Voltar

Avaliação das competências e habilidades de leitura e a escrita no autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é responsável por causar uma série de problemas que podem ser notados no comportamento, na interação social, no desenvolvimento cognitivo, na comunicação e em outros aspectos da vida de uma pessoa. Quem acompanha nossos artigos, por exemplo, deve ter lido muitas informações a respeito de seus sintomas e como isso implica direta e indiretamente na vida do paciente. A leitura e escrita no autismo é algo que também precisa ser olhado com muita atenção.

Assim como ocorre em diversos ambientes, o percurso de um aluno com autismo na escola precisa de estratégias que visem ao seu desempenho. Dentro desse escopo, é necessário que haja a avaliação das competências e das habilidades de leitura e escrita no contexto do TEA. Antes, precisamos lembrar a importância dessas capacidades no caminho percorrido pela criança.

A alfabetização no autismo

Importante salientar que a leitura e a escrita no autismo podem ser estimuladas por meio de técnicas cuja influência sobre o desempenho do aluno é incrível. Os educadores dispõem de muitas estratégias que facilitam a aprendizagem da criança. Dentre elas, destaca-se a metodologia fônica.

Ela desempenha um papel fundamental no exercício de tais habilidades. A técnica funciona da seguinte maneira: quando o professor vai apresentar o som das letras, peguemos como exemplo as vogais, o nome da letra já é o som que ela emite (a, e, i, o, u). Além disso, os professores utilizam também os recursos visuais e a união das letras na formação de palavras.

Enfim, é um processo pelo qual o especialista deve direcionar e adaptar toda a exposição de conteúdos acerca da necessidade do aluno. Outro detalhe de extrema importância é a avaliação das competências e habilidades de leitura e escrita no autismo.

Avaliação

Para que haja uma avaliação satisfatória, no caso de uma criança com autismo, é interessante uma associação entre a escola e a equipe responsável pelas intervenções direcionadas ao estudante.

Há que se salientar a presença de especialista da área de fonoaudiologia, por exemplo, uma vez que a leitura e a escrita envolvem uma série de habilidades cognitivas e estão ligadas à linguagem. Esses profissionais trabalham esse processo de aquisição, que é muito importante na vida de uma pessoa.

Outra presença indispensável na avaliação de competências de leitura e escrita no autismo é a da psicopedagoga. Afinal, ela pode analisar como está o ritmo de leitura, a entonação, a compreensão do processo de leitura e os erros cometidos.

Nesse contexto, a avaliação deve ser feita de forma que vise a valorizar o aluno com autismo. Em função da adaptação de técnicas utilizadas para a leitura e a escrita no autismo, a forma que os profissionais avaliam também deve priorizar as etapas concluídas e as conquistas.

Sobre a adaptação curricular

A adaptação é algo que deve ser feito para proporcionar ao aluno o aproveitamento do conteúdo. Essas modificações procuram adaptar o currículo regular de forma que o torne apropriado às necessidades da criança. Lembrando que adaptar não é criar uma nova grade, mas apenas dinamizá-la para atender o estudante.

Nessas circunstâncias, as adaptações curriculares implicam na planificação pedagógica e as ações docentes fundamentadas nos critérios básicos que a define, ou seja: o que o aluno deve 12 aprender; como e quando aprender; que formas de organização do ensino são mais eficientes para o processo de aprendizagem e como e quando avaliar o aluno. (OLIVEIRA, 2016, p. 11-12)

Adaptação que precisa ser acompanhada pelos pais  

Importante salientar que todo esse processo exige um acompanhamento dos pais diante dos problemas que afetam a criança, como comportamentos, déficits de desenvolvimentos, restrições que a escola tem com o aluno com autismo, entre outros. É fundamental que tudo deva ser apresentado pela equipe clínica e levado à escola da criança.

Referências

AVALIAÇÃO das habilidades de leitura e escrita. Arapongas: Neurosaber, 2019. 1 video (2 min.). Publicado por: Neurosaber. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=uAX5nE5RcDE. Acesso em: 10 dez. 2019.

BRITES, Luciana. Autismo: escola e família como aliados na educação. Neurosaber. Arapongas: Neurosaber, 2019. E-book.

BRITES, Luciana. Autismo, escola e pais: como unir forças para realizar a inclusão? Neurosaber. Arapongas: Neurosaber, 2019. E-book.

BRITES, Luciana. Como preparar crianças com autismo para ler e escrever? Neurosaber. Arapongas: Neurosaber, 2019. Disponível em: https://neurosaber.com.br/como-preparar-criancas-com-autismo-para-ler-e-escrever/

 

 

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *