04/2017 at 5:19 pm

    Boa tarde,sou professora de apoio, trabalho com uma criança com TDAH,e um desafio muito grande,a criança n e alfabetizada.

  • VANESSA
    Posted 27/06/2017 at 6:50 pm

    OLÁ
    ESTOU MUITO INTERESSADA EM CONHCER MAIS SOBRE A NEUROCIENCIA E A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS COMO TAMBEM AS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM E OS TRANSTORNOS .
    PARABENS PELOS VIDEOS E ARTIGOS AQUI PUBLICADOS
    GOSTARIA DE SABER UM POUCO SOBRE OS TESTES QUE OS PSICOPEDAGOGOS PODEM APLICAR… ONDE SE ENCONTRAM…
    OBRIGADA

  • brena
    Posted 01/10/2017 at 5:08 pm

    gostaria de saber o nome do autor do texto urgeeeeente, é pra uma citação

    • NeuroSaber Responde
      Posted 03/10/2017 at 4:55 pm

      Os nossos materiais são escritos pela equipe Neurosaber.

  • Angela Maria Da Silva
    Posted 28/02/2018 at 11:32 am

    Bom dia! gostaria de saber quem é o autor do artigo…e referencias bibliográficas.
    Obrigada!

    • NeuroSaber Responde
      Posted 08/03/2018 at 2:48 pm

      Nossos artigos são obras da nossa equipe.

  • Claudenice Lima Santana
    Posted 28/02/2018 at 8:13 pm

    Estou fazendo o curso de pedagogia e me foi muito valioso o material do NeuroSaber e cada aprendizagem será bem vinda, trabalho com crianças especiais e quando eu terminar o curso de pedagogia pretendo fazer psicopedagogia.

  • Peter
    Posted 14/03/2018 at 4:17 pm

    Boa tarde, meu filho foi diagnosticado com tdh e onde ele estuda a escola nao trabalha com ele da maneira correta. Gostaria de saber oque eu posso fazer para intervir na escola pelos direitos do meu filho?

    • NeuroSaber Responde
      Posted 20/03/2018 at 1:44 pm

      Ola, procure a direção da escola e juntos procurem alternativas.

  • Analice
    Posted 21/03/2018 at 8:52 am

    Informações importantes é muito fáceis de compreender. Isso que os profissionais estão precisando, algo que chegue. Sou mãe de um menino
    De 10 anos c TDAHIe professora de educação infantil. Todo dia é uma nova conquista,um
    Novo aprendizado, mas a
    Escola ainda precisa aprender muito a
    Conduzir essas crianças.

  • Giovanna
    Posted 25/03/2018 at 10:43 am

    Bom dia.
    Essa matéria resumiu a minha vida escolar pois eu possuo o TDAH, pois possuo hoje eu tenho 30 anos.
    Hoje em dia vejo que escolas e professores já aceitam e lidam melhor, eu carrego traumas de escolas e professores na época de minha alfabetização, pois passei o resto de minha infância e adolescência acreditando que tinha dislexia. Foi muito estressante…
    Só quando mais velha fiz o laudo da ABD, descobri que apenas tenho o TDAH e disfunção da língua mãe o que até hoje não sei o que é.
    Pela dificuldade que passei tenho crises de ansiedade e até de choro, pois com esforço consegui entrar em uma faculdade, me cobro muito mas é dificil escrever e ouvir ao mesmo tempo o professor, venho buscando maneiras de aprender a estudar, pois continuo tendo dificuldade de me organizar.

  • graciani gomes
    Posted 28/03/2018 at 10:03 am

    Bom dia. Meu filho tem TDA A ESCOLA NÃO ESTA SABENDO LIDAR COM ISSO AS AVALIAÇOES NÃO SAO DIFERENCIADAS TEM LAUDO MAS A ESCOLA NÃO FAZ O QUE SE PEDE COMO POÇO EXIGIR QUE A ESCOLA CUMPRA O QUE ESTA ESCRITO NO LAUDO

    • NeuroSaber Responde
      Posted 29/03/2018 at 11:38 am

      Bom dia, procure a equipe pedagógica e veja o que pode ser feito.

  • Santiago
    Posted 28/10/2018 at 12:35 pm

    Boa tarde!
    Gostaria de saber qual o limite de atuação pedagógica em sala de aula, ou seja, ao perceber que o aluno tem uma dificuldade cognitiva e informar para os pais para que estes possam pesquisar qual a patologia da criança e até o resultado chegar e ser conhecido, como podemos ajudar no desenvolvimento da criança durante esse período de espera?
    Obrigado

  • Danielle Roberta
    Posted 24/11/2018 at 12:20 pm

    Gostaria de saber o nome do autor do artigo ?
    Queria muito utilizar uma citação no meu pré projeto do TCC

    • Adriana Matias
      Posted 27/11/2018 at 10:11 am

      Olá Danielle , não é disponível nome e data dos artigos te indico fazer a citação com link conforme as normas da ABNT.

  • Elizabeth
    Posted 19/03/2019 at 1:23 pm

    Ajudem-me! Tenho muita dificuldade em fazer alguns professores compreender que meu filho precisa de uma atenção diferenciada. Ele tem TDAH e trato ele desde que ele tinha 6 anos. Sempre impus limites e uma boa educação o que o transformou num garoto bom, educado e obediente. Ano passado repetiu o 7º Ano. Troquei ele de escola e estou encontrando a mesma dificuldade. O que posso fazer? Os professores do 1º ao 5º Ano trabalharam muito bem com ele, diferente dos profissionais da Segunda fase do Ensino Fundamental. O que mais posso fazer?

    • NeuroSaber Responde
      Posted 17/04/2019 at 11:06 am

      Ele esta sendo acompanhado por algum profissional?? Converse com esse profissional e esclareça sua duvidas.

  • carla
    Posted 26/03/2019 at 6:39 pm

    Boa Tarde!
    Meu filho tem 16 anos e tem TDAH. Foi diagnosticado quando ainda era pequeno. Sempre foi uma luta para que ele pudesse aprender algo e logo se esquecer. Ele fez terapia de aprendizagem, teve psicólogos, professores em casa para ajudar-lo nos estudos. Tomou o medicamento Concerta por um curto periodo e depois Ritalina. Nao gostei do efeito causado e busquei alternativas como a homeopatia. Houve um periodo que tomou Wellbutrin, depois já nao resultou bem como nos primeiros 2 anos. Hoje, sigue com essa luta, falta de concentração e memoria.

    • NeuroSaber Responde
      Posted 17/04/2019 at 11:04 am

      Procure conversar com o médico, veja se o medicamento é o mais assertivo.

  • Luciana Dal Bó Vilbert
    Posted 08/04/2019 at 1:31 pm

    Olá pessoal da NeuroSaber, já acompanhei alguns artigos de vocês e são muito esclarecedores sempre. E posso dizer facilitadores também.
    Minha dúvida é: quando a criança, mesmo depois de estabelecida uma rotina diária, se recusa a participar das atividades propostas?
    Agradeço se tiverem mais algum comentário ou ajuda.

  • CAMILLA PEREIRA BARBOSA
    Posted 03/09/2019 at 11:28 am

    Eu sou Professora de 1 ano do Ensino Fundamental e tenho um aluno com TDAH. No caso do meu aluno, a familia não aceita o diagnóstico dos especialistas, (mesmo com laudo). Dizem não querer que o filho seja tratado diferente. Mas ele precisa de estratégias diferentes e quando faço sugestões pedagógicas para sua rotina, a mãe diz “meu filho é normal”. Ela justifica qualquer ação negativa dele.
    Estou preocupada pois estamos no final do 3ºbimestre e ele ainda não se interessou pelo processo de alfabetização.

