Voltar

Como diferenciar: Dislexia e Autismo

O Transtorno do Espectro Autista — TEA — é uma condição onde a criança desenvolve restrições, regressões e reorganizações do seu desenvolvimento. Isso leva a déficits de interação social, distúrbios de comunicação, comportamentos repetitivos e interesses restritos.

A criança com autismo desenvolve atrasos nas áreas de percepção, comunicação, social e linguística que levam a transtornos sensoriais. As alterações no TEA levam a déficits de neuro funcionamento, dificuldade de processar a linguagem não verbal, de funcionamento executivo, sensoriais e perceptivas.

Já a dislexia é um subtipo de transtorno de aprendizagem de origem neurobiológica que leva a déficits nos processos de decodificação. As crianças com dislexia têm dificuldade nas habilidades de leitura, escrita e ortografia, que resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem. 

O que é o autismo

O TEA é descrito no Manual de Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais — DSM-V — como um transtorno de desenvolvimento que leva a severos comprometimentos de comunicação social e comportamentos restritivos e repetitivos que tipicamente se inicia nos primeiros anos de vida. 

As crianças com autismo apresentam comprometimentos, em diferentes graus, na comunicação e na linguagem, têm dificuldade sensoriais e perceptivas, como hiper ou hipo sensibilidade, dificuldade de compartilhar acontecimentos ou expressar sentimentos. 

Além dessas dificuldades, é comum no TEA comportamentos repetitivos e estereotipados, assim como interesses restritos que levam a prejuízos no desenvolvimento de habilidades sociais.

O que é dislexia

A dislexia é um subtipo de transtorno de aprendizagem, de origem neurobiológica, provavelmente causada por um déficit cerebral responsável pela capacidade de processamento grafo fonêmico.

Os primeiros sinais de dislexia surgem na primeira infância, mas geralmente só são detectados quando a criança inicia o processo de alfabetização. Os principais sintomas de dislexia estão ligados a atrasos no desenvolvimento da linguagem.

A criança com dificuldade em reconhecer as diferenças entre os sons das palavras, aprender novas palavras, fazer cópias do quadro, aprender habilidades de leitura e escrita, pode ter dislexia.

Dificuldades de memória, nas relações espaciais, como falta de coordenação motora, baixa autoestima, comportamentos desafiadores em casa e na escola e desmotivação para a aprendizagem também podem ser sinais de dislexia.

No entanto, é importante lembrar que somente um profissional especialista pode realizar o diagnóstico de dislexia. Os pais e professores devem estar atentos aos sinais e procurar ajuda de um médico ou psicólogo para realizar a avaliação diagnóstica de dislexia.

Diferenças entre dislexia e autismo

Vimos que o autismo gera restrições nas crianças ainda que com intensidades diferentes. O nível das dificuldades varia de acordo com o grau de autismo e com a presença de comorbidades, como a deficiência intelectual, por exemplo, muito comum no TEA.

Já na dislexia não é comum a presença de comorbidades, ainda que transtornos como o TDAH e outros transtornos de aprendizagem possam estar presentes. Além disso, há um risco de desenvolvimento de ansiedade e depressão nas pessoas disléxicas.

O diagnóstico de dislexia só pode ser realizado após excluir a presença de outros distúrbios e atrasos. Uma criança com autismo não pode ter dislexia, pois já apresenta déficits perceptivos, sensoriais, de função executiva e de percepção social.

A dislexia é um transtorno de aprendizagem, enquanto o autismo pode levar a transtornos de aprendizagem, mas não, a esse subtipo, a dislexia.

Além disso, a dislexia é um transtorno de aprendizagem verbal, ou seja, depende da construção simbólica gráfica. Já o autismo leva a um transtorno de aprendizagem não verbal, que leva a dificuldades nas áreas executiva, espacial e organizacional dos processos de leitura e escrita. 

Portanto, a criança com autismo pode ter dificuldades de aprendizagem devido a problemas relacionados a fatores executivos e sensoriais, enquanto na dislexia, essas dificuldades são causadas por problemas nas áreas fonológica e grafêmica.

É muito comum que as crianças com autismo apresentem algum transtorno de aprendizagem, mas devido às dificuldades causadas pela própria condição. Na dislexia, o que temos é um transtorno verbal da aprendizagem.

É muito importante saber diferenciar a dislexia e o autismo, pois a condução de uma criança com autismo na escola requer adaptação curricular, institucional, processos mais específicos para estimular as áreas responsáveis pela aprendizagem, enquanto o aluno disléxico depende apenas de alguns pontos e direcionamentos pedagógicos.

Embora pareça simples diferenciar essas duas condições, muitas pessoas ainda as confundem. É muito comum que pais e professores considerem que uma criança com dificuldade de aprendizagem tem dislexia. Isso não é verdade, essas dificuldades podem ser causadas por outros transtornos.

Muitas crianças que apresentam atrasos na aprendizagem de leitura e escrita, podem superar essas dificuldades com as intervenções adequadas e não necessariamente ela terá dislexia. 

Da mesma forma, é importante conhecer e detectar os sinais de autismo precocemente, para que também essa criança receba o tratamento precoce, o que favorece o seu desenvolvimento.

Se restou alguma dúvida sobre como diferenciar dislexia e autismo, deixe nos comentários.

Referências:

SCHIRMER, Carolina R., Denise R. Fontoura, Magda L. Nunes. Distúrbios da aquisição da linguagem e da aprendizagem.

ZANON, Regina Basso; BACKES, Bárbara  e  BOSA, Cleonice Alves. Diagnóstico do autismo: relação entre fatores contextuais, familiares e da criança. Psicol. teor. prat. [online]. 2017, vol.19, n.1 [citado  2021-05-11], pp. 152-163 .

Você também pode se interessar...

1 resposta em “Como diferenciar: Dislexia e Autismo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *