Voltar

Psicomotricidade: o que fazer para auxiliar no ambiente de aprendizagem

A psicomotricidade desenvolve habilidades emocionais, cognitivas e motoras. Dessa forma torna-se essencial no ambiente de aprendizagem. Saiba mais, neste artigo.

É na educação infantil que a criança mais se desenvolve e estrutura as habilidades de aprendizagem. As atividades de psicomotricidade na escola ajudam não só a desenvolver essas habilidades, mas também a superar as dificuldades de aprendizagem relacionadas a atrasos no desenvolvimento psicomotor.

A ludicidade deve estar presente nas atividades de psicomotricidade na educação infantil, através de jogos e brincadeiras, que visam o desenvolvimento motor, social e afetivo das crianças.

É importante ressaltar que a psicomotricidade pode ser trabalhada na escola não só nas aulas de educação física, mas também em outras disciplinas. Através do brincar as crianças aprendem e a psicomotricidade pode ser desenvolvida no ambiente de aprendizagem com brincadeiras e jogos.

A psicomotricidade no ambiente de aprendizagem

O tempo de aprendizagem das crianças pode ser estimulado e otimizado pela psicomotricidade. Através de atividades lúdicas, as crianças se desenvolvem e também enfrentam suas dificuldades de aprendizagem.

O movimento faz parte da construção da identidade e do desenvolvimento motor das crianças. Assim, o objetivo da psicomotricidade na escola é usar a ação do corpo para desenvolver habilidades essenciais para a aprendizagem.

Em sala de aula, o professor pode usar jogos que estimulam os aspectos motores, sociais, afetivos e cognitivos dos alunos. Nas aulas de educação física, o professor deve priorizar as atividades que desenvolvem corpo e mente, evitando a repetição mecânica de movimentos.

Através das atividades psicomotoras, as crianças desenvolvem habilidades perceptivas e o comportamento psicomotor. Quando o desenvolvimento psicomotor é fraco e insuficiente, podem surgir dificuldades na escrita e leitura, assim como no pensamento lógico e abstrato.

Essas dificuldades impactam a aprendizagem dos alunos, mas os jogos, brincadeiras e atividades lúdicas que trabalham a psicomotricidade estimulam a superação das mesmas. Isso porque as crianças desenvolvem habilidades motoras, sociais e emocionais fundamentais para a aprendizagem.

O principal objetivo das atividades psicomotoras é promover o conhecimento sobre o próprio corpo — em constante interação com o ambiente — e o estabelecimento do esquema corporal.

Na educação infantil, o brincar é o meio pelo qual as crianças mais aprendem. Nas atividades lúdicas, a ação e o movimento importam mais que os resultados. O importante é que as crianças possam vivenciar e experimentar a imaginação, a percepção de si e do outro.

Como a psicomotricidade pode auxiliar no ambiente de aprendizagem

A educação psicomotora, como vimos, tem uma proposta lúdica que visa o desenvolvimento da criança em diversas áreas para ela descobrir o potencial de seu próprio corpo.

Através da brincadeira é possível detectar atrasos e dificuldades motoras e psicológicas que interferem na aprendizagem. Dessa forma, é essencial que os professores ofereçam a seus alunos a oportunidade de se conscientizarem de seu corpo através de jogos e atividades lúdicas.

Exemplos dessas atividades, na educação infantil, com crianças até os três anos: gincana, atividades táteis, exercício com bolas e pinturas com dedos. Para as crianças com mais de quatro anos, atividades como dançar, pular e rolar são as mais indicadas. 

No entanto, as atividades cotidianas como pentear os cabelos, amarrar o sapato e se vestir também auxiliam o desenvolvimento psicomotor. Além dessas, atividades de colagem, desenho e pintura, podem ser trabalhadas com crianças de todas as idades.

Em resumo, para promover a psicomotricidade no ambiente de aprendizagem os professores devem estimular a brincadeira e as atividades lúdicas em sala de aula.  Também é importante criar um ambiente saudável e afetivo que estimule os alunos a aprender.

Incentivar a prática de exercícios físicos e movimentos corporais e usar a mimetização nas atividades em sala de aula também são estratégias de psicomotricidade que auxiliam no ambiente de aprendizagem.

Portanto, para promover a psicomotricidade na escola não são necessários muitos recursos, mas a reunião de fatores como o planejamento das atividades, com metas e avaliações; a disposição do professor para observar seus alunos e intervir quando necessário, materiais e espaço adequados para a realização das atividades.

O ambiente de aprendizagem adequado para trabalhar a psicomotricidade deve oferecer às crianças oportunidade de explorar e construir referências sobre si e sobre o meio em que está inserida.

Um ambiente onde os alunos possam testar, errar e tirar suas próprias conclusões enquanto constroem seu conhecimento. Assim, a psicomotricidade pode ser desenvolvida na escola para melhorar as capacidades e habilidades das crianças.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a psicomotricidade no ambiente de aprendizagem, compartilhe este artigo em suas redes e ajude outros profissionais.

Referências:

XISTO, Patricia Baldecera, eLuciana Borba Benetti — A PSICOMOTRICIDADE: UMA FERRAMENTA DE AJUDA AOS PROFESSORES NA APRENDIZAGEM ESCOLAR.

RAMOS, Camila Siara. Marcela de Melo Fernandes. A importância de desenvolver a psicomotricidade na infância.

Você também pode se interessar...

2 respostas em “Psicomotricidade: o que fazer para auxiliar no ambiente de aprendizagem”

Olá, sou o Armando Ribeiro Ramos, o mesmo é professor pedagogo e especialista, Psico-pedagogo e Impactos da Violência na Escola; sou também psicólogo e Especialista na Intervenção Psicológica e Resolução e Mediação de Conflitos. Gostei muito dos artigos, que fala da psicomotricidade na Educação e no desenvolvimento das crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *