Skip to content Skip to footer

TDAH e Transtorno Bipolar: quais as diferenças?

No processo de investigação de transtornos neuropsiquiátricos é muito comum a dificuldade em diferenciá-los ao se avaliar uma criança ou um adolescente trazido pelos pais desesperados por uma orientação ou por um direcionamento terapêutico.
Na fase adulta da vida estas diferenças ficam mais nítidas e claras, mas na fase de desenvolvimento a linha que os delimita é muito tênue e costuma gerar alguma confusão. Em especial, em relação ao TDAH e o Transtorno Bipolar é muito comum nos depararmos com sinais e sintomas muito parecidos, frequentemente presentes em ambas as condições como, por exemplo, estes sintomas que costumam estarem presentes em ambas: alta distractibilidade, impulsividade, taquilalia (falar excessivamente), atividade motora elevada e inconveniente, perda da inibição social (incomum para a idade) e inquietude excessiva.
Por outro lado, é necessário conhecer os aspectos clínicos, evolutivos e resultados de estudos populacionais que trazem evidências úteis que ajudam a selecionar, na avaliação, traços e informações mais intimamente ligados a um ou ao outro. O TDAH (6-10% da população infanto-juvenil; mais comuns em meninos e mais abaixo de 7 anos) é um transtorno de desenvolvimento e, como tal , costuma iniciar muito cedo, antes dos 12 anos , e, em 50% dos casos, antes dos sete anos. Já o Transtorno Bipolar (1-2% da população infantil; ocorre em meninos e meninas com poucas diferenças e acima de 7 anos) tem maior ocorrência na fase inicial da adolescência e maior prejuízo no alvorecer da fase adulta.
Os sinais e sintomas de TDAH são mais ligados à desatenção, hiperatividade e impulsividade. Enquanto a Bipolaridade marca-se pela oscilação de humor (ora euforia,  ora depressão), pensamentos flutuantes e recorrentes e com velocidade elevada de pensamentos, chegando a obsessão e intensa irritabilidade sem motivo aparente muitas vezes associado à intensa alegria/euforia. Sente pouca necessidade para dormir e apresenta hipersexualidade (insinuações precoces, uso de maquiagens exageradas, roupas muito curtas e desejo sexual exacerbado) – os quais se veem em mais de 80% dos casos. No TDAH, a irritabilidade costuma ocorrer no portador quando ocorrem momentos de frustração, espera e/ou ao ser contrariado sem que seja de aparecimento espontâneo.
A hiperatividade do TDAH é frequente e regular no cotidiano do portador enquanto no Transtorno Bipolar esta se apresenta intensa somente quando em fase eufórica ou maníaca. Em contrapartida, na fase bipolar depressiva, o indivíduo fica quieto, retraído e busca isolamento. O risco de suicídio ou de pensamentos suicidas, de psicoses e de quadros depressivos recorrentes podem ocorrer em ambos, mas é muito mais comum, constante e arriscado na bipolaridade. Comumente, na adolescência e fase adulta, sinais de ciúmes excessivo, atos de possessão, obsessão por compras e descontrole emocional para afirmar o que pensa ou o que controla são marcantes sinais do Transtorno Bipolar. No TDAH, a imaturidade emocional, ingenuidade, descontrole por falta de planejamento e organização são muito comuns e, por isto, não costumam controlar, mas sim ser controlados pelos seus pares.
Ao contrário do Transtorno Bipolar que costuma levar a uma desatenção e problemas de memorização menos frequentes, no TDAH tais são a regra e ocasiona, desde cedo, baixo rendimento escolar, fracassos nos processos cognitivos da leitura e da escrita e os testes neuropsicológicos evidenciam significativo déficit executivo e de memória operacional. A avaliação com baterias de testes neuropsicológicos podem ser valiosos para auxiliar na diferenciação, portanto.
É importante salientar que 5-15% dos pacientes com TDAH apresentam a bipolaridade associada e vice-versa. Na adolescência, esta associação revela-se mais frequente, especialmente no que tange aos casos de intensa irritabilidade e hipersexualidade. Por outro lado, naqueles casos que apresentam Transtorno Bipolar, mas que tiveram história de TDAH na infância, o aparecimento de surtos bipolares podem ocorrer mais cedo. Nestes casos, vemos os sintomas de ambas as condições misturadas e a equipe interdisciplinar que avalia deve estar atenta a todos aspectos clínicos presentes para que o tratamento posterior seja global e com redução precoce dos prejuízos.
Para mais informações, indicamos estas referências:
1) Geller B, Zimerman B, Williams M et al. DSM-IV Mania Symptoms in a Prepubertal and Early Adolescent Bipolar Disorder Phenotype Compared to Attention-Deficit Hyperactive and Normal Controls. Journal of Child and Adolescent Psychopharmacology. July 2004, 12(1): 11-25. doi:10.1089/10445460252943533.
2) Geller B, Zimerman B, Williams M, et al. Diagnostic Characteristics of 93 Cases of a Prepubertal and Early Adolescent Bipolar Disorder Phenotype by Gender, Puberty and Comorbid Attention Deficit Hyperactivity Disorder.
Journal of Child and Adolescent Psychopharmacology. September 2000, Vol. 10, No. 3: 157-164
3) Sachs, GS e at al. Comorbidity of Attention Deficit Hyperactivity Disorder With Early- and Late-Onset Bipolar Disorder. Am J Psychiatry 2000; 157:466–468.

29 Comments

  • Maria do Espírito Santo
    Posted 11/02/2017 at 4:16 pm

    Gostei muito! !!! Gostaria de ver mais textos que fale de distúrbio bipolar em adolescente.

  • Sheila Paiva Araújo
    Posted 12/02/2017 at 9:38 pm

    Boa noite!!
    Gostaria muito de fazer o curso com vocês.
    Como faço?

  • Luciana Palavitsinos
    Posted 13/02/2017 at 7:41 am

    Perfeito, amei a leitura, impecável na comparação entre semelhanças e diferenças, a sugestão bibliográfica é sempre muito importante, parabéns à Equipe Neurosaber.

    • NeuroSaber
      Posted 14/02/2017 at 11:04 am

      Que bom que gostou!
      Continue com a gente.

  • Ana Lúcia Vogt Assis Nunes
    Posted 14/02/2017 at 10:22 am

    A sexualidade exacerbada na bipolaridade não é inibida por conta dois medicamentos que são fortes e ocorre uma certa impotência ou até mesmo outros problemas disfuncionais ?

    • NeuroSaber
      Posted 14/02/2017 at 10:46 am

      Há variações de organismo pra organismo no que se refere à medicação, seria interessante discutir com o médico que a prescreveu.

  • Maria das Graças de Oliveira Viana
    Posted 14/02/2017 at 2:45 pm

    Tenho dúvida se meu filho é bipolar ou se tem personalidade boderlaine. Os sintomas são muito parecidos

    • Ana
      Posted 19/05/2017 at 4:53 am

      A minha irma é Border e bipolar!!! La em casa a gente sofre, viu?!

      • NeuroSaber
        Posted 27/09/2017 at 5:06 pm

        Por isso é sempre bom se informar!

        • Aline da Rocha Santos
          Posted 28/01/2023 at 10:43 am

          Em algumas reportagens tratam da possibilidade de uma pessoa ser extremamente inteligente e ter tdha. Nesta situação as situações se compensam e a pessoa acaba não indo mal na escola.
          Queria uma opinião?

    • Mara Lúcia Cru Ehlers Franke
      Posted 16/11/2021 at 12:35 am

      Minha filha foi diagnosticada com TDHA em 2006 , hoje tem 31 ano toma venvance, só começou a tomar ritalina com 19 anos, fez uma cintilografia que apareceu hipoperfusao dos lobos temporais e das regiões das regiões frontais, hoje formada em direito sempre teve a vida um pouco conturbada, só que por excesso de trabalho teve entrou em crise, ficou sem falar nada com nada, psiquiatra falou que ela tem bipolaridade, mas estou muito preocupada, como proceder.

      • Gustavo de Carvalho Guedes
        Posted 27/12/2021 at 5:54 pm

        Eu tenho TAB e TDAH e é muito complicado pois o Ritalina pode levar à uma virada maníaca. Porém, com o uso de um estabilizador de humor pode melhorar. O neurologista ou neurocirurgiao tem que estar em sintonia com o psiquiatra.

        • [email protected]
          Posted 09/07/2022 at 3:32 pm

          olá! sou tab e tdah, como tem se saído com a medicação? Eu tomo depakene 1000 e ritalina de 10 dividida em 2 partes.

  • Santuza Maximo Teixeira
    Posted 14/02/2017 at 7:20 pm

    Excelente texto. Claro e com bastante informacões. É muito importante para os profissionais envolvidos, estarem atentos às caracteristicas comuns associadas às duas patologias. Parabéns Dr Clay.
    Tenho certeza que o curso sera um sucesso.

  • Rivaneide Alves da Silva Cruz
    Posted 14/02/2017 at 9:32 pm

    Boa noite ! Eu quero agradecer pelas informações que nos são dadas com toda dedicação, pois são sempre muito valiosas nós educadores e comunidade e geral que convivemos com crianças , precisamos estar atentos aos menores sinais que elas possam apresentar porque somente diante de observações é que podemos avaliar se realmente existem alguns pontos críticos de possíveis transtornos nestas crianças e o mais importante é que estejamos seguros a respeito dos sintomas e com conhecimentos e informações precisas e confiáveis. Que bom poder contar com a equipe Neuro Saber para nos ajudar. É muito importante conhecer as diferenças entre um transtorno e outro para poder ajuda-las! Muito obrigada um grande abraço e fiquem com Deus

  • MARLENE
    Posted 23/02/2017 at 12:58 am

    Cada momento apaixono mais pelos esclarecimentos das minhas dúvidas e conquista quando aplico as ferramentas.

  • Isaac Batista
    Posted 30/05/2017 at 8:47 pm

    Caramba, que matéria sensacional. Tenho 29 anos e descobri ano passado que tenho os dois problemas. Essa matéria foi muito esclarecedora.

    • NeuroSaber
      Posted 27/09/2017 at 2:14 pm

      Obrigada pelo carinho, continue nos acompanhando!

  • Regiane Souza
    Posted 23/09/2017 at 2:40 pm

    Como podem me ajudar com meu filho de 9 anos. Ele se enquadra nesse caso de tdah com bipolaridade…. Espero retorno . Regiane de Juiz de Fora

  • Hackimm Mawaloni
    Posted 30/04/2018 at 11:13 pm

    Obrigado pelo aprendizado. Gostei! Todavia, gostaria saber mais sobre: “distonia neurovegetativa”.

    • NeuroSaber Responde
      Posted 09/05/2018 at 11:38 am

      Obrigada pela sugestão!

  • Ricardo Marinho de Aquino
    Posted 28/04/2020 at 6:42 pm

    Sou Bipolar e desenvolvi déficit cognitivo de memória, concentração, memorização.
    Eu tive que largar a universidade por causa disso e não consigo ler nem um texto.
    Vou fazer 39 anos e fiquei muito chateado e revoltado com a situação.

    • Gustavo de Carvalho Guedes
      Posted 27/12/2021 at 5:56 pm

      Tenho 46 anos e não consigo mais trabalhar.

  • BERENICE DE SOUZA ROCHA
    Posted 30/09/2022 at 2:37 am

    Aprendi muito com os esclarecimentos dados aqui.Gostaria de aprender mais sobre mim mesma.Me trato a 20 anos,e a pouco tempo aceitei minha condição de paciente psiquiátrica e quero saber mais sobre isso.

    • Solange
      Posted 03/10/2022 at 1:14 pm

      Olá Berenice, tudo bem?

      Em nossos canais temos muitos conteúdos que vão te ajudar a entender melhor. Confira nosso canal no Youtube e nosso Blog e continue sempre de olho em nossas redes sociais! 💙

      Sol,

      Equipe NeuroSaber 💙

Leave a comment

0.0/5

x

Estou aqui para ajudar 🤗

Me chame quando precisar 😊