Skip to content Skip to footer

Ler e escrever são habilidades inatas do ser humano?

Ler e escrever são habilidades inatas do ser humano?

As áreas do cérebro envolvem o ato de ler e escrever, caracterizando-os como processos complexos que se desenvolvem ao longo do tempo.

Desde cedo, as crianças começam a decodificar símbolos gráficos, como letras, e transformá-los em palavras, frases e ideias compreensíveis. A escrita, por sua vez, envolve a habilidade de codificar pensamentos em símbolos gráficos que outros possam compreender.

Ambas as habilidades requerem um conjunto específico de competências que precisam ser aprendidas e praticadas de forma contínua.

Neste artigo, exploraremos as habilidades necessárias para ler e escrever, apresentando as habilidades inatas do ser humano e as verdadeiras competências que possuímos.

Como é o processo de leitura e escrita?

O processo de leitura começa com a decodificação de símbolos visuais (letras e palavras) e a interpretação dos mesmos pelo cérebro, envolvendo várias áreas cognitivas.

Além disso, é necessário reconhecer os caracteres visuais, associar esses caracteres a sons ou grupos de sons. Ou seja, isso requer conhecimento prévio de um sistema linguístico (gramática e vocabulário) para compreender o contexto e significados.

Neste sentido, a escrita, por sua vez, é o processo de codificação de pensamentos, ideias ou informações utilizando um conjunto de símbolos gráficos pré-acordados, ou seja, um sistema de escrita.

Portanto, para escrever, uma pessoa precisa ter em mente o que deseja comunicar, escolher as palavras adequadas, estruturar frases gramaticalmente corretas e, finalmente, converter essas frases em símbolos visuais de maneira física (uso das mãos) ou digital.

 Desenvolvimento da linguagem na infância

As crianças nascem com uma predisposição biológica para adquirir a linguagem oral, pois possuem um sistema neurológico complexo que facilita esse processo. 

Além disso, a capacidade de fala é uma característica intrínseca dos seres humanos e está presente desde os primeiros meses de vida. No entanto, quando falamos em ler e escrever, essa habilidade não é tão natural quanto falar.

Portanto, as crianças precisam ser expostas ao mundo da leitura e escrita desde cedo, para desenvolverem as competências necessárias para interpretar textos e expressar suas ideias por escrito. Ou seja, é através do processo de alfabetização que se envolve o reconhecimento das letras, formação de palavras, compreensão textual, entre outros aspectos que demandam tempo e dedicação.

Ler e escrever são habilidades inatas?

As habilidades de ler e escrever não são inatas, mas sim adquiridas por meio de processos educacionais e experiências ao longo da vida.

Neste sentido, as habilidades inatas, por outro lado, são aquelas presentes desde o nascimento, sem necessidade de aprendizado formal, como respirar, chorar, sugar, e determinados reflexos motores que garantem a sobrevivência básica do indivíduo.

Além disso, a instrução é fundamental para que uma criança aprenda a ler, já que a leitura estimula diversas áreas do cérebro, como o processamento visual e a compreensão da linguagem

Estudos com ressonância magnética revelam que regiões específicas do cérebro são ativadas durante a leitura, independentemente do idioma utilizado:

Fonte: https://www.lexialearning.com/
fonte: www.lexialearning.com

Essas áreas incluem o córtex temporoparietal, responsável por conectar sons e significados da fala na decodificação de palavras; o córtex frontal inferior, que auxilia na produção da fala e pronúncia das palavras escritas; e o córtex occipito-temporal, importante para o reconhecimento visual de letras e palavras.

Portanto, enquanto a capacidade de linguagem oral também possui uma base biológica inata devido à estrutura do cérebro humano, que facilita a aquisição de línguas, a leitura e a escrita exigem aprendizado explícito e desenvolvimento cognitivo, ensinadas em contextos sociais e educativos.

Habilidades necessárias para ler e escrever

Como a leitura e escrita não são habilidades natas, para realizá-las eficazmente, diversos conjuntos de habilidades são exigidos:

  • Motoras: Controle preciso dos músculos necessários para escrever (grafomotricidade).
  • Cognitivas: Capacidade de codificação e decodificação de símbolos, memória, percepção visual e auditiva, além da habilidade de compor pensamentos e articulações lógicas.
  • Linguísticas: Conhecimento de um idioma, incluindo vocabulário, gramática e sintaxe.
  • Sociais e culturais: Compreensão dos contextos em que a leitura e a escrita são usadas, incluindo normas e práticas culturais relacionadas ao uso da linguagem escrita.

Em resumo, é fundamental compreender que a leitura e escrita não são dons naturais, mas sim uma habilidade que pode ser adquirida por meio de um processo educacional adequado.

Investir em métodos de ensino eficazes e garantir que todas as crianças tenham acesso à educação são passos essenciais para promover a igualdade de oportunidades e o desenvolvimento pleno.

Gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre as formas de comunicação efetivas? Acesse o nosso Canal do YouTube.


Referências:

https://www.lexialearning.com/blog/what-is-the-science-of-reading-how-the-human-brain-learns-to-read 
https://curriculumsolutions.net/blog/2021/10/01/the-communication-symphony-what-brain-research-says-about-reading-and-writing-part-3-of-4/

Leave a comment