Voltar

Avaliação do tempo de reação em crianças com TDAH

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade — TDAH — tem como principais características: déficit de atenção, hiperatividade e impulsividade. Entenda como é a avaliação do tempo de reação em crianças com TDAH, neste artigo.

As crianças com TDAH, muitas vezes têm dificuldades no desempenho escolar e no desenvolvimento afetivo. Ainda que os sintomas do transtorno se confundam com comportamentos da personalidade da criança, o diagnóstico precoce é importante para encontrar as melhores estratégias e tratamentos.

O diagnóstico é clínico e baseado na observação da criança e conversa com pais e professores. O TDAH pode ser considerado uma doença neurobiológica com alterações em algumas áreas do cérebro, que afetam o controle inibitório, memória de trabalho, tempo de reação e outras funções executivas. Saiba mais.

O que é tempo de reação

O tempo de reação é o período entre o surgimento do estímulo e a resposta motora do sujeito. A avaliação do tempo de reação mede a capacidade da pessoa de processar a informação.

O TDAH é um dos transtornos mais comuns da infância, mas nenhum comprometimento cognitivo específico é universal em pacientes com TDAH. No entanto, um dos achados mais consistentes na literatura de neuropsicologia do TDAH é o aumento da variabilidade do tempo de reação. 

O tempo de reação elevado em pessoas com TDAH em comparação com crianças com desenvolvimento típico foi documentado em vários estudos que usaram uma ampla variedade de tarefas computadorizadas, incluindo aquelas que avaliam a memória de trabalho, atenção, controle inibitório e discriminação na escolha. 

Além disso, o aumento do tempo de reação foi documentado tanto em amostras pediátricas quanto em amostras de adultos com TDAH.

Embora haja evidências claras de que, em comparação com crianças com desenvolvimento típico, o tempo de reação durante tarefas cognitivas no TDAH é maior, isso pode ocorrer em outros transtornos. 

O tempo de reação elevado foi observado em pessoas com autismo, esquizofrenia, transtorno bipolar, lesão cerebral traumática e demência de Alzheimer em estágio inicial. Um aspecto comum entre eles, são os problemas de atenção, embora pareça haver uma variabilidade considerável nos tipos de dificuldades encontrados em cada condição.

O tempo de reação no TDAH

Essa consideração de nuances nos processos de atenção em pessoas com diferentes diagnósticos levanta a questão sobre qual aspecto específico de atenção o tempo de reação reflete. Nas pesquisas, o tempo de reação no TDAH é interpretado como refletindo lapsos ocasionais de atenção (ou seja, falhas de atenção sustentada que não são graves o suficiente para resultar em um erro de omissão). 

No entanto, o significado psicológico e neurofisiológico preciso do tempo de reação no TDAH está continuamente sendo debatido. Foram propostas hipóteses enfatizando vários fatores como: déficit de processamento temporal, déficit na capacidade de modular flutuações de frequência muito baixas na atividade neuronal, ineficiência no desdobramento da atenção por processos de controle executivo, déficit de atenção sustentada e dificuldades com a regulação do estado energético. 

É importante ressaltar que essas não são hipóteses exclusivas. Opor hipóteses alternativas umas às outras e / ou integrar várias perspectivas é uma área importante para trabalhos futuros sobre o tempo de reação no TDAH.

Avaliação do tempo de reação

A consideração de modelos refinados de atenção em psicopatologia e as hipóteses quanto ao significado de tempo de reação no TDAH levantam a questão de saber se ele reflete uma única construção ou processo. A maioria dos estudos que documentam o aumento do tempo de reação no TDAH usa um desvio padrão do tempo de reação, porque é fácil de calcular. 

Infelizmente, esse desvio padrão quase sempre se relaciona com o tempo de reação médio que não distingue velocidade e variabilidade e que limita a clareza da interpretação psicológica ou neurofisiológica. 

Por esta razão, alguns estudiosos defendem o uso do coeficiente de variação na avaliação. No entanto, ele também não fornece informações sobre aspectos específicos do construto do tempo de reação.

Na última década, o campo de pesquisas começou lentamente a se mover em direção a métricas mais sofisticadas de tempo de reação no TDAH e esse esforço trouxe novos insights, embora as métricas ideais para avaliação do tempo de reação ainda não sejam claras. 

Restou alguma dúvida sobre a avaliação do tempo de reação em crianças com TDAH? Deixe nos comentários.

Referências:

BOLFER, Cristiana et al. Reaction time assessment in children with ADHD. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2010, vol.68, n.2 [cited  2020-11-06], pp.282-286. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2010000200025&lng=en&nrm=iso>. ISSN 0004-282X.  https://doi.org/10.1590/S0004-282X2010000200025.

MESSINA, Lucinete de Freitas  and  TIEDEMANN, Klaus Bruno. Avaliação da memória de trabalho em crianças com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Psicol. USP [online]. 2009, vol.20, n.2 [cited  2020-11-06], pp.209-228. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65642009000200005&lng=en&nrm=iso>. ISSN 0103-6564.  https://doi.org/10.1590/S0103-65642009000200005.

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *