Voltar

Estratégias escolares para ensinar alunos com autismo

Ensinar alunos com autismo requer estratégias escolares específicas. Entenda melhor, neste artigo.

Embora não exista uma única metodologia que funcione para todas as crianças, algumas estratégias escolares podem ajudar os alunos com autismo em sala de aula. Com  habilidades sociais, de comunicação e necessidades únicas de aprendizagem, necessitam de estratégias que considerem cada uma dessas áreas. 

Em primeiro lugar, é preciso lembrar que cada aluno é único, por isso conhecer bem o seu aluno com autismo é o primeiro passo. Conhecer as características do transtorno e de cada criança ajuda a elaborar estratégias que serão eficazes para a sua aprendizagem.

Neste artigo, vamos dar dicas de estratégias escolares para ensinar alunos com autismo. Acompanhe.

Estratégias escolares para alunos com autismo

Conheça o seu aluno

Os professores podem saber mais sobre um aluno com autismo conversando com ele e com a sua família. Podem ter reuniões frequentes com os pais, assim como observar seu aluno e pedir orientações para profissionais que o atendam.

Use os interesses do aluno

Sempre que possível, inclua os interesses, pontos fortes e habilidades do aluno com autismo nas atividades e tarefas em sala de aula.

Use uma linguagem clara e objetiva

Em sala de aula, use uma linguagem clara e objetiva ao se comunicar com seus alunos. Sempre que possível, utilize suportes visuais para facilitar a compreensão dos alunos com autismo, os quais têm dificuldade em interpretar a linguagem abstrata ou metafórica. 

A linguagem literal e direta é mais facilmente compreendida por eles, por isso é melhor evitar o uso de expressões e frases que tenham sentido figurado. 

Dê escolhas

Para muitos alunos com autismo, a escolha pode se tornar muito difícil quando precisam considerar uma ampla gama de opções. Da mesma forma, as escolhas que possuem nuances podem ser um grande desafio. Por isso, é importante que as escolhas apresentadas aos alunos sejam claras e limitadas em seu escopo. 

A escolha pode ser incorporada em qualquer parte do dia escolar. Os alunos podem escolher quais avaliações realizar, qual função assumir em um grupo e como receber assistência e suporte pessoal. 

Ajude o aluno com autismo a se organizar

Enquanto alguns alunos com autismo são super organizados, outros precisam de apoio para encontrar materiais, manter a mesa arrumada e lembrar de levar as tarefas para casa no final do dia. Considere a implementação de estratégias de suporte que ajudem todos os alunos a se organizarem. 

Planeje as transições

Alguns alunos com autismo se sentem desconfortáveis ​​ao mudar de um ambiente para outro, enquanto outros têm dificuldades para passar de uma atividade para outra. As mudanças podem ser extremamente difíceis e causar estresse e desorientação. Os professores podem minimizar esse desconforto, planejando os momentos de transição, seja de ambiente ou de atividade.

Crie uma sala de aula confortável

Às vezes, os alunos se sentem desconfortáveis​, inseguros ou até com medo em seu ambiente educacional. Fornecer um ambiente de aprendizagem adequado pode ser tão importante para ensinar o aluno com autismo, quanto qualquer estratégia de ensino ou ferramenta educacional. 

Os alunos com autismo estarão mais preparados para aprender em locais onde possam relaxar e se sentir seguros. Para criar um ambiente confortável na sala de aula, o professor pode oferecer opções de assentos (pufes, cadeiras de balanço); reduzir a luz direta quando possível e minimizar ruídos perturbadores.

Faça uma pausa entre as atividades

Alguns alunos trabalham melhor quando podem fazer uma pausa entre as tarefas. Nesses momentos, algumas crianças com autismo podem precisar dar uma caminhada breve ou simplesmente relaxar por uns minutos. 

O mais importante é conhecer o seu aluno para entender o que o deixa relaxado e, então, buscar inserir oportunidades de descanso ao longo do dia.

Análise do Comportamento Aplicada (ABA)

ABA é uma abordagem sistemática que avalia o comportamento de um aluno e aplica intervenções para tentar alterá-lo. Desde a compreensão da função de um comportamento até o controle do ambiente do aluno, a ABA demonstrou ter sucesso em modificar o comportamento dos alunos. 

Os elementos da Análise de Comportamento Aplicada incluem:

  • Intervenção elaborada por um analista de comportamento treinado.
  • Desenvolvimento de metas de tratamento que enfatizam a obtenção de maior independência para o aluno agora e no futuro.
  • Treinamento para pais e responsáveis ​​para que a ABA possa ser continuada em casa.
  • Reforço positivo para comportamentos desejados.
  • Ausência de reforço para comportamentos que impedem a aprendizagem ou que sejam prejudiciais.

Todas essas estratégias escolares são eficazes para ensinar alunos com autismo. Lembrando que cada uma delas deve ser pensada considerando as características únicas de cada aluno.

Compartilhe conosco as estratégias que você usa em sala de aula! Deixe nos comentários.

Referências:

CAMARGO, SÍGLIA PIMENTEL HÖHER et al. DESAFIOS NO PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM AUTISMO NO CONTEXTO INCLUSIVO: DIRETRIZES PARA FORMAÇÃO CONTINUADA NA PERSPECTIVA DOS PROFESSORES. Educ. rev. [online]. 2020, vol.36 [cited  2020-11-12], e214220.

PELIN, Leonice. ESTRATÉGIAS PARA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM – TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/4458/1/MD_EDUMTE_2014_2_96.pdf

Você também pode se interessar...

1 resposta em “Estratégias escolares para ensinar alunos com autismo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *