Voltar

Intervenção psicopedagógica em casos de Autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um distúrbio do neurodesenvolvimento que causa prejuízos na socialização, na comunicação verbal e não verbal, comportamentos repetitivos, dentre outras características.

As intervenções psicopedagógicas avaliam esses comprometimentos e contribuem para o desenvolvimento das crianças com autismo. As abordagens psicopedagógicas são as intervenções mais promissoras e cientificamente comprovadas para melhorar a comunicação, a interação social e os comportamentos restritos.

A intervenção psicopedagógica aborda os principais comprometimentos do autismo, tem diversas bases filosóficas e é uma estratégia que trata e melhora os déficits presentes em crianças com autismo. Saiba mais neste artigo.

Autismo

O Transtorno do Espectro Autista é um distúrbio do desenvolvimento neurológico, com etiologia multifatorial que pode causar prejuízos significativos. Suas principais características são as dificuldades na socialização, na comunicação verbal e não verbal e comportamentos, interesses ou atividades restritivos e repetitivos.

As dificuldades na comunicação e na interação social se manifestam pela falta de reciprocidade sócio emocional, de uma comunicação não verbal, desenvolvida. Os pais logo percebem esses déficits nos seus filhos, pois percebem lacunas no desenvolvimento por volta dos dois anos, ou antes. No entanto, existe uma grande variação do grau de comprometimento no autismo, de leve a grave.

Quando se fala em tratamento para o autismo, é importante compreender que cada criança é única e precisa ser avaliada para entender suas necessidades e as melhores estratégias. O tratamento multidisciplinar, com fonoaudiólogos, psicólogos, médicos e psicopedagogos é fundamental. 

A intervenção psicopedagógica em casos de autismo é extremamente necessária, pois as maiores dificuldades das crianças se manifestam no processo de ensino-aprendizagem.

Autismo nas escolas

Quanto antes for feito o diagnóstico de autismo, melhor. Isso porque as intervenções podem também ser aplicadas precocemente — o que contribui muito para o desenvolvimento da criança.

É importante que pais e professores estejam atentos aos sinais, tanto em relação aos atrasos na fala quanto aos aspectos sociais do comportamento da criança. Escolher as melhores intervenções depende do conhecimento das habilidades e das dificuldades da criança.

Para os professores, é um desafio trabalhar com as crianças com autismo, pois precisam adequar suas estratégias de ensino. Muitos se sentem despreparados para alfabetizar esses alunos e precisam de apoio da escola e também de profissionais especializados.

A intervenção psicopedagógica em casos de autismo é fundamental, pois ajuda a criança a desenvolver pontos específicos e habilidades essenciais para a sua aprendizagem. Com um olhar para cada sujeito, o psicopedagogo consegue identificar as características da criança, suas necessidades e traçar estratégias para o seu desenvolvimento pessoal e escolar.

A intervenção psicopedagógica no autismo

A intervenção psicopedagógica é uma terapia que promove o desenvolvimento das crianças visando a sua autonomia. A psicopedagogia investiga a relação da criança com a aprendizagem considerando aspectos psicológicos, pedagógicos, cognitivos e afetivos.

A intervenção psicopedagógica se baseia na observação da criança, para que o profissional tenha conhecimentos suficientes sobre ela para oferecer uma intervenção eficaz, trabalhando os aspectos comportamentais e cognitivos.

O psicopedagogo trabalha habilidades de interação social, comunicação, dentre outras, para incentivar o desenvolvimento cognitivo. A intervenção psicopedagógica no autismo contribui com a compreensão e assimilação de comportamentos que possibilitam à criança aprender e se relacionar.

Desafios da intervenção psicopedagógica no autismo

A psicopedagogia entende a aprendizagem como um processo de construção. Nesse percurso, surgem desafios para os profissionais, na busca de uma interação profunda com a criança com autismo.

Os psicopedagogos trabalham com um enfoque específico e suas intervenções em casos de autismo são focadas nos aspectos que contribuem com a aprendizagem. Dessa forma, cada criança tem o seu jeito de aprender e é isso que o profissional de psicopedagogia tenta passar para os professores.

Podemos dizer que o maior desafio é criar um trabalho realmente multidisciplinar, para que a criança seja vista em suas potencialidades e possa ser considerada em sua totalidade. Não existe um método que seja adequado para todas as crianças com autismo, cada criança é única e conhecer as habilidades e dificuldades de cada uma delas é o que vai permitir traçar um planejamento pedagógico eficaz.

Benefícios da intervenção psicopedagógica no autismo

Já deu para perceber que a presença desse profissional e suas intervenções são fundamentais para o processo de aprendizagem das crianças com autismo. A intervenção psicopedagógica é essencial dentro da escola, além do apoio de uma equipe multidisciplinar para complementar o tratamento da criança com TEA.

O psicopedagogo é o profissional que vai ajudar o professor a elaborar um planejamento pedagógico específico para a criança com autismo. Através dessas atividades o aluno irá construir o seu conhecimento e ser inserido em sua turma, possibilitando a criação de um vínculo com o ambiente escolar e com os colegas.

As escolas precisam entender a necessidade desse profissional para acompanhar o trabalho dos professores com as crianças com autismo. Da mesma forma, a família precisa estar unida aos outros profissionais para que juntos, contribuam para o pleno desenvolvimento da criança.

Referências:

https://monografias.brasilescola.uol.com.br/educacao/o-autismo-intervencao-psicopedagogica-na-escola.htm
https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/123456789/1937

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *