Voltar

Teste de Dislexia: o que é e como identificar seus sintomas

A dislexia já foi definida de diferentes maneiras. Em 1968, a Federação Mundial de Neurologistas a definiu como um distúrbio em crianças que, apesar da experiência convencional em sala de aula, não conseguem atingir as habilidades linguísticas de leitura, escrita e ortografia proporcionais às suas habilidades intelectuais. 

A International Dyslexia Association define a dislexia como um distúrbio de aprendizagem específico de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldades no reconhecimento preciso de palavras, falta de ortografia e habilidades de decodificação. 

Essas dificuldades resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem que pode levar a problemas na compreensão da leitura e impedir o aumento do vocabulário e do conhecimento prévio. Saiba mais sobre o que é, sintomas e diagnóstico de dislexia, neste artigo.

O que é dislexia

A dislexia é o distúrbio de aprendizagem mais comum em crianças e persiste por toda vida. A gravidade varia de leve a grave. Quanto mais cedo for tratada, mais favorável será o resultado do tratamento. No entanto, nunca é tarde demais para pessoas com dislexia aprenderem a melhorar suas habilidades linguísticas.

A dislexia pode passar despercebida na primeira infância, mas as crianças podem ficar frustradas diante a dificuldade de aprender a ler. É importante estar atento aos sinais emocionais que indicam a dislexia e podem confundir os pais, como baixa autoestima, problemas de comportamento em casa e na escola, desmotivação para ir à aula, entre outros.

O que causa a dislexia

As crianças com dislexia têm dificuldade para aprender a ler, apesar da instrução tradicional, inteligência mediana, motivação adequada e oportunidade de aprender. Acredita-se que seja causada por uma deficiência na capacidade do cérebro de processar fonemas (unidades da fala que formam as palavras). 

É importante frisar que a dislexia não é causada por problemas de visão, audição, deficiência intelectual ou falta de inteligência. As causas podem ser várias, como fatores hereditários, por exemplo.

Quais os sinais e sintomas da dislexia

Os professores e os pais podem detectar sinais precoces de dislexia nas crianças que demandam uma avaliação mais profunda por um psicólogo ou outro profissional de saúde para diagnosticar o transtorno.

Sinais e sintomas de dislexia:

  • atraso no desenvolvimento inicial da linguagem;
  • dificuldade para reconhecer as diferenças entre sons semelhantes;
  • aprendizagem lenta de novas palavras;
  • dificuldade em copiar do quadro ou de um livro;
  • dificuldade para aprender habilidades de leitura, escrita e ortografia;
  • dificuldade para lembrar do conteúdo de um vídeo ou de um livro de histórias;
  • dificuldades com relações espaciais — a criança pode parecer descoordenada e ter dificuldade com esportes ou jogos coletivos;
  • dificuldades com a esquerda e a direita; entre outros.

As crianças com dislexia também podem ter dificuldade em lembrar ou compreender o que escutaram, relembrar sequências ou responder a mais de um comando por vez. Da mesma forma, partes de palavras ou de frases podem ser perdidas e uma palavra semelhante ser usada em seu lugar.

As crianças com dislexia podem saber o que querem dizer, mas têm dificuldade em encontrar as palavras para expressar seus pensamentos e sentimentos. Outros sinais sutis de dislexia podem ser observados, como:

  • ficar retraída e parecer deprimida;
  • começar a atuar, desviando a atenção da sua dificuldade de aprendizagem;
  • problemas com a auto-estima que afetam as interações entre colegas e irmãos;
  • perda do interesse pelas atividades da escola, parecendo desmotivadas ou preguiçosas.

Os sinais e sintomas emocionais são tão importantes quanto os acadêmicos e requerem atenção na mesma medida. A forma de avaliação para cada criança vai depender dos problemas específicos que ela enfrenta, mas inclui testes em cinco áreas:

  1. cognição
  2. performance acadêmica
  3. comunicação
  4. sensorial / motor
  5. saúde e desenvolvimento

Normalmente, quem realiza o diagnóstico de dislexia é um psicólogo clínico, através de testes, observação da criança e conversa com os pais. Como existem diferentes formas de dislexia, como dificuldade de aprendizagem na leitura, linguagem escrita ou matemática, o psicólogo também diagnostica o tipo específico. 

Testes de dislexia

Muitos fatores são avaliados pelo psicólogo para diagnosticar a dislexia. Testes são usados para determinar o nível funcional de leitura da criança, comparado ao seu potencial de leitura, avaliado por um teste de inteligência. 

Todos os aspectos do processo de leitura são examinados para identificar onde está a falha. Os testes de dislexia avaliam como a criança recebe e processa as informações e o que faz com elas. 

Os testes determinam se uma criança aprende melhor por informações auditivas,

visuais ou cinestésicas. Também avaliam se ela tem melhor desempenho quando tem permissão para dar informações (saída), dizer algo (oral) ou fazer algo com as mãos (tátil-cinestésico). 

Os testes de dislexia avaliam como todos esses sistemas sensoriais (modalidades) funcionam em conjunto. Muitos usam um tipo de jogo ou têm o formato de quebra-cabeça, o que ajuda a criança a se sentir mais confortável durante as avaliações. 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre testes de dislexia e como identificar seus sintomas, compartilhe este artigo em suas redes e ajude outras pessoas!

Referências:

ALVES, Rauni Jandé Roama et al. Teste para Identificação de Sinais de Dislexia: processo de construção. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2015, vol.32, n.3 [cited  2021-04-09], pp.383-393.

MICHELINO, Matheus Sant’Ana; CARDOSO, Amanda Douat; SILVA, Patrícia Botelho da  e  MACEDO, Elizeu Coutinho de. Desempenho em testes psicopedagógicos e neuropsicológicos de crianças e adolescentes com dislexia do desenvolvimento e dificuldade de aprendizagem. Rev. psicopedag. [online]. 2017, vol.34, n.104 [citado  2021-04-09], pp. 111-125 .

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *