Voltar

TDAH na adolescência e na fase adulta

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) deve ser entendido como um transtorno de desenvolvimento que afeta a vida de uma pessoa em vários aspectos. Muitas pessoas pensam que somente as crianças convivem com essa condição, mas a situação é completamente diferente, uma vez que adolescentes e adultos também são diagnosticados com ela. Portanto, nota-se que o TDAH acompanha as três fases da vida de um indivíduo.

Qual é a frequência do TDAH na população adulta?

Estima-se que 3% dos adultos apresentam o TDAH. O detalhe é que 95% das pessoas começaram a ter sintomas antes dos 16 anos. Outro dado importante é que 50% delas são diagnosticadas antes dos 7 anos.

O TDAH na adolescência

Durante a adolescência o TDAH mostra o seu lado mais perigoso, pois é nesse período que o convívio social tende a ficar mais prejudicado. Uma situação vivenciada pelo adolescente com TDAH é o conflito corriqueiro com seus familiares, colegas de sala e professores.

– No contexto da família

O jovem geralmente entra em atrito com seus parentes por não conseguir obedecer às regras impostas pelos adultos. Além disso, o fato de não conseguir dar continuidade ao que é solicitado faz com que haja essa situação de desconforto por ambas as partes, onde surge incompreensão e, consequentemente, brigas.

É muito comum que adolescentes com TDAH entrem em conflito com seus irmãos, principalmente se a diferença de idade entre eles for bem pequena. As agressões podem acontecer desde insultos a violência física em casos mais graves.

– No contexto da comunidade em geralmente

A adolescência é um período marcado por grandes questionamentos e uma pessoa que convive com o TDAH não é diferente. Sendo assim, o adolescente nessa situação tende a se envolver mais em brigas fora de casa. Há casos em que o jovem pode até se envolver com o uso de drogas e outras atividades que oferecem riscos à sua integridade e a dos demais.

O TDAH na fase adulta

Esses jovens atingem a idade adulta com baixa autoestima, tendo em vista que eles chegaram a atual fase sem atingir os objetivos básicos na infância e na adolescência, seja em seu convívio social ou experiência acadêmica.

Muitas vezes, os adultos chegam ao consultório demonstrando estarem depressivos, culpando-se e se perguntando por que não conseguem cumprir tarefas básicas do cotidiano. Eles se questionam por que esquecem tanto e não conseguem dar prosseguimento àquilo que começaram antes.

 TDAH adulto no percurso escolar

O adulto com TDAH tem oito vezes menos chances de conquistar o diploma universitário, além disso, ele tem possibilidades reais de largar os estudos. Problemas de relacionamento social e problemas de evolução acadêmica são os principais motivos para a desistência da vida estudantil antes de ser concluída.

Sabendo um pouco mais sobre o TDAH

O TDAH se constitui por uma excessiva dificuldade em manter o foco em uma atividade que exija esforço mental prolongado; uma atividade que precise ser desempenhada com regras, prazos pré-determinados. Além disso, crianças com déficit de atenção têm dificuldade para começar e terminar suas tarefas.

Outra dificuldade é a de rever situações e erros; dificuldade de fazer conclusões, síntese e análise de atitude. Pessoas com TDAH tendem a ser mais esquecidas, desorganizadas e perdem-se em tarefas. Além disso, há mais características:
– Tendem a ter rendimentos escolares e rotineiros mais baixos;
– Podem ser completamente introspectivas;
– Problema de memorização, capacidade de organização e interiorização de conceitos e aprendizagens;

Dr Clay Brites

Você também pode se interessar...

18 respostas em “TDAH na adolescência e na fase adulta”

Olá Marilei ,
procure primeiramente um neurologista caso for necessário irá encaminha para outro especialista .

Olá Jheanny , sim pode , mas para saber se tem TDAH é importante buscar um especialista para lhe dar melhores informações e orientação para uma intervenção.De qualquer forma , temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e também em nosso blog que podem te ajudar em muitas questões .

Meu filho faz tratamento com uma fono há três anos e começou a dar resultado, mas eu também a coloquei no Kumon, hoje com 13 anos toma ritalina, mas faço leitura todos os dias com ele em voz alta , isso melhorou a leitura e a compreensão…qto a escrita já escreve na linha e se organiza melhor.Mas começou a decodificação dos livros que leu, portanto melhorou a escrita, mas ele fez o SENA, Sistema de estimação neuro auditivo, e começou a fazer música, eu como mãe me preocupo com ele sim , e ensino ele todos os dias, enquanto viver eu lutarei pelo meu filho…

meu filho tem TDH ele gosta muito de ver jogos no celular isso pode o prejudicar e gosta de jogar bola mas o que posso fazer para ajudar ele na memorização fico desesperada as vezes tenho medo do futuro dele ele faz acompanhamento com neuro

Olá Luana ,
sim tem melhora com tratamento , por isso é importante ser avaliada por um profissional especializado irá dar as melhores orientações para caso dela .

Mto complicado! Vamos empurrando c a barriga pq não sabemos como lidar na infância! Não há médicos ou terapeutas c conhecimento na área, mto pelo contrário, mtos negam o transtorno, e eis q chegam á idade adulta e continuamos sem saber o q fazer! C o agravante d ser um adulto!

Meu filho tem 21a, foi diagnosticado com TDAH, agora, depois que passou em três vestibulares, cursa o 4 ano de medicina, mas está querendo desistir. Os obstáculos estão o deixando com insegurança diante do futuro, no dia a dia, se atrapalhar com seus pensamentos, são muitos pensamentos, tem dificuldade de cumprir tarefas domésticas, tbm não consegue organizar seu pertences, todos os dia tenho que falar a mesma coisa, relacionada as realizações de tarefas, porém, ele é muito inteligente, se frusta quando não consegue atingir a eficiência, se cobra demais, diante dessa situação, quer desistir. Fico desesperada com tantos sonhos meus, mas não o vejo fazendo projetos, ele tem dificuldade de expor suas aspirações, a introspecção com o mundo dificulta. Enfim, um jovem com futuro brilhante, mas com muitos obstáculos na vida. Fico sem chão, porém, serei incansável na busca de seu melhor.

Eu tenho situação parecida com a dele, e dificuldades similares, iniciei 4 vezes com bolsa ou em pública cursos superiores e desisti, somente agora, aos 31 anos, descobri que o TDAH atrapalha minha vida há uns 26 anos. Antes, além de diversos problema na infância, inclusive de eu me machucar e apanhar de 3 a 5 vezes por dia, larguei os estudos na 5ª série, fui retomando e parando até terminar a 8ª e depois, já com 23 anos eliminei o ensino médio com o Enem (na época era possível). Vou retomar o curso de direito que larguei duas vezes e perseguir meus objetivos. Fui aprovado e cursei direito em uma das mais respeitadas, caso nãos seja a mais respeitada instituição do País, mesmo assim, com o tempo as dificuldades surgiam, e, assim como seu filho, me cobro muito e se não consigo ou não atinjo um bom nível, me frustro. Acho que seu filho, sabendo do problema e com seu apoio, agora que já trilhou a maior parte da graduação em medicina, tem plenas condições pra concluir e, se após concluir, quiser ir fazer outra coisa, ainda é jovem e poderá exercer a medicina por um tempo enquanto não termina outra formação. Pra ele ter chegado até onde chegou não compensa desistir, compensa terminar e se for fazer outra coisa, fazer depois. Ele é plenamente capaz de conseguir, o problema é nós que temos TDAH nos cansamos das coisas e queremos mudar, mas, se ele já fez tudo isso, é melhor terminar a graduação em medicina.

Oi! Tenho 23 anos, curso o 5º ano de Medicina e me identifico muito com seu filho. Garanto que uma das coisas mais importantes é o apoio da familia, a não desconfiança do diagnóstico e o tratamento com terapeuta cognitivo comportamental.

Descobrir que te tdah aos 54 anos de uma vida mal vivida ė como ter sentença de morte?
Estou condenado a viver sozinho….

Olá Marcelo,
Não é uma sentença de morte
Orientamos que converse com médico que está te acompanhando para lhe dar melhores informações e orientação assertivas sobre o caso.
Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
Youtube: https://youtube.com/neurosabervideos
Facebook: Neurosaber
Instagram: @neurosaberoficial
Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos
Conheça também nossos Programas, cursos e NeuroPalestras: https://lp.neurosaber.com.br/neurosaber-cursos/
Atenciosamente,
Equipe NeuroSaber

Tenho uma neta que até agora na idade de 14 anos, não aprendeu a ler , ela tem dificuldade na fala mas, dar pra compreender, Yasmin nasceu depois da hora, ‘um médico irresponsável deu remédio para a mãe da Yasmim passar a dor do parto, alegando que não estava na hora, sendo que a mãe já tinha perdido o líquido amniótico, esse dia era sábado e a Yasmim nasceu segunda em uma outra maternidade e chegando la, a medica disse que tinha passado da hora,a Yasmim teve que ficar 10 dias no hospital . quando tinha mais de 1 anos começou a apresentar convulsões, SÓ parou antes dos 5 anos. e nunca aprendeu ler e não sabe fazer nada tem dificuldade em tudo, mas é muito feliz, ela só nao entende porque não tem nenhuma amiga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *