Voltar

Efeitos da pandemia no desenvolvimento infantil

As medidas adotadas para nos proteger na pandemia do COVID-19 podem ter efeitos sobre o desenvolvimento infantil. Entenda como as restrições sociais e os fechamentos de escolas contribuem para o estresse dos pais e das crianças.

Estudos ​​sugerem que as epidemias podem levar a altos níveis de estresse em pais e filhos, que começam com preocupações de serem infectados. Além disso, existem os impactos mentais e emocionais como ansiedade, depressão, estresse agudo e pós-traumático, em crianças e adultos. 

Esses dados estão relacionados a experiências adversas na infância e elevado risco de estresse nas pandemias. Essas experiências aumentam o risco de atrasos no desenvolvimento infantil e de problemas de saúde na idade adulta, como deficiência cognitiva, abuso de substâncias, depressão e outras doenças.

Saiba mais sobre os efeitos da pandemia no desenvolvimento infantil, neste artigo.

Pandemia e desenvolvimento infantil

Existem poucos dados sobre o impacto das epidemias no desenvolvimento infantil. No entanto, além dos cuidados gerais e das estratégias adotadas para minimizar o contágio é essencial preservar o bem-estar das crianças durante períodos como este. 

A ciência mostrou que as predisposições genéticas podem ser modificadas por influências ambientais — como as experimentadas em uma pandemia — que afetam a capacidade de aprendizagem, de desenvolver comportamentos adaptativos, a saúde física, mental e a produtividade.

Vários fatores influenciam a saúde física e mental de crianças e adolescentes que vivenciam o estresse inerente a uma pandemia, como o isolamento social, o desligamento da escola e das atividades físicas, mudanças na rotina, dificuldades para dormir, exposição à desarmonia em casa, uso excessivo da tela, dieta pouco saudável, entre outros.

Dependendo do suporte que crianças e adolescentes recebem, o estresse alto e contínuo pode ser tolerável ou tornar-se tóxico. Na pandemia, eventos traumáticos e estressantes podem acontecer, como abuso, negligência, violência doméstica, dependência de substância e falta de saúde mental.

Epidemias como COVID-19 produzem riscos potenciais para o desenvolvimento infantil devido ao risco de doença, confinamento, isolamento social e aumento do nível de estresse dos pais e cuidadores. 

Essa situação se torna uma experiência adversa na infância e pode gerar estresse tóxico, com consequentes prejuízos potenciais para o desenvolvimento do cérebro, da saúde individual e coletiva, comprometimento de longo prazo da cognição, saúde mental e física, assim como a capacidade de trabalho dos futuros adultos.

Efeitos da pandemia

A pandemia de COVID-19 produziu impactos na saúde geral e no desenvolvimento infantil por meio da exposição ao vírus e a consequente infecção, bem como através do confinamento social na tentativa de retardar o progresso do vírus. 

A pandemia exige dos pais e cuidadores uma alta capacidade de resiliência para garantir medidas de proteção à saúde. Um dos pilares para a superação das adversidades é a interação entre as pessoas, que é comprometida pelo isolamento social, levando ao aumento do estresse dos pais e dos filhos. 

Estudos mostram as consequências psicológicas da pandemia de COVID-19 e avaliam o impacto psicológico do surto como moderado a grave, com sintomas depressivos, de ansiedade e níveis moderados a graves de estresse. 

A maioria dos entrevistados nessas pesquisas afirmou se preocupar com a possibilidade de familiares contraírem o COVID-19. Os pais de família apresentaram níveis mais elevados de estresse, ansiedade e depressão quando comparado ao grupo de pessoas sem filhos.

Sintomas de depressão e ansiedade foram detectados em outro estudo entre estudantes na China. Um total de 22,6% dos alunos relataram sintomas depressivos, enquanto 18,9% relataram sintomas de ansiedade. O estudo concluiu que doenças infecciosas graves, como a COVID-19, podem causar problemas de saúde mental em crianças.

Em outro estudo sobre o impacto psicológico da quarentena devido ao COVID-19, a maioria dos entrevistados relatou ansiedade, estresse e depressão. As pesquisas revelaram que mais de 20% relataram medo e 18% nervosismo e tristeza. 

Quanto mais longa for a quarentena, maiores serão os níveis de estresse pós-traumático. O medo de infecção, a falta de suprimentos básicos e informações pouco claras foram associados à frustração e raiva. A perda financeira foi considerada um fator de risco para transtornos psicológicos. 

Outro estudo comparou os sintomas de estresse pós-traumático em pais e crianças em quarentena com aqueles que não foram colocados em quarentena, revelando escores médios de estresse pós-traumático mais altos em crianças que estavam em quarentena do que aquelas que não estavam. 

Por outro lado, um estudo descobriu que, embora muito poucos participantes estivessem preocupados em se infectar ou transmitir o vírus, aqueles que estavam preocupados eram, em sua maioria, mulheres grávidas ou com filhos pequenos. 

Nesse cenário, torna-se urgente realizar atividades para minimizar as consequências do isolamento, além de fornecer à população o máximo de informações, suprimentos adequados, reduzir o estresse e dar suporte para os profissionais de saúde.

Veja algumas atividades para fazer em casa e minimizar os efeitos da pandemia no desenvolvimento infantil:

  • leitura e contação de histórias;
  • desenhar;
  • montar quebra-cabeças;
  • jogos brincadeiras que podem ser feitas em qualquer local, como batata quente, passa anel ou mímica;
  • ajudar nas tarefas de casa quando possível;
  • auxiliar no preparo de alimentos (de acordo com a faixa etária).

Se você tem mais dicas de atividades para fazer em casa na pandemia, deixe nos comentários e contribua com a discussão!

Referências:

LINHARES, Maria Beatriz Martins  and  ENUMO, Sônia Regina Fiorim. Reflexões baseadas na Psicologia sobre efeitos da pandemia COVID-19 no desenvolvimento infantil. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2020, vol.37 [cited  2020-12-26], e200089.

https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wp-content/uploads/2020/07/Working-Paper-Repercussoes-da-pandemia-no-desenvolvimento-infantil.pdf

Você também pode se interessar...

7 respostas em “Efeitos da pandemia no desenvolvimento infantil”

A psicoterapia tanto presencial como online , proporciona um momento onde a criança pode manifestar seus medos e ansiedades em relação à pandemia. Além ,também, de ser um momento lúdico com a ajuda dos mais diversos jogos .Como dica ,sugiro o brinquedo das 5 Marias é fácil de confeccionar e possível de ser jogado em qualquer situação.

Brincar de casinha com cadeiras cobertas com lençóis, passar por baixo das cadeiras, tentar andar em um pé só, caminhar com ovo cozido e depois come-lo, fazer animais com frutas e verduras e depois tentar fazer com que elas comam, etc.

Muito bom. Parabéns! É um apoio,nesse momento que estamos vivendo. Para descontrair além de contar historinhas fazemos uso de jogos. Dominó e dado .

A pandemia causou grande impacto no cotidiano das nossas crianças e o brincar é uma atividade importante no desenvolvimento das mesmas por isso sugiro a brincadeira do faz de conta que é uma atividade divertida e a crianças faz brincando o que ela ainda não pode fazer de verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *