Voltar

O que tem a ver, alergias e intolerância alimentar com autismo?

Todo pai ou mãe de autista sabe como é difícil estabelecer uma dieta alimentar diária sem cair em uma rotina bastante rígida. Não são poucos os casos de crianças e até adultos que só se alimentam diante de uma situação curiosa: comidas com textura única, a mesma tonalidade; alimentos com a temperatura ambiente, que não sejam pegajosos; enfim, existe uma série de condições para que essas pessoas façam uma refeição tranquila. Entretanto, é notável os quadros de alergias e intolerâncias que as acometem com certa frequência.

A pergunta que fica diante da situação exposta é qual a relação existente entre o autismo e as ocorrências mencionadas acima? Vocês por acaso já perceberam isso de perto ou não? Os fatores são vários ou a origem parte de uma única fonte? A verdade é que a comunidade acadêmica ainda não chegou a um consenso sobre essas devidas condições que podem levar um autista a apresentar essas reações do organismo.

De qualquer forma, vale mostrar o que se sabe até aqui, mesmo que não se tenha uma resposta concreta, baseada na literatura médica, sobre a relação entre as alergias, intolerância alimentar e o autismo.

[thrive_lead_lock id=’2767′][/thrive_lead_lock]

O que estudos já indicaram?

– Segundo um relatório elaborado e divulgado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, em agosto deste ano, o TEA (Transtorno do Espectro Autista) é uma patogênese não conhecida em seu caráter completo. Considera-se que haja uma determinada combinação entre vários genes, além de fatores epigenéticos e ambientais que interferem em sua expressão.

– O documento revela ainda que possa existir uma suposta relevância do eixo microbiota-intestino-cérebro na fisiopatogenia das pessoas incluídas nas síndromes abrangidas pelo TEA.

– Outra informação presente no estudo indica que existe uma associação de até 91% de sintomas gastrintestinais, a saber: diarreia, constipação, dor abdominal e distensão gasosa.

– No bojo dos estudos, o relatório salienta que pode haver várias hipóteses para os casos de sintomas gastrintestinais relacionados ao autismo, como inflamação intestinal, aumento da permeabilidade intestinal, alergia alimentar e alterações na composição da microbiata intestinal.

– O estudo, porém, não se arriscou a estabelecer uma conclusão definitiva acerca de tal relação, deixando em aberto novas impressões sobre a relação existente.

E o dia a dia? Qual é a dinâmica?

É verdade que muitos pais e responsáveis afirmam que seus filhos autistas demonstram resistência a certos alimentos. Além disso, há casos de intolerância alimentar com itens diversos.

Para lidar com essa limitação imposta pelo autismo, a solução encontrada pelos adultos é procurar auxílio médico para prover uma alimentação rica em vitaminas e até mesmo aumentar o cardápio da criança ou do adulto autista.

É verdade que a melhora vem a partir de um auxílio precoce, sobretudo quando os casos são analisados desde a infância. Os fatores ligados à intolerância alimentar, alergia ou aversão podem ser relacionados à hipersensibilidade (muito comum em autistas) a determinadas texturas e gostos. Cada caso precisa ser analisado de perto por especialistas para um diagnóstico mais assertivo acerca do paciente.

 

Você também pode se interessar...

102 respostas em “O que tem a ver, alergias e intolerância alimentar com autismo?”

Olá Dr. , tenho um filho de 11anos e que, desde os 2/3 anos, apresentava um comportamento fora do comum pra idade. Era agressivo em algumas situações em que era contrariado, muito carinhoso em outras. Procurei apoio desde então, porém, até hoje, nenhum diagnóstico fechado. Uns dizem “traços autistas”, outro TDA. Ele toma Ritalina 10mg 2x ao dia e Risperidona 2mg à noite. Não vejo melhora significativa. Ele é um aluno bom, porém bem desligado nas cópias. Tem notas boas, porém não estuda. Tem nojo de certas comidas, seletivo no que come, se alimenta muito mal. Tudo que li acima, identifiquei meu filho assim. Preciso de uma luz, por favor. Se o Sr. leu, agradeço desde já sua atenção. Andreia.

Não duvido que seja muito dificil e complicado generalizar na medida que cada sujeito é único.
Mas como pensar uma resolução para a criança autista com 6 anos que em casa não come feijão, só arroz branco, bife “seco” e creme batido com legumes que não pode ser verde. Mas na escola como feijão desde que esteja separado do arroz e diz que não quer sujo.
Entra aí o quê? Consegue perceber alguma explicação ou causa?
Se for possível gostaria de uma resposta
Desde já grata
Leilá Lemos Collares

Oi Leila. Não sou nenhuma especialista em autismo, mas meu filho com 7 anos no espectro. Apresenta comportamentos diferentes em ambientes diversos. Em casa ele nao come frango cozido. Mas em outros lugares sim, pode ser que seja o cado do seu.

A explicação disso tem mais a ver com o traço de hiperseletiviade alimentar (comum no TEA), que tem mais a ver com ânsia por seguir um padrão, do que com intolerância ou alergia. É uma forma de estereotipia (comportamento repetitivo).

Essa criança tem TEA? Algumas crianças típicas tem hiperseletiviade alimentar também.

Oi. Sou mãe da Lais de 6 anos. É down e autista. É muito seletiva na alimentação e esses dias li sobre uma explicação para isso. A minha tbm come algumas coisas na escola que não come em casa. A explicação é que eles fazem a seleção de ambientes também. Comem determinada coisa em determinados lugares e até momentos. A idéia é também oferecer o mesmo alimento que quer introduzir em casa na mesma apresentação. Ter outra criança junto pode ser o gatilho da seleção. Consegui introduzir algum alimento que ela experimentou (isso mesmo! Experimentou! Na casa da minha irmã) e deu certo. Não é fácil, às vezes estressante, mas eu uso momentos diferentes e sempre acredito em oferecer. Geralmente recusa, mas trato na maior naturalidade qdo aceita. Por dentro tô gritando de alegria! Sentamos do lado comendo para se acostumar com a idéia. É devagar, geralmente frustrante, mas conseguir incluir uma coisa nova é tudo!
Tento ver o que prefere mais: que tipo de textura, temperatura. A minha não gosta de lanche gelado na escola, por ex, e só come se tiver feijão ou lentilha tapando o arroz. Carne separada, bife ou carne de panela e frango só frito. Nada de legumes e frutas. Um stress. Lanche um caos. Esses dias pegou pastel numa festa. Mas só de carne! Hahaha, já é um começo!

Estive recentemente em uma palestra que falava sobre esse tipo de atitude do autista, entende que na verdade o autista difere o ambiente da casa com ambiente da escola por exemplo lá ele come o feijão já em casa não consegui. O bom é que ele consegue comer agora a pergunta e o mais difícil fazer com que ele transfira o comportamento de comer o feijão que ele aprendeu ou adquiriu essa habilidade na escola e traga para a sua casa e em qqer ambiente. Espero ter ajudado de alguma forma boa sorte e sucesso.

Boa noite

tenho um lindo aluno autista,o Guilherme,está com tres anos,é muito bem cuidado e ratado pela família,sua ma~e é um exemplo de Ser humano Mãe e trocamos muitas experiências,ele tem todo acompanhamento de uma equipe multidisciplinar.
Guilherme,depois de muitas pesquisas e observaçoes pelos profissionais que cuidam dele,uma nutricionista descobriu um alimento que está fazendo o Guilherme comer:Farofa!! Começou com as farofas integrais, e hj Guilherme aceita a farofa comum.Gosta de feijão,do caroço,arroz.Come sozinho,toma suco,come a sobremes frutinha banana,maça.Tudo na medida dele,não é nada exagerado e estamos muito felizes,porque ele na creche não comia nada,as vezes a fruta.

Esperamos que a Ciencia avance cada vez mais na busca das descobertas para a melhoria da vida dos nossos autistas.

Olá, Maria!
Interessante essa observação da farofa, por que convivo com uma criança que durante os primeiros 3 anos só queria comer farofa, pipoca e biscoito. Fico me perguntando se essas texturas secas tem a ver com o assunto em pauta.

Que interessante coincidência. Neste mês recebemos um aluno novo, com 14 anos, que só aceita se alimentar sé colocarmos a farofa por cima da refeição! Farofa específica de fabricante único.

Legal da farofa. Lembrei que a minha deseis anos também gosta em cima do feijão e linguiça assada. Daí acrescentei farinha de aveia junto para enriquecer e nem notou.

Muito bom esse assunto, meu filho não come feijão em si mas o caudo se eu conseguir esconder no meio do arroz com uma carne assada , e tem que ser assada ele não come guisada , dai ele come . Mas quando sente o cheiro do feijão cosinhado ele já fala que fede , costmo falar que o que não passa no teste do nariz não entra na boca kkkk Ele também não come nenhuma fruta , toma vitamina de banana mas tem nojo dela , não come ela. Agora gostaria de saber se o fato de ele tomar um pouquinho por que é poquinho que coloco pra que não perceba do caudo do feijão isso quer dizer que ele é intolerante ao feijão por exemplo.

Sou avó de uma linda menina chamada de Pietra , tem três anos. Diagnosticada de Autismo infantil, faz acompanhamento na APAE uma vez por semana com uma terapeuta e fono, pois ainda não fala, mas está pronunciando algumas palavras. Toma medicação , neuleptil, oxcarbabetina e resperidona. Porque com tudo isso ela bate a cabeça quando recebe um “não”? Ela se alimenta praticamente tudo, não é seletiva.

Tenho um aluno autista. os pais ficaram sabendo de um médico do Rio que viria a BH fazer atendimentos a autistas, então levaram o menino para fazer a consulta, e segundo relatos da mãe o tratamento indicado foi todo a base de dieta alimentar.Porém a terapeuta que o acompanha, discorda totalmente do tratamento com a dieta inclusive no trabalho dela usa como estimulo ao aluno pirulitos ou algo do tipo. a mãe está completamente indecisa, não sabe o que segue.
Não sei se já ouviu falar do doutor Aderbal Sabra?
O que você acha? Quem estará mais perto do acerto? Dr. Sabra? A terapeuta?(Esta chegou a falar com a mãe ameaçando-a que se continuasse com o médico deixaria de atendê-lo.

Meu filho tem 13 anos, diagnóstico TEA, come de tudo: legumes, verduras, arroz, feijão (ama), macarrão(ama), carnes, farofa (ama)… Gosta muito de pão, porém sem manteiga, algo dentro só se for carne com alface, tomate e cebola. Frutas variadas. Percebo que o leite o faz espirrar muito, acentua a rinite. Dieta com ele é muito difícil. Sinto que alguns alimentos dão prisão de ventre, mas é difícil convencê-lo a não comer.

Boa noite, enfrento situações parecidas com minha aluna de 4 anos que não aceita comer. Há hora da refeição e sempre difícil. Ela não abre mão da mamadeira e só aceita por completo se a mesma tiver o gosto de banana. Descobrimos recentemente, que ela come melhor quando picamos bem pequenos os alimentos e oferecemos tudo separado. Quando está em um quadro de agitação oferecemos o alimento no cadeirão de frente para ela, só assim obtemos sucesso. Porém em casa a mãe não consegue nenhum avanço. Como podemos ajudar?

BOA NOITE!!! JÁ FALEI SOBRE UM ALUNO QUE TENHO COM AUTISMO. ULTIMAMENTE ANDO OBSERVANDO ALGUM MAU ESTAR NELE. ACREDITO QUE TEM A VER COM A ALIMENTAÇÃO MESMO. ÀS VEZES ELE CHEGA Á ESCOLA MUITO IRRITADO, CHORANDO, GRITANDO, ARROTANDO MUITO, UM CHEIRO SUPER DESAGRADÁVEL. JÁ CONVERSEI COM A MÃE A RESPEITO, PARA ELA OBSERVAR O QUE ELE ANDA INGERINDO. ELE ESTÁ COM 13 ANOS, NÃO FALA, A FORMA DE SE EXPRESSAR É GRITANDO, CHORANDO, AGREDINDO, ETC. FICA DIFÍCIL DECIFRAR,(ELE NÃO SABE DIZER O QUE SENTE, PELO FATO DE NÃO FALAR). FICO ANGUSTIADA. HÁ!! A MÃE JÁ O LEVOU A UM GASTRO, PORÉM NÃO ME FALOU O RESULTADO DA CONSULTA.

Meu filho está com diagnóstico de TDAH.
O autismo não foi confirmado ainda….
Moramos no Japão.
Ele sente muita dor no peito ,enjoo e dor cabeça,como se fosse explodir a cabeça e fica achando que está preso.
Muito preocupante.
Estamos indo a varios médicos .
Até agora tudo normal ós exames.
Não sabemos mais p onde correr
Obrigada por tudo Doutor.

Excelente! A cada vez que leio um artigo destes, mais tenho vontade e interesse de aprender mais e mais…

Vou contar uma experiência que aconteceu comigo quando criança, eu tinha menos que 5 anos e como todos já sabem crianças não gostam de comer…rs, mas como minha era muito rígida, queria que eu comesse! Ela colocava a comida bonitinha dentro do prato, só que tinha a mania de misturar, eu achava que a comida ficava menos saborosa, quando ela misturava arroz com feijão principalmente, eu dizia não quero! Mas por quê? Ela dizia e já brava queria uma resposta! Eu simplesmente não sabia explicar que não queria a comida misturada mas já sentindo ameaçada, rs vou ter que dizer algo…é que a comida está suja, gente sujo é misturado, simplesmente isso! Eu queria ter a comida separada no prato, arroz de um lado, feijão de outro, acho que é isso que a criança quer dizer.

Que bom que tem vocês para nos orientar um pouco,não ajuda muito mas serve para provar para as outras pessoas que a gente ”mãe”sabemos o que estamos dizendo.muito obrigado.

ola, sou professor de ed. especial de Ponte Serrada SC, sou pai solteiro tenho dois filhos um com nove e outo com sete, este ultimo e TEA, trabalho com esta especificidade, pesquiso muito sobre eles, me assusto com os indices de acometimento e fui professor de meu filho, desenvolvi tecnicas de alfbetizacao, e a intolerancia alimentar em meu ponto de vista esta ligado ao emocional do individuo e as tensoes nervosas que ele sente , obrigado pela oportunidade

Uma criança nasce autista e vai morrer autista, não tem cura.
A melhora do autismo vem de um todo: medicamento “responsável” (em alguns casos), alimentação sem (lixo, veneno) de preferência orgânica e balanceada, terapia, estudo e envolvimento dos pais (o mais difícil de acontecer) e o principal amor, carinho, respeito, aceitação incondicional.
Mais importante do que a terapia para o autista é a terapia para a família, o que não acontece.
A alimentação não faz mal somente para o autista, ela mata a família inteira.
Indústria alimentícia, proteína animal e indústria farmacêutica, é uma “máfia” em um mundo que não liga para os seres humanos.
Isso é um negocio lucrativo.
Eu acompanho seu canal há muito tempo, mas quando você Clay Brites fala em “comprovação”, você neste momento representa a indústria farmacêutica, lucro, dinheiro.
Quando você fala em “evidencias” você fala em pesquisas sem fins “lucrativos”, são pessoas que estão usando seu conhecimento, tempo, inteligência para melhora da qualidade de vida.
Meu filho é autista, “asperger”, TOD, opositor,…., agressivo.
Se for listar os medicamentos tentados, não cabe nos comentários.
Hoje meu filho toma ômega 3, Magnésio, Lítio, DMAE, melatonina, faz acupuntura e floral.
E não uso mais medicamento, está muito melhor sem medicamento, este também é a avaliação da psiquiatra, psicólogas, TO, Fono, escola e eu.
Quando você fala: “Cada caso precisa ser analisado de perto por especialistas para um diagnóstico mais assertivo acerca do paciente.” Acabou a conversa.
Onde está este “médico”?
Se eu chegasse em seu consultório dizendo que outro “médico” falou que você está errado e você Clay tem que seguir a linha de tratamento dele (outro médico), você seguiria?
Imagine pais chegando em consultórios e falando o que fazer para um psiquiatra porque assistiu seus vídeos!
Quando a Luciana expõe os temas, na grande maioria são aplicáveis, pais leigos entendem.
Nos pais de autista necessitamos de coisas praticas que você fale e nos podemos aplicar.
Porque você não lista as pesquisas com evidencias e fala dos tratamentos que os pacientes não podem usar remédios.
Atenciosamente, Jefferson.

Intolerância alimentar tem muito a ver com invencionices dos ouvi dizer.
Autista não tem problema alimentar, e esta se necessário for fazer alguma alteração tendo em vista observações, consulte o médico (pediatra ou gastroenterologista infantil). Não há caminho melhor.

Gostei muito de saber sobre i autismo eu gostaria de fazer um curso de autismo mais moro em Mercês Minas Gerais vocês não faz curso a distancia

Boa noite , minha filha tem síndrome down e eu acho q ela apresenta algumas características de autismo pois tem preferência por cor de alimentos , por sentar-se somente num lugar a mesa não gosta de muito abraço e toques enfim e já faz alguns meses esta com uma tosse q não consigo descobrir a causa. Alem de ser intolerante a lactose , não come doces de espécie alguma , estou muito preocupada , marquei um alergista pra ela pra ver se descobre o que está provocando essa tosse e espirrou . obrigada fica com Deus.

Olá, tenho dois filhos autistas. Rooney de sete anos e Ryan de quatro anos.Embora ambos sejam autistas e epiléticos cada um apresenta características diferentes na alimentação. Rooney é compulsivo. Dificilmente regeita algum alimento. Já Ryan tem seletividade alimentar rigorosa. Aos poucos estou abrindo seu leque de opções. Mas tive que retirar glutem e, ele próprio rejeitou todos os lacticínios após os três anos.
Realmente é preocupante sua situação nutricional. Mas vejo melhoras no humor e concentração.
Ahh! O risperidona ajudou muito. Tanto no comportamento quanto no apetite. O oposto do Rooney, que assim que iniciou o mesmo medicamento tive que correr para nutrição e endócrino devido ao ganho rápido de peso.

Tenho um autista de 16 anos, é muito seletivo em sua alimentação . Não consegue comer de jeito nenhum verduras . Come todo dia arroz com ovo. Come algumas frutas e pouca carne. Tem alergia alimentar com tudo que vai polvilho. Difícil a introdução de novos tipos de alimentos . Quando pequeno comia quase de tudo .

Olá meu filho é autista Asperge tem TDAH e TDO é seletivo pra comer não come nada pastoso nem com cor verde mas começou arroz ,feijão ,carne frango mas não come peixe ele não come verdura na comida mas começou na sopa e assim mesmo não são todos os legumes q ele come não comia gelatina ,agora ele como , frutas só come banana, laranja, abacaxi ,agora passou a comer maçã na escola só come se for banana se der outra fruta ele não come , não come salada nem tomate nada difícil fazer um lanche saudável para uma criança assim ate mesmo uma alimentação saudável .

Bom, minha colaboração sobre o tema vem do fato de que meu caçula Dante, hoje com 5 anos, passa por uma dieta há 2 anos que restringe glúten, proteínas bovinas (leite, queijo, carne, etc), feijão, batata-doce, mate, cebola e milho. Isso se deu após um teste epidérmico e, passados cerca de 20 dias no detox, Dante começou a apresentar melhoras na comunicação, no contato visual e comportamental. Sei que isso pode variar de caso para caso, porém esse acompanhamento alimentar tem se mostrado essencial para o desenvolvimento do meu garotão.

Muito bom este artigo esclarecedor sobre alimentação de uma criança Autista. Ainda não está tudo concretizado, precisa muito avançar para que se tenha um grande progresso, para poder ajudar esses país, com suas crianças Autista. Abraço a todos
Obrigada! Neuro saber por esta me mando todas esses informações!

Tenho um filho de 18 anos e só come arroz e determinado tipo de carne (tem que ser uma carne bem molinha), fico dando suplementos vitamínicos pra suprir o que falta. Morro de medo que ele fique doente!

Apesar das consequencias que muitas vezes nos como educadores observamos e sempre prematuro falar algo, mesmo porque muitos pais nao aceita que falamos a verdade, mesmo ela sabendo do que se trata.; Portanto e muito delicado para qualquer observacao sem antes prepara-los.

José Teófilo Da Silva 22:52 há
Fiz atendimento em um centro de acolhimento, o João é autista é tinha muita dificuldade para se alimentar já com 17 anos, e quando não queria alimentar-se subia no muro é em árvores, ele era bastante agressivo. Mas a minha curiosidade é se a obesidade tem alguma relação com o autismo pois todos que conheci São obesos.

Tenho um jovem de 19 anos não tenho diagnóstico de autismo ainda mais tem uma restrição alimentar muito grande, e agora todas as vezes que come tem inchaço na barriga e arrota muito. Será que pode ser algum tipo de alergia?

Grata pela atenção ! Minha preocupação é saber sobre a fala Quando é que começa a falar? Como ajudar? E sobre o gosto de morder as pessoas
Qual é o motivo? O que evitar? Muitos são as dúvidas para salvar ajuda lo

Meu filho tem a Sindrome de Asperger, quando criança comia tudo, hoje com 19 anos é muito seletivo, não come nenhuma fruta, nem verdura e de legumes só come batata. Quando criança só comia o caldo do feijão se o arroz cobrisse ele todo. Precisa perder peso, mas fica muito difícil seguir uma dieta tendo esse transtorno alimentar.

Quero participar porque o conhecimento sobre o assunto só vai fazer com que eu como professora conheça meus alunos TEA. Obrigada por esse trabalho maravilhoso.

Meu filho tem 16 anos e Autista, mais adora biscoitos secos, não come verduras e as vezes tem crise de garganta dermatite alérgica.. ainda não identifiquei qual o motivo… pela qual. Ele entra em crise, Tem prioridade por refrigerantes, mais não costumo dar como frequência, percebo q ele sempre q toma fica com uma tosse seca… chegar até falta o ar.. o que faço?

Olá! Meu nome é Jaqueline, mãe do Gabriel de 12 anos. Há dois anos constatamos intolerância à lactose, quase uma alergia. Cortamos tudo que tem leite e introduzimos o leite sem lactose. Adora chocolate, na época comia com frequência Kinder ovo, também gosta de bolachas e foi muito complicado tirar tudo isso. Mas comia e come feijão, arroz, carnes e brócolis. Suportamos as muitas crises e hoje ainda acontecem, mas com menos frequência… Começamos a “camuflar” outros alimentos no molho da carne e hoje come bem melhor. Moranga, cenoura e tomate aceita bem, alguma bolacha sem lactose de vez em quando e conseguimos que experimentasse frutas que viraram sobremesa! Então, vai tentando misturar algo mais saudável com alimentos que ele gosta. Sei que é muito difícil, mas mais difícil é vê-los com dor ou fazer um exame e ver que não estão bem… Aqui suportamos as brigas, birras e gritos e Gabriel vem evoluindo muito bem. Há pouco começamos a solicitar que nos ajude, guarda suas meias e cuecas, seca a louça pra nós! Cada conquista é uma comemoração com ele, batemos palma e ele fica muito contente!
Isso não impede que coisas difíceis ocorram: na segunda passada tínhamos pediatra, ele queria ir ao mercado e não fomos… Gritou, se bateu, me bateu, foi tenso, mas não deixei de fazer o que precisávamos, esperar o pedi. Depois se acalmou e pode parecer duro, mas não fomos ao mercado… Porque por mais difícil que seja, eles não pôde se acostumar a ganharem as coisas com briga. Meu filho está quase do meu tamanho e é muito forte… Se ele internalizar este comportamento, daqui há pouco não vou conseguir mais sair com ele… E não vou aceitar isso! Amamos nossos filhotes e precisamos entender suas particularidades, mas temos que ter claro também que estão crescendo… Então família, sei que as mudanças são difíceis para nós é para eles, mas tenta pensar no que é melhor para teu filhote! Mesmo que seja complicado, tenha fé, paciência e muita determinação que você vai conseguir!! Abração! 😘

Minha filha autista, 26 anos come de tudo, porem tem muitos problemas gastrointestinais como: esofagite de refluxo, pangastrite, retirei o leito e o glúten , senti que melhorou muito, pois passava o dia gemendo e fazendo caretas com a boca, um gesto muito feio, repuxando para o lado. Mesmo assim está sem´re com barriga inchada e muita prisão de ventre , apesar do capricho na alimentação.
Gostaria de saber se existe um exame que mapeia quais alimentos o autista pode comer que não o faça mal de forma individualizada , POIS A MINHA NÃO FALA TEM RETARDO MENTAL, ficando difícil para saber como devo ou não alimentá-la. Por favor pensem numa live sobre este assunto.

Tenho um filho de 11 anos que até os 06 anos tinha várias limitações na alimentação, não chegou uma época que só aceitava macarrão com ovo, depois de muitas terapias e acompanhamento multidisciplinar e paciência, conseguimos introduzir outros alimentos. Como ele sempre teve constipação intestinal, levamos em um gastroenterologista e descobrimos alergias e diversos alimentos, e podemos vê uma grande melhora, tanto no seu intestino, como no seu comportamento, após a retirada desses alimentos da sua dieta.
Hj ele consegue evacuar todos os dias, ficou menos irritadiço, seu sono melhorou muito. Ele costumava ficar muito agitado a noite,não sentava para ver TV, ficava andando no corredor p cima e p baixo, falando sozinho, até a exaustão, depois caia no sono do nada, um sono muito agitado.
Hj ele senta na sala, interage conosco, consegue assistir um filme do início ao fim, adquiriu até o hábito de ler. Fico muito feliz com esses avanços e vejo o quanto a mudança da sua alimentação contribuiu p isso. São apenas 4 meses de tratamento, sabemos que ainda temos uma longa caminhada, mas comemoramos cada avanço, como uma vitória, pois nos alegramos em proporcionar uma melhora na qualidade de vida do nosso Anjo.

Bom dia, realmente percebo em meu neto, que hoje tem 10 anos, limitações alimentares, “gosta de comer besteiras” e tem bastante constipações e distensão gasosas .
Mas como é difícil diagnosticar com precisão Autismo.
Hoje percebemos que está mais evidente o TDAH.

TENHO UM ALUNO AUTISTA QUE SE ALIMENTA MUITO BEM, NÃO REJEITA NENHUM ALIMENTO (FRUTAS, VERDURAS FEIJÃO E E ETC…). NO INICIO DE SUA VIDA ESCOLAR NA ESCOLA A QUAL TRABALHO NA HORA DO ALMOÇO PRECISÁVAMOS FICAR DE OLHO NELE, POIS ELE COMIA A SUA COMIDA E A DOS COLEGAS COMO SE NÃO SE SATISFAZE-SE, MAS HOJE JÁ SE ALIMENTA NA QUANTIDADE ADEQUADA E FICA SATISFEITO. .

Meu filho tem 5 anos nunca comeu frutas ja tentei várias vezes mais ele não tem interesse, queria que comece.

Adorei o arquivo! Meu filho tem 16 anos e foi diagnosticado com autismo leve, e, depois de muitas idas e vindas a diversos ( áreas) profissionais da saúde, ( com 13 anos quando diagnosticado corretamente e muito sofrimento foi detectado também a guillain baré e a intolerância a lactose, e agora reclama quando come glúten. Foi uma “bomba”lançada sem aviso. Por isso é muitíssimo relevante essas informações porque nos traz um pouco de alívio e muito conhecimento.

Grata,

Janailda

Meu neto-filho tem 10 anos,com 2 anos e 11 meses ele perdeu o pai com 1 ano depois descobri que ele é autista.
sei o quanto é difícil alimenta-lo,pois ele tem constipação cronica, informada pelo médico dele. gastro e agora ele está com a nutricionista mesmo assim sinto dificuldades de introduzir algumas frutas ou alimentos diferentes na alimentação dele. Mas realmente percebi que a alimentação dele sem o glúten ele senti-se bem de humor e tranquilo.
Obrigado, um bom dia.

Tenho um filho autista de 6 anos, come muito bem se comparado ao irmão gemeo que não tem TEA. Ele tem alguns alimentos que detesta como beterraba, depois que foi para escola passou a não querer verduras e legumes, mas o fazemos comer um pouco. Ele tem constipação desde bebê, Mas percebi que ele não toma quase agua, mas estamos sempre estimulando. A unica coisa que vejo ele tomar com gosto é refrigerante e suco de uva. Os refris são só de vez em quando, mas percebi uma certa dificuldade dele em dar goles grandes, não sei se tem algo a ver ou é uma mania que ele adquiriu.

Bom dia !!! Sou nutricionista e gosto muito de acompanhar o Neurosaber devido a essa relação muito direta da alimentação principalmente com TEA. Há uma nutri nas redes sociais que é mãe de autista e que fez um trabalho belíssimo sobre isso mostrando o resultado super positivo com o filho de melhora da interação dele com os outros, melhoras das crises e na fala. A substância que ela restringe é o Glúten e a lactose, porém isso deve ser feito com o profissional nutricionista para não ter impacto na saúde e estado nutricional do autista. Essa conduta não é padrão, pois há autista que não apresentam melhora; mas a questão falada sobre a microbiota intestinal é super importante considerando o impacto de uma alimentação saudável com mais alimentos naturais e o mínimo de processados e ultraprocessados (por ex: nugget, macarrão instantâneo, biscoitos a base de milho – como os “amarelinhos”, recheados, etc). Quem quiser saber mais sobre a orientaão padrão ouro hoje sobre alimentação saudável, acesse o GUIA ALIMENTAR PARA POPULAÇÃO BRASILEIRA 2015 do Ministério da Saúde.
Esse assunto me atrai muito pois trabalho com alimentação escolar municipal mas ainda não consigo promover essa conduta para os autistas da rede municipal.
Parabéns Dr Clay por abordar esse tema tão importante!!!

Venho acompanhando o assunto e li o livro sobre o tema, AUTISMO ESPERANÇA PELA NUTRIÇÃO-Claudia Marcelino é um relato de a mãe q. Testou e viu melhora incontável cortando o glúten e caseína (leite) nas crises e no aprendizado. Espero ter mais informações q nos esclareça e nos conduza a termos cada vez mais barreiras quebradas.

Meu filho Isaque tem 10 anos e é autista, nunca havia apresentado qualquer tipo de intolerância até então. Agora está apresentando dificuldades para evacuar. E não é sempre, mas algumas vezes apresenta sangue nas fezes. Estou em pânico.

Eu só fico sem dores causadas pela intolerância, quando faço uma dieta apenas de saladas e proteína, sem carboidrados….o problema é conseguir ficar muito tempo nessa dieta, porque ela parece incompleta.

Existe outro transtorno sem ser o autismo que cause essas restrições alimentares,porque eu tenho um filho autista que sempre comeu de tudo e após os três anos de idade que começou a rejeitar certos alimentos.Hoje ele está com seis anos e continua com algumas restrições.Tive outro filho que tem três anos agora e observo que ele só aceita alimentos facéis de mastigar,como:macarrão.angu,mingau,leite,iogurte e sucos.Pão,biscoito,carne nem pensar.Estou ficando intrigada com isso,será que ele pode ser autista também?Embora o comportamento dele difere do irmão.Ele é mais sociável,porém,nervoso e está com atraso na fala.Me ajude por favor.

Tenho um Neto, que tem preferência por alimentos da cor amarela, não toma leite comum, só leite fermentado, mas na escolinha come o que não come em casa.

Boa noite, acredito que a maior facilidade dos alunos com TEA é observar que todos comem, e as professoras ou cuidadoras investem um esforço redobrado para estimular essa autonomia, agora não pensem que foi ou é fácil, a energia investida com cada aluno é única e as intolerâncias que realmente aparecem e sempre é recomendado orientação e acompanhamento médico, o que depende também do investimento de cada família no tempo restante.

Olá sou mãe de Lorena Alérgica Multipla, coincidência ou não, quando minha filha se contamina com algum alergênico ela fica mais irritada e nervosa. Com a alergia ficamos reduzidos com alguns alimentos que fazem parte da dieta, ou seja, restrita, mais confesso que aseletividade existe sim, exemplo: ela não come feijão preto e nem vermelho somente o carioca e se por acaso misturar danou-se ela sabe dizer pelo paladar que estámisturado, outra situação são as comidas com molhos , não aceita !!!!!

Meu neto tem quase 6 anos e autista e sua alimentacao ate hj e vitaminas q.ainda toma em mamadeira!Quase n aceita outra alimentacao mas gosta de pizza macarrao e refrigerantes.Insisto pra que levem ao nutricionista acho q.iria ajuda_lo.Temo pela obesidade ja q.tem tendencias e aliada a medicacao e quase certo.

Eu sou mãe de um garoto lindo sem diagnóstico fechado,mas ele se alimenta super bem ,não apresentou seleção alimentar.

Parabéns por abordarem esse tema. Meu filho tem 6 anos e, quando ingere alimentos com caseína e glúten, temos dificuldade de acalmá-lo até mesmo com haldol.

Tratar a criança como um todo e buscar a causa de uma piora do quadro (não atribuindo apenas ao autismo), é o primeiro passo para termos realmente uma qualidade de vida.

Importante essã discussão. Realmente a questão alimentar precisa ser estudada pois esse item está muito presente no aluno TEA. Obrigada pela contribuição. Nós de Mossoró RN estaremos com vocês dia 20 no encontro Pp em João Pessoa PB. Um abraço.

Cada caso é um. Vejo que muitas vezes é a maneira como é dada as coisas mesmo muitas crianças chegam na escola e os pais disse meu filho não come nada disso. Mas tivemos dois autistas que no começa os pais disseram não comem nada e vomitam então cuidamos e com o tempo passaram a comer de tudo um pouco e até mesmo se desenvolveram mais uma mãe perguntou o que vieram . Respondemos nada só vamos aos poucos trabalhando com ele nada de mais
Tenho visto que é um mundo de descoberta pra ambas parte não é fácil,mas com amor e paciência temos ido.
Tenho aprendido muito com vcs por isto estou sempre seguindo.

OiNão tenho filho autista meu interesse e porque trabalho com crianças com dificuldades de aprendizagem. E neste decorrer me encontro com casos variados,logo preciso saber mais para poder entender e trabalhar com eles de forma mais apropriada. Esse curso é maravilhoso .

Muito boa sua matéria sobre o modo alimentar dos autistas, ajudará muito as mães.
Gostaria que vc fizesse um artigo ou me indicasse sobre algo remetido aos direitos do autismo.😘 obrigada.

Meu filho tem 30 anos. Este artigo descreve a condição dele. Alérgico a glúten, não come chocolate ou derivados. Problemas intestinais, gases (que não solta), reações alérgicas… Estas informações explicam muitas coisas. O cardápio dele é bem complicado e repetitivo.

Deve ser muito dificil, no começo , identificar que alimentos uma criança autista pode comer sem que tenha uma ou outra reação alérgica. A partir do momento que se consegue sucesso, mesmo que a alimentação seja definida por ele de forma mínima , aos poucos a familia pode ir introduzindo mais itens no dia a dia. Eles são muito sensíveis , o organismo reage de forma estranha a alguns alimentos e isso requer muita paciencia e insistencia. Acho que esse assunto deve ser tratado com mais profundidade pois pode ajudar muita gente.

Tenho pacientes Autista que os pais são adeptos da alimentação vegetariana e é positivo o resultado. Que as pesquisas avancem para melhor atendermos a demanda das crianças e adolescentes autistas.

A bianca na escola come tudo em casa so batata cosida gema de ovo nestum feito com agua e franco com esparguete comis tudo em bebe agora nada

Alimentação no autista tema muito importante, as restrições na alimentação preocupa muito os pais. O que agrega mais um profissional para o trabalho com autistas. Sou psicóloga trabalho em escola e tenho por lá duas crianças com Tea, e uma delas apresenta resistência para certos alimentos e texturas. Gosto muito das lives e tem me ajudando bastante a lidar com elas.

Meu filho sempre que tona leite in natura dar diarréia , quando toma leite em pó desnatado não sente nada. Até os 3 anos comia feijão, hoje com 5 não come de jeito nenhum.

Meu filho sempre que toma leite in natura dar diarréia , quando toma leite em pó desnatado não sente nada. Até os 3 anos comia feijão, hoje com 5 não come de jeito nenhum.

Minha filha hj está com 15 anos,para mim hj vejo que envista do que já passamos ela está muito melhor,está aceitando bem toda a alimentação incluindo legumes, frutas,verduras etc…
Também tbm o hábito de querer todos separados ..Mas não regeita nada…sua pior fase na alimentação foi aos 6 anos que sua intolerância era maior,foi difícil por que muitas das vezes a intolerância era confundida com viroses, e ai acabava tendo um inadequado tratamento ,eu e meu marido que tivemos que tomar uma atitude e mudar o hábito alimentar dela…observando o que fazia mal e cortando ,mas no decorrer do tempo fui oferecendo novamente …hj alguns que ela não tolerava antigamente ,hoje ela está comendo sem nenhum problema ,isso me deixa feliz…porque são elementos saudáveis que todos nós precisamos
obrigado!!

Tenho um filho autista de 8 anos ele nao come carne adora arroz com feijao.prefere ficar com fome a comer macarrao.ou molho nao gosta que misture os alimentos.ele e super rigido nao gosta que altere em alguma coisa.

TRABALHO COM VARIAS CRIANCAS ESPECIAIS A MAIORIA SAO AUTISTA, VIVO EM BUSCA CONSTANTE DE CONHECIMENTO PARA QUE POSSA TRABALHA E ENTEDER MELHOR FICO AGRADECIDA POR TODAS AS INFORMACOE S POSSIVEL OBRIGADO.

Bom dia…
Tenho um aluno com TEA e realmente é difícil na hora da alimentação…so come arroz puro, suco ele olha bem como se analisasse o sabor…cor.

Oi tenho uma aluna autista ela tem 12 anos de idade a alimentação dela é normal não costuma dar reações alérgicas. Porém a aluna costuma se agredir sempre que é contrariada, ela morde os próprios braços e se belisca no pescoço e no rosto principalmente. Já não sabemos mais o que fazer com ela pois vive com o rosto machucado ela tem entendimento mais não se expressa dá pra saber mais ou menos quando gosta de alguma coisa quando sorri. Doutor o que faço ? Ela esta em tratamento com um médico de curitiba mais pouco se vê resultados

Toda criaça, adolescente e adulto precisa ser acompanhado por um nutrologo, principalmente guando se trata de autista, que tem restrições alimentar, como alergia e problemas gastrointestinal.

ETHER aceita a farofa comum.Gosta de feijão,do caroço,arroz.Come sozinho,toma suco,come a sobremesa frutinha banana,maça.Tudo na medida dele,não é nada exagerado e estamos muito felizes,porque ele na creche não comia nada,as vezes a fruta fazia mal.

Esperamos que a Ciência avance cada vez mais na busca das descobertas para a melhoria da vida dos nossos autistas.

Boa tarde,
já havia percebido algum ponto nesse sentido devido a estágios no curso de Autismo e alguns relatos dos pais,no mesmo.Achei interessante esse detalhe da alimentação ,pois não é muito esclarecido para alguns pais, há que se ter mais cursos sobre essa intolerância alimentar já que as evidências são muitas na alimentação do TEA.

Tenho uma autista de 18 anos que só come no almoço, arroz, purê de batatas e clara de ovo, e no jantar come macarrão (miojo) feito na água com um pouco de sal e margarina. Não aceita feijão, nem legumes, nem verduras ou frutas. O que faço para modificar esta rotina. Tem dificuldades em aceitar as mudanças. A temperatura da alimentação é bem quente, caso contrário, não consegue comer nada.

Sou professora de alunos que têm TEA, e não é raro o relato de mães que seus filhos têm aversão a certos alimentos. Tenho observado que durante o lanche da escola em muitas ocasiões essas crianças rejeitam os lanches ofertados. Compreendo, então, que tal comportamento de rejeição e recusa dar-se ao fato de hipersensibilidades ou algo do gênero ligado à alimentação dessas crianças.

Adorei as informações….foram bem claras para e consigo esclarecer muita dúvida. Obrigada a essa equipe tão especial em nossas vidas .

Tenho um neto de 5 anos ele não come arroz gosta de caldo de feijão, sopa de feijão não come nenhum tipo de verdura única fruta que come é banana suco gosta de uva e maracujá gosta de limonada legume só batata frita. Gosta de qualquer tipo de carne mais não cozida só frita ou assada. Macarrão tem que ser sem molho às vezes aceita farofa pão só na chapa toma mt Nescau quente apesar da nutricionista já ter mandado diminuir. Adora sorvete açaí biscoito de polvilho. É difícil tentar introduzir coisas novas é muito resistente. Sempre quando fazemos coisas diferentes nós oferecemos de vez enquanto come ovo frito cozido não aceita. Assim é que vamos descobrindo o que ele come. Antes só tomáva Nescau e mais nada era o dia inteiro bebendo Nescau. Aos poucos com os descobrindo algumas coisas que ele aceita.

Meu filho é autista tem 11 anos tem alergia a leite e os derivados, porém gosta de todos os derivados do leite e o próprio leite. Em alguns momentos ele fala que o mundo é feito de leite.

Boa tarde

Tenho um filho autista ele é muito agitado gosta de ver tudo bagunçado, gosta muito de iogurte gosta muito de farinha e calabreza

Tenho uma filha de 13 anos autista não verbal e percebi que entre 3 e 7 anos de idade apresentou algumas alterações intestinais tipo diarreia ou fezes ressecadas, uma vez tive que ir para a emergência para fazer lavagem pois ela não evacuava… Sempre ofereci de tudo!! Ela come brócolis e quiabo também, Já faz algum tempo que mantém o intestino funcionando normal e vai ao banheiro regularmente. Mas acredito que a questão alimentar é um assunto sempre relevante, acredito que somos o que comemos.

Nossa!!! Incrível!!
Descobri a pouco tempo que minha filha é Asperger,ela tem 14 anos,sempre tachei de frescura o fato dela não conseguir comer diversas coisas. Não come verduras e legumes,carnes com molho e uma infinidade de outras coisas. Falou que comeria pelo resto da vida,macarrão sem molho. Tem intolerância à lactose,mas percebi que ao comer macarrão,tem diarreias severas,ultimamente sente dores abdominais fortes,sofre de constipação e guarda todos os gases possíveis e imagináveis(kkk),é magra,mas tem uma barriguinha saliente(kkk).
Se cair uma gota do feijão em cima do arroz,faz o maior enxame,a ponto de jogar aquela parte fora.
Já fez vários ultrassons e quase todos deram normais,só um que deu uma quantidade de gases enorme. Todo ano é uma bateria de exames e nada consta. Mas ao ler isso,fiquei de “boca aberta” da tamanha coincidência. Vou imprimir e levar para os médicos,pois acham que a culpa é minha,eu que sou responsável pela má alimentação. Somos de uma família simples,mas a alimentação adequada sempre foi prioridade.

Boa Noite!

Interessante que lendo os comentários percebi que igual o meu Matheus que tem 6 anos e tem autismo, todos também possui suas características individuais de ser seletivos quanto a alimentação. O meu come bem, mas não toma suco de fruta (nem sucos industrializados), não come certos tipos de doces como:bolos, brigadeiro, docinho de festa ( os doces que gosta > chocolate com castanha, e bombons, chiclete não), qto a refeição não gosta de verduras, legumes, feijao, macarrao. Mas, come carne, peixe e frango (assado,cozido e frito, feito a milanesa). Claro que se eu fosse detalhar seria uma lista enorme do que gosta e do que não gosta. Mas a minha dúvida qto a tudo isso ( essa seletividade que os autistas tem) como podem serem tão seletivos e a ajuda ser diretamente relacionada com a >> caseina, gluten e lactose? – Entendo que tais produtos/alimentaçao contem essas proteínas. Mas como tirar tais proteinas importantes que o corpo precisa? Tirando/ ou / modificando a alimentaçao não desencandearia outros problemas??

Eu sei que tudo ainda está em fase de pesquisa, mas tenho tantas dúvidas.

Tenho um filho que pagou intolerância à lactose, hoje as crises diminuirão,mas a última vez que deu a tocou a garganta dele,fora que tem certas comida que ele comia e hojesi jeito não quer mas, é dele mesmo?

Tenho uma filha autista e está gordinha queria ver se eu consegui se faz a dieta dela ela só come arroz feijão carne macarrão angu o come de todo o dia o mais principal dela come é arroz feijão e carne

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *