Voltar

Timidez e depressão podem ser sinais de autismo?

O desenvolvimento das crianças é sempre acompanhado pelos pais com satisfação e também muitas preocupações. Muitas vezes, têm dúvidas se a timidez e, em casos mais graves, a depressão, podem ser sinais de autismo.

Como saber quando se trata de uma característica da criança ou um sintoma de TEA — Transtorno do Espectro Autista? Se o seu filho é tímido e/ou apresenta sinais de depressão, isso não quer dizer que ele tenha autismo. No entanto, é preciso compreender melhor essas diferenças, que muitas vezes podem ser sutis.

Pensando nisso, escrevemos este artigo para que você entenda melhor as diferenças entre timidez, depressão e autismo. Vale lembrar que essas características podem estar presentes na criança com TEA, mas quando ocorrem isoladamente de outros sintomas, não significam sinais de autismo.

Como diferenciar timidez e autismo?

Uma criança tímida costuma evitar o contato visual, se esconder atrás dos pais e não participar de brincadeiras com outras crianças. Da mesma forma, uma criança com autismo pode não falar, olhar para outras pessoas ou brincar com seus colegas. Tanto as crianças tímidas quanto as com autismo podem ser mais quietas, reservadas e acharem difícil fazer amigos.

Ainda que ambos estados afetem a habilidade de comunicação das crianças, existem algumas diferenças sutis entre timidez e autismo.

Mesmo que as crianças tímidas evitem o contato visual, elas procuram o apoio dos pais ou responsáveis. Além disso, uma criança tímida pode romper esse estado e passar a brincar e se juntar a grupos de crianças depois de um tempo inicial de retração. Gradualmente, podem se abrir para mais pessoas e mostrar mais confiança em novas situações.

Uma criança com autismo, por outro lado, pode não se aproximar ou brincar com outras crianças mesmo depois de passar muito tempo com elas. Geralmente, prefere jogar sozinha. Além disso, ela provavelmente não procurará o apoio dos pais em novas situações e pode não gostar de contato visual, mesmo com as pessoas mais próximas.

Como diferenciar depressão e autismo?

Os transtornos de humor — incluindo a depressão — parecem ser mais comuns naqueles com transtornos de desenvolvimento do que em pessoas saudáveis. No entanto, isso não significa que se seu filho apresentar sintomas de depressão, ele tenha autismo.

O diagnóstico de depressão deve ser feito por um especialista no assunto, em geral, psicólogo ou psiquiatra. Pode acontecer que crianças com autismo desenvolvam a depressão. Quando perceber que o estado emocional do seu filho está afetado, com sinais de ansiedade e tristeza, procure ajuda profissional.

Depressão no autismo

Muitas crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) demonstram pouca emoção facial. Isso não significa, necessariamente, que elas estão deprimidas! Em outras palavras, o que elas expressam não corresponde necessariamente ao que estão sentindo.

Dessa forma, é mais difícil identificar a depressão em crianças com autismo. Além disso, muitos indivíduos com TEA têm fala limitada ou inexistente e podem não ser capazes de dizer como se sentem.

Como você pode imaginar, isso torna difícil diagnosticar com precisão a depressão nas crianças com TEA. O que se pode fazer, é observar se existem outros sinais que sinalizam uma depressão. Isso inclui alterações no apetite ou no sono, queda de energia, perda da capacidade de desfrutar as atividades antes agradáveis e uma diminuição geral de interesses e motivação.

Ainda assim, é difícil diagnosticar com confiança a depressão naqueles que talvez não consigam transmitir como se sentem em palavras.

Outro desafio no diagnóstico de depressão em crianças com autismo é a sobreposição de sintomas. Os sintomas da depressão incluem redução de apetite, distúrbios do sono, baixa energia e motivação, retraimento social e falta de vontade de se comunicar com os outros. Muitos desses sintomas podem ser sinais de autismo e não da depressão.

Quais são os sinais de autismo?

Se você é pai ou mãe de uma criança com TEA, sabe que, dependendo do grau do espectro, os sinais de autismo podem ser difíceis de detectar. Geralmente, os pais começam a notar os sintomas por volta dos dois anos ou ainda mais tarde.

Além de mostrar sinais de timidez ou relutância em socializar, existem outros sinais de autismo, como, por exemplo:

  • não imitar os pais quando apontam para algo ou batem palmas;
  • ficar incomodado com alguns barulhos, cheiros ou gostos;
  • alinhar seus brinquedos em uma fileira repetidamente; 
  • desenvolver a linguagem, mas depois parar de falar.

Se você está preocupado com a timidez ou sintomas de depressão do seu filho, esses podem ser sinais de autismo ou terem outras causas. De qualquer forma, merecem ser analisadas por seu médico ou pediatra. Se for o caso, farão encaminhamentos para outros  especialistas, como psicólogo e psiquiatra infantil, para que possam observar a criança.

Lembre-se, quanto mais cedo o autismo for diagnosticado, maior a probabilidade de que as intervenções sejam bem-sucedidas.

Restou alguma dúvida sobre os sinais de autismo? Deixe nos comentários.

 

Referências:

ZANON, Regina Basso, Bárbara Backes, Cleonice Alves Bosa.Identificação dos Primeiros Sintomas do Autismo pelos Pais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Psicologia: Teoria e Pesquisa Jan-Mar 2014, Vol. 30 n. 1, pp. 25-33. 

https://www.autismspeaks.org/expert-opinion/whats-connection-between-autism-and-depression

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *