Voltar

Qual a diferença entre síndrome e transtorno?

Você sabe qual é a diferença entre síndrome e transtorno? Cada um desses termos é usado para definir diferentes quadros patológicos. Saiba mais.

Embora os termos síndrome e transtorno estejam relacionados, ou seja, ambos tratam de perturbações da saúde, existem diferenças significativas entre eles. É importante também entender que a doença deve ser diferenciada de síndrome e transtorno ao se realizar um diagnóstico.

No entanto, em muitos casos, os sintomas e sinais manifestados não têm suas causas definidas. Esse é um dos fatores que diferencia doença, síndrome e transtorno. Entender a diferença entre essas condições é fundamental para realizar um diagnóstico preciso e definir os melhores tratamentos e intervenções. Entenda melhor, neste artigo.

O que é doença?

A palavra doença vem do latim e significa dor ou padecimento. Uma pessoa doente apresenta um conjunto de sinais ou de sintomas específicos que alteram o seu estado normal de saúde. Geralmente, quando se fala em doença, nos referimos à ausência de saúde devido a distúrbios nas funções físicas e/ou mentais.

A Organização Mundial de Saúde — OMS — define a doença exatamente dessa forma: como ausência de saúde, a partir de alterações do estado de equilíbrio da pessoa em relação ao meio. A doença engloba prejuízos do organismo ou das funções psíquicas, com sintomas específicos.

As doenças têm causas reconhecidas, manifestam-se através de sintomas específicos e provocam alterações no organismo. Podem ser causadas por fatores internos ou externos. 

Quando um profissional de saúde se depara com uma pessoa doente, ele irá averiguar os seus sintomas, solicitar exames para ter um quadro clínico, essencial para fazer o diagnóstico de doença, síndrome ou transtorno. 

O que é Síndrome?

A palavra síndrome deriva do grego e significa reunião. A principal diferença entre síndrome e doença é que, geralmente, as causas da doença são conhecidas enquanto a síndrome, por ser a reunião de diferentes sintomas, não se sabe exatamente o que a causa.

A síndrome é um conjunto de vários sintomas que irão definir uma patologia ou uma condição. Esses sintomas, geralmente, têm diferentes causas. Dessa forma, a síndrome pode ter diversas origens e pode ser que nunca haja uma certeza sobre sua verdadeira causa.

Um exemplo é a Síndrome de Down, não se sabe muito bem qual a causa, embora se trate de erro genético. Ou seja, pode-se identificar que os portadores Síndrome de Down têm uma alteração específica em um cromossomo, mas o que causa essa alteração, não se sabe ao certo.

O que é Transtorno?

Transtorno é um substantivo masculino que define o ato ou efeito de transtornar, bagunçar desorganizar, desordenar. Uma alteração na saúde nem sempre está relacionada a doença, e ainda sim causar desequilíbrios mentais ou psicológicos.

Para a psicologia, a psiquiatria e outras áreas que estudam as psicopatologias, os transtornos mentais são condições de perturbação mental. Os transtornos mentais comprometem a vida do indivíduo em vários aspectos. 

Alguns exemplos são: transtorno de ansiedade, Transtorno de Espectro Autista — TEA, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade — TDAH, entre outros.

Assim como ocorre nas síndromes, os transtornos não têm uma única causa e podem ser resultado de déficits biológicos e/ou psicológicos. As alterações mentais — ou os transtornos — apresentam sintomas como o de uma doença.

No entanto, em sua maioria não têm cura, mas tratamentos que aliviam seus sintomas e permitem que a pessoa tenha uma melhor qualidade de vida. Devemos desmistificar o termo transtorno mental e acabar com preconceitos que giram em torno dele.

Os tratamentos dos transtornos envolvem um trabalho multidisciplinar. Psicólogos, psiquiatras e outros profissionais da saúde, como médicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e psicopedagogos, desempenham uma importante função no tratamento dos transtornos mentais.

Além da psicoterapia e acompanhamentos terapêuticos em diversas áreas, podem ser necessárias outras intervenções, como a utilização de medicamentos que, no caso, são ministrados pelo psiquiatra. Os medicamentos podem ajudar a pessoa a organizar os sintomas do transtorno.

A psicoterapia pode ajudar a pessoa a descobrir o que causou esse transtorno. A fono, a terapeuta ocupacional e a psicopedagoga auxiliam no desenvolvimento de habilidades fundamentais para o desenvolvimento do indivíduo. O médico acompanha a evolução do caso e de seus sintomas. 

Na maioria dos transtornos, o objetivo do tratamento não é a cura, mas ajudar a pessoa a lidar com essa desordem que a acomete, a fim de manter-se mais organizada e estável.

É muito importante entender as diferenças entre síndromes e transtornos para encontrar os melhores tratamentos. Com as intervenções adequadas, as pessoas acometidas por algum desses quadros conseguem aumentar sua qualidade de vida.

Restou alguma dúvida? Deixe nos comentários!

Referências:

MERCADANTE, Marcos T; VAN DER GAAG, Rutger J  and  SCHWARTZMAN, Jose S. Transtornos invasivos do desenvolvimento não-autísticos: síndrome de Rett, transtorno desintegrativo da infância e transtornos invasivos do desenvolvimento sem outra especificação. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2006, vol.28, suppl.1 [cited  2020-08-05], pp.s12-s20.

TEIXEIRA, Paulo José Ribeiro  and  ROCHA, Fábio Lopes. Associação entre síndrome metabólica e transtornos mentais. Rev. psiquiatr. clín. [online]. 2007, vol.34, n.1 [cited  2020-08-05], pp.28-38.

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *