Skip to content Skip to footer

TEA: Sensibilidade auditiva pode prejudicar em sala de aula?

A sensibilidade auditiva, muitas vezes chamada de hipersensibilidade auditiva, é uma característica comum em muitos indivíduos com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Mas o que exatamente sabemos sobre essa sensibilidade e como ela pode afetar a experiência dessas crianças na sala de aula? 

Neste artigo, exploraremos esse tema e discutiremos como a hipersensibilidade auditiva pode impactar o desempenho escolar de crianças com TEA.

Os Desafios da Sensibilidade Auditiva:

A hipersensibilidade auditiva pode variar de pessoa para pessoa e de situação para situação. Pais e educadores frequentemente se perguntam se essa sensibilidade pode prejudicar a permanência de um aluno na sala de aula, e essa é uma preocupação legítima, especialmente em um ambiente escolar diversificado, com momentos de calma e agitação.

Impacto no Ambiente Escolar: Nenhuma pessoa, independente de ter TEA ou não, pode absorver conteúdos em um ambiente hostil. Para uma criança com TEA, isso pode ser ainda mais desafiador, pois eles podem não encontrar maneiras de lidar com o desconforto, pois pode levar a reações, como surtos, devido à frustração e dificuldade de comunicação.

Rendimento Acadêmico: A hipersensibilidade auditiva pode levar a um desempenho acadêmico significativamente prejudicado, devido ao clima de hostilidade que o barulho excessivo pode criar. Além disso, a falta de compreensão por parte dos colegas de classe pode influenciar negativamente a permanência do aluno na sala.

Portanto, a sensibilidade (ou hipersensibilidade) auditiva, um ruído simples para uma audição normal pode se transformar em algo insuportável para o autista: o barulho de um tênis (a borracha do solado), o tilintar de louças, o sinal do pátio da escola, entre outros.

Maneiras de Apoiar Alunos com Sensibilidade Auditiva:

A sensibilidade auditiva pode se manifestar de formas variadas, e nem todos os barulhos causarão irritabilidade em todas as crianças com TEA. Portanto, é crucial conversar com os pais para identificar quais sons podem desencadear essa sensibilidade em seus filhos.

  1. A Importância do Acompanhamento Médico: O acompanhamento médico é fundamental para ajudar os pais e educadores a compreender e lidar com a sensibilidade auditiva. A partir das informações fornecidas pelos pais, podem ser elaboradas estratégias para enfrentar essas questões em sala de aula.
  1. Adaptações no Ambiente Escolar: Com base nas informações obtidas, os professores podem trabalhar com o aluno com TEA e a turma em atividades que evitem os ruídos específicos que desencadeiam a sensibilidade auditiva.
  1. Auxílio Multidisciplinar: Quando a sensibilidade auditiva é grave e impacta significativamente a vida do aluno, a colaboração de uma equipe de profissionais, incluindo neuropediatras, psicopedagogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, entre outros, é aconselhável para encontrar o tratamento mais adequado.

A sensibilidade auditiva pode ser um desafio para crianças com TEA na sala de aula, mas com o apoio adequado, é possível enfrentar esses desafios e criar um ambiente educacional mais inclusivo e adaptado. 

Portanto, a compreensão, a colaboração entre pais, educadores e profissionais de saúde, juntamente com adaptações adequadas, são essenciais para garantir que as crianças com TEA possam aproveitar ao máximo sua experiência escolar e alcançar seu pleno potencial.

Gostou desse artigo e quer saber mais? Cadastre-se na nossa Newsletter no final da página.


Referências:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7855558/

https://psychcentral.com/autism/autism-sound-sensitivity

19 Comments

  • Marcia Maria
    Posted 02/11/2017 at 2:17 pm

    Muito bom seria melhor se desse opção de compartilhar no whatsap

  • Karime
    Posted 02/11/2017 at 8:25 pm

    Adorei

  • LEILA KARLA NEVES SANTOS COSTA
    Posted 04/11/2017 at 12:10 pm

    MINHA FILHA AUTISTA NÃO VERBAL, COM 12 ANOS DE IDADE, TEM UMA HIPERSENSIBILIDADE AUDITIVA PRINCIPALMENTE COM BARULHOS DE PESSOAS CONVERSANDO. NA SALA DE AULA ELA JÁ ENTRA COM AS MÃO NOS OUVIDOS E PASSA A MAIOR PARTE DA AULA ASSIM, E MUITAS VEZES FICA IRRITADA, CHORANDO E NÃO QUER IR MAIS PARA A ESCOLA. NÃO SEI COMO LIDAR COM ESSA SITUAÇÃO, POIS TODAS AS ESCOLAS TEM BARULHOS, ALUNOS CONVERSANDO AO MESMO TEMPO ETC.

    • Simone
      Posted 23/05/2023 at 1:29 pm

      Pode usar um tampão abafador que diminuem os ruídos e barulhos e assim fica uma situação mais confortável a ela … Eu tenho hiperacusia e tentei muitas formas pra me ajudar com isso por hora foi a melhor que encontrei e q funciona pra mim seja na escola shopping trânsito etc

  • Doralice
    Posted 04/11/2017 at 8:14 pm

    Tenho um aluno com essa hipersensibilidade.Tento acalmá-lo de várias formas, porém é complicado. ele ainda não tem laudo fechado. Me ajudem!

  • Walquiria martins
    Posted 04/11/2017 at 11:43 pm

    Sou professora acho estas dicas muito importantes para o aprendizado e práticas no nosso dia a dia com a diversidades de crianças.

  • Eliane Theodoro
    Posted 05/11/2017 at 7:52 am

    Suas informações são sempre de grande ajuda.

  • Maria do Carmo Gomes Oliveira
    Posted 06/11/2017 at 6:33 am

    Eu agradeço muito pelas informações que recebo de vocês, pois me ajudam muito a compreender e a desenvolver melhor meu trabalho na escola. Tenho uma criança diagnósticada como autista que recebe atendimento da AEE e como somos da educação infantil, barulhos e ruídos é o que não faltam em nossa escola.
    As vezes fico sem saber como proceder diante de várias situações do cotidiano escolar e preocupada em como contribuir para o desenvolvmento dessa criança.
    Obrigada pelas dicas tão valiosas que recebo.

  • Tânia Sbervelieri
    Posted 06/11/2017 at 2:16 pm

    Compreender as características e comportamento de seu aluno autista pode diminuir o impacto negativo para a aprendizagem. Na prática pedagógica, principalmente em estágios após a Educação Infantil, a ANAMNESE pode ser de grande valia para o professor. Investigar as situações que causam desconforto, irritabilidade e desorganização sensorial são fundamentais para estabelecer os princípios pedagógicos.

  • zilma Lúcia
    Posted 08/11/2017 at 1:34 pm

    Olá. Sou professora, atuo na escola com diferentes deficiências, trabalho com as Múltiplas deficiencias e vejo
    que realmente é de fundamental importancia o acompanhamento desses profissionais: neuropediatras, psicopedagogos, fonoaudiólogos, terapeutas (entre outros) e relevante a parceria na Educação, para que todos possam encontrar o tratamento no desenvolvimento dessas pessoas.

  • Antônia E. Sousa dá Silveira
    Posted 09/11/2017 at 6:53 am

    Olá!
    Parabéns pelo texto.
    A escola tem sido um ambiente extremamente barulhento.
    Até eu sofro muito.
    Socorro!!!!

  • Maria Aparecida Gontijo Lisboa
    Posted 30/11/2017 at 9:47 am

    Quais atividades podem ser sugeridas para trabalhar uma melhor capacidade de adaptação aos ruídos externos?

  • Michele Rodrigues
    Posted 28/05/2018 at 1:01 am

    Tenho uma menina de três anos e parece ter autismo. Não consegui diagnosticar, mas , uma consulta uma vez há mais de um ano atrás com uma neurologista notou comportamento diferentes da maioria é pensamos sim numa avaliação mais detalhada , ainda não consegui. Nos últimos tempos minha Aurora está com esse problema auditivo, mesmo que seja pouco barulho como por ex : eu cantando, ela tapa os ouvidos e pede pra parar , barulho de carros , motos então nossa ela se enverga , nas consultas com pediatra mostra que ela não tem problema auditivo. A minha grande dúvida é será que já posso diagnosticar minha filhinha? Ela está em creche não se enturma já sentiu certa discriminação com ela vinda da escola, ela chora e se joga no chão para não entrar na creche. Oque faço? Como posso saber sem que minha filha receba discriminação e posso saber o mais rápido possível?

  • aldenir rodrigues
    Posted 25/09/2018 at 4:03 pm

    meu filho foi diagnosticado com epilepsia, e hj com 6 anos ele esta sensível a qualquer som. quando ele ouve um toque de colher no prato ou um estado parece que ele desliga e cai e por isso ele so vive se batendo pois a sensibilidade é tão grande que paramos ate de levar ela pra escola por causa disso, e até o momento não descobrimos o que é isso.

  • Thamyris
    Posted 23/11/2021 at 5:04 pm

    Tenho um filho autista de 4anos ,e barulhos de motos ,sem escapamentos o deixa muito irritado a ponto de causar crises nele,o pior é que os moleques fazem de pirraça,e muito triste conviver assim sem nem poder contar com o respeito dos vizinhos.

  • Sara
    Posted 31/05/2022 at 10:19 pm

    Meu filho tem 5 anos não é autista, mais está com muita dificuldade na escola por conta do barulho. Segundo ele os alunos gritam demais e ele não consegue ficar na sala. Está ficando fora da sala, quase o tempo todo.

    • Solange
      Posted 01/06/2022 at 12:00 pm

      Olá Sara, tudo bem?

      Primeiramente agradecemos pela confiança! Nesses casos orientamos buscar um especialista pessoalmente para lhe dar melhores informações e orientação assertivas sobre o caso. De qualquer forma, temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos que podem te ajudar em muitas questões.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

  • Silvana Guimarães Sousa
    Posted 15/02/2023 at 1:29 am

    Meu filho tem 7 anos e tem muita sensibilidade ao barulho e isso esta prejudicando nos estudos….ele é agitado nunca faz só uma coisa sempre quer gazer mais de uma ao mesmo tempo…..o que você me indica a fazer?

    • Solange
      Posted 15/02/2023 at 3:38 pm

      Olá Silvana, tudo bem?

      Primeiramente agradecemos pela confiança! Nesses casos orientamos buscar um especialista pessoalmente para lhe dar melhores informações e orientação assertivas sobre o caso. De qualquer forma, temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos que podem te ajudar em muitas questões.

      Sol,
      Equipe NeuroSaber 💙

Leave a comment