Voltar

Qual a idade certa para alfabetização?

A idade para alfabetização é algo que precisa ser olhado com toda atenção. O processo em si depende de estratégias em longo prazo para resultar na assimilação das letras com as palavras, associando esses sinais com a sonoridade. Enfim, nota-se uma ligação complexa e que deve ser desenvolvida.

O que estudos dizem?

As pesquisas neurocientíficas apontam que aos 6 anos de idade a criança já pode ser incluída no processo sistemático de alfabetização. Importante ressaltar que esse processo é concluído lá pelos 7 anos e meio, 7 anos e 8 meses.

Por que essa idade?

A idade para alfabetização acontece porque nesse período a criança está mais apta às habilidades de leitura e escrita. Tal estratégia vai coroar toda a estimulação do desenvolvimento dessa criança.
Como dito acima, o processo de alfabetização é algo que depende de pontos estratégicos. Além disso, vamos relembrar algumas etapas que fazem parte do caminho utilizado para se alfabetizar:
– Entre 2 e 3 anos de idade – as crianças são estimuladas com cores, sons, letrinhas e outros itens de forma lúdica. Esse exercício constante é como se fosse possível abrir uma janela no sistema cognitivo dos pequenos, possibilitando a assimilação desses itens.
– Entre 6 e 7 anos – a partir dessa fase, a criança já está pronta e preparada para ser alfabetizada, tendo como resultado o estímulo recebido lá trás.

Processo sistematizado

Como vocês podem ver, a idade para alfabetização ocorre na faixa dos 6 e 7 anos. O processo de alfabetização deve ser sistematizado e mais estimulado por profissionais que estão habilitados para essa finalidade. Afinal, a partir desse período, as sílabas mais complexas e as dificuldades de ortografia podem ser trabalhadas com mais ênfase, aumentando o conhecimento da criança.
Portanto, é importante que haja essa preocupação com o ensino que se dá aos pequenos, tendo em vista o conjunto de habilidades que é desenvolvido, o que possibilita o domínio do aluno em alguns quesitos.

Problemas na alfabetização e interferência na leitura

É possível haver casos em que a criança passa dos 6 e 7 anos com dificuldade de leitura? O que pode ser isso? Bom, é preciso olhar com cautela essa situação.
Isso pode ser motivado por diversos fatores. O primeiro deles é o seguinte: será que essa criança está vendo ou escutando bem? A primeira coisa que se deve fazer é levar o pequeno para um exame de visão ou de audição para se certificar se não há nenhum problema que impeça a leitura ou a escuta de seu filho. Esses exames são feitos para tirar todas as dúvidas nesse sentido.
E se a criança estiver enxergando e escutando sem nenhuma interferência, o que pode ser? Então é hora de avaliar como foi o processo de estimulação para a alfabetização dessa criança. Ela passou por todas as etapas de forma adequada? Será que foi mostrado o som das letras, a junção delas enquanto se pratica a leitura em voz alta?

Isso é algo que deve ser olhado com total atenção, pois não basta a criança saber as letras; é necessário que ela tenha toda uma elaboração cognitiva para perceber os sons e a sequência dos sons. Os processos de consciência fonológica e discriminação auditiva são muito importantes e influenciam também em sua alfabetização.
Sabendo que a idade para alfabetização gira em torno dos 6 ou 7 anos, é imprescindível que os adultos fiquem atentos se a criança só demonstrar facilidade nisso após esse período. Certamente, lá pelos 8,9 ou 10 anos, os pequenos podem encontrar mais dificuldade para aprender a ler e a escrever, impactando na alfabetização.
 
Luciana Brites Psicomotricista
 

Você também pode se interessar...

8 respostas em “Qual a idade certa para alfabetização?”

Boa tarde! Meu vai fazer 9 anos e ainda não aprendeu a ler. Se com muita dificuldade de aprendizagem. Já acompanho vocês do neuro saber.

Olá! Meu filho tem 2 anos e cinco meses, com 2 anos aprendeu o alfabeto completo através de um quebra cabeça e agora já está lendo sílabas e palavras pequenas, ele tem hábito de soletrar todas as palavras que ve pela frente, aprendeu perguntando e brincando, já fui muito criticada por isso, mas ele gosta de brincar com as letras, aprendeu brincando!

Eu também aprendi a ler sozinho, com dois anos e meio, de tanto perguntar. Isso em 1972. Por algum motivo estranho os pesquisadores da educação ainda não perceberam que algumas crianças amadurecem bem mais cedo nessa área e insistem em atrasá-las, segundo critérios que eles julgam ser científico. É difícil provar que crianças não tem maturidade neurológica para aprender algo que muitas delas aprendem até sozinhas, brincando. Mas a dificuldade que surgirá mais adiante é no convívio escolar. Há um abismo de distância mental entre uma criança que sabe ler e escrever, e alguma operações matemáticas, e as demais, que ainda estão na fase de escrever letras espelhada porque não sabem para qual lado fazer as curvinhas do f , hehe. Eu achava isso muito engraçado.

Sou Psicopedagoga e tenho como base nos teóricos que estudei que quanto mais cedo a criança alfabetizar de modo correto, melhor para ela. Parabéns com essa idade hoje em dia é só para gênio.😉

O meu filho aconteceu exatamente isso,estimulamos atraves das nossas brincadeiras e palavras corretas, nunca gostei de falar palavras erradas para as crianças, sempre que pedia algo eu falava o nome certo e assim foi aprendendo. Somos pais mais velhos de filho unico, e ouvimos muitas vezes que queremos que ele seja super dotado, mais acontece que ele sempre gostou de saber, tem interesse em aprender as coisas, tudo quer saber, em vez dele perguntar o que é, nos perguntamos e ele conta historias cria da cabeça dele. Eu as vezes me pergunto se estou errada, se posso fazer isso.

O nosso cérebro é uma gigantesca e complexa maquina de aprender e raciocinar, ele precisa de estimulo! O que acontece é a falta dele ou o estimulo errado, geralmente o que a gente vê são crianças que sofreram muita pressão para aprender e perderam o gosto, é importante dar o estimulo sem forçar a criança, assim aos poucos ela vai compreendendo e pegando cada vez mais facilidade, fui criado na base do deixar viver mas não deixa largado e hoje sou olimpista da imo e engenheiro pelo ita, não force mas também não estrague o guri, abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *