Skip to content Skip to footer

Como identificar se é birra ou TOD?

COMO IDENTIFICAR SE É BIRRA OU SE É TOD?

Primeiramente, lidar com crianças fazendo birras pode ser desafiador, por isso saber identificar se ela está realmente fazendo birra ou se tem TOD é um fator importante.

Além disso, muitas vezes, em lugares como shoppings, parques e outros, os pais têm dificuldade em lidar com filhos que estão fazendo birras. E isso pode incluir choro, gritos ou até mesmo o filho se jogando no chão.

Os pais, às vezes constrangidos, às vezes irritados, tentam convencer os filhos a pararem esses comportamentos. Mas de onde surgem essas birras? Toda criança que se comporta dessa maneira realmente está fazendo birra?


Dessa forma, entende-se que na verdade, algumas dessas crianças podem ter o Transtorno Opositivo Desafiador. Mas como diferenciar essas crianças? Aprenda a seguir a identificar os sinais.

MAS COMO IDENTIFICAR SE É BIRRA OU SE É TOD?


De acordo com o (DSM-5), o TOD é uma condição que afeta o comportamento infantil. Ou seja, faz com que a criança seja muito desafiadora, irritada e até mesmo agressiva quando contrariada.

Antes de mais nada, entenda melhor o que é TOD:

Desse modo, para identificar se ela possui mesmo TOD, é necessária a presença dessas 3 características abaixo durante, pelo menos, seis meses:

●Reações irritadas e raivosas de humor;
●Comportamentos excessivamente questionadores e desafiadores;
●Índole vingativa.

Somado a isso, o pequeno também deve apresentar, no mínimo, quatro dos oito sintomas.


Abaixo durante sua interação com as pessoas, exceto com irmão/irmã:


● Perde a calma rapidamente;
●É sensível ou facilmente se incomoda com algo;
●É raivoso e ressentido;
●Questiona as figuras de autoridade, como seus pais;
●Se recusa a obedecer às regras ou pedidos feitos pelas figuras de autoridade;
●Costuma incomodar propositalmente outras pessoas;
●Culpa os demais pelos seus próprios erros;
●Agiu de maneira vingativa pelo menos duas vezes nos últimos 6 meses.

COMO IDENTIFICAR SE É BIRRA OU SE É TOD?

Por isso, quando diagnosticado o TOD, ainda é preciso definir a gravidade atual dos sintomas:


Leve: pois os sintomas surgem apenas em um ambiente, como em casa ou na escola;
●Moderada: quando alguns sintomas aparecem em dois ambientes;
●Grave: pois alguns sintomas estão presentes em três ou mais ambientes.

Profissionais adequados usam escalas específicas para confirmar o TOD. A idade e o gênero da criança podem afetar como o TOD é manifestado. Por isso, é importante prestar atenção às diferenças de cada criança.

MAS COMO SABER SE É BIRRA?

Por tanto, a birra infantil evidencia-se pelo choro associado à intensa irritação e comportamentos que vão desde jogar-se no chão. Ou até um total descontrole, que pode até assustar os adultos que presenciam.

A birra não tem nada a ver com o TOD. É apenas uma maneira imatura de uma criança expressar sentimentos ruins, como frustração. Ela geralmente direciona-se as figuras de autoridades e não a outras crianças da mesma idade.

Normalmente, a birra desaparece com o tempo, mas se persistir até os 4 anos, pode depender da maneira como os pais lidam com as situações.

Além disso, enquanto o TOD prejudica o desenvolvimento infantil, o sono e a socialização do pequeno com as pessoas em geral. Por outro lado, as birras não costumam gerar impactos tão significativos nesses aspectos.

Portanto, o fato de seu filho chorar e “fazer escândalo” em uma loja por não conseguir o brinquedo que queria. Por exemplo, não quer dizer que ele tenha TOD.

ALIÁS COMO IDENTIFICAR SE É BIRRA OU SE É TOD?

SITUAÇÕES OPOSITORAS:

Dessa forma, por ser muito reativo e sensível às atitudes das outras pessoas, o pequeno com TOD passa por diversas situações opositoras, tais como:

  • Desafiar os pais quando estes lhe solicitarem algo;
  • Quebrar regras estabelecidas por seus responsáveis;
  • Chorar copiosamente por algo simples que seu amigo disse ou fez que o desagradou;
  • Ficar muito ressentido com alguém que o deixou triste e idealizar alguma vingança.

Consequentemente, isso acaba gerando prejuízos em seu convívio social. Pois afasta os amigos e até mesmo outros familiares, bem como resulta em muitas queixas à coordenação da instituição onde ele estuda.

O QUE FAZER SE FOR TOD?

O diagnóstico para o TOD é geralmente feito por um neurologista ou psiquiatra infantil. Recomenda-se que esse diagnóstico seja feito por uma equipe de profissionais, incluindo neuropsicólogo e psicopedagogo.

Dessa forma, após o diagnóstico do TOD, é fundamental que todos os envolvidos na vida da criança sejam conscientizados.

Ademais, os responsáveis e a escola também devem desenvolver estratégias que amenizem seu comportamento opositivo. Aqui estão alguns exemplos:


●Elogiar a criança sempre que ela se comportar de forma positiva;
● Falar de forma direta e objetiva;
●Recompensá-la quando ela agir positivamente;
● Ficar ao seu lado quando ela estiver em crise e, após ela se acalmar, conversar com
ela e tentar ajudá-la sem briga;
● Incentivar o seu desenvolvimento emocional, auxiliando-a a lidar com os sentimentos
negativos;
● Criar um ambiente seguro, organizado, previsível e ordenado;
● Identificar suas dificuldades e seu perfil comportamental para a elaboração de
estratégias adequadas;
●Utilizar estratégia de ensino eficazes, conforme fundamentação teórica;
● Atentar-se à presença de outros transtornos associados ao TOD, como TEA, TDAH, entre outros;
● Estabelecer regras e rotinas na sala de aula, de modo que todos cumpram.

O QUE FAZER SE FOR BIRRA?

●Resolva o conflito sem violência, procure não contrariar a criança em meio a um momento crítico.
●Estabeleça alguns limites, em momentos oportunos converse sobre regras e condutas que o pequeno deve respeitar.
●Seja resiliente, por mais que seja difícil, mantendo a calma durante o período de birra.
●Tenha consciência do que você permite, proíbe e solicita para a criança, as regras devem ser claras e acessíveis.
●Não supervalorize a birra da criança, procure desviar o foco do pequeno para algo interessante, um brinquedo, por exemplo.
●Após o momento crítico, com calma e paciência, converse com a criança, dê atenção e mostre que você se importa com ela. Bem como converse sobre o ocorrido de forma a conscientizá-la e pensarem juntos em outros caminhos para resolver as situações sem utilizar a birra.

QUAL ESPECIALISTA PROCURAR APÓS O DIAGNÓSTICO DO TOD?

Para tratar o seu filho da melhor maneira, é importante ter uma equipe de profissionais trabalhando junta.

É importante que você comece o tratamento o mais rápido possível para ter resultados melhores. Se não tratado, o problema pode piorar na adolescência e levar a distúrbios graves, como o uso excessivo de álcool e drogas.

Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre o assunto? Veja mais no Youtube da Neurosaber.


REFERÊNCIAS

APA – AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. Tradução de Maria Inês Corrêa Nascimento. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

Leave a comment

0.0/5