Voltar

Como trabalhar a consciência fonológica na educação infantil?

Muito se fala sobre consciência fonológica para a alfabetização, mas como aplicar ela na educação infantil? Nesse texto vamos te ensinar.

É importante entender que atividades lúdicas e estímulo à linguagem oral estão entre as alternativas para educadores trabalharem junto aos pequenos a consciência fonológica.

Mas o que é consciência fonológica?

A consciência fonológica pode ser entendida como um conjunto de habilidades que vão desde a simples percepção global do tamanho da palavra e de semelhanças fonológicas entre as palavras até a segmentação e manipulação de sílabas e fonemas.

Em outras palavras, a consciência fonológica é a habilidade que todos nós temos para lidar com a estrutura sonora da fala e trabalhar seus componentes estruturais (Lopes, 2004). 

Durante a alfabetização, quando as crianças já foram iniciadas aos processos de conhecimento dos sons das letras, sílabas e palavras, o aprendizado ocorre de maneira mais fluida e rápida. (Capovilla & Capovilla,  2000).

Com este argumento, torna-se explícita a necessidade da criança em adquirir um nível de Consciência Fonológica anteriormente ao processo formal de alfabetização.

Mas como introduzir tais conceitos para crianças tão pequenas? 

Acertou quem respondeu por meio da ludicidade! Durante os primeiros anos de vida, as crianças desenvolvem as primeiras ferramentas de habilidade fonológica de maneira orgânica, ouvindo as pessoas à sua volta, músicas, sons do ambiente. No entanto, conseguimos identificar claramente palavras e sílabas, mas não decompor intencionalmente até o nível do fonema, ou seja, cada letra com seu respectivo som. 

APRENDER BRINCANDO

Na Educação Infantil, a Consciência Fonológica deve acontecer de forma intencional, por meio de jogos e estímulo à linguagem oral. Os jogos de linguagem, por exemplo, são atividades que apresentam a forma e a estrutura das palavras para as crianças. O educador pode propor atividades que envolvam as tarefas de identificar, comparar e manipular sons, como cantigas de roda, jogos de rima, recitando parlendas.

Por isso, como sugestão para iniciar a consciência fonêmica, proponha uma roda em que o educador e as crianças cantem músicas familiares batendo palmas a cada sílaba falada. Sendo assim, a síntese silábica pode ser trabalhada com uso de encenação, com fantoches, em que esses dizem palavras separando as sílabas, cabendo às crianças uní-las e dizer a palavra inteira. 

Também é desejoso que os pequenos sejam estimulados a falar e se expressar, mesmo que ainda de maneira incipiente, para desenvolver a linguagem oral – que irá anteceder a leitura e a escrita. Tal desenvolvimento dependerá dos estímulos recebidos tanto em ambiente escolar como em casa, cabendo aos pais também proporcionar à criança um ambiente “alfabetizador”. 

A leitura em voz alta é uma importante ferramenta para os professores e pais. Para ampliar o vocabulário dos pequenos, familiarizar os ouvintes às rimas e aliterações, vale a pena investir em diferentes tipos de texto e construções, como poesias e contos cumulativos, por exemplo.

Você encontra mais dicas de atividades clicando aqui.

UM PASSO DE CADA VEZ

Ou seja, a Consciência Fonológica pode ser trabalhada na Educação Infantil no dia a dia e se desenvolverá de acordo com a idade das crianças. relação entre sons e grafemas vai sendo construída nesse ambiente lúdico até chegar a hora da alfabetização formal, quando é esperado que o estudante já entenda como acontece essa relação e suas possibilidades de combinação. 

Por isso, de acordo com especialistas, é preciso que as crianças recebam instruções explícitas sobre a estrutura da escrita alfabética, para que ela se familiarize com a relação entre os sons da fala e a escrita, tornando explícito à criança estas correspondências. Além disso, tem sido apresentada aos princípios iniciais da nossa língua será determinante no processo de aquisição das habilidades de ler e escrever, tornando-se assim um indivíduo plenamente alfabetizado.

REFERÊNCIAS:

ADAMS, Marilyn Jager. Consciência fonológica em crianças pequenas. Porto Alegre. 2006. 

Capovilla A. G. S. & Capovilla, F. C. (2003) Alfabetizaçăo: Método fônico Săo Paulo, SP: Memnon.

Capovilla, A. G. S. & Capovilla, F. C. (2000). Efeitos do treino de consciência fonológica em crianças com baixo nível socioeconômico. Psicologia Reflexăo e Critica 13 (1), 7-24.

LOPES, Flavia. O desenvolvimento da consciência fonológica e sua importância para o processo de alfabetização. In: Psicologia Escolar e Educacional. Dez:2004. São Paulo, SP

Você também pode se interessar...

3 respostas em “Como trabalhar a consciência fonológica na educação infantil?”

Extremamente importante, assim com o enfoque ao desenvolvimento motor da criança, trabalhado nessa idade, nem sempre damos a devida atenção ao trabalho fonológico.
Achei muito importante a colocação de que deve-se utilizar a ludicidade, pois como sabemos o brincar é também direito da criança.

Olá Gabriel, tudo bem?

Brincar ajuda as crianças a entender o mundo e a descobrir como seus corpos funcionam. Obrigada pelo carinho! Continue sempre acompanhando!

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Ola,
Entender o processo fonológico, e aplicar em nossas salas de aula trarão benefícios na alfabetização, desenvolvendo a compreensão e a maturação das nossas crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *