Skip to content Skip to footer

Qual a importância da avaliação psicológica nos transtornos de aprendizagem?

Muitas pessoas imaginam que os transtornos de aprendizagem são menos comuns do que realmente são, mas agora é mais fácil entender alguns pontos fundamentais graças ao acesso à informação e aos avanços na pesquisa.

Desse modo, é crucial diferenciá-los das simples dificuldades de aprendizagem, que têm origem em estímulos externos, pois esses transtornos podem ser considerados como distúrbios que afetam a capacidade pedagógica da criança.

Neste artigo, vamos explorar como fatores biológicos causam os transtornos de aprendizagem, de acordo com o DSM-V, os traços das dificuldades originadas em estímulos externos e a importância da avaliação psicológica nos transtornos.

Qual o perfil das crianças com transtornos de aprendizagem?

Os transtornos de aprendizagem podem ocorrer em qualquer criança, e eles frequentemente são detectados na fase de alfabetização, mas podem se tornar aparentes bem antes disso, ainda na educação infantil. Da mesma forma, pode acontecer de não serem detectados até a vida adulta, o que gera graves comprometimentos na vida escolar e profissional da pessoa. 


Além disso, as crianças com histórico familiar de transtornos de aprendizagem são mais propensas a desenvolvê-lo, e algumas pesquisas apontam que sua incidência é maior nos meninos. Crianças com outras condições neurológicas, como epilepsia, também têm mais possibilidade de ter problemas de aprendizado.

Dentre isso, também temos o caso das crianças com condições médicas graves que podem desenvolver problemas de aprendizagem como resultado da condição ou do seu tratamento.

Lembrando que a dificuldade de aprendizagem não necessariamente tem como causa um transtorno de aprendizagem.

O que são os transtornos de aprendizagem?

Os transtornos de aprendizagem são dificuldades em ler, escrever ou fazer matemática que afetam a capacidade de ouvir, falar, ler e raciocinar.

Como falamos antes, essa condição possivelmente tem sua origem em disfunções no sistema nervoso central. Podem ocorrer outras complicações com o transtorno, como agressividade e dificuldade de interação social.

Desse modo, o DSM-V  — Manual Estatístico e Diagnóstico — descreve o TDHA como um problema biológico relacionado ao desenvolvimento do cérebro, causado por diversos fatores que afetam a habilidade de entender e processar informações.

Atualmente, não sabemos a causa dos transtornos de aprendizagem na Classificação Internacional de Doenças – CID-10. No entanto, há suspeitas de que os fatores biológicos possam ser uma explicação mais provável.

Além disso, os dois manuais alertam que os transtornos de aprendizagem não podem ser resultado de circunstâncias escolares, traumatismos, comprometimentos visuais ou auditivos e comprometimento da inteligência. 

Quais são os sintomas de um transtorno de aprendizagem?

As crianças com transtorno de aprendizagem têm mais dificuldades nas atividades do que seus colegas. Pode ser uma dificuldade na leitura, na matemática ou na formulação e comunicação dos pensamentos. 

Quais as causas do transtorno de aprendizagem?

Vimos que, ainda que as causas dos transtornos de aprendizagem não sejam comprovadas, acredita-se que estão ligadas a distúrbios na interligação de informações em regiões do cérebro.


Deformações e problemas podem ocorrer na gestação e o desenvolvimento cerebral do feto está ligado à capacidade de aquisição, conexão e atribuição de significado às informações, ou seja, à aprendizagem. 


Assim, qualquer alteração no desenvolvimento do cérebro favorece o surgimento de um transtorno de aprendizagem, que será identificado quando a criança estiver na escola.

Os fatores sociais também têm um importante papel nos problemas de aprendizagem, sendo o ambiente escolar e familiar os principais. Por isso, diante uma dificuldade de aprendizagem, é preciso identificar se o ambiente escolar é motivador, se os profissionais são capacitados, como é a relação do aluno com o professor e com os pais, se a proposta pedagógica é adequada, antes de levantar a hipótese de um transtorno.

Como identificar transtornos de aprendizagem?

Uma criança com transtorno de aprendizagem tem dificuldades que não melhoram com o tempo. O DSM-V possui quatro critérios para o diagnóstico de transtorno de aprendizagem. São eles: 

  1. ​​os sintomas persistem por pelo menos 6 meses, apesar da ajuda extra ou instruções específicas; 
  2. as habilidades afetadas estão abaixo das expectativas da idade e causam prejuízo nas atividades acadêmicas, ocupacionais ou cotidianas, conforme confirmado por testes e avaliação clínica; 
  3. o problema começa durante os anos em idade escolar;
  4. problema não devido a outras condições (como Deficiência Intelectual, visão ou deficiência auditiva).

Em resumo, se a criança recebe um bom apoio educacional, familiar e recebe atividades que consideram seus pontos fortes, ela se sai muito bem em seu desenvolvimento. Os resultados a longo prazo não dependem apenas do desempenho acadêmico, mas também de qualidades pessoais, adultos de apoio e fatores sociais.

Dessa forma, quando detectado um transtorno de aprendizagem a criança precisa de acompanhamento multidisciplinar para que possa superar suas dificuldades.

Restou alguma dúvida sobre as causas do transtorno de aprendizagem? Deixe nos comentários.


  


 Referências:
GUIMARÃES M.E.A. Entenda os diferentes transtornos de aprendizagem. Disponível em: http://fundacaoholhos.com.br/artigos/entenda-os-diferentes-transtornos-de-aprendizagem/ acesso em: 16 set. 18.

SILVA, Cláudia da  e  CAPELLINI, Simone Aparecida. Desempenho de escolares com e sem transtorno de aprendizagem em leitura, escrita, consciência fonológica, velocidade de processamento e memória de trabalho fonológica. Rev. psicopedag. [online]. 2013, vol.30, n.91 [citado  2020-06-18], pp. 3-11 . 

https://www.em.com.br/app/colunistas/comportamento-e-saude-mental/2023/06/21/noticia-comportamento-e-saude-mental,1510074/transtornos-de-aprendizagem-e-dificuldades-na-escola-requerem-terapia.shtml

2 Comments

Leave a comment