  • GILSON SOUZA RODRIGUES
    Posted 26/09/2019 at 11:11 pm

    Meu nome é Gilson tenho um filho de 5 anos e ele tem dificuldades em falar . ele é assistido por fono e neuro pediatra mas esta tendo muita dificuldades na escola por conta dos comecuinhas rirem dele por ele não saber se expressar direito. E quase sempre eu estou sendo chamado na escola por causa de mal comportamento dele ja nao sei oq fazer pois em casa e
    Na casa da baba ele não tem esse comportamento. Queria saber oq eu posso esta cobrando da escola em relação a isso por se tratar de uma criança com essa dificuldade pois ele tambem é um pouco iperativo e tem dificuldades de atenção

  • Lolo
    Posted 29/10/2019 at 11:00 pm

    Alguem pfv pode me ajudar ? Tenho 20 anos e desde criança tenho dificuldade para aprender, infelizmente meus pais nunca correram atras disso , infelizmente até hoje não tenho nenhum curso não consigo conversar com ninguém direito, não consigo ler um livro sem chorar, Pelo menos conseguir termina os estudos eu ainda não sei como mais terminei, eu quero ser alguem na vida so não sei como consegui isso se lem ler direito eu sei e escrever muito menos eu estou transtornada! DEUS pq eu sou assim pq meu Deus? eu passa o tempo todo me pergunto pra eu eu nasci se eu não presto para nada! Eu sou completamente burra sem sabedoria nenhuma ! eu pedi encaminhamento pelo sus para neurologista faz 4 anos e até agora nada alguém me ajuda por favo eu suplico eu não tenho condições para pagar um neurologista eu sei que é difícil ajudar alguém e nao ser pago , mais por favo eu suplico você médico que tenha compaixão e por favor me ajuda . Se isso que eu tenho não tiver cura para que continua vivendo! Vejo meus amigos se formando fazendo faculdade, cursos e eu aqui em um abismo pedindo socorro mais ninguém que me ajuda ninguem! Eu suplico me ajuda por favor.

    • Suporte Neurosaber
      Posted 30/10/2019 at 3:56 pm

      Olá Lorraine , tudo bem ? Sem avaliação não podemos dar uma orientação precisa sobre caso .
      É importante buscar um Neurologista para lhe dar melhores informações e orientação para uma
      intervenção.De qualquer forma , temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e também em nosso
      blog que podem te ajudar em muitas questões .

  • ÁUREO DE OLIVEIRA SOBRINHO
    Posted 12/11/2019 at 7:06 pm

    Boa noite, tenho filhas gêmeas univitelinas, monocoriônica e diamniótica que apresentam retardo metal leve, deficit cognitivo, dislexia. Hoje estão com 20 anos e cursando o 1ºano do ensino médio com muita dificuldade desde o começo do aprendizado. por favor vcs poderiam indicar um colégio particular aqui no Rio de janeiro , tanto na zona norte ou na zona oeste que seja especializado ou que tenha suporte para orientá-las melhor, pq estamos sofrendo sem uma estrutura desde os 7 anos, gastando rios de dinheiros sem o retorno pedagógico.
    Aguardo o retorno. Grato.
    Áureo de Oliveira Sobrinho

    • Suporte Neurosaber
      Posted 13/11/2019 at 9:55 am

      Olá Áureo ,
      agradecemos o contato e confiança mas no momento não tem uma escola para te indicar .

  • Selma Fernandes
    Posted 03/01/2020 at 10:42 am

    Gostei muito da matéria sobre TDAH.
    Sei que é muito difícil para pais e professores que lidam com crianças com déficit de atenção e hiperatividade, mas é preciso ter paciência e procurar meios que ajude a melhorar o desempenho dessas crianças.
    Sugiro que os pais desenvolva atividades criativas e que também crie um quadro de metas bem legal com figuras ilustrativas e horários definidos para o cumprimento de cada tarefa e que possam compensar
    Com brincadeira em família, passeios e jogos.

    • Suporte Neurosaber
      Posted 10/01/2020 at 5:25 pm

      Olá Selma , muito obrigada pelas sugestões continue nos acompanhando .

  • Gabriel
    Posted 08/02/2020 at 12:32 pm

    Ola, eu sou um aluno do 1 medio e tenho um amigo na minha classe com deficit de atençao, eu o ja conhecia mas nunca tinha convivido com ele na sala de aula, e vejo que ele tem um pouco de dificuldade de se entumar e fazer as coisas propostas nas aulas direito e inclusive fica brincando durante a aula com coisas aleatorias que ele traz de casa, não prestando muita atenção na aula e fazendo a lição, aparentemente, de qualquer jeito para brinca com alguma coisa. Tem muita gente na minha classe que zoa ele, as vezes só brincando mesmo sem a menor intençao de ofende-lo, mas temo que isso prejudique ele ainda mais.
    Por favor, peço que me ajude a ajuda-lo.

  • Ivone
    Posted 12/03/2020 at 1:34 pm

    Meu filho tem dislexia e Distúrbio de Processamento Auditivo e está no 7ª série. Ele lê com muita dificuldade, não consegue dialogar e as produções de textos são fragmentadas. Fez fono e terapia a vida toda, somente este ano não está indo mais. Mas tem o acompanhamento do neuro.
    Ele sempre reclama que quando tem trabalho em grupo ninguém o quer no grupo, inclusive nessa semana ele até chorou porque sentiu mais uma vez rejeitado. Como mãe fico com o coração partido. Como devo portar com essa problemática.

  • Cíntia Alexsandra Luciano de Souza
    Posted 16/04/2020 at 4:31 pm

    quero receber conteudos sobre necessidades especiais em geral

    • Suporte Neurosaber
      Posted 16/04/2020 at 7:50 pm

      Olá Cíntia , obrigada pelo seu interesse em participar.
      Clique no link abaixo, ele te direcionará para uma lista de transmissão no nosso WhatsApp onde você receberá os conteúdos. Importante: salve nosso número na sua agenda de contatos para que você consiga receber os materiais, ok? Enviaremos tudo para você! 😉
      http://rebrand.ly/NeuroSaber .

  • Iamile Silva Campos
    Posted 30/04/2020 at 5:41 pm

    Olá!
    Tenho 1 filho de 7 anos, que é super esperto, inteligente e curioso. Já o levei em especialistas em uma época, pensei que ele podia ser autista; tem problema de dicção e no aprendizado ao que se refere a: leitura e escrita.
    Como posso ajudá-lo? As vezes falta paciência, estrutura, em ver que ele é capaz, mas não o consigo ajudar.
    No momento não tenho condições financeiras para especialistas. Tem alguma dica?

    • Suporte Neurosaber
      Posted 04/05/2020 at 7:14 pm

      Olá Iamile,Eu adoraria ajudar você, mas não tenho autonomia para isso. Trabalho com a parte do suporte do Instituto NeuroSaber e auxilio os alunos com dificuldade de acesso a plataforma de ensino.
      Recomendo que acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
      Youtube: https://youtube.com/neurosabervideos
      FanPage Facebook: Neurosaber
      Instagram: @neurosaberoficial
      Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos
      Instituto NeuroSaber

  • CAROLINNE ALVES MORAES
    Posted 05/06/2020 at 1:05 pm

    Olá gostaria de saber quem escreveu esse artigo e em que data foi publicado?

    • Suporte Neurosaber
      Posted 08/06/2020 at 6:32 pm

      Olá Caroline,faça a citação usando o link do artigo conforme as normas da ABNT.

  • Izabela Cristina
    Posted 08/06/2020 at 11:11 pm

    Como trabalhar com os alunos desse Transtorno?

  • Luci sales
    Posted 12/01/2021 at 9:23 pm

    Oi! A sua filha faz o AEE? É muito importante fazer, porque lá é feito um PDI e ela será trabalhada naquilo que mais necessita. Essa impulsividade, falta de interesse e outros..a medicação direitinho e adequada é outro fator preponderante. O TDAH precisa ser trabalhado na sua escola com os recursos, ferramentas que chamem a atenção dela.Que gere interesse. Caso isso aconteça, ela não terá a menor vontade ou atracão em participar daquilo que lhe chama a atenção.

  • Juliana Toledo
    Posted 26/01/2021 at 11:14 am

    Bom dia, minha filha tem 11 anos e esse ano começará o 6°ano do ensino fundamental. Ela foi diagnosticada com TDAH em 2019. Porém a escola não tem colaborado muito com o processo de aprendizagem, muito disso acredito que devido a pandemia e ao ensino a distância. Ela ainda não consegue ler, tem muita dificuldade. Já não sei mais o que fazer em casa para ajudar a desenvolver a leitura.

  • Regiane Duarte
    Posted 15/02/2021 at 5:29 am

    Nossa maravilhoso cada explicação. Muito interessada em tudo.
    Estou cursando Educação Especial e Inclusiva e quanto mais vejo, mais preciso aprender…
    NeuroSaber grande trabalho esse que desenvolve. Parabéns a toda equipe.

  • Kátia sauza
    Posted 25/03/2021 at 12:30 am

    Gostei muito das perguntas e respostas pois tenho um neto que TDHA e autista muitas

  • Lila
    Posted 21/12/2021 at 5:05 pm

    Desculpa, tenho tdah e ainda não terminei de ler porque considerei muito importante pontuar que não necessariamente existe um atraso no desenvolvimento das atividades escolares, resultando em notas baixas ou coisas do tipo. O que foi o meu caso. Apesar de bastante “desligada”, e me mexer constantemente na carteira, ter algumas dificuldades de interação social derivadas de outro transtorno, meu desempenho nunca foi prejudicado comparado a média. Mas ele estava e está bastante aquém da minha capacidade cognitiva, e isso é relativamente comum. O problema de ter tdah não se resume a produtividade, embora todo mundo só comece a tratar por causa disso, é um problema de adaptação geral, em todas as esferas da vida da pessoa, um jeito diferente de processar todas as informações e reagir a elas, não é só no contexto escolar. Então muitas vezes educadores veem que a criança pode ter tdah mas ignoram dependendo dos seus resultados em avaliações. O resultado pra mim foi continuar extremamente desorganizada porém curiosa, ter muitas ideias “brilhantes”, nenhum diploma, uma dificuldade absurda em concluir qualquer tarefa do dia a dia. Então isso é um pedido de socorro, praticamente uma suplica, por favor, não usem os resultados em provas como critério pra alertar responsáveis sobre tdah! Obrigade.

  • Trackback: Educação especial com ênfase em deficiência intelectual e autismo. – Ato Instituto Educacional
  • Naguissa Kawada
    Posted 28/03/2022 at 6:30 pm

    Boa tarde,
    Tenho uma filha de 7 anos, recém diagnosticada com TDH (há menos de 5 meses) iniciando o uso de Ritalina há aproximadamente 4 meses.
    Ela “viaja” bastante, fala direto, assobia em sala, batuca com lapis na carteira, brinca com a borracha ou simplesmente fica cutucando as unhas, e recentemente temos tido diversas reclamações diárias da escola de que ela simplesmente se recusa a fazer as atividades de copiar da lousa no caderno ou questões mais longas, inclusive as provas. Mesmo com a professora, pedagoga e diretora conversando com ela, tendo acompanhamento dos pais, rotina em casa, ela apresenta dificuldade em aceitar realizar as atividades na escola, dizendo enfaticamente muitas vezes simplesmente que “Não quero fazer / Não vou fazer”, (em casa ela faz, as vezes resmungando, mas faz). Ela tem boa inteligência, memória e aprende com relativa velocidade, mas o foco, concentração e disposição em realizar as atividades que ela julga serem mais desafiantes é o nosso principal problema no momento.
    Somos pais de primeira viagem com ela, temos um caçulinha (3 anos) que não apresenta nenhum transtorno e nenhuma dificuldade escolar, o que nos faz pensar que não somos exatamente nós, mas nosso conhecimento no acompanhamento adequado dela.
    Gostaríamos de orientação e sugestões do que poderíamos fazer para ajudá-la na escola na realização das atividades.
    A pedagoga da escola acredita que ela possa ter TOD associado ao TDH.
    Conto com toda ajuda possível para que minha filha possa efetivamente aprender e ter um bom desempenho.

    • Solange
      Posted 29/03/2022 at 1:04 pm

      Olá Naguissa, tudo bem?

      Sem avaliação não podemos dar uma orientação precisa sobre o caso. É importante buscar um especialista para lhe dar melhores informações e orientação para uma intervenção. De qualquer forma, temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e também em nosso blog que podem te ajudar em muitas questões.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

      • Naguissa Kawada
        Posted 29/03/2022 at 2:33 pm

        Obrigada pelo retorno
        Vou assistir aos vídeos.

Leave a comment

0.0/5