Voltar

Como ABA pode ajudar meu filho Autista?

Quando as pessoas escutam a palavra autismo, elas costumam associá-la a uma infinidade de restrições, tratamentos e até problemas. Isso mostra o quanto as pessoas ainda precisam se informar a respeito do TEA (Transtorno do Espectro do Autismo). Na verdade, é possível ver que existe um movimento em prol desse esclarecimento.

O assunto de hoje, no entanto, trata-se de um método que pode ser completamente eficaz para uma criança diagnosticada com autismo: ABA (Applied Behaviour Analysis). Com base completamente científica, tal metodologia tem se mostrado bastante eficaz.

Essa forma de tratamento reflete essencialmente na observação comportamental do autista e procura analisar detalhes da personalidade da criança. Além disso, há também a questão dos tiques. Os profissionais podem trabalhar em cima deste quesito, embora a retirada de alguns desses comportamentos repetitivos seja custoso à criança. Isso divide a opinião de especialistas. Portanto, vamos focar em como a técnica ABA pode ajudar o seu filho autista.

As vantagens da aplicação do método ABA na vida da criança autista

A pessoa com autismo pode encontrar toda uma gama de oportunidades para melhorar o seu comportamento ante as características ocasionadas pelo TEA. Os estereótipos, assim como as agressões, não são reforçados; o que ajuda a criança a adotar atitudes mais assertivas.

[thrive_lead_lock id=’2767′][/thrive_lead_lock]

No entanto, não é uma tarefa simples e exige muito do profissional e do pequeno. É um trabalho de ‘formiguinha’, mas que sem dúvida traz resultados satisfatórios. Importante lembrar que quanto mais precoce for aplicado o método ABA, maiores serão as chances de se obter sucesso.

ABA no dia-a-dia

A técnica ABA, para mostrar sua eficácia, deve ser incorporada ao dia-a-dia da criança e de sua família. Situações corriqueiras podem ser submetidas ao conjunto de atividades que a ABA ensina. As tarefas do cotidiano são sempre uma das melhores alternativas para induzir em seu filho o que ele aprende durante a terapia. Atividades como comportar-se à mesa e alimentar-se são apenas algumas que a ABA pode exercer influência sobre o pequeno.

 

A importância dos pais

A presença dos pais é indispensável na vida de qualquer criança. No caso de um autista, sobretudo, é absolutamente relevante que os responsáveis estejam sempre por perto. Conhecendo seus filhos, os pais podem ajudar os terapeutas com informações cruciais para o tratamento. Além disso, a presença dos pais pode dar mais coragem para que a criança desenvolva suas habilidades.

Curiosidades sobre técnica ABA

– É importante salientar que a ABA não dá enfoque ao aspecto cognitivo da criança, mas apenas ao comportamento;

– Não existe nenhum outro tratamento comportamental ou de desenvolvimento que seja mais utilizado que a ABA;

– Vários estudos já mostraram a eficácia que o método ABA exerceu no comportamento das crianças submetidas à terapia.

Ajuda profissional

Embora a internet ofereça muitas informações a respeito da ABA, é absolutamente recomendável que pais e responsáveis procurem profissionais que possam oferecer a terapia que seja essencial para a criança. O trabalho é em equipe. Além disso, o resultado sempre surpreende.

 

Você também pode se interessar...

8 respostas em “Como ABA pode ajudar meu filho Autista?”

Hoje participei de uma palestra com a psicóloga Cátia Martini que trabalha com o ABA. Muito feliz com o desenvolvimento das crianças atendidas por ela é sua equipe.

Sensacional.
Tenho um filho Autista, ele regrediu esses dias devido a mudanças. Mas vamos aplicar esse método.
Obrigada pela informação.

Sou mãe do João Vitor, diagnósticado autista aos 5 anos, hj tem quatorze anos, só a 2 anos consegui vaga no (CUIDA) centro unificado de integração e desenvolvimento do autista, uma instrução da APAE.
Desde o começo foi meio difícil, pois moro no interior em Teotônio Vilela AL
Temos que viajar 1 vez por semana, quase 2horas até chegar na capital, mas vale sempre apena Poison meu filho tem melhorado, porém o problema é que sou funcionária pública municipal, e tentei uma redução de carga horária é foi negada, trabalho quarenta horas semanais, tudo é muito complicado, pois tenho que fazer o possível, pra levá-lo a escola onde ele tem uma cuidadora… Mas confesso que é muito difícil, principalmente pra mim que tenho depressão, mas não desisto, ele é dependente de mim.

Boa noite, qual pessoa pode aplicar o ABA.
A rotatividade de profissional prejudica na aplicação do ABA.
O vínculo é importante entre profissionais e paciente ou não importa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *