Voltar

Crianças autistas: por que elas giram as coisas?

As crianças autistas têm diversos comportamentos específicos. Os traços do autismo foram descritos segundo o DSM-5 — Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais — como um transtorno do neurodesenvolvimento caracterizado por dificuldades de interação social, comunicação e comportamentos repetitivos e restritos.

O Transtorno do Espectro Autista, o TEA, apresenta essas três características que são fundamentais para o diagnóstico. Ainda que os sintomas mudem de acordo com cada caso, esses elementos são determinantes para realizar o diagnóstico de autismo.

E uma das características mais marcantes das crianças autistas é a presença de comportamentos restritivos e repetitivos em interesses e atividades. As crianças com autismo têm uma facilidade em se envolver com movimentos motores estereotipados e repetitivos, alguns exemplos são: agitar as mãos ou alinhar itens ou na fala, que é a ecolalia. 

Comportamentos repetitivos em crianças autistas

Crianças com autismo são muito ligadas a rotinas e, em grande parte das vezes, as seguem de forma rígida e repetitiva. Esses comportamentos podem ser verbais ou não verbais, repetindo as mesmas sequências faladas ou comportamentais. 

Interesses muito particulares em termos de intensidade ou foco de interesse ao qual passam muito tempo, também é uma característica do comportamento repetitivo. Por causa disso, pode ser difícil para eles mudar para outra atividade ou ter conversas que não giram em torno de seus tópicos de interesse.

Mas o que isso tem a ver com girar as coisas?

Girar é um comportamento repetitivo.

Quando paramos para pensar em desenvolvimento infantil, as crianças costumam olhar e gostar de objetos que são visualmente agradáveis para elas, principalmente as crianças com TEA. Entre esses objetos, estão os objetos que giram.

Esse comportamento está relacionado ao processamento visual da criança, como ver somente partes de um objeto, ao invés do “todo”, ou, também, pode significar que essa criança tenha dificuldade em expandir a brincadeira com brinquedos e se envolve facilmente em brincadeiras repetitivas.

As crianças autistas têm tendência a pensar continuamente sobre as coisas, ou seja, eles podem se fixar em coisas que consideram agradáveis ​​ou podem ficar “travados” ao tentar terminar uma tarefa ou até mesmo um jogo.

Devido às alterações no cérebro da criança, eles tendem a ser mais rígidos em seus pensamentos, por isso, é difícil ser flexível com uma série de interesses e maneiras de pensar sobre as coisas.

Alguns movimentos repetitivos, além de observar objetos girando e girá-los, que também podem estar ligados ao processamento visual da criança com autismo são: piscar rápido e repetidamente, apertar as mãos na frente dos olhos, olhar para luzes brilhantes, acender e apagar luzes, folhear rapidamente as páginas de um livro e alinhar os objetos.

É fundamental trabalhar o gerenciamento da ansiedade e intervir no plano sócio emocional da criança, pois muitas vezes, uma vez que identificam seus estados de ânimo e ansiedade e aprendem a regulá-los, todos esses comportamentos são rebaixados, como acontece conosco. 

É importante ressaltar que o diagnóstico das crianças autistas é clínico e deve ser feito por profissionais especializados por meio da observação da criança e conversa com pais e familiares.

Referência:

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION et al. DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora, 2014.
WHY do kids with autism do that?. The Autismo Blog, 2012. Disponível em: https://theautismblog.seattlechildrens.org/why-do-kids-with-autism-do-that/. Acesso em: 03 dez, 2021.

Você também pode se interessar...

2 respostas em “Crianças autistas: por que elas giram as coisas?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *