Voltar

O Autismo e a Seletividade Alimentar

É muito comum que crianças com autismo apresentem seletividade alimentar. Isso pode incluir a recusa por certos tipos de alimentos, um repertório restrito ou até mesmo uma preferência exclusiva por apenas um tipo de alimento.

Por mais que essa característica não seja exclusiva de autistas, a seletividade alimentar pode atingir as crianças com autismo com muito mais intensidade do que atinge crianças típicas.

Sabemos da importância de uma alimentação rica em nutrientes e vitaminas para o desenvolvimento saudável da criança, por isso, a seletividade alimentar pode ser um problema de longo prazo se for ignorada. Continue lendo para saber mais!

Processamento Sensorial no Autismo

Um dos sintomas do Transtorno do Espectro Autista são distúrbios sensoriais de toque, paladar, olfato, visão e audição. 

Isso acontece porque o processamento sensorial dessas crianças não ocorre de forma típica, ou seja, o indivíduo com problemas de modulação sensorial pode ser muito mais ou muito menos sensível aos estímulos sensoriais do ambiente ao seu redor.

O que é Seletividade Alimentar?

Caracteriza-se pela recusa em experimentar novos alimentos, possuir um pequeno repertório de alimentos aceitos, não realizar as refeições em horários e locais diferentes e até mesmo apresentar resistência à apresentação de pratos e talheres novos.

O Autismo e a Seletividade Alimentar

Problemas de processamento sensorial são comuns em indivíduos com autismo. Por isso, devido ao transtorno, os indivíduos autistas são impactados negativamente em suas rotinas diárias.

Uma das partes principais da rotina diária de um indivíduo é comer naturalmente.

Isso porque, em crianças com autismo, a alimentação pode ser uma das áreas prejudicadas. Estudos mostraram correlação significativa entre transtornos do processamento sensorial e problemas alimentares para essas crianças.

Como a hipersensibilidade ou hipossensibilidade a estímulos, como texturas, cheiros, temperaturas ou cores têm grande impacto na decisão de uma criança de comer ou não, pode ocorrer seletividade ou até mesmo a aversão alimentar.

Crianças com autismo são realmente seletivas e rigorosas com o que comem e este comportamento cria grandes problemas na dieta da criança.

Causas para Seletividade Alimentar no Autismo

Os comportamentos na hora das refeições que causam problemas para crianças autistas e suas famílias podem incluir:

  • Problemas sensoriais com alimentos: Crianças com TEA geralmente expressam uma forte preferência por alimentos macios ou cremosos, como iogurte, sopa ou sorvete; outros precisam do estímulo de alimentos crocantes como salgadinhos ou cenouras. Em ambos os casos, isso pode colocar limitações significativas nos diferentes alimentos que as crianças estão dispostas a comer.
  • Musculatura motora oral subdesenvolvida: Crianças com seletividade alimentar severa comem quase exclusivamente alimentos macios à medida que se desenvolvem. Com isso, podem não desenvolver a musculatura necessária para mastigar alimentos mais rígidos como bife ou hambúrguer. 
  • Tempo e comportamento à mesa: Muitos pais experimentam a frustração de tentar fazer com que seus filhos se sentem à mesa por tempo suficiente para terminar uma refeição. Mas aqui é necessário entender que o ato de comer pode não ser confortável à criança.

Qual é o tratamento para a Seletividade Alimentar?

Além do autismo, podem existir outras condições médicas que afetem os hábitos alimentares de uma criança e, como consequência, seus hábitos alimentares também afetam sua saúde de uma maneira geral. 

É importante avaliar e abordar os problemas de alimentação que podem estar relacionados a outras razões médicas primeiro. Depois disso, deve-se garantir que as outras necessidades de saúde da criança sejam reconhecidas e gerenciadas. 

As preocupações médicas comuns incluem refluxos, alergias ou intolerâncias alimentares. 

Então, problemas médicos pré-existentes necessitam de tratamento antes.

Uma vez que qualquer tratamento médico esteja em andamento, você pode começar a lidar com a seletividade alimentar da criança do ponto de vista comportamental.

Ocasionalmente, os problemas comportamentais são tão graves que a intervenção médica também se faz necessária, por isso, fique atento aos primeiros sinais.

Portanto, podemos concluir reforçando a necessidade de um olhar atento à alimentação da criança, pois a seletividade alimentar aliada a outros sintomas pode ser um indicativo muito importante da presença do Transtorno do Espectro Autista.

Então, neste caso, sabemos que o diagnóstico precoce é a melhor ferramenta para atenuação dos sintomas e garantir qualidade de vida à criança e sua família.

Quer saber mais sobre o assunto? Então dê o play no vídeo aqui embaixo com a Luciana e o Dr. Clay Brites sobre os problemas alimentares no autismo!

Referências: Garey, J., n.d. Autism and Picky Eating. [online] Child Mind Institute. Disponível em: <https://childmind.org/article/autism-and-picky-eating/> [Acesso em 17 agosto 2021].

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *