Voltar

Transtorno Opositivo Desafiador tem tratamento?

A medicina evolui constantemente com os estudos realizados por especialistas em todo o mundo. Para cada problema, uma solução. Diante dessa possibilidade, é inegável que pais de crianças e adolescentes com transtornos determinados tipos de transtornos pensem acirradamente por respostas que possam trazer alívio para seus filhos.
O Transtorno Opositivo Desafiador (TOD), por exemplo, é uma condição que deixa os adultos, responsáveis pelos jovens, bastante apreensivos. O TOD tem por características o comportamento baseado em atitudes agressivas, muitas vezes ocasionado por acessos de fúria, desobediência excessiva, atitudes vingativas, entre outros.
O resultado disso é um ambiente prejudicado com constantes brigas e advertências ante ao comportamento caótico que o pequeno pode demonstrar em situações que exigem obediência e respeito. Além disso, problemas na escola também podem se estender para dentro de casa e tornar o clima doméstico, muitas vezes, insustentável.

A solução do problema: o tratamento para o TOD

Conviver com uma pessoa que seja diagnosticada com o Transtorno Opositivo Desafiador não é uma tarefa simples; é preciso jogo de cintura. No entanto, existe o apoio médico, cuja eficácia tende a diminuir o impulso a qual a criança está sujeita, no caso do TOD.
O tratamento é orientado por um especialista (neurologista ou psiquiatra infantil). Esses profissionais são responsáveis por identificar os sintomas e começar com as intervenções necessárias para cada paciente.
– Como ocorre?
Importante ressaltar que os médicos procuram, geralmente, preocupar-se com a medicação como o primeiro passo no combate aos distúrbios que o TOD exerce no quesito comportamental da criança. A prescrição de medicamentos visa reduzir a agressividade e o excesso de raiva que atingem os pacientes.

Terapia como complemento de peso

Os especialistas não usam somente os medicamentos para amenizar e solucionar os efeitos do TOD na vida dos pacientes. Há que se ressaltar a utilização de terapias para cada caso. Esses procedimentos terapêuticos contam com a presença de psicólogos ou psicopedagogos. Importante lembrar que as pessoas que convivem com esse paciente também podem receber dicas para lidarem com a criança de forma sistematizada e eficaz.

Medidas terapêuticas para comorbidades

O Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) pode vir acompanhado de alguma comorbidade como o TDAH, o Transtorno Bipolar, o Transtorno de Conduta (TC) e o Transtorno do Espectro Autista (TEA). O acompanhamento psicológico ou psicopedagógico serve para que os profissionais trabalhem também a conduta do indivíduo perante as situações da vida, o que refletirá na fase adulta.
Além disso, todo esse trâmite (medicação e terapias) é excelente para o convívio da criança ou adolescente na vida escolar. Nada mais carregado de desafios que o ambiente da sala de aula; afinal, quando se têm personalidades distintas dentro de um mesmo espaço, a flexibilidade das pessoas tende a ser a peça-chave para uma ótima convivência.
O tratamento para o TOD visa justamente trabalhar essa questão. Os educadores também representam muita importância nesse processo de readaptação do aluno (com TOD) dentro de sala. Este trabalho em conjunto é feito para oferecer ao paciente o bem-estar que ele precisa e merece.

Veja este vídeo sobre TOD no TDAH:


Já pensou aprender definitivamente o que é o Transtorno Opositivo Desafiador – TOD? Clique no link abaixo e conheça o Curso online + Ebook idealizado pelo Dr. Clay Brites.
jhg Transtorno Opositivo Desafiador tem tratamento?

Você também pode se interessar...

110 respostas em “Transtorno Opositivo Desafiador tem tratamento?”

Olá Gabriela,
Com o tratamento adequado é possível melhorar o sintoma e comportamento do Transtorno Opositivo Desafiador.
Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
YouTube: https://youtube.com/neurosabervideos
Facebook: NeuroSaber
Instagram: @neurosaberoficial
Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos
Conheça também nossos Programas, cursos e NeuroPalestras: https://lp.neurosaber.com.br/neurosaber-cursos/
Atenciosamente,
Equipe NeuroSaber

Bom dia. Tenho um filho de 12 anos tdaH/TOD. Faz acompanhamento com psiquiatra/pedagogo. Mas nenhum dos varios medicos que passamos me diz se artes marciais ajudariam ou atrapalhariam. E se é benéfico qual a mais indicada? Será que ele vai descarregar a agressividade?

A minha filha deixei fazer artes marciais, com o intuito de descarregar a agressividade, mas achei pior, pois acabou ganhando mais força e na hora na raiva, consegue acertar o nosso ponto fraco, eu particulamente, achei um erro.

Artes marciais, JAMAIS.. Não faça isso porque a pessoa com TOD já é agressiva por natureza e se fizer esportes violentos, vai piorar. Tenho esse mesmo problema seu com meu filho na mesma idade. Já passou por 7 psicólogos, 2 neurologistas e 3 psiquiatras. Nada adianta, mas todos eles falaram para não deixar fazer esportes violentos. Veja se ele faz Natação, é ótimo para esses casos. Boa sorte e se você conseguir alguma clínica ESPECIALIZADA em TOD, favor me avisar pelo E-Mail – [email protected]. Obrigado

boa tarde. estou fazendo constelações e hipnose com meu filho. esta ajudando. porém a hipnose sistêmica a criança tem que querer.

muito bom a minha neta toma florais e tem ajudado bastante
consteladora seria o que mas essa agressividade e mais em casa e mais com a irma

Bom dia, Débora. Meu nome é Wanessa, sou psicóloga e também profissional de educação física. Atuo nas 2 áreas, entrelaçando-as e sempre tive êxito no tratamento com as crianças (TOD) encaminhadas para as artes marciais. É interessante deixar que a criança escolha qual arte marcial ela tem afinidade. Por outro lado, gosto muito de indicar o Jiu-Jitsu por ter uma filosofia baseada na inteligência emocional, paciência e acima de tudo, disciplina.
Espero ter ajudado.

Oi tenho um filho de dez anos que foi dianotiscado com oTOD nem preciso dizer o inferno em que vivo ele é tudo que o senhor mencionou acima no vídeo vivemos isolados sem sozinhos por que onde vamos nunca termina bem pelo amor de Deus o senhor me ajuda já levo ele em médico neurologista em psicóloga só que está difícil todos as pessoas me critica que eu tenho que por limites ê não gosta dele por que acha que ele ne faz sofrer mas eu o amo muito e quero o melhor pra ele é pra ficar mais difícil sou viúva moramos só ele é eu e ele e meu filho de coração e não temos a mesma cor de pele como o senhor pode ver estou passando por maus pedaços desde quando ele tinha cinco ou seis anos por favor me ajude Que Deus ti ilumine Sueli uma mãe em apuros

Adriana não desista do seu filho (a) ele (a) precisa de você,sei q não é fácil também passo por isso com meu filho adolescente q desde pequeno me dá bastante dor de cabeça,mas te digo eles não tem culpa é uma coisa q foge do controle deles e só nos q somos mãe pra aguentar e buscar ajuda pra eles,e também precisamos de ajuda,eu por exemplo busquei forças em Deus é ele q me dá forças todos os dias para não desistir do meu filho e creio q um dia tudo isso vai passar . tenha fé q tudo isso terá um fim um dia e a vitória vai chegar.🙏🏾

Acredita que meu filho tem apenas 4 anos…mais ..acho q quando tinha uns dois anos ja era muito acrescivo. Bate em todo mundo quase o tempo todo…sempre irritado…chorando não obedece…completamente sem controle. Vou levar ele pra fazer um eletro pra ver c descubro o q é esse comportamento…que deixa todo mundo louco

Sueli. como vc esta e seu filho. tbem tenho filho do coração com TOD e crio sozinha. me coloco a disposição para trocarmos ideias. trabalho com crianças a 30 anos.

Rita por favor tenho uma filha de quatro anos com TOD, ela faz acompanhamento mas está muito difícil, tem dias que quase ficamos loucos! Na escola também, está batendo em todos os colegas, não sei mais o que fazerg sobedece!

Passo pela mesma coisa, já levei em vários neuros psiquiatra infantil não acho de jeito nenhum para idade dele e os neuropediatra q levei, me dizem q ele é “normal” qmnprecisa de tratamento sou por não saber criar meu filho…
Ele faz terapias desde pequenos, pq já notava q ele era diferente, e todos os terapeutas dizem q ele tem TOD e talvez um TDAH..
EU SO PRECISO DE UMA MEDIÇÃO PARA ACALMAR ELE!
A criança dorme quase meia noite antes das 6 já está acordada, e isso está acabando com minha energia!

Boa noite.mmeu apresenta alguns dos sintomas mencionados…estou sofrendo muito..e como disseram e dificil a convivencia.as pessoas me criticam..julgam ele isso e muito dificil. E na escola foi muito dificil. Ano passado…me ajude..

Preciso de ajuda. Para encontrar um medico que trata autismo, TDAH e TOD, meu filho de 13 anos com todos esses problemas acaba com uma mãe estou totamente desgastada . Pode indicar um medico aqui em SP capital que trata estas questões. Izabel. Muito obrigada

Oi Boa noite, vc sabe em Belém um especialista bom? tmb estou desesperada, meu filho de 9 anos tem TDAH, mas tem episódios de fúria na escola com frequência. Me ajude!
Att Rúbia Negrão

Olá bom dia!meu filho é Autista,TDAH,TOD,realmente estou sofrendo muito pois quando quer uma coisa que não faço me chuta ,se bate muito,me morde,ate dizer que não me ama já me disse ,ele tem 6anos difícil,não posso mais trabalhar porque as pessoas tem medo de ficar com ele e pra completar quando fica muito agitado vem a eplepdia trava os dentes tem uma força que penso com 6anos essa força que não aguento pois sr bate muito e tenho medo de bater a cabeça não fala direito,coordenação motora bem pouco,,e toma carbamazepina de manhã e a noite,respiridona de manhã ,na hora do almoço e a noite,e tofranil a noite pois faz muito xixi na cama.E ritalina de 10mg de manhã e na hora de ir pra escola,na crise fico muito nervosa choro muito.E está ficando difícil pois acha que os amigos tem que brincar do que ele quer.Estou muito baqueada,pois acaba com a gente me ajude pot favor.Foi encaminhado pra APAE,mas ainda não conseguiu vaga com fono e psicoterapeuta.Está na fila de espera,e isso vai me deixando mais anciodao,fora que ele sente muita fome meu marido desempregado vive de bico ,e não trabalho está difícil,me dê uma luz por favor

Ritalina só deixa a criança com TOD mais agitada e agressiva. Experiencia própria. Não procure neurologista, procure um bom psiquiatra. Eu levei meu filho para um psiquiatra aqui em Salvador, um médico simples, consulta barata e ele foi melhor que todos esses médicos de nome, famosos, cujas consultas são caríssimas e tem que ficar numa fila de espera. já tinha gasto fortunas com meu filho nesses neurologistas que nunca resolveram a agressividade dele. Para vc ter ideia o remédio que ele passou so custa 5,45 a caixa, enquanto que os outros passavam remedios caríssimos que só engordaram meu filho . Nãos ei qual a sua religião Sheila, mas meu filho fez xixi na cama até 8 anos, até o dia em que comecei a ensinar a rezar e pedir para não fazer mais xixi. No primeiro dia que começou, nunca mais fez xixi na cama. Ele usava fralda descartável até grande. Também tenho conseguido grandes progressos com a agressividade dele por meio de oração e do meu controle emocional. Mulheres que tem filho com TOD, trabalhem a mente de vcs para não deixar seus corações acelerarem e a raiva atingir vcs, porque isso só piora. pratiquem meditação para na hora do conflito vcs se conservarem calmas. Toda vez que o filho de vs tiverem em crise, diga-lhes em voz alta, porém calma. Olhe nos olhos deles e diga-lhes: Eu o amo, você é filho de Deus, você é calmo. Vc é calmo. Mas é muito importante que vc se mantenha calma, porque senão não conseguirá passar boas energias para eles.

Helia por favor né passa o nome do remédio para tentar pedir que o psiquiatra receite para m. Filho de 7 anos. 92 99105 3972 para tentar vê ver funciona com ele.btigda.

Oi, Helia. Eu sou de Salvador, vc poderia passar o contato desse psiquiatra? Tenho um filho TOD e estou nessa luta há anos. Te agradeço.

Boa tarde, tenho um filho de 10 anos com TEA, está passando por um momento delicado de depressao pois estava passando por bullying na escola. O pediatra dele sempre nos falava que ele tinha características de Tod, e hj realmente saiu…. Estou me sentindo taooo sem direção… Estava lendo os comentários e vi quantas famílias passam por problemas semelhantes ao meu..
Alguém pra conversar comigo? Como cuidar de uma criança com fragilidades emocionais se eu tb estou fragilizada ?

Sou de Salvador, poderia me passar o contato do médico ou da clinica, estamos com problema com nossa filha, ainda não foi diagnosticada mais tem muitos sintomas descritos nos comentários

Oo! Helia,poderia passar o contato do Dr. Q cuida de seu filho? Meu filho tem 10 anos e ainda estou buscando um equilíbrio de medicamentos e terapia.

Olá Gisani, tudo bem?

Primeiramente obrigada pela confiança, Neste caso, orientamos procurar um profissional para analisar se é necessário essa intervenção e qual o medicamento deverá ser mais assertivo. O uso de medicamentos jamais devem partir de uma pessoa que não tenha conhecimento acerca do tratamento a ser aplicado ao paciente.
Converse sempre com um especialista!

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Gisani, boa noite!
O Aripriprazol deu muita reação em seu filho? Qual o tipo de reação? Há uma semana meu filho está tomando, estou achando ele muito prostrado. Morrendo de dó.

Oi quem foi esse médico ? Sou aqui de salvador também e tenho gastado fortunas com neuro
Meu celular 71 98520 0788

Oi Helia. Qual foi a medicação que o médico passou? Gostaria de saber para ver com a psiquiatra se serve para minha filha.

Oi Helia estamos passando por isso aqui em Salvador teria como nos passar o contato desse profissional?sempre buscando .att

Olá, tenho um menino de 7 anos com diagnóstico de Asperger, segundo suas professoras ele é muito inteligente, tem as melhores notas. Porém seu comportamento diante amiguinhos, é inadequado, pois chora com facilidade quando é contrariado e se o amiguinho é menor ele bate ou empurra, não sabe perder. Ele faz terapias desde 4 anos, justamente para tratar esse comportamento. O neuropediatra, diz que como já tem 7 anos e nunca tomou medicação não é necessário. Só terapia mesmo. Enfim não creio que a terapia mudará esse comportamento. Você sabe me dizer se há estudos que comprovem a eficácia do NEUROFEEDBACK, já me consultei cum uma psicóloga em SP que faz essa terapia, mas ainda é muito caro para mim, mas não impossível, teria que vender meu carro por exemplo. Mas se realmente esse procedimento me garantisse eu faria sem pensar. Fico muito preocupada com a adolescência dele, se continuar agindo agressivamente quando ficar frustado ou irritado por algum motivo.

Oi, obrigada por responder. Então agora o Neuro passou a medicação Aristab, para ele. Claro que fui no pesquisar a bula e meu Deus …. muita reação adversa e é para tratamento de esquizofrenia e transtorno bipolar. Fiquei com medinho de comprar kkk, tá certo mesmo ou devo procurar outra opinião medica sobre esta medicação.

Meu filho de 7 anos esta tomando o ARISTAB a três meses e esta ajudando pq ele tomou a 5 anos o rispiridona e só ajudava a dormir e comer bem e deixava pior ai tentou o Ritalina mas paralisou ele na aprendizagem ai a psiquiatra pesquisou e disse q ele tinha o TOD e Bipolaridade ai me indicou ir diminuindo o rispiridona ate parar e começar o ARISTAB olha ela ja melhorou 70 % mas a parti do TOD não ta pra contrariar ele mas no restante só melhora

Boa tarde,tenho um filho de 8 anos,ele é muito nervoso,tem medo de ficar sozinha,nunca fica,se deixo começa a gritar e se bater fica desesperado,ñ dorme sozinho ñ consegue,já tentei por várias vezes,ñ tem muitos amiguinhos pois as vezes é muito violento e as coisas tem q ser do jeito dele,tem muita dificuldade no aprendizado,dificuldades p dormir.queria saber o q ele tem,qual o nome do problema de quem tem esse comportamento e o q devo fazer?. Meu nome é Cida,vou ficar grata se me responderem

Olá Elaine, tudo bem? Ainda não temos um conteúdo sobre este tema, mas vamos colocar em nossa pauta abordar sobre este assunto também. Obrigada pelo contato.

Meu filho tem 17 anos e é diagnosticado Tea mas desde que comecei a ler sobre Tod vrjo meu filho nesse transtorno e como vi que o Tod pode esta associado ao Tea passo a questionar mais ainda .Ele toma respiridona ha muito tempo mas não diminui em nada a ansiedade e a agressividade que é o que mais me preocupa.

Estou vendo a minha cópia em meu filho. Ele foi diagnosticado com tea aos 3, ele fala, é alfabetizado, inteligente e hiperativo… Mas hoje com 8 anos de idade tenho me visto nele. Ele tem tido muito ataques de raiva e irá, a um tempo pensei q eram crises do tea, mas não, é pior, é uma impulsividade, agressividade, ele fica descontrolado, quebra as coisas. Ainda ñ tem o diagnóstico do tod, mas creio que ele tbm tenha isso, e tenho quase certeza q eu tbm tinha, apanhei muito, muito mesmo, fugi de casa aos 12 anos. E hoje meu filho com 8 tentou fazer o mesmo, disse q queria ir embora, que iria morar na rua, e ele só tem 8 anos. Meu Deus fiquei chocada, a minha atitude e por de castigo, privar ele das coisas q ele gosta, mas as vezes dou umas chineladas mas vejo q só piora, eu apanhei muito e me tornei uma pessoa, uma adolescente revoltada, não consegui terminar os estudos e não quero q ele passe por isso tbm. Ele tomava medicamentos pro tea (risperidona e fluoxetina) mas os efeitos colaterais( aumento da prolactina e outros..) foi necessário fazer o desmame e suspender. Queria saber se existe uma medicação indicada para esse transtorno ou se posso voltar a dar o risperidona e o fluoxetina até conseguir o atendimento com o neuro? Ele não suporta terapias, o q poderia fazer pra ele ter auto controle? Estou agindo certo em por de castigo? Ele fica a ponto de infartar de raiva.

Bom Dia!
Tenho visto muito se falar com T.O.D. em crianças… Mas pode ocorrer em adultos? Pergunto, pois percebo algumas dessas atitudes em adultos também, apesar de não serem agressivos há outros aspectos que ainda são presentes e esses mesmos adultos, quando foram crianças não receberam o devido tratamento. Outra pergunta é hereditário??? Obrigada!!

Preciso de uma indicação de um profissional para tratar TOD em criança com 6 anos em Ribeirão Preto. Poderiam me indicar por gentileza. Essa indicação me ajudará muito, porque aqui em Ribeirão é difícil achar um bom psiquiatra infantil. A vida de uma família que tem criança com TOD é muito difícil!!!!

Olá Mônica ,
Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas a todas as suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
YouTube Neurosaber: https://www.youtube.com/neurosabervideos
Facebook Neurosaber: https://www.facebook.com/neurosaber
Instagram Neurosaber: https://www.instagram.com/neurosaberoficial
Blog Neurosaber: https://neurosaber.com.br/artigos
Facebook Entendendo Autismo: https://www.facebook.com/entendendoautismo
Instagram Entendendo Autismo: https://www.instagram.com/entendendoautismo
Blog Entendendo Autismo: http://entendendoautismo.com.br/artigos

Tenho um filho de 5 anos (faz 6 em março/21). Sou separado da mãe dele que tem a guarda… comigo os episódios de agressividade são muito reduzidos, e quando acontecem, na maioria das vezes consigo controlar com acolhimento e tentando passar calma para ele; no entanto, a mãe dele tem me relatado diariamente que o comportamento agressivo, autoritário e as crises tem sido diárias e tem se intensificado a cada dia… já discutimos pelo fato de discordar da forma que ela tenta conduzir as situações. Ela insiste em “sentarmos” com ele para tentar entender o que ocorre, más pela característica do transtorno, ele se esquiva, e tenta mudar o foco da conversa à todo custo, tornando a tal “conversa”, na minha opinião, não surte efeito. Tenho tentado conversar com ela, na intenção de reforçar uma orientação do Neuro que o acompanhou por alguns anos, onde, segundo o mesmo, caso os episódios não melhorassem, ou piorassem na faixa dos 5 anos, seria interessante entrar com medicação para diminuir a agressividade e os episódios nervosos dele, mas ela é completamente resistente à ideia, alegando que não vai “drogar” ou manter o filho “dopado”; e não adianta argumentar.
Fico num beco sem saída, pois ela tem a guarda dele e passa a maior parte dos dias com ele, e eu, fico com ele aos finais de semana… e se ela não aceitar a ideia de um tratamento medicamentoso, qualquer ação da minha parte será sem efeito.
Peço auxílio e orientações sobre o que fazer, já pensei até em acionar a justiça, mas não sei se existem casos assim com parecer que “obrigue” os responsáveis a medicar os filhos.
Estou extremamente preocupado, pois sei que esses comportamentos dele geram sofrimento e podem acarretar maiores problemas futuros.
Obrigado pela atenção e aguardo orientações.

Poxa Helia, que conforto ao meu coração e luz para o meu caminho esse seu depoimento. Escrevo em lágrimas porque tenho passado por muitas provações com meu filho recém diagnosticado com TOD e em todas as vezes tenho perdido as estribeiras. Ainda não começamos a terapia. Ainda falta 1 mês e alguns dias pra ela acontecer. Mas o tempo parece não passar. Eu sou só choro, angústia e até arrependimento as vezes, de ter tido filho. 🥺

Meu filho tem autismo e TOD, já tentei neuleptil, Daforin e Ritalina e ele só piora, então acabo suspendendo a medicação. Ele tem 9 anos e faz terapia desde os 3. Sinceramente estou pensando em desistir, pois não vejo nenhum resultado positivo. Estou cansada, sem ânimo para viver. As vezes vou dormir pensando que o melhor seria não acordar no dia seguinte. Tenho um bebê de 3 meses e um marido desempregado para acabar de completar. É um verdadeiro caos.

Olá Bruno,
Primeiramente obrigada pela confiança!
Nesses casos orientamos buscar um especialista pessoalmente para lhe dar melhores informações e orientação assertivas sobre o caso.
De qualquer forma,temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos que podem te ajudar em muitas questões.
Atenciosamente,
Equipe NeuroSaber

Olá gosto muito como é passada a informação e ajuda para nós pais leigos, que passam por momentos em que não sabemos como ajudar nossos pequenos, Dr. Clay Brites nós explica de forma clara e fácil de entender.
O meu filho atualmente tem 9 anos e desde os 5 faz o uso de ritalina para ajudar na escola, com o tempo veio o tod que está sendo tratado com Rispiridona 1mg a noite 15gts desde de quando iniciou risperidona senti diferença no seu temperamento diminuiu a ansiedade e a irritação, mas não que dizer que é fácil, tenho muita preocupação com o futuro dele, escola e tudo.. mas o que é possível para ajudar a melhorar a vida do meu filho corro atrás, maratono os vídeos, tento está sempre atualizada.. quanto mais informações melhor.. façam de TD para ajudar seus filhos, levem a médicos, psicólogo, psicopedagoga tudo isso hj em dia conseguimos pelo SUS, com ajuda da escola.. meu filho faz todos os tratamentos através do SUS aqui em SC, mas os pais também tem que está junto acompanhando em tudo.. muito amor e oração ajuda

Olá, Janaina

Primeiramente agradecemos a confiança em nosso trabalho.
Sem avaliação não podemos dar uma orientação precisa sobre o caso. É sempre importante buscar um especialista para lhe dar melhores informações e orientação para uma intervenção. De qualquer forma, temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e também em nosso blog que podem te ajudar em muitas questões. Vale a pena conferir:
YouTube: https://youtube.com/neurosabervideos
Instagram: https://instagram.com/neurosaberoficial
Facebook: https://www.facebook.com/neurosaber
Site oficial: https://institutoneurosaber.com.br/

Webster,
Equipe NeuroSaber. 💙

Olá boa tarde ! Sou de Caldas Novas GO.
Meu filho de 3 anos tem esses comportamentos , as vezes é bem agressivo obedece regras , é nervoso ao extremo , há 1 semana levei em osquitar que disse que ele tem traços de artista, TDAH e TOD . Passou aripiprazol 20 mg comprei hoje custa R$ 413,00 Na minha cidade , estou com medo de dar , mais tomara que resolva ! Mês que vem vou levá-lo há um neuropediatra!
Enfim é uma luta diária, cansativa e dolorosa , recebemos muitos julgamentos e não temos apoio !
Me apego muito com Deus , tudo que eu mais quero na vida é ver meu filho bem , mais tranquilo , poder dar um carinha sem ficar com medo dele se irritar .

Minha filha foi disgnoticada com traços de TOD. Ela era muito agressiva tanto comigo, com o pai e com ela mesma. Ela se batia , se arranhava qndo era contrariada, completamente descontrolada e isso só piorava. Eu não aceitei esse diagnóstico e mudei completamente a forma de me comunicar com ela. Passei a treinar muita a minha paciência para conseguir evitar os gatinhos emocionais que desencadeiam as crises. Comecei a conversar olhando nos olhos dela, me conectar com ela de todas as formas e assim ela passou a ser mais calma e eu me tornei uma outra pessoa. Me dediquei tanto aos estudos da Neurociência e passei a aplicar técnicas de inteligência emocional, respiração, meditação tanto com ela qnto comigo. Desde então , o ambiente se transformou significativamente e qndo ela começa a dar sinais da crise eu mudo o foco, distraímdo ela e isso sido transformador em minha família. É necessário desenvolver uma comunicação de afeto e muita paciência para construção de um lar equilibrado, sabendo que os desafios são diários e não podemos desistir jamais de nossos filhos, por mais desafiador que seja. Gratidão por todos os depoimentos , pois sabemos que não estamos sozinhos e essa troca pode agregar muito. Espero que o meu depoimento tbem agregue, pois se eu estou conseguindo vencer, todos conseguem 🙏🙏🙏.

Olá Karine, tudo bem?

Obrigada por compartilhar sua experiência conosco e pelo carinho! Continue sempre acompanhando!

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Gostaria de saber até que idade é considerado TOD, pois meu filho está com 15 anos, foi diagnosticado com 11 anos, só que agora a situação está insuportável. Ainda é TOD nesta idade ou já recebe outro nome? Lembrando que dissimulada,manipula, frio, calculistas.

Olá Aline, tudo bem?

O TOD pode ocorrer até em adultos. Temos uma ótima aula em nosso canal no Youtube acerca da temática que pode clarear muitas dúvidas e enriquecer seus conhecimentos. Vale a pena conferir!!! 😉💙

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Olá Viviane, tudo bem?

Primeiramente agradecemos pela confiança. Neste caso, orientamos procurar um profissional para analisar se é necessário essa intervenção e qual medicamento deverá ser mais assertivo. O uso de medicamentos jamais deve partir de uma pessoa que não tenha conhecimento acerca do tratamento a ser aplicado ao paciente.
Converse sempre com um especialista!

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *