Voltar

6 dicas para ensinar crianças com autismo a ler

O ensino da leitura no autismo é um desafio para pais e professores. Conheça as técnicas e métodos que facilitam o processo de alfabetização das crianças com TEA.

As crianças com autismo enfrentam muitos desafios na alfabetização, principalmente quando os métodos utilizados não consideram suas necessidades. Quando são estimuladas a aprender a ler da maneira correta, sentem-se motivadas e se envolvem no processo de aprendizagem.

Não há como dizer que toda criança com autismo vai aprender do mesmo jeito, mas as pesquisas científicas explicam como o cérebro delas funciona e como podem aprender melhor. Algumas são mais visuais, outras respondem mais e estímulos auditivos ou táteis.

Dessa forma, o mais importante no ensino da leitura no autismo é conhecer as características da criança. Confira nossas dicas para ensinar a leitura no autismo.

Dicas para ensinar a leitura no autismo

Não existe uma fórmula pronta para alfabetizar as crianças com autismo e essa tarefa é sempre um desafio para pais e professores. As dificuldades nesse processo podem estar relacionadas ao desconhecimento de metodologias que facilitam o ensino da leitura no autismo.

Pensando nisso, preparamos 6 dicas para te inspirar. Confira!

Trabalhe a consciência fonológica

Em primeiro lugar, comece trabalhando a consciência fonológica da criança com autismo através de rimas e aliterações. Por exemplo, selecione palavras que terminam com sons parecidos e use em versos, brincadeiras e músicas.

A música é um ótimo meio de despertar o interesse das crianças para a alfabetização, tenha ela TEA — Transtorno do Espectro Autista — ou não. Assim, essas atividades envolvem todo o grupo, o que é muito bom para a integração social da criança com autismo, além de facilitar o ensino das palavras.

Use o interesse da criança

As crianças com autismo costumam demonstrar um grande interesse por determinado tema. Fazer brincadeiras e atividades com esses temas, despertam a curiosidade e a motivação para a aprendizagem.

Por exemplo, se a criança ama carros de corrida, comece a inserir esse elemento nas atividades. Busque livros com o tema, desenhos, histórias, filmes. Use a sua criatividade para preparar atividades que despertam o interesse da criança.

Utilize materiais gráficos

Use estratégias de aproximação com materiais gráficos. É importante reconhecer se a criança com autismo é mais visual, pois nesse caso, funciona muito bem. Aqui também você pode incluir as preferências da criança nas atividades.

Se ela gosta de dinossauros, ofereça desenhos e historinhas com o tema no momento da leitura e da escrita. Você pode criar cartazes com a criança ou usar projetores com imagens que despertem a sua atenção. 

Considere as características da criança 

Como mencionamos na introdução deste artigo, esse é um passo fundamental para escolher as melhores estratégias de ensino da leitura no autismo. Muitas crianças com TEA têm dificuldade para escrever devido a alterações na coordenação motora fina e hipotonia. 

Se ela não usa letra cursiva, por exemplo, pode usar a letra bastão. Se ela não consegue escrever nada, pode se usar um tablet, celular ou cartões com as letras e palavras. O importante é entender que essas características não impedem que ela prossiga no processo de alfabetização.

Atente-se à apresentação dos materiais 

Apresente materiais simples para as crianças, sem muitos detalhes, pois isso ajuda que ela não se perca. Esse aspecto está relacionado com o estilo de processamento cognitivo da criança com autismo, que pode ficar presa nos detalhes.

Por isso, quanto menos detalhes as folhas de atividades estiverem, mais você irá ajudar a criança com autismo a focar a sua atenção no que está sendo pedido. Dessa forma, reduz o risco dela se perder em um detalhe e, consequentemente, o foco na atividade.

Evite usar os pontilhados

Por mais que usar pontilhados nas atividades para ensinar as letras (as crianças vão ligando os pontos e preenchendo a letra) seja uma estratégia de alfabetização, não costuma funcionar com as crianças com autismo.

Mais uma vez, corre-se o risco dela ficar prestando atenção só em alguns detalhes, em um ponto específico e paralisar diante a atividade. O melhor é apresentar as letras cheias para ela preencher, no lugar dos pontilhados. 

A eficácia do método fônico na alfabetização de crianças com autismo

Algumas crianças com autismo começam a ler muito cedo, mas isso não significa que ela está compreendendo o que lê. A dificuldade de compreender a leitura é comum nas crianças com TEA. Uma forma de ajudar nesse processo para que ela não aprenda as palavras apenas pela memorização é utilizar o método fônico.

A metodologia fônica usa o som das palavras e não só o nome da letra. Mostre para as crianças que cada letra tem um som. Por exemplo, a letra F tem o som de ffff, e a letra A tem o som aaaa. 

A criança vai perceber que quando ela junta com F com A, vira “fa”. A criança com autismo costuma ter uma interpretação bastante literal do que é dito, por isso o método fônico é o mais indicado para a alfabetização.

Gostou das nossas dicas para o ensino da leitura no autismo? Compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude outros pais e professores.

 

Referências:

GRENZEL, FABIANA BOFF. Aprendizagem e a possibilidade de alfabetização de crianças autistas. Revista do Seminário de Educação de Cruz Alta – RS, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 360-361, oct. 2017. ISSN 2595-1386. 

GRENZEL, Fabiana Boff. A Alfabetização de crianças Autistas. Disponível em: https://www.atenaeditora.com.br/post-artigo/20607

Você também pode se interessar...

20 respostas em “6 dicas para ensinar crianças com autismo a ler”

O artigo é muito interessante,pois me ajudou muito no meu ambito profissional. Boa tarde .

Maravilhoso! Dicas simples e práticas que irão me ajudar muito.
Sou professora dos terceiros anos neste ano de 2021 e tenho, no mínimo duas crianças com autismo, não diagnosticadas. Devido ao ensino híbrido, agora que estamos fazendo os primeiros contatos.
Vou investir nas dicas.
Grata,
Carla.

Achei mto bom, pra ajudar meu filho em ksa, e fiquei mto feliz em ver professores, q buscam como lidar, como ensinar seus alunos com TEA eu fico mto feliz mesmo,. Que lindo 😍

Olá, Márcia.

Agradecemos a confiança em nosso trabalho.

Para nós é um prazer poder contribuir para auxiliar você nessa questão! 😊
Continue nos acompanhando!

Webster,
Equipe NeuroSaber.

Olá Sandra, tudo bem?

Para nós é um prazer poder contribuir para auxiliar você nessa questão!:)

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Tenho uma neta autista q tem 13 años, e estuda desdos 4 anos, mais ñ sabe fazer uma pintura correta, ñ conhe cores, é ñ escreveu nada!

Olá Magaly, tudo bem?

Primeiramente agradecemos pela confiança! Nesses casos orientamos buscar um especialista pessoalmente para lhe dar melhores informações e orientação assertivas sobre o caso. De qualquer forma, temos conteúdos no youtube.com/neurosabervideos e Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos que podem te ajudar em muitas questões.

Sol,
Equipe NeuroSaber 💙

Também, porém é um pouco complicado. Não foi trabalhado bem a coordenação motora dela, porque peguei um aluno agora início do ano, ou seja 4 meses também não fazia nada, hoje está com a pintura linda e fazendo letrinha A e E

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *