Skip to content Skip to footer

Síndrome Asperger x Autismo – Qual a diferença?

Pais e mães sempre procuram os consultórios a fim de esclarecer uma dúvida: qual a diferença entre a Síndrome Asperger e Transtorno do Espectro Autista (TEA)? Este questionamento surge a partir do momento em que algumas pessoas acreditam na proximidade de determinadas características entre as duas condições como um motivo para incluí-las no mesmo grupo. No entanto, não é bem assim.

A Síndrome de Asperger

O Asperger é caracterizado como uma versão mais branda do autismo, mas é preciso salientar que ambos devem ser considerados coisas distintas. No caso da Síndrome de Asperger, podemos dizer que ela é marcada como uma condição cuja criança apresenta características peculiares em seu comportamento, mas nada que interfira na interação social e nos afazeres do cotidiano, como a escola e a vida profissional.

A pessoa diagnosticada com Asperger tem um sinal que a torna única em meio a um grupo de alunos, por exemplo: a fala consideravelmente rebuscada. Quem vive com Asperger é conhecido pela comunicação bem desenvolvida.

As crianças que convivem com a síndrome costumam demonstrar menos atrasos em seu desenvolvimento. Além disso, outro ponto que destaca os pequenos é a memorização. Eles são excelentes em sequências matemáticas, mapas e nos campos das artes, como música e pintura.

O Autismo

O Autismo é considerado um transtorno de desenvolvimento cujas consequências mais conhecidas são o comprometimento global da interação social. Isso implica em comportamentos repetitivos, restritos e problemas ligados à comunicação social da criança e do adulto.

Uma pessoa diagnosticada com o Transtorno do Espectro Autista apresenta problemas de linguagem. Muitas delas não desenvolvem a fala de maneira espontânea, tendo que ser submetidas a intervenções com especialistas (fonoaudiólogos).

Além disso, uma característica própria do Autismo é a hipersensibilidade que a maioria dos pacientes relata. Essa reação pode atingir o olfato, a audição, o tato e outros sentidos do corpo cujo estímulo, por mais moderado que seja, pode surtir um efeito insuportável para as crianças e adultos que convivem com o TEA.

Ecolalias

Enquanto as pessoas com Autismo costumam manifestar ecolalias como parte das características do transtorno, os pacientes com Asperger não demonstram esse traço.

Outros pontos que diferem a Síndrome Asperger e o Autismo

Quem vive com Asperger pode manifestar estereotipias leves, como o gosto aficionado por determinados objetos ou assuntos. De qualquer forma, essas características são bem mais leves quando comparadas ao Autismo.

No caso do TEA, as pessoas tendem a ser mais desatentas ou até mesmo hiperativas, dependendo do grau de intensidade que cada uma demonstra. Para se ter uma ideia, veja como a situação do Autismo pode ser dividida entre os pacientes infantis:

– 5% das crianças com autismo têm altas habilidades;

– 40% apresentam intelecto normal;

– 50% têm um retardo mental associados.

Na Síndrome de Asperger o nível de inteligência é normal e não sofre nenhuma variação que possa comprometer o desenvolvimento de atividades e outras funções.

Diferenças no diagnóstico

Enquanto o Autismo pode ser notado de forma precoce, quando a criança está na faixa que varia de 1 ano e meio a 3 anos; o Asperger só é percebido mais tarde. Além disso, uma característica determinante é o fato de a criança com autismo não apresentar tanta reciprocidade (algo incomum para bebês atípicos – que não convivem com TEA). Eles também não estabelecem comunicação visual. A partir disso, os pais levam a criança para acompanhamento médico.

Na Síndrome de Asperger ocorre algo diferente: as características aparecem ao longo do crescimento da pessoa. Sendo assim, é importante relembrar que para se chegar ao diagnóstico pelo fato de os sinais virem acompanhados de cada fase do desenvolvimento.

 

10 Comments

  • Maria Goreti Toledo Galván
    Posted 12/12/2021 at 11:39 pm

    Quais as mais comuns de uma criança com síndrome de Asperger aos 3 anos?

    • Webster
      Posted 13/12/2021 at 11:50 am

      Olá, Maria

      A melhor maneira de lidar com o diagnóstico é procurar ajuda assim que a Síndrome de Asperger for detectada. Somente com o acompanhamento de profissionais, a qualidade de vida da criança tende a ficar melhor.

      Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
      Youtube: https://youtube.com/neurosabervideos
      Facebook: Neurosaber
      Instagram: @neurosaberoficial

      Webster,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Maria silva
    Posted 10/08/2022 at 1:31 pm

    Meu neto apresentou alguns sinais de TEA com um ano. Não olhava ao ser chamado pelo nome, não apontava, não falava as primeiras palavras e não tinha contato visual e seletivo com alimentos. Iniciou as terapias em seguida. Hoje faz contato visual aponta bate balsas fala muitas palavras e pequenas frases já se alimenta bem tem muito interesse em letras e números e com um ano e meio já conhecia todas. Hoje com 2 anos e 9 meses esta cada dia melhor. Esteriotipias poucas. Aqui acolá anda na ponta dos pes mas tem ecolalias. Raramente tem crise e passa logo
    E quando eh contrariado. Não tem problema com som luzes ou ambientes cheios. Além das terapias está na escola e interage com os colegas ( as professoras ainda não perceberam nada ) a mãe só comunicou a direção a pouco tempo pq esperou q falassem mas não perceberam. A Neuro ainda não fechou o diagnóstico. Mas sei q está no espectro pq convivo leio e acompanho diariamente. Gostaria de saber se já podemos saber se eh asperger ou nível 1 ou qual?

    • Solange
      Posted 10/08/2022 at 2:02 pm

      Olá Maria, tudo bem?

      Sem avaliação não podemos dar uma orientação precisa sobre o caso. É importante buscar um especialista para lhe dar melhores informações e orientação para uma intervenção. De qualquer forma, temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e também em nosso blog que podem te ajudar em muitas questões.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Alba
    Posted 19/08/2022 at 5:36 pm

    Olá. Qual profissional pode avaliar um adulto?

    • Solange
      Posted 19/08/2022 at 7:22 pm

      Olá Alba, tudo bem?

      Recomendamos primeiramente que procure um neurologista, o profissional irá orientar qual o melhor caminho para o diagnóstico e tratamento, caso seja necessário.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Francielli
    Posted 20/08/2022 at 12:46 am

    Olá! Tenho uma menina de 5 anos, não se socializa com adultos, com crianças sim, mas tipo não responde quando alguém fala Oi ou dá Tchau, ela simplesmente não fala nem pra crianças e muito menos adultos, fico sem graça, nem pra mim ou pro pai ela fala, será q pode ser um tipo de síndrome? Ela é muito vergonhosa , somente eu e o pai pra dialogar.

    • Solange
      Posted 22/08/2022 at 8:50 pm

      Olá Francielli, tudo bem?

      Primeiramente agradecemos pela confiança! Nesses casos orientamos buscar um especialista pessoalmente para lhe dar melhores informações e orientação assertivas sobre o caso. De qualquer forma, temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos que podem te ajudar em muitas questões.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

Leave a comment

0.0/5