Como é a avaliação de funções psicomotoras em crianças?

O desenvolvimento das funções motoras está relacionado ao desenvolvimento afetivo e cognitivo das crianças. 

A psicomotricidade é uma ciência que une aos aspectos emocionais, motores e cognitivos das crianças, abordando-as, através de suas técnicas, globalmente. O estímulo das funções psicomotoras impacta no desenvolvimento do ser humano em todos os aspectos de sua vida.

Dessa forma, a identificação de problemas no desenvolvimento psicomotor é importante para que sejam feitas intervenções precoces que estimulem as crianças adequadamente. Os programas de estimulação psicomotoras são indicados para atrasos evolutivos e para crianças com transtornos do neurodesenvolvimento.

A avaliação das funções psicomotoras da criança possibilita identificar suas dificuldades, sejam elas originadas por distúrbios ou por terem sido insuficientemente expostas a ambientes estimuladores. Saiba mais, neste artigo.

A importância da avaliação de funções psicomotoras

Quanto antes forem identificadas desvios no desenvolvimento das funções psicomotoras da criança, melhor serão os resultados de seus tratamentos. A organização psicomotora proporciona a aquisição de habilidades sensório motoras, coordenação viso-motora, equilíbrio, linguagem, esquema corporal entre outras.

O ambiente que estimula o desenvolvimento dessas funções é o que cria oportunidades para a criança viver experiências sensoriais, sociais e afetivas. Essas experiências permitem às crianças passar da inteligência prática à reflexiva, fundamental para a aprendizagem e alfabetização.

Antes de se alfabetizar, a criança precisa viver experiências corporais, sentir texturas, ver cores, se orientar no tempo e no espaço. Dessa forma, a avaliação psicomotora ajuda a identificar deficiências nesses pontos, a partir da consciência do próprio corpo, o esquema corporal.

As funções psicomotoras

A psicomotricidade integra aspectos afetivos, cognitivos e motores da criança, estimulando o desenvolvimento das funções psicomotoras. São elas: esquema corporal; coordenação motora global; coordenação motora fina; organização temporal, organização espacial e lateralidade.

Esquema corporal

O esquema corporal é a consciência do próprio corpo, das suas partes e dos movimentos. As crianças adquirem essa consciência à medida que vivem experiências corporais em relação ao ambiente.

Essa experiencias estão carregadas afetivamente e, assim, as crianças vão construindo a sua imagem corporal através das etapas do desenvolvimento e organizando a sua personalidade. 

Para isso, precisam adquirir controle da musculatura ampla para realizar movimentos complexos. Todas as atividades que envolvam correr pular, dançar e equilíbrio contribuem com o desenvolvimento do esquema corporal.

Coordenação motora fina

A coordenação motora fina está relacionada ao controle dos pequenos movimentos, que permite realizar atividades mais refinadas, como pegar em um lápis de escrever. Essa habilidade é conquistada pela prática a partir de atividades como: recortes de imagens, colagens, brincadeiras de encaixe e a própria escrita.

Organização temporal

A organização temporal é a capacidade de se organizar no tempo e de conseguir avaliar suas ações e atividades em um ritmo. A criança começa aprendendo a diferenciar lentidão e velocidade, a entender a dimensão do tempo em situações que vivem no cotidiano.

Trabalhar o ritmo com as crianças ajuda a desenvolver essa percepção e as crianças começam a criar uma noção do tempo em suas ações. Atividades com palmas, ritmos, corridas cronometradas são indicadas para desenvolver a organização temporal.

Organização espacial

A organização espacial se refere a orientação em reação ao mundo exterior e a consciência da relação do próprio corpo com o ambiente. Atividades e brincadeiras como amarelinha, cirandas e outras que trabalhem limites, são importantes para desenvolver essa habilidade.

Lateralidade

A lateralidade é a função psicomotora responsável pela consciência dos dois hemisférios do corpo — direito e esquerdo. Ela permite à criança criar consciência dos lados da estrutura corporal e espacial.

Ao desenvolver a lateralidade, a criança percebe qual lado é o dominante em seu corpo. Pular de um pé só, pular em círculos, ou qualquer outra atividade que permita a criança viver cada lado do seu corpo é importante para desenvolver a lateralidade.

A avaliação das funções psicomotoras das crianças é feita por profissionais capacitados e permite que desvios e atrasos sejam trabalhados e desenvolvidos, no tempo de cada criança. Se você é pai ou professor e percebe sinais de atrasos nas crianças, procure uma avaliação!

Restou alguma dúvida? Deixe nos comentários.

Referências:

BRETAS, José Roberto da Silva; PEREIRA, Sônia Regina; CINTRA, Cintia de Cássia  and  AMIRATI, Kátia Muniz. Avaliação de funções psicomotoras de crianças entre 6 e 10 anos de idade. Acta paul. enferm. [online]. 2005, vol.18, n.4 [cited  2020-09-02], pp.403-412. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002005000400009&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1982-0194.  https://doi.org/10.1590/S0103-21002005000400009.

BENETTI, Idonézia Collodel Benetti; Paulo Henrique Pinheiro de Barros; Fernanda Ax Wilhelm; Ana Paula da Rosa Deon; João Paulo Roberti Junior. Psicomotricidade e desenvolvimento: concepções e vivências de professores da educação infantil na amazônia setentrional. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revispsi/article/view/38814/27161