Skip to content Skip to footer

Impactos motores no Autismo

Ilustrar o texto Impactos motores no autismo

Os impactos motores no indivíduo com autismo são muito variados, e podem vir a impactar a vida cotidiana e social, já que afetam diferentes aspectos do movimento.

Essas dificuldades motoras podem ter efeitos no desenvolvimento cognitivo, social e emocional das crianças com autismo. Isso porque habilidades, como sentar-se, pegar objetos e andar, permitem que elas aprendam novas experiências e estimulem o aprendizado.  

Vamos entender mais sobre os problemas motores e a relação da psicomotricidade com o autismo?  

O que é desenvolvimento motor?

O desenvolvimento motor é fundamental em todas as etapas das nossas vidas, pois é ele que nos permite realizar as ações cotidianas, como por exemplo comer ou até mesmo nos locomover.

Em relação ao autismo, os impactos motores estão relacionados com o desenvolvimento do cérebro, já que as pessoas atípicas possuem alteração nas áreas relacionadas à motricidade.

Sendo assim, as habilidades motoras que são controladas pelo sistema nervoso central, tanto as finas— pequenos movimentos, como escrever e desenhar — quanto as grossas — como caminhar e jogar bola, são diretamente afetadas.

As crianças com TEA podem ter diferentes graus de dificuldade nas habilidades motoras finas e grossas. No entanto, elas podem ser superadas, apesar de suas causas estarem associadas às diferenças neurológicas e dificuldades no processamento sensorial.

Além disso, essas crianças podem apresentar prejuízo no tônus muscular, já que  ele é o responsável pela contração dos músculos e possui um papel importante no desenvolvimento das funções motoras.

Essas dificuldades na coordenação motora no autismo podem ser tratadas, principalmente se detectadas precocemente. E é dessa forma que podemos associar os impactos motores com a psicomotricidade.

Para uma melhor compreensão, quando um profissional observa as dificuldades individuais e únicas da criança no desenvolvimento das habilidades motoras, é preciso traçar um plano de tratamento, e a psicomotricidade como abordagem terapêutica é uma solução.

Entendendo sobre os impactos motores: Déficit no planejamento motor e Déficit de equilíbrio

Quando falamos sobre déficit no planejamento motor, estamos falando que pessoas com TEA podem apresentar dificuldades em planejar e executar movimentos complexos. E isso pode afetar habilidades motoras finas, como amarrar sapatos, e habilidades motoras grossas, como jogar bola ou andar de bicicleta. 

O déficit no planejamento motor pode ter um impacto significativo nas atividades cotidianas, como vestir-se, alimentar-se e fazer tarefas da casa.

Em relação ao déficit de equilíbrio, ele pode afetar a capacidade de participar de atividades sociais e físicas, e pode limitar a independência e a qualidade de vida.

Entendendo sobre os impactos motores: Hipotonia, Alterações posturais e alterações no padrão da marcha

Como mencionado anteriormente, pessoas com TEA podem apresentar a falta de tônus muscular e isso se chama Hipotonia. Esse impacto motor pode ser apresentado em diferentes graus e afeta diretamente a coordenação motora e a capacidade de se mover com facilidade.

Além dos impactos na coordenação motora, há também as alterações posturais, como as alterações posturais gerais e a alteração no padrão de marcha.

As Alterações posturais são comuns em pessoas com autismo e podem afetar a capacidade de manter a postura correta. Isso pode levar a problemas de equilíbrio e a dificuldades em realizar atividades que requerem precisão, como desenhar ou escrever.

Com relação às alterações no padrão da marcha, como a marcha em ponta de pé, ela pode afetar a postura e a mobilidade, bem como a capacidade de participar de atividades físicas.

Psicomotricidade como abordagem terapêutica e o impacto geral do autismo no desenvolvimento motor:

A psicomotricidade é uma das principais soluções que otimizam o potencial das crianças. Ou seja, ela é uma ciência que une os aspectos emocionais, cognitivos e motores, nas diversas etapas da vida do ser humano. E por isso é considerada uma ciência holística.

Segundo a neurocientista Adele Diamond “As habilidades cognitivas e as habilidades motoras estão correlacionadas”. Portanto ambos os desenvolvimentos podem estar diretamente interligados, pois o cognitivo e o motor apresentam cronogramas de desenvolvimento prolongados.

Se uma criança possui algum transtorno no neurodesenvolvimento, as habilidades cognitivas serão influenciadas.

Em relação ao autismo, como visto no decorrer deste artigo, há uma alteração no neurodesenvolvimento da comunidade atípica e por isso, noções que são básicas para as crianças típicas não são para as crianças com TEA.

É importante que a criança realize movimentos, principalmente na fase da curiosidade e descobertas, em que ela está conhecendo os objetos e as sensações das coisas. É nesse momento que a abordagem da psicomotricidade vem para auxiliar. 

Em geral, os problemas e impactos motores associados ao autismo podem variar muito em sua gravidade e impacto nas atividades cotidianas. O tratamento e a terapia precoce podem ajudar a minimizar esses impactos e a melhorar a qualidade de vida das pessoas com autismo.

Gostou deste conteúdo mas, ainda assim, sente que precisa aprender mais sobre o assunto? Aqui está um vídeo que pode ajudar:


Referências:

KRUGER, Gabriele Radünz; SILVEIRA, Jennifer Rodrigues  and  MARQUES, Alexandre Carriconde. Motor skills of children with autism spectrum disorder. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. [online]. 2019, vol.21 [cited  2021-03-22], e60515.

ZIRONDI, A. P.; MANTOVANI LEITE, S. R. A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALGUMAS CONTRIBUIÇÕES. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, [S. l.], v. 11, n. 11, 2018. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/enfope/article/view/9023. Acesso em: 2 jun. 2022.

Leave a comment

0.0/5