Skip to content Skip to footer

O que é Transtorno obsessivo-compulsivo

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é um transtorno mental que afeta pessoas de todas as idades e classes sociais (prevalência de 2 a 3% na população). 
O quadro psiquiátrico se caracteriza pela presença de obsessões e compulsões. Obsessões são pensamentos, imagens ou impulsos indesejados e intrusivos que provocam sentimentos muito angustiantes. Compulsões são comportamentos repetitivos do indivíduo cuja finalidade é tentar se livrar das obsessões e/ou diminuir sua angústia.
A maioria das pessoas tem pensamentos obsessivos e/ou comportamentos compulsivos em algum momento de suas vidas, mas isso não significa que têm TOC. Para que seja feito o diagnóstico de Transtorno Obsessivo Compulsivo, esse ciclo de obsessões e compulsões deve ser tão extremo a ponto de consumir muito tempo e atrapalhar atividades importantes do dia a dia. 
Neste artigo, vamos falar sobre as principais características do TOC: as obsessões e as compulsões. Assim como, sobre a importância de saber diferenciar quando esses atos são sintomas do transtorno ou simples traços de personalidade do indivíduo. Saiba mais.

Obsessões e compulsões no Transtorno Obsessivo Compulsivo

Obsessões 

Obsessões são pensamentos, ideias, imagens ou impulsos repetitivos, a ponto da pessoa não ter controle sobre eles. Por essa falta de controle, são vivenciados como intrusivos e causam muita ansiedade.
Pessoas com TOC não querem ter esses pensamentos e os consideram perturbadores. Vale ressaltar que as preocupações vão além dos problemas cotidianos, geralmente, elas não fazem nenhum sentido. As obsessões são acompanhadas por sentimentos intensos e desconfortáveis, como medo, dúvida ou uma sensação de que as coisas precisam ser feitas de uma determinada maneira. 
No contexto do TOC, as obsessões são demoradas e atrapalham atividades importantes do dia a dia e afetam as relações pessoais. A pessoa até tenta ignorar esses pensamentos, mas acaba conseguindo neutralizá-los somente com outra ação ou pensamento, que se torna compulsivo.
As obsessões mais comuns no TOC são:

  • extrema preocupação com sujeira;
  • medo de acontecer algo ruim consigo ou com alguém querido;
  • preocupação com simetria e escrupulosidade.

As pessoas com Transtorno Obsessivo Compulsivo têm dificuldade em lidar com essas obsessões, pois não se tratam de meros caprichos, como muitos pensam, mas de uma verdadeira luta diária.
Todo mundo pensa ou se preocupa com coisas na vida, como ficar doente, com a segurança de um familiar, mas isso não significa que essas obsessões sejam sintomas de TOC. Embora esses pensamentos sejam parecidos com os observados no transtorno, a pessoa que não o tem, fica momentaneamente preocupada, mas depois segue em frente. 
Pesquisas mostram que a maioria das pessoas tem “pensamentos intrusivos” e indesejados de tempos em tempos, mas, no contexto do TOC, eles ocorrem com frequência e desencadeiam uma ansiedade extrema que atrapalha o funcionamento diário. Para chegar ao diagnóstico de TOC, é fundamental entender o grau de interferência desses sintomas no funcionamento social, interpessoal, acadêmico e/ou profissional da pessoa.

Compulsões

As compulsões são a segunda parte do Transtorno Obsessivo Compulsivo. São comportamentos e pensamentos repetitivos que a pessoa usa com a intenção de neutralizar ou fazer desaparecer suas obsessões. 
As pessoas com TOC percebem que essa é apenas uma solução temporária, mas sem uma maneira melhor para lidar com as obsessões, confiam na compulsão como uma fuga. As compulsões também podem incluir evitar situações que desencadeiam as obsessões. 
Esses rituais compulsivos, muitas vezes sem sentido para a pessoa com TOC,  consomem tempo e atrapalham atividades importantes dia-a-dia. No entanto, reduzem o sofrimento causado pelas obsessões.
As compulsões mais comuns no TOC são:

  • lavar as mãos várias vezes ao dia;
  • verificar fechaduras;
  • ordenar, arrumar, contar e colecionar.

Semelhante às obsessões, nem todos os comportamentos repetitivos ou “rituais” são compulsões, é preciso analisar sua função e o contexto do comportamento. Por exemplo, rotinas para dormir, práticas religiosas ou o aprendizado de uma nova habilidade envolvem algum nível de repetição, mas geralmente são uma parte positiva e funcional da vida cotidiana. 
Os comportamentos dependem do contexto. Organizar e encomendar livros durante oito horas por dia não é uma compulsão se a pessoa trabalha em uma biblioteca. Da mesma forma, você pode ter comportamentos “compulsivos” que não se enquadram no TOC, pode ser que goste de ter as coisas bem organizadas. Nesse caso, trata-se de um traço de personalidade. 
Geralmente, as pessoas com TOC sentem-se obrigadas a realizarem determinados comportamentos compulsivos, ainda que preferissem não ter que fazer esses atos demorados e tortuosos. No TOC, o comportamento compulsivo é realizado com a intenção de tentar escapar ou reduzir a ansiedade e a presença de obsessões.
Deu para entender um pouco sobre o que é Transtorno Obsessivo Compulsivo? Se restou alguma dúvida, deixe nos comentários!
 
Referências:
GONZALEZ, Christina Hajaj. Transtorno obsessivo-compulsivo. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 1999, vol.21, suppl.2 [cited  2020-04-24], pp.31-34. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44461999000600009
https://iocdf.org/about-ocd/
https://saude.abril.com.br/mente-saudavel/toc-nao-e-brincadeira-entenda-como-funciona-o-transtorno/

11 Comments

  • Ivanilde
    Posted 01/05/2020 at 11:51 pm

    Muito interessante,tirei algumas duvidas.

    • Suporte Neurosaber
      Posted 04/05/2020 at 7:20 pm

      Olá Ivanilde, Que bom! Ficamos felizes em sempre poder auxiliá-los.

  • Anderson
    Posted 27/12/2020 at 3:20 pm

    Minha filha tem 15 anos e desde 0s 7 faz tratamento para o TOC entre recaídas e melhoras, tem pensamentos que a perturbam constantemente, é um sofrimento nosso. Agora no natal começou novamente a vir os pensamentos indesejados apesar de estar tomando fluoxetina 20 mg 2cp ao dia. Já falei com a médica para trocar o remédio e ela disse não ser o caso, preciso voltar lá. Eu e a minha esposa estamos angustiados

  • Paulo Ramos
    Posted 02/01/2021 at 1:06 pm

    Meu filho tem 29 anos, professor de matematica, esta em crise de “TOC”, devido ao isolamento nesta Pandemia. Faz terapia uma vez por semana..como posso ajuda-lo?

    • NeuroSaber
      Posted 15/02/2021 at 10:32 pm

      Olá Paulo,
      Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
      YouTube: https://youtube.com/neurosabervideos
      Facebook: NeuroSaber
      Instagram: @neurosaberoficial
      Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos
      Conheça também nossos Programas, cursos e NeuroPalestras: https://lp.neurosaber.com.br/neurosaber-cursos/
      Atenciosamente,
      Equipe NeuroSaber

    • Esther Fagundes de Almeida
      Posted 12/08/2021 at 7:41 am

      Tenho isso alguns meses vai e volta descobri que tenho ansiedade n consigo fica em fazer mada sem pensar compusoriamente as vezes da vontade de fazer natural mais pensamentos e mais forte encomodor na respiracao na barriga no ato de fazer algo

  • Esther Fagundes de Almeida
    Posted 12/08/2021 at 7:40 am

    Tenho isso alguns meses vai e volta descobri que tenho ansiedade n consigo fica em fazer mada sem pensar compusoriamente as vezes da vontade de fazer natural mais pensamentos e mais forte encomodor na respiracao na barriga no ato de fazer algo

  • Luciene
    Posted 09/01/2023 at 4:48 pm

    Eu fui diagnosticada com TOC, a muitos anos atrás e fiz um tratamento pois tentei o suicídio por 3 vezes, mais meu maior problema era comprar sem parar, comprava comprava e comprava, e agora depois de mais de 18 anos a crise retornou agora novamente e eu estou me sentindo péssima novamente, envergonhada e sem condições de pagar o que eu comprei e isso me faz sofrer demais e ao mesmo tempo não tenho controle em parar de comprar. Vou procurar ajuda.

    • Solange
      Posted 15/01/2023 at 2:21 am

      Olá Luciene, tudo bem?

      Compreendo a sua situação e entendo que não seja fácil, a informação técnica e de qualidade seguida do acompanhamento de um profissional responsável é a melhor forma de lidar com esse tipo de situação. Temos conteúdos disponíveis em nosso site e canal do Youtube acerca da temática, vale a pena conferir: https://youtube.com/neurosabervideos

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Andréa
    Posted 04/05/2023 at 9:20 am

    Tenho um sobrinho de 14 anos que tem transtorno compulsivo obsessivo ele usou esse transtorno para se vingar de mim por eu ter ajudado a mãe dele que estava doente.isso é possível? O toc causa isso a vingança?

    • Livia
      Posted 04/05/2023 at 4:47 pm

      Olá Andréa,

      O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) é um transtorno mental que se caracteriza por pensamentos intrusivos, repetitivos e angustiantes (obsessões) e comportamentos ou rituais repetitivos (compulsões), que geralmente são realizados como uma forma de aliviar a ansiedade gerada pelas obsessões.

      O TOC pode causar sofrimento significativo e interferir na vida da pessoa, afetando sua rotina diária, trabalho, relacionamentos e qualidade de vida. No entanto, o TOC em si não é uma causa direta de comportamentos vingativos.

      Seu sobrinho pode estar passando por um momento difícil e estar tendo dificuldades em lidar com seus sentimentos em relação à ajuda que você deu à mãe dele. Ele pode estar expressando essa raiva ou ressentimento através de comportamentos vingativos, usando o TOC como uma desculpa.

      É importante que você e sua família conversem com ele e tentem entender o que está acontecendo, oferecendo apoio e ajuda para ele lidar com seus sentimentos de uma maneira mais saudável. Recomendamos que busquem, também, a ajuda de um profissional da saúde como psicólogo para ajudar a lidar com a situação.

Leave a comment

0.0/5