Skip to content Skip to footer

O QUE É CRUZAR A LINHA MÉDIA? 9 PROBLEMAS QUE AS CRIANÇAS PODEM TER

Os hemisférios cerebrais não se comunicam adequadamente e isso pode gerar uma grande confusão.

O QUE É CRUZAR A LINHA MÉDIA?

Cruzar a linha média é um termo bastante conhecido pelos terapeutas e profissionais da educação, mas seu significado pode ser totalmente desconhecido para pais e pessoas que não são dessa área. Cruzar a linha média trata-se de algo importante e muitas vezes precisa ser estimulado, principalmente em crianças que estão em fase de desenvolvimento ou que possuem algum transtorno do desenvolvimento.

Para entender o que seria cruzar a linha média é possível exemplificar da seguinte forma: pense em uma linha imaginária que cruza do meio do seu corpo até o lado oposto dele, no momento em que o seu braço ou perna cruzar essa linha significa dizer que você terá cruzado a linha média. Portanto, a linha média divide o corpo em dois lados, direito e esquerdo, e cruzá-la é de extrema importância para a criança se desenvolver e aprender de acordo com seu crescimento físico e cognitivo.

Essa habilidade é imprescindível para que todas as funções do desenvolvimento infantil estejam em ordem, pois ela se relaciona diretamente com várias funções: cuidados pessoais, fala, linguagem, escrita, leitura, observar e acompanhar objetos, sequência matemática, integração sensorial, consciência corporal, entre outras que servem como motor para o desenvolvimento da criança como indivíduo funcional e pensante. Além disso, ela também auxilia na retenção de informações, pois tem grande influência na atenção e no foco da criança.

Logo, é fundamental oportunizar momentos e atividades que ajudem a criança a cruzar a linha média, tendo em vista que o prejuízo nessa habilidade acarreta déficits importantes para o desenvolvimento infantil.

O desenvolvimento da lateralidade é consequência do cruzamento da linha média, uma vez que essa habilidade está diretamente ligada com a coordenação bilateral. Isso significa dizer que para a criança ativar de forma efetiva os dois lados do cérebro (hemisférios cerebrais direito e esquerdo), e com isso ter um desenvolvimento típico, é necessário que ela cruze a linha média. Quando ela utiliza apenas um hemisfério cerebral ou tem um dos hemisférios mais ativo que o outro, pode ser ocasionado um transtorno, o que consequentemente acarreta prejuízos significativos na aprendizagem.

SINAIS QUE INDICAM QUE A CRIANÇA TEM DIFICULDADE EM CRUZAR A LINHA MÉDIA

Por volta dos 3 a 4 anos de idade, a criança teoricamente possui capacidade de usar os dois lados do corpo de maneira eficiente. Algumas características são comuns de crianças que possuem dificuldade em cruzar a linha média, como:

– Ao fazer alguma tarefa, a criança troca a mão que está usando, por exemplo: quando está desenhando ou escrevendo, ela muda a mão que está usando o lápis;

– Não desenvolve o lado dominante, usando o lado que estiver mais cômodo para certa atividade: usa a mão esquerda para atividades no lado esquerdo do corpo e a mão direita para atividades no lado direito;

– Quando precisa realizar algum movimento para chegar a determinado objeto, gira o corpo para alcançar o outro lado, evitando cruzar a linha imaginária central;

– Possui dificuldade em acompanhar visualmente um objeto que percorre de um lado a outro do corpo, como fazer a leitura de um texto;

– Tem dificuldade em manusear o lápis;

– Por não possuir um lado dominante, usa pés diferentes para chutar uma bola (dominância mista);

– Possui dificuldades em atividades motoras, como pular, rastejar, jogar e pegar uma bola. Além disso, a criança não tem um bom equilíbrio e coordenação motora e possui um baixo tônus muscular.

9 PROBLEMAS QUE A CRIANÇA PODE TER SE NÃO CRUZAR A LINHA MÉDIA:

Evitar atividades que utilizem lápis: crianças com dificuldades no manuseio do lápis, naturalmente tendem a evitar atividades que envolvam a escrita, desenho e outras que utilizem o lápis. Por não possuir interesse em atividades escolares, essa dificudlade pode ser facilmente confundida com transtorno de déficit de atenção.

Comportamento: é perceptível uma alteração de comportamento na criança, sendo comum ela ficar com raiva, nervosa e frustrada ao tentar realizar atividades motoras finas pelo fato de suas habilidades manuais serem deficitárias nesse contexto.

Independência: a criança precisa de ajuda para realizar tarefas de cuidados pessoais, como escovar os dentes, se alimentar, se vestir, interferindo assim na sua autonomia. Por exemplo: ao colocar um sapato, é preciso que uma das mãos cruze a linha média.

Coordenação: o indivíduo apresentará menos habilidades que crianças da mesma faixa etária para realizar ações que exijam coordenação dos dois lados do corpo.

Leitura: para a criança acompanhar um texto, precisa mover os olhos de um lado ao outro, por isso é preciso cruzar a linha média. A criança que não cruzou a linha média, ao tentar fazer a leitura de um texto, vai parar no meio da página para piscar e tentar refazer o foco para continuar, mas ela se perde no texto e retorna para a linha de cima ou vai para a de baixo, interferindo assim na boa leitura e compreensão.

Escrita: é necessário usar a página como um todo, pois funciona da mesma forma do nosso corpo: a folha de papel tem o lado direito e esquerdo e a criança precisa cruzar a linha média para escrever em toda a página, ocupando os dois lados da folha. Porém, no momento que for escrever, ela vai parar no meio da página para trocar de mão.

Mastigação: a criança tem dificuldade em movimentar os alimentos dentro da boca, dificultando a mastigação e deglutição apropriadas.

Visão: por manter apenas um foco visual, como foi visto, a criança possui dificuldade em perceber os detalhes em uma página ao ler, fazer desenhos ou escrever.

Lateralidade: não cruzar a linha média não significa dizer que a criança é ambidestra, mesmo que uma hora ela use a mão direita e em outro momento a esquerda. Nesse caso isso não é algo benéfico, pois acontece em decorrência de uma falha neurológica, na qual os dois hemisférios cerebrais não se comunicam, dificultando a coordenação e prejudicando o desenvolvimento.

REFERÊNCIAS

VASCONCELOS, L. T. de S.; IRINEU, M. E. N.; DOS SANTOS, J. N.; MODESTO, T. S. F. C. Estimulação precoce multiprofissional em crianças com defasagem no desenvolvimento neuropsicomotor: revisão integrativa. Revista Pesquisa em Fisioterapia, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 284–292, 2019. DOI: 10.17267/2238-2704rpf.v9i2.2302. Disponível em: https://www.journals.bahiana.edu.br/index.php/fisioterapia/article/view/2302. Acesso em: 18 jun. 2022.

Dez brincadeiras para cruzar a linha média. Neuro na Prática, 2020. Disponível em: https://neuronapratica.com.br/2020/05/07/dez-brincadeiras-para-cruzar-a-linha-media/#:~:text=Lateralidade%3A%20a%20crian%C3%A7a%20que%20n%C3%A3o,esquerda%2C%20hora%20a%20m%C3%A3o%20direita.. Acesso em: 18 jun. 2022.

Leave a comment

0.0/5