Voltar

Quais são as principais comorbidades do autismo?

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) pode vir acompanhado de outras condições físicas, psiquiátricas e/ou cognitivas que podem agravar os sintomas. Conheça as principais comorbidades do autismo, neste artigo.

É muito importante que os pediatras, pais e professores de crianças no espectro autista conheçam as comorbidades mais comuns no TEA. As principais condições que podem ocorrer simultaneamente com o autismo são: epilepsia; distúrbios do sono; TDAH; distúrbios gastrointestinais e alimentares; ansiedade; depressão e outros transtornos do neurodesenvolvimento.

Essas condições podem se agravar ou diminuir em diferentes estágios do desenvolvimento da criança com autismo e devem ser diagnosticadas e tratadas devidamente. O diagnóstico das comorbidades no TEA pode ser dificultado porque os sintomas são semelhantes aos do espectro. 

As condições associadas ao TEA causam desconfortos que podem provocar comportamentos repetitivos, irritabilidade, agressividade, dentre outros sintomas. Isso dificulta o diagnóstico, pois esses comportamentos são, muitas vezes, associados ao TEA. 

Dessa forma, é fundamental conhecer as características das principais comorbidades no autismo para poder identificá-las precocemente.

Comorbidades do autismo

Conheças as principais comorbidades do autismo.

Epilepsia

A epilepsia afeta entre ​​25% a 40% das pessoas com TEA e podem ocorrer convulsões, um quadro preocupante que precisa ser detectado e tratado. Segundo pesquisas, deficiência intelectual, histórico familiar de epilepsia e atraso cognitivo grave aumentam o risco de epilepsia no TEA.

Os pais, pediatras e professores devem estar atentos aos seguintes sintomas: mudanças abruptas ​​no comportamento, como olhar fixo, enrijecimento dos músculos, contração involuntária dos membros, sonolência súbita ou distúrbios do sono. 

Outros sintomas podem incluir: irritabilidade, agressividade e regressão no desenvolvimento. Se ocorrer uma convulsão ou caso haja suspeita de epilepsia, os pais devem buscar ajuda médica.

Distúrbios gastrointestinais

Segundo alguns estudos, os distúrbios gastrointestinais afetam até 85% das pessoas com TEA. Apesar disso, nenhuma ligação genética ou neurológica conhecida foi encontrada para explicar essa prevalência. Ainda assim, muitas crianças e adultos com autismo se sentem desconfortáveis, talvez devido a distúrbios gastrointestinais.

Pistas comportamentais de que uma criança com TEA pode estar sentindo dor relacionada a distúrbios gastrointestinais (diarreia, constipação, gases ou evacuações dolorosas) incluem arquear as costas, pressionar a barriga ou ranger os dentes. 

Pode demorar um pouco para encontrar a causa dos distúrbios gastrointestinais em crianças com TEA, já que muitas adotam dietas restritas devido a sensibilidades sensoriais ou escolha dos pais (sem glúten e caseína). 

Em alguns casos, medicamentos podem causar efeitos colaterais gastrointestinais. É importante lembrar que mesmo que alguns pais relatem que uma dieta sem glúten ajuda a melhorar comportamentos, as pesquisas não confirmam isso.

Distúrbios alimentares

A alimentação seletiva e a obesidade são os dois distúrbios alimentares mais comuns no TEA. Pesquisas apontam que cerca de 30% das crianças com autismo são obesas e muitas apresentam outros distúrbios alimentares. 

Dificuldades sensoriais, ansiedade, efeitos colaterais de medicamentos, isolamento social e alto nível de atividade devem ser abordados no tratamento dos distúrbios alimentares no autismo.

Distúrbios do sono

Estudos mostram que dificuldades crônicas de sono afetam de 50% a 80% das crianças com autismo portanto, seus pais. Dificuldade para dormir, acordar muitas vezes durante a noite, dormir muito ou acordar muito cedo são sinais de distúrbios do sono. 

Os distúrbios do sono estão associados aos comportamentos diurnos e afetam a qualidade de vida de toda a família. Genética, medicamentos e ansiedade podem desempenhar um importante papel na perturbação do sono. 

As intervenções que visam amenizar os distúrbios do sono ajudam muito a melhorar a qualidade do sono da criança e de vida de toda a família. Existem programas de tratamento que orientam os pais sobre como melhorar o sono das crianças com TEA. 

Em alguns casos, as crianças com distúrbios significativos do sono podem precisar ser avaliadas por um especialista em sono.

Comorbidades psiquiátricas

Segundo pesquisas, cerca de 85% das crianças com autismo também têm algum diagnóstico psiquiátrico comórbido, sendo que destas, 35% usam pelo menos um medicamento psicotrópico como tratamento. 

O TDAH — Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, ansiedade e depressão são as comorbidades mais comuns no TEA, sendo que a ansiedade e a depressão afetam principalmente as crianças mais velhas.

Pode ser muito difícil identificar a presença do TDAH no autismo, uma vez que os sintomas das duas condições são muito semelhantes, como dificuldade de atenção ou hiperatividade (pouco contato visual, comportamentos repetitivos, etc.). 

É muito importante que os pais de crianças com TEA, assim como professores e profissionais que trabalham com elas conheçam os sinais das principais comorbidades do autismo. Dessa forma, podem identificá-los precocemente e encaminhar a criança para uma avaliação diagnóstica com um especialista.

O tratamento precoce favorece a redução da gravidade dos sintomas e promove maior qualidade de vida para as crianças com autismo e toda a sua família.

Agora que você já conhece as principais comorbidades do autismo, compartilhe este artigo em suas redes e ajude outras pessoas!

Referências:

GARCIA, Aline Helen Corrêa; VIVEIROS, Milena Martins; SCHWARTZMAN, José Salomão  e  BRUNONI, Décio. Transtornos do espectro do autismo: avaliação e comorbidades em alunos de Barueri, São Paulo. Psicol. teor. prat. [online]. 2016, vol.18, n.1 [citado  2021-05-20], pp. 166-177.

SILVA, Micheline  and  MULICK, James A.. Diagnosticando o transtorno autista: aspectos fundamentais e considerações práticas. Psicol. cienc. prof. [online]. 2009, vol.29, n.1 [cited  2021-05-20], pp.116-131.

Você também pode se interessar...

3 respostas em “Quais são as principais comorbidades do autismo?”

Tenho formação em Pedagogia, nunca atuei. Exerci durante 40 anos a função de Auxiliar em Enfermagem, sendo que nos últimos 15 anos atuei diretamente na área administrativa em saúde pública. Foi aqui que conheci o drama e sofrimento das famílias e abandono das politicas públicas nesta área da saúde. Conheci pacientes crianças, cujo os pais lutam para melhorar a vida de seus filhos, e conheci pacientes adultos, que confessaram sentir vergonha por se considerarem e serem considerados incapacitados para gerenciar seu tratamento diante de profissionais que os atendem e tem total desconhecimento destas síndromes. Pessoas carentes e dignas de amor com direito de ser tratada do jeito que ela entende e não do jeito que eu entendo que devo trata-la. AGORA EU QUERO APRENDER.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *