Voltar

Qual a importância da memória no processo de aprendizagem?

A memória é um processo cognitivo que define a dimensão temporal da nossa organização mental. É a capacidade de codificar, armazenar, reter e relembrar informações e experiências anteriores. 

A memória tem um papel primordial na aprendizagem, entenda melhor neste artigo.

A memória no processo de aprendizagem

A memória tem um papel fundamental na aprendizagem, pois permite o reaproveitamento das experiências do passado e do presente e ajuda a garantir a continuidade do aprendizado.

A memória é um processo ativo de codificação, armazenamento e recuperação de nossas experiências. Existem 3 processos principais envolvidos na memória:

  1. Codificação — transformação das informações em memória armazenada.
  2. Armazenamento — manutenção das informações codificadas na memória.
  3. Recuperação — acesso às informações codificadas e armazenadas.

Codificação

A codificação é o primeiro processo operado pela memória e a eficiência do aprendizado depende dele que, por sua vez, depende de uma série de outros fatores, como:

  • Conteúdo — tipo de material a ser codificado. Quanto maior o volume de conteúdo, mais difícil é a codificação e quanto melhor organizado, mais fácil é a codificação. O grau de familiaridade com o conteúdo também interfere na capacidade de codificação das informações, assim como o lugar ocupado pela informação na estrutura do conteúdo (as informações colocadas no início e no final tendem a ser armazenadas com mais facilidade do que aquelas colocadas no meio).
  • Fatores Ambientais — condições sob as quais a codificação ocorre. Embora nem sempre considerados importantes, são significativos para o processo de memorização. Temperatura, umidade, ruído, afeto, clima sócio emocional, etc., são apenas alguns fatores ambientais que interferem no processo de codificação.
  • Fatores subjetivos — relacionado às circunstâncias nas quais a codificação ocorre. Os fatores subjetivos podem incluir elementos como o estado de repouso ou fadiga do aluno, saúde ou doença. Motivação, interesses e disposição são essenciais para o processo de codificação.

Armazenamento

O armazenamento é um processo ativo e seletivo que permite preservar as informações codificadas. A informação armazenada é transformada, reorganizada e incluída em novos links, mesmo que o sujeito não esteja totalmente ciente do processo. O armazenamento das informações envolve aspectos quantitativos (duração da retenção) e qualitativos (fidelidade da retenção).

Dependendo da duração da retenção, existem 2 níveis de memória:

  1. Memória de curto prazo.
  2. Memória de longo prazo.

Ambos atuam como filtros que protegem nosso cérebro da enorme quantidade de informações que encontramos diariamente. Quanto mais a informação é repetida ou usada, o mais provável é que ela seja retida na memória de longo prazo (razão pela qual o reforço dos conceitos aprendidos é importante na aprendizagem). Este é o processo de consolidação, a estabilização de um traço de memória após sua aquisição inicial.

Recuperação

A recuperação é o processo de acessar as informações armazenadas e ocorre por meio de reconhecimento ou lembrança. O reconhecimento é a associação de uma experiência e envolve um processo de comparação de informações com a memória. 

A recordação envolve a lembrança de um fato, evento ou objeto e requer a descoberta direta de informações da memória. O reconhecimento é mais simples porque requer apenas um processo — uma decisão simples de familiaridade. 

A recordação completa requer um processo de 2 etapas: a pesquisa e recuperação de vários itens da memória e a escolha das informações corretas dentre os itens recuperados.

A teoria da especificidade da codificação desenvolvida por Endel Tulving adiciona outro componente ao processo de recuperação. Essa teoria explica que a recordação usa informações tanto do traço de memória quanto do ambiente em que é recuperado. Basicamente, a recuperação é melhor quando os ambientes de codificação e recuperação são semelhantes.

Memória e esquecimento andam de mãos dadas. O esquecimento tem diferentes causas e ritmos em diferentes idades e a forma mais eficaz de combatê-lo é a repetição. Para ser eficiente, a repetição deve ser considerada à luz dos seguintes critérios:

  • quantidade ideal de repetição — embora não seja intuitivo, o esquecimento está associado tanto com a repetição insuficiente quanto com a excessiva.
  • espaçamento da repetição — o número e a duração das pausas dependem do volume e da complexidade do conteúdo.
  • fórmulas de repetição apropriadas — a lógica é preferível à repetição mecânica, assim como a repetição ativa em oposição à passiva.

A memória é essencial para a aprendizagem, mas também depende dela, pois as informações armazenadas na memória criam a base para ligar novos conhecimentos por associação. É uma relação simbiótica que continua a evoluir ao longo de nossas vidas. 

Agora que você já sabe a importância da memória no processo de aprendizagem, compartilhe este artigo em suas redes e ajude outras pessoas.

Referências:

ADÃO, Anabel do Nascimento. A LIGAÇÃO ENTRE MEMÓRIA, EMOÇÃO E APRENDIZAGEM.

LOMBROSO, Paul. Aprendizado e memória.

Você também pode se interessar...

3 respostas em “Qual a importância da memória no processo de aprendizagem?”

Bom Dia ☀️
Fiquei curiosa sobre este assunto tem mais artigo sobre este assunto❓🥰

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *