Voltar

Qual o objetivo da psicomotricidade na educação?

A psicomotricidade e a educação andam lado a lado em prol do desenvolvimento da criança. No entanto, é normal que muitos pais não saibam como acontece de fato essa relação na vida de seus filhos. O artigo de hoje mostra como é importante estimular a conscientização de tais movimentos na concepção pedagógica dos pequenos.

O que é a psicomotricidade?

A psicomotricidade é uma ciência que busca fazer a conexão dos aspectos emocionais, cognitivos e motores nas diversas etapas da vida do ser humano. A palavra ‘psicomotricidade’ pode ser dividida da seguinte maneira:
psi: aspectos emocionais;
co: aspectos cognitivos;
motric: movimento humano;
idade: etapas de vida do ser humano.

Existe diferença da Educação Física para a Educação Física?

Os alunos podem ter a oportunidade de desempenhar funções ligadas à Educação Física e à Educação Psicomotora ao mesmo tempo. Seria excelente se a maioria das escolas proporcionasse isso a seus alunos, mas é preciso saber das várias realidades por que passam as instituições de ensino Brasil afora.
Enquanto a Educação Física trabalha no fortalecimento do tônus e do equilíbrio; a Educação Psicomotora procura trabalhar com a aquisição de controle sobre o corpo do indivíduo.

Qual o objetivo da psicomotricidade na educação?

Interessante ressaltar que o corpo funciona como a primeira ferramenta pedagógica da criança. É através dele que o pequeno passa a ter ideias fundamentais para sua percepção de mundo, além de saber se localizar e a atuar no espaço em que está inserido.
A psicomotricidade é responsável por trabalhar algumas funções primordiais para o desenvolvimento da criança, são elas: praxia fina, praxia global, lateralização e orientação espaço-temporal.
– Praxia fina: essa coordenação de movimentos é direcionada àquelas tarefas que estimulam o controle visual e o trabalho com grupos musculares menores, ideais para atividades mais detalhistas como escrever, recortar, picotar, pinçar, etc.
– Praxia global: a categoria atual requer o contrário do que é pedido na praxia fina, pois aqui a execução muscular é maior e exige um envolvimento do corpo de forma integral, como correr, pular, dançar, saltar, andar, entre outros.
– Lateralização: esse conjunto de habilidades é dividida em lateralidade e dominância lateral. O primeiro pode ser definido como a consciência existente em dois lados do corpo e do ambiente que cerca a criança. O segundo, por sua vez, é a preferência de um dos hemisférios do corpo para a realização de atividades com mais força, precisão, excelência (diferença entre destros e canhotos).
– Orientação espaço-temporal: a psicomotricidade trabalha com a compreensão do mundo tal como ele é estruturado em espaço e tempo; além da compreensão do aqui e do agora; a concepção do que está antes e depois; a habilidade de organizar-se no espaço e no tempo para assumir o controle das tarefas da vida cotidiana.
Além das funções citadas acima, temos também a equilibração, a tonicidade e o esquema imagem corporal. Vale salientar que a criança aprende a agir com total autonomia e a interagir de maneira mais dinâmica com seus coleguinhas.
Links consultados:
https://neurosaber.com.br/a-importancia-da-psicomotricidade-para-educacao-infantil/
Luciana Brites Psicomotricista

Você também pode se interessar...

8 respostas em “Qual o objetivo da psicomotricidade na educação?”

Achei muito interessante a matéria pois estou cursando uma pós- graduação em psicopedagogia clínica e este assunto ajudou-me bastante no enriquecimento das minhas dúvidas em relação ao assunto psicomotricidade.

Olá Drª Luciana,
Sou professora de artes plásticas. Comecei recentemente a interessar-me pela psicomotricidade.
Gostaria que me aconselhasse algum livro ou tese que pudesse ler , que me oferecesse uma visão global do que é a psicomotricidade e alguns exercícios práticos para desenvolver a psicomotricidade fina com os meus alunos (de 10 a 14 anos).
Muito obrigada.
Cumprimentos
Susana

Olá, Drª Prof. Luciana Brites
Sua explicação traz ao leitor o desejo de conhecer aprofundar mais no assunto,usarei na integra sua explicação. Obrigado
Luci do Carmo
Santos/SP

Sugiro que sejam apresentados os dados para referenciação bibliográfica em artigos acadêmicos e trabalhos afins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *