Skip to content Skip to footer

O que é a Grafomotricidade na escrita?

Quando uma criança, logo na primeira infância, entra para a escolinha, os educadores têm a missão de proporcionar a ela a liberdade de praticar seus primeiros movimentos com os objetos de escrita (giz de cera e lápis de colorir). Esse período, que gira em torno dos 3 anos de idade, não deve ser de cumprimentos de obrigações dos pequenos, tais como escrever a letra do nome ou algo orientado como o certo. É preciso deixar o pequeno criar, definitivamente deixar fluir sua imaginação no papel.
Todo esse processo tem a ver com a grafomotricidade, que constitui um conjunto de funções neurológicas e musculares que possibilitam de forma efetiva os movimentos motores na escrita e em outros registros gráficos. Vale lembrar que a grafomotricidade está ligada à praxia fina.
A grafomotricidade é a expressão gráfica da criança. No entanto, é preciso ter em mente que há um caminho delimitado e orientado para o desenvolvimento dessa habilidade na vida dos pequenos. Veja a seguir algumas informações importantes.

Como a grafomotricidade na escrita é aprendida?

A grafomotricidade deve ser aprendida a partir do nível sensorial, nível perceptivo, nível integrativo e nível expressivo (Nuñez, 2016). Deve-se ressaltar que a grafomotricidade passa por esse processo de construção e desenvolvimento gradativo até chegar à escrita de fato. O passo a passo é a melhor maneira de treinar essa habilidade nos pequenos.
Além disso, é importante salientar que o desenvolvimento grafomotor da criança, pelo menos até os 3 anos, deve ser mais voltado para alguns aspectos mais livres, ou seja, que não exija tanto, a saber: manipulação de objetos, atividades exploratórias, garatujas, garatujas em espiral, círculos e desenhos circulares (Nuñez, 2016).
Ao chegar a esse período, é aconselhável que os educadores comecem a induzir o pequeno no treino de determinadas habilidades, como desenhos de formas geométricas, figuras humanas (a partir dos 3 anos, a criança começa a fazer aquele círculo que corresponde à cabeça, e puxar os tracinhos que darão forma ao esboço de um corpo), animais e, finalmente, a grafia (Nuñez, 2016).
No entanto, é imprescindível ressaltar que a grafia não é ensinada aos 3 anos, mas aos 4 ou 5 anos de idade. Os exercícios voltados para o treino da grafomotricidade na escrita não devem exigir que os alunos escrevam de maneira pontual. O grande objetivo dessa fase é estimular a coordenação motora.
Quando chegar o momento correto de induzir a grafomotricidade no pequeno, os educadores devem pensar em algumas formas adequadas para estimular a criança. Isso significa que a grafia deve ser induzida de forma sensorial, integrativa e perceptiva para que a expressão do aluno seja trabalhada de maneira satisfatória.
Tudo isso é extremamente importante para estimular os alunos a desenvolverem a prática e o domínio da motricidade e da grafomotricidade. Portanto, é necessário que os profissionais da educação tenham em mente como esses detalhes são importantes, principalmente para que algumas etapas não sejam ultrapassadas. É preciso respeitar o tempo de aprendizagem das crianças para que elas tenham um bom desenvolvimento dessas habilidades.

A importância da coordenação motora para a escrita

O desenvolvimento de uma boa escrita é também resultado do processo de treinamento da coordenação motora fina. Temos algumas dicas que ajudam a aperfeiçoar a grafomotricidade dos pequenos. Vale relembrar quais são elas:
Primeira dica: nunca comece a trabalhar a coordenação motora com as mãos. Isso é importante porque antes de tudo vem a consciência corporal da criança. É muito bom que se trabalhe o esquema corporal para que o pequeno conheça a força de seu corpo. Expressar o próprio corpo influencia a escrita. É tudo muito organizado neurologicamente.
Segunda dica: trabalhar o tônus é muito importante para que haja a facilidade na hora da escrita. Vale lembrar que na escrita há dois mecanismos muito importantes: a pressão e a preensão. Esses dois aspectos são muito válidos para que a criança tenha a firmeza nas mãos na hora de escrever.
É sempre bom lembrar que os professores precisam criar um plano pedagógico que tente abarcar o conhecimento pedagógico e psicomotor do aluno a fim de promover uma melhora considerável de sua coordenação motora fina e, consequentemente, a grafomotricidade na escrita.

Treinando a coordenação motora

Quando a escola e os educadores têm o conhecimento necessário para induzir as habilidades das crianças, o resultado só pode ser o melhor. Sendo assim, vale a pena salientar que quando os alunos recebem esses estímulos, eles tendem a estar mais preparados para os desafios que surgirem.
Diante da importância dessa etapa, deve-se enfatizar que na coordenação motora fina, uma das maneiras mais eficazes de se treinar a criança ocorre por meio de exercícios que envolvam os movimentos das mãos. Portanto, as atividades que trabalham com pontilhados são as mais indicadas. O mais interessante é que isso pode ser feito de várias maneiras: giz de cera, lápis, tinta guache, colagem de papeis, barbantes e lãs.
Além de se trabalhar a prática de atividades psicomotoras, os pequenos também aprenderão de forma lúdica a administração de seus movimentos. Isso também é imprescindível para o autoconhecimento por parte das crianças.

Dica para melhorar o tônus muscular das mãos

Se a criança exercer muita força quando manusear o lápis, você deve estimulá-la a partir de uma habilidade que trabalhe com menos pressão. Por outro lado, se ela mostrar menos força, a saída será o contrário, ou seja, vai ser preciso estimular mais força para que a preensão seja executada de forma satisfatória.

Nunca se esqueça

É sempre importante frisar que a coordenação motora vai muito além do caderno de caligrafia. Não se esqueçam que as crianças precisam correr, movimentar-se, pular, pegar, dançar e fazer outras atividades que trabalhem a musculatura de todo o corpo. Lembre-se que para escrever, a gente precisa ter tônus; e nada melhor que exercitá-lo.
Luciana Brites Psicomotricista

19 Comments

  • Teresa Altiva Chaves Fernandes
    Posted 01/12/2018 at 8:06 pm

    Estou gostando muito de receber todo esse material…..aprendendo mto. Obrigada!!!

    • Adriana Matias
      Posted 14/12/2018 at 8:45 am

      Olá Teresa , Para nós é um prazer poder contribuir para auxiliar você nessa questão! 🙂 .

  • Jaiane Ostemberg Dummer
    Posted 15/01/2019 at 3:36 pm

    Tenho dois filhos e eles não tem uma letra bonita.
    Um deles vai para o quinto ano e a recomendação da professores para esse ano foi que ele melhorasse a letra, pois às vezes, nem ele entende o que escreve.
    O outro foi para o terceiro ano e possui muita dificuldade com a letra cursiva, optando pela letra em bastão.
    Eles tem 8 e 10 anos.
    Você afirmam que o processo da escrita começa antes dos 3 anos. Acho que não os estimulei o suficiente!
    Mas agora, com a idade que eles estão, o que posso fazer para ajudá-los?
    Que tipo de exercício eles devem fazer?
    Caderno de caligrafia adianta?
    Aguardo ansiosamente por sua resposta.
    Abraços
    Jaiane Dummer

  • Camila
    Posted 05/07/2019 at 11:11 am

    para prof. kátia , prof Tiago rocha

  • Adriana Consentino
    Posted 04/01/2020 at 1:52 pm

    Até que idade é possível estimular e obter resultados na coordenação motora fina? Meu filho com 12 anos, diagnosticado recentemente com TDAH, tem bastante dificuldade com a escrita, desde a forma como segura o lápis até a pressão exercida, bem como na organização espacial da letra no papel. Os estímulos ainda são eficazes nesta idade?

    • Suporte Neurosaber
      Posted 10/01/2020 at 4:58 pm

      Olá Adriana , tudo bem? Ainda não temos um conteúdo sobre este tema, mas vamos colocar em nossa pauta abordar sobre este assunto também. Obrigada pelo contato!

  • juliano
    Posted 13/05/2021 at 8:33 pm

    oi. gostei muito do seu site, vou verificar toda semana as atualizações.Obrigado

  • Laudicea dos Santos Rodrigues
    Posted 16/08/2021 at 10:37 am

    A criança na fase de Alfabetização, seguindo e terceiro anos podem escrever em duas linhas ou continuam em três linhas? Obrigada!

  • DEBORA SOBRINHO SANTANA
    Posted 27/12/2021 at 2:21 am

    Gostei muito da metodologia usada na explicação do conteúdo foi muito claro em todos os pontos.

    • Webster
      Posted 14/01/2022 at 1:38 pm

      Olá, Debora

      Agradecemos pela confiança em nosso trabalho, continue nos acompanhando para mais conteúdos como esse 🥰

      Webster
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Cristiane
    Posted 01/03/2022 at 11:05 pm

    Gostei muito do conteúdo, Muito didático e bem explicado!! Estou aprendendo bastante!

    • Webster
      Posted 02/03/2022 at 7:42 pm

      Olá, Cristiane

      Que bom! Ficamos felizes em sempre poder auxiliá-los! 🤗
      Continue nos acompanhando pra ver muito conteúdo útil e didático! 😉

      Webster – Equipe NeuroSaber 💙

  • Grazielly
    Posted 26/11/2022 at 2:51 pm

    Alguém que tenha a referência desse Nuñez (2016)???

    • Solange
      Posted 28/11/2022 at 2:43 pm

      Olá Grazielly, tudo bem?

      A referência completa é: NUÑEZ, J. A. G. Grafomotricidad: imagem y escritura. Madrid: Fundación Citap, 2016.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Raimundo nunes
    Posted 15/12/2022 at 6:25 pm

    estou gostando muito do material aprendendo muito com voces.

    • Solange
      Posted 16/12/2022 at 3:14 pm

      Olá Raimundo, tudo bem?

      Legal, né? Fica ligado nas nossas redes sociais pra ver muito conteúdo útil e didático! 😉
      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Carolina Pêgo
    Posted 26/04/2023 at 1:56 am

    Uma terapeuta ocupacional pode ajudá-lo nessa questão.

    • Solange
      Posted 27/04/2023 at 7:46 pm

      Olá Carolina, tudo bem?

      A terapia ocupacional pode ser uma excelente opção para ajudar crianças com dificuldades na grafomotricidade a melhorar suas habilidades de escrita e se desenvolverem de forma mais confiante e eficaz.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

Leave a comment

0.0/5

x

Estou aqui para ajudar 🤗

Me chame quando precisar 😊