Voltar

Como estimular o desenvolvimento de uma criança com autismo?

Há muitas maneiras de estimular o desenvolvimento de uma criança com Transtorno do Espectro Autista (TEA). 

Muitos pais de crianças com autismo se perguntam o que podem fazer para ajudar seus filhos a superar seus desafios e se desenvolver. Ficam em dúvida sobre a melhor forma de estimulá-los e os melhores tratamentos.

Existem muitos tratamentos que ajudam as crianças com autismo a adquirir novas habilidades e superar os desafios que surgem em seu desenvolvimento. Entenda melhor, neste artigo.

O diagnóstico de autismo

A melhor coisa que você pode fazer é o tratamento precoce, buscando ajuda assim que perceber que seu filho pode ter autismo. Quanto mais cedo as crianças com TEA receberem ajuda, maior será a chance de sucesso no tratamento. A intervenção precoce é a maneira mais eficaz de estimular o desenvolvimento da criança com autismo.

O que fazer quando seu filho tem autismo

Aprenda sobre o TEA 

Quanto mais você souber sobre o transtorno, melhor poderá tomar decisões sobre as opções de tratamento.

Conheça seu filho

Descubra o que desencadeia os comportamentos desafiadores de seu filho e o que o deixa tranquilo. Se você entende o que o afeta, será mais fácil ajudá-lo a solucionar problemas e prevenir situações que causam dificuldades.

Não desista

É impossível prever o curso do TEA, por isso não tire conclusões precipitadas sobre como será o futuro do seu filho. Como todas as outras crianças, ele tem uma vida inteira para crescer e desenvolver suas habilidades.

Como estimular o desenvolvimento no autismo

Dê estrutura e segurança 

Aprenda tudo o que puder sobre o autismo e se envolva no tratamento do seu filho. 

Seja consistente

Crie consistência no ambiente de casa para reforçar o aprendizado das terapias. Dê continuidade para as técnicas em casa e seja consistente na maneira como você interage e lida com os comportamentos do seu filho.

Siga um cronograma

As crianças com TEA gostam de rotina estruturada. Estabeleça uma programação com horários regulares para as refeições, terapia, escola, lazer e sono. Tente reduzir ao mínimo as modificações nessa rotina e, quando houver uma mudança, converse com seu filho com antecedência.

Elogie seu filho

Elogie seu filho quando agir de forma adequada ou aprender uma nova habilidade, sendo específico sobre o comportamento pelo qual está sendo elogiado. 

Encontre maneiras não-verbais para se comunicar

Se comunicar com uma criança com TEA pode ser desafiador, mas existem formas de comunicação não verbais, como o olhar, o tom de voz, linguagem corporal e toque. Aprenda a entender os sinais de seu filho para se comunicar com você.

Arranje tempo para se divertir

Programe um horário para brincar com seu filho e descubra maneiras de se divertirem juntos. Brincar é uma parte essencial do desenvolvimento de toda criança e no autismo isso não é diferente.

Preste atenção às sensibilidades sensoriais 

Muitas crianças com TEA são hipersensíveis à luz, som, toque, paladar e olfato. Descubra quais imagens, sons, cheiros, movimentos e sensações táteis causam ansiedade em seu filho e o que provoca uma resposta positiva. 

Tratamento para o autismo

Com tantos tratamentos diferentes disponíveis, pode ser difícil descobrir qual abordagem é a melhor para seu filho. Lembre-se de que não existe um tratamento único que funcione para todos — cada criança é única.

No entanto, um bom tratamento estimula os interesses da criança, tem uma programação previsível, ensina as tarefas em etapas simples, oferece atividades estruturadas, fornece reforço regular de comportamento e envolve os pais.

O tratamento do autismo deve ser elaborado de acordo com as necessidades individuais de cada criança, por isso o papel dos pais é fundamental. 

Tipos de tratamento no autismo

Quando se trata de tratamento no autismo, há uma variedade de terapias e abordagens. Algumas se concentram na redução de comportamentos repetitivos e restritos e na construção de habilidades sociais e de comunicação, enquanto outras lidam com as dificuldades de integração sensorial, habilidades motoras, questões emocionais e sensibilidades alimentares.

Com tantas opções, é importante fazer uma pesquisa, conversar com especialistas e fazer perguntas. Você não precisa escolher apenas um tipo de terapia, pois o objetivo do tratamento no autismo é tratar a variedade de sintomas e necessidades de cada criança. Isso requer uma abordagem de tratamento que incorpore vários tipos de terapia.

Os tratamentos comuns no autismo incluem terapia comportamental, fonoaudiologia, fisioterapia e terapia ocupacional. 

Cuide de você!

Cuidar de uma criança com TEA exige tempo e energia. Pode haver dias em que você se sinta estressado ou desanimado. Ser pai não é fácil, e criar um filho com necessidades especiais é ainda mais desafiador. Por isso, é essencial que você cuide de si mesmo.

Não tente fazer tudo sozinho. Existem muitos lugares onde as famílias de crianças com TEA podem obter suporte, como grupos de apoio, onde é possível conhecer outras famílias que lidam com os mesmos desafios que você. 

Além disso, todos os pais precisam de uma pausa de vez em quando. Busque apoio de familiares ou cuidadores que possam te ajudar a encontrar pausas para cuidar de você. A terapia também ajuda muito em casos de estresse, ansiedade ou depressão, por ser um lugar seguro onde você pode falar sobre tudo o que está sentindo. 

Se gostou de saber um pouco mais sobre como estimular o desenvolvimento no autismo, compartilhe esse artigo em suas redes e ajude outras famílias!

Referências:

GADIA, Carlos A.; TUCHMAN, Roberto  and  ROTTA, Newra T.. Autismo e doenças invasivas de desenvolvimento. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2004, vol.80, n.2, suppl. [cited  2021-04-20], pp.83-94.

BOSA, Cleonice Alves. Autismo: intervenções psicoeducacionais. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2006, vol.28, suppl.1 [cited  2021-04-20], pp.s47-s53.07.

Você também pode se interessar...

2 respostas em “Como estimular o desenvolvimento de uma criança com autismo?”

Muito esclarecedor tudo o que foi abordado. Tenho um estudante com autismo, esse artigo esclareceu algumas dívidas. Terei agora, um novo olhar sobre o autismo.
Gratidão!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *