Voltar

Estratégias pedagógicas para crianças com autismo

Ensinar as crianças com autismo requer planejamento e estratégias pedagógicas específicas. Saiba mais, neste artigo.

As crianças com autismo aprendem de forma diferenciada e necessitam de intervenções específicas e mediação para o aprendizado. Para que a atividade pedagógica leve ao desenvolvimento escolar da criança com TEA, o professor precisa usar diferentes recursos.

Muitas vezes, pode ser um desafio o processo de aprendizagem de todos os alunos, com suas diferentes necessidades. No entanto, não existe um método único que funcione para todas as crianças, mas sim aquele que corresponde às suas demandas e considera os seus  interesses e habilidades.

As crianças com autismo apresentam formas específicas de se comunicar, podem ter dificuldade em reconhecer suas emoções e em interagir com os colegas e professores. Por outro lado, podem ter interesses e habilidades que  devem ser exploradas na aprendizagem.

Conheça algumas estratégias pedagógicas para crianças com autismo.

Programa educacional para crianças com autismo

O programa educacional para a criança com autismo deve considerar suas necessidades para entender quais as melhores estratégias para ela. O Plano de Educação Individualizado (PEI) pode ser construído para ajudar o professor a planejar as atividades e avaliar o desenvolvimento do aluno.

A criança com autismo precisa de adaptações curriculares e o PEI  orienta o trabalho dos professores, abordando as áreas do desenvolvimento e os objetivos de aprendizagem. Dessa forma, fica mais fácil realizar as modificações necessárias das atividades pedagógicas, assim como dos materiais necessários.

Estratégias pedagógicas para crianças com autismo

Estabeleça uma rotina

As crianças com autismo precisam de rotina, ainda que ela favoreça todos os alunos. Dessa forma, toda a classe se beneficia com uma rotina bem estruturada. Estabeleça rituais de entrada e saída em sala de aula e para as transições de atividades, comunicando verbal e gestualmente os comandos para que todos compreendam.

Aposte na previsibilidade

A previsibilidade diminui a ansiedade das crianças com autismo. Antecipe toda mudança de rotina ou transição, usando estímulos visuais que indicam a próxima atividade. Da mesma forma, antecipe as atividades com as alunos, para que possam se familiarizar com o tema.

Seja o mais claro possível nos comandos de transições de atividades, sugerindo o que as crianças devem fazer em seguida.

Use apoio visual

Usar apoio visual para os comandos e instruções ajuda a criança com autismo a compreender as informações. Em sala de aula, você pode usar recursos como fotografias, desenhos, letras para se comunicar com o seu aluno com TEA.

Esses recursos ajudam a marcar a conclusão de atividades e a clarear o que se espera da criança na próxima atividade.

Modifique o ambiente

O professor precisa inserir no ambiente de sala de aula os materiais necessários, como recursos visuais e suportes individualizados. O ambiente deve ser propício à aprendizagem, mas também ser de fácil locomoção e entendimento para todas as crianças, principalmente as com autismo.

Conheça os interesses das crianças com autismo

Conhecer os interesses de seus alunos é uma das mais importantes habilidades de um professor. A criança com autismo, geralmente, apresentam interesses específicos e intensos e isso pode ajudar no processo de ensino aprendizagem.

Atente-se também para as possíveis aversões que a criança com autismo possa ter, como a barulhos, toques e texturas específicas, para que possa traçar estratégias para evitá-las.

Trate a criança com autismo como uma criança 

Embora as crianças com autismo necessitam algumas adaptações no currículo e nas estratégias de ensino para seu aprendizado, elas são crianças, como qualquer outra. Dessa forma, o professor deve incluí-la na turma, como o faz com qualquer outro aluno.

O mais importante no desenvolvimento das crianças são as pequenas conquistas. Cada uma delas deve ser valorizada e compartilhada com a criança e com os pais. Não subestime uma criança com autismo nem tenha medo do desafio de ensiná-la. 

Aprenda com ela e busque as melhores estratégias pedagógicas para tornar o processo de ensino aprendizagem eficaz e agradável para todos em sala de aula.

Acompanhante Terapêutico 

Em alguns casos de autismo mais grave, um acompanhante terapêutico em sala de aula pode ser muito benéfico. Se trata de um profissional especializado que será um facilitador e mediador do processo de aprendizagem. A necessidade ou não desse acompanhamento deve ser avaliada pela escola, família e professor em conjunto.

Para encontrar as melhores estratégias pedagógicas para crianças com autismo, é necessário buscar instrumentos, ferramentas e metodologias comprovadamente eficazes.

Se restou alguma dúvida sobre atividades pedagógicas para crianças com TEA, deixe nos comentários.

Referências:

PELIN, Leonice.ESTRATÉGIAS PARA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM – TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/4458/1/MD_EDUMTE_2014_2_96.pdf

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *