Skip to content Skip to footer

QUANDO INICIAR O ENSINO DA LETRA BASTÃO?

Você já se perguntou quando é o momento certo para iniciar o ensino da letra bastão? É uma questão que muitos pais e educadores enfrentam quando estão ajudando as crianças a dar os primeiros passos na alfabetização. Afinal, o processo de aprendizagem da escrita é fundamental e, por isso, é natural que surjam dúvidas sobre o momento ideal para introduzir esse estilo de escrita. 

Nesse texto, vamos explorar essa questão juntos,  e descobrir o motivo da letra bastão ser considerada a melhor para iniciar o processo de alfabetização das crianças e quando ela deve começar a ser utilizada.

O APRENDIZADO DA ESCRITA

Primeiramente, é importante que se tenha em mente que as habilidades essenciais para o aprendizado da escrita, chamadas habilidades preditoras, podem e devem ser estimuladas desde cedo.

Dentre estas habilidades, há aquelas relacionadas ao desenvolvimento motor, como o movimento de pinça. Esse movimento apresenta avanços significativos a partir dos 9 meses e constitui-se como uma das habilidades fundamentais para o processo da escrita, visto que ele proporciona força e destreza para segurar um lápis, por exemplo.

Além disso, o refinamento dos movimentos manuais ocorre de forma significativa nos três primeiros anos da criança, tendo em vista que é nesse período que, naturalmente, a criança, bastante curiosa, explora ambientes, objetos e outras coisas usando as mãos, e a maturação cerebral está propícia a esse aprendizado.

Nesse contexto, atividades que auxiliam o refinamento das habilidades realizadas com as mãos e os dedos, chamadas habilidades de motricidade fina, são, por exemplo, as brincadeiras que envolvem massinha de modelar, peças de encaixe, manipulação de botões e zíper, atividades de recortar e colar.

Em seguida, por volta dos 4 ou 5 anos, podem ser trabalhadas também atividades com pontilhados com o intuito de, aos poucos, aperfeiçoar e refinar os movimentos de grafomotricidade.

POR QUE A CRIANÇA COMEÇA A APRENDER COM A LETRA BASTÃO?

A letra bastão também é conhecida como letra de imprensa ou letra de forma. É comum surgirem muitas dúvidas em torno do ensino da escrita para os pequenos quanto ao tipo de letra que deve ser apresentada e utilizada inicialmente, visto que a letra cursiva também é de extrema importância para o desenvolvimento infantil.

Após a criança se desenvolver por meio de rabiscos e desenhos, é comum que a letra bastão seja a primeira forma de letra que a criança começa a tentar desenhar. Isso ocorre até mesmo porque é comum que esse tipo de letra seja o primeiro que a criança começa a ter contato e a diferenciar de outros símbolos.

O processo de alfabetização tem indicação de ser iniciado pela letra bastão. Esse tipo de letra é mais fácil de ser visualizado, reconhecido e decodificado/codificado. As letras bastão maiúsculas são as mais indicadas para iniciar o desenvolvimento da escrita porque sua conformação é de letras isoladas e com um traçado mais simples, ao contrário das letras cursivas, que requerem uma habilidade maior para serem discriminadas e desenhadas, visto que são juntas umas das outras e apresentam traços mais elaborados. Para escrever com a letra cursiva, é preciso que a criança tenha desenvolvido habilidades mais complexas de grafomotricidade. 

Escrever com a letra bastão, que é mais fácil de ser reconhecida e desenhada, permite também que a criança aplique seu esforço cognitivo à codificação em si. Sua dedicação estará mais voltada aos sons das letras e à formação das palavras no início do processo de alfabetização.

COMO OCORRE O PROCESSO DE TRANSIÇÃO DA LETRA BASTÃO PARA A LETRA CURSIVA?

De antemão, antes de pensar no ensino da letra cursiva, é necessário que o ensino da letra bastão tenha sido trabalhado de forma efetiva. Por esse motivo, o alinhamento estratégico entre os professores e os pais, com o uso de atividades práticas, deve ser planejado e bem executado. 

Vale ressaltar que a criança pode começar a ter contato com outros formatos de letra antes de ser estimulada a escrita em si. Por exemplo, tendo contado com livros e revistas, a criança pode já começar a perceber que existem variações no formato das letras. 

Antes de a criança começar a escrever com a letra cursiva, é importante ser feita a estimulação da motricidade fina, especialmente da grafomotricidade. Depois, quando a criança já tiver mais domínio das habilidades grafomotoras e das habilidades de escrita no que refere à codificação (ou seja, já tiver mais facilidade para transformar os sons em letras), deve começar a ser introduzida a letra cursiva. Inicialmente, as crianças devem ser estimuladas a escreverem palavras mais simples e conhecidas, como uma maneira de treinar e exercitar a coordenação motora sem demandar tanto esforço para a codificação.

A apresentação e estimulação do uso da letra cursiva devem ser realizadas de forma gradativa, com o objetivo de que a criança seja despertada às novas possibilidades da escrita. É imprescindível que esse processo seja realizado com paciência e com os incentivos certos para que, naturalmente, o pequeno desenvolva a escrita com letra cursiva. Afinal, é comum que ele tenha um estranhamento com o novo formato de letra apresentado. Em suma, o processo de transição deve ser feito de maneira lúdica, de modo a incentivar sua curiosidade e seu prazer em aprender.

Portanto, o desenvolvimento da escrita é um trabalho longo e complexo para o cérebro das crianças, exigindo coordenação motora e demandando de diversas áreas cognitivas. Atenção, memória, funções executivas, percepção visual… essas e outras habilidades são utilizadas durante o processo.

Em suma, tanto com a letra bastão e, posteriormente, com a letra cursiva, o caminho até o aprendizado da escrita requer paciência e estratégias que se adéquem às características da criança. Por isto, seu ritmo e suas dificuldades devem ser respeitados, sendo o incentivo e auxílio as melhores formas de ajudar a desenvolver essa habilidade.


Refeências:

LUCON, J. S.; ZIBETTI, M. L. T. Alfabetização de crianças: concepções e perspectivas. Revista Exitus, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e020032, 2020. DOI: 10.24065/2237-9460.2020v10n0ID1256. Disponível em: http://ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1256. Acesso em: 10 nov. 2022.

LEITE, Rita de Cássia Duarte et al. Consciência fonológica e fatores associados em crianças no início da alfabetização. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 35, n. 108, p. 306-317, dez.  2018.   Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862018000300006&lng=pt&nrm=iso. Acesso em:  10 nov.  2022.

Como e quando ensinar a letra cursiva. Rhema Educação, 2021. Disponível em: https://blog.rhemaeducacao.com.br/como-e-quando-ensinar-a-letra-cursiva/. Acesso em: 10 nov. 2022.

5 Comments

  • Miriam Paulo
    Posted 10/12/2022 at 2:12 am

    Excelente artigo. Parabéns !!

    • Solange
      Posted 12/12/2022 at 6:08 pm

      Olá Miriam, tudo bem?

      Legal, né? Fica ligada nas nossas redes sociais pra ver muito conteúdo útil e didático! 😉

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Glaucia Maria da Silva Ferreira
    Posted 10/12/2022 at 8:52 pm

    Gostei do texto sobre a escrita com letra bastão.

    • Solange
      Posted 12/12/2022 at 6:08 pm

      Olá Glaucia, tudo bem?

      Legal, né? Fica ligada nas nossas redes sociais pra ver muito conteúdo útil e didático! 😉

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Edinea
    Posted 24/12/2022 at 3:18 am

    Ótimo artigo. Parabéns!! Tenho dúvida de quando começar com a letra cursiva, pois vejo que as crianças possuem dificuldades em identificá-las em relação a letra bastão.

Leave a comment

x

Estou aqui para ajudar 🤗

Me chame quando precisar 😊