Voltar

Quais são as atividades do terapeuta ocupacional?

Quando o assunto é o desenvolvimento de uma criança e todos os aspectos que estão relacionados a ele, o campo da Terapia Ocupacional tende a ser um dos mais recomendados. Afinal, o papel desempenhado pelos profissionais da área, conhecidos como terapeutas ocupacionais, é fundamental durante todo o processo. Isso se deve a uma série de etapas que esses especialistas trabalham com o paciente a fim de corrigir, acompanhar ou aperfeiçoar habilidades que são essenciais para a autonomia do indivíduo.

Os profissionais de Terapeuta Ocupacional e os parâmetros seguidos

É preciso entender quais são as linhas seguidas a partir dos parâmetros defendidos pelo Crefito (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional). Os profissionais devem ser condicionados aos regimentos do órgão fiscalizador. A importância de se enfatizar esse aspecto está no fato de evidenciar que os profissionais desempenham suas atividades dentro de um conjunto de ações que são implementadas por um conselho.
Sendo assim, vale ressaltar que o papel desenvolvido por esses especialistas está todo atrelado aos princípios da Terapia Ocupacional. Os pacientes são direcionados às tarefas que visam a solucionar algum aspecto que necessite de acompanhamento para impulsionar sua autonomia. Cada pessoa assistida por um terapeuta ocupacional tende a apresentar uma característica.

Quais são as atividades desempenhadas pelo terapeuta ocupacional?

As atividades desenvolvidas pelos especialistas são voltadas para o melhoramento funcional do indivíduo. Portanto, o conjunto de exercícios passados aos pacientes tende a promover o tratamento, a prevenção e reabilitação de pessoas que convivem com determinadas alterações, a saber: cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos ou de doenças adquiridas por meio da utilização da atividade humana como base de desenvolvimento de projetos terapêuticos específicos (CREFITO-9).
É importante ressaltar que o objetivo das atividades elaboradas no âmbito da Terapia Ocupacional visa a uma ampliação a ser praticada no que diz respeito ao desempenho de cada paciente. Tudo é feito para estimular sua capacidade funcional e em busca do bem-estar da pessoa.
Sendo assim, as atividades desenvolvidas pelos terapeutas ocupacionais buscam aprimorar e proporcionar habilidades dos pacientes que convivem com as situações mencionadas anteriormente.

Quando e como procurar o auxílio com um profissional da Terapia Ocupacional?

É imprescindível que a busca por um especialista da área seja feita por meio de recomendação médica. A procura pelos profissionais costuma ser realizada como uma etapa posterior ao primeiro contato com o médico. Vale ressaltar que os terapeutas ocupacionais geralmente tratam também casos ligados a comorbidades de autismo e outros transtornos que afetam o desenvolvimento cognitivo de uma pessoa. Portanto, é aconselhável que os pais da criança optem pelo acompanhamento médico e, logo após recomendação, procurem ajuda de profissionais da Terapia Ocupacional.

A importância do acompanhamento profissional

Importante relembrar que somente com o acompanhamento de um profissional da área é que suas dúvidas serão sanadas. Os casos de um suposto atraso cognitivo ou psicomotor devem ser levados ao conhecimento do terapeuta ocupacional. Se for algo mais grave, o próprio profissional encaminhará ao especialista que pode solucionar o problema.
Para crianças que precisam de terapia ocupacional, os exercícios propostos pelos profissionais envolvem objetos e toda uma estrutura que proporciona a prática de movimentos. Essas atividades terapêuticas trazem a autonomia e uma excelente qualidade de vida à criança e aos pais.

Onde encontrar terapeutas ocupacionais?

Os locais onde há oferta de terapia ocupacional são os seguintes:

  • Hospitais;
  • Centros especializados em reabilitação psicomotora;
  • Clínicas particulares;
  • Universidades públicas e particulares;

As faculdades de terapia ocupacional sempre abrem vagas para que a comunidade externa possa participar dos programas que oferecem exercícios e atividades às pessoas. Com o auxílio de professores, os estudantes são acompanhados de perto no trabalho desenvolvido com pacientes atendidos, principalmente, pelo Sistema Único de Saúde.
 
Luciana_Brites Quais são as atividades do terapeuta ocupacional?

Você também pode se interessar...

13 respostas em “Quais são as atividades do terapeuta ocupacional?”

Sou Terapeuta ocupacional e terapeuta visual e acompanho o trabalho de vocês há algum tempo.
Achei bom e interessante abordarem nosso trabalho de TO.

Me parece que o psicopedagogo e o terapeuta ocupacional possuem as mesmas atividades, é isso mesmo ?

Queria muito estudar Terapia ocupacional, achei muito interessante e mesmo o meu lugar não tem esse profissional, e vem todo de fora.

Parabenizo pelo artigo. Sempre é importante dar visibilidade ao trabalho de terapeutas ocupacionais. No entanto, apenas gostaria de fazer algumas correções, considerando que sou terapeuta ocupacional e docente:
– A Terapia Ocupacional não é uma especialidade, ou, o terapeuta ocupacional não é um especialista. Trata-se de uma profissão generalista, e cada profissional ao longo de sua carreira poderá exercer alguma especialidade, que é regulada por entidades de classe. Também, terapeutas ocupacionais podem ter atuações “especificas” em diferentes contextos e demandas de saúde, social, educacional, cultural, etc.
– Desde 1969, por Decreto Lei 938, terapeutas ocupacionais são profissionais com autonomia. Por isso, não é obrigatória a solicitação e/ou encaminhamento médico para que alguém possa recorrer aos cuidados deste profissional. Caso o terapeutas ocupacional identifique demanda de outra área profissional, o cliente será devidamente encaminhado.
– Caso algum profissional, como o médico, “prescreva terapia ocupacional”, definindo por exemplo o tipo de tratamento e sessões, isso é ilegal, por apropriação indevida de ato técnico de outra categoria profissional. Somente terapeutas ocupacionais podem “prescrever e aplicar métodos, abordagens, técnicas terapêutico-ocupacionais, bem como definir plano de tratamento e metas”.
– É importante comunicar, principalmente em canais públicos, que indivíduos e famílias podem recorrer à terapeutas ocupacionais sempre que julgarem terem problemas em seu desempenho ocupacional, ou seja, dificuldades em realizar as suas atividades do dia a dia. Independentemente se há ou não algum tipo de diagnóstico ou recomendação médica. No entanto, se qualquer profissional “indicar” isso é muito louvável.
– E, por fim, além das demandas relacionadas à condições de saúde, pessoas que vivenciam problemas sociais, educacionais, culturais, de trabalho, econômicos, também pode e devem recorrer à um terapeuta ocupacional. Pois estes problemas também geram problemas no desempenho ocupacional.
Terapeutas ocupacionais atuam também nos serviços do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), escolas, centros culturais, etc.
Um forte abraço e obrigado pelo apoio em colaborar com a difusão da nossa tão importante profissão.

Achei muito interessante toda a explicação,tenho um netinho autismo,e imperativo atualmente faz tratamento em uma rede pública, infelizmente ele precisa de tratamento sensorial também,gostaria muito embora não seja profissional da área ter ajuda para também trabalhar com ele em casa para melhorar o seu desenvolvimento,assisto muitos vídeos de profissionais que me ajudam muito ,ele e muito coletivo com alimentos e texturas,vcs poderiam me ajudar?sei que está matéria e antiga mais como estou sempre buscando aprender , agradeço,!

Olá, estou me interessando pela área sou professora há 25 anos e queria especializar em TO , como faço?

Olá Andréa, tudo bem?

A profissão Terapia Ocupacional é uma da área da saúde que tem suas intervenções voltadas ao tratamento ou prevenção sendo norteada de práticas, a atividade humana e o cuidado humanizado, sempre promovendo a autonomia, a qualidade de vida e o bem estar do paciente. Para se especializar nessa área, você pode realizar uma graduação especifica ou uma especialização, caso seja profissional da Saúde. Entre em contato com as instituições da sua região para saber os requisitos para ingressar em um curso.

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *