Voltar

Consciência fonológica – Como funciona o processamento fonológico da criança?

O desenvolvimento da criança depende de muitos fatores que potencializam as várias habilidades que são descobertas ainda na infância. Aspecto imprescindível na alfabetização, a consciência fonológica desponta como algo que não pode faltar neste importante processo. Afinal, o uso correto das palavras é algo determinante para que o pequeno consiga ser alfabetizado de maneira eficaz. No entanto, esta prática específica significa muito mais. Saibam o porquê abaixo.

A consciência fonológica

Pode-se afirmar que ela é uma habilidade metalinguística (metacognição), no qual a criança fica apta para tomar consciência das características formais da linguagem, o que permite a compreensão de dois níveis, a saber:
– A primeira é a consciência de que a língua falada tende a ser segmentada em unidades distintas. Isso pode significar que uma frase pode ser segmentada em palavras; as palavras em sílabas e as sílabas em fonemas;
– Já a segunda é a consciência de que essas mesmas unidades repetem-se em diferentes palavras faladas. (Byrne e Fielding-Barnsley, 1989)
Interessante ressaltar que tal processo ajuda a entender como a criança aprende tal competência. A consciência fonológica é a percepção que os pequenos têm a respeito das palavras e de seus respectivos sons.

A consciência fonológica e a alfabetização

É impossível dissociar uma prática da outra, principalmente porque ambas se complementam. Entretanto, é importante afirmar que a alfabetização não ocorre naturalmente. Este processo precisa ser estimulado em idade adequada e com o seguimento à risca para que ela se faça eficaz durante o desenvolvimento do pequeno.
Dentro desse contexto, destacamos o aprendizado da leitura e da escrita. Exige-se um trabalho maior por parte das funções cerebrais da criança. Sendo assim, a consciência fonológica exerce um papel fundamental na alfabetização, pois ela possibilita o estímulo aos entendimentos iniciais da utilidade e função da linguagem oral e escrita.

Quando a consciência fonológica pode ser ensinada?

Não são poucos os estudos que abordam esse ponto. Muitos autores (entre eles Bradley & Bryant, 1985; Byrne & Fielding-Barnsley, 1991) afirmam que a partir dos 4 anos a criança já pode ser estimulada e, portanto, apresentada às atividades que trabalhem com a consciência fonológica.
Além disso, por meio de uma revisão da pesquisa fonológica, Smith et al. (1998) chegaram à conclusão que a consciência fonológica pode ser desenvolvida antes da leitura. Isso facilita a aquisição subsequente de habilidades de leitura.
Outro detalhe é que as abordagens efetivas documentadas para o ensino de consciência fonológica geralmente incluem atividades que são apropriadas para a idade e altamente envolventes para os pequenos.

Quais são os pré-requisitos para a consciência fonológica

Vale lembrar que a consciência fonológica conta com alguns pré-requisitos a fim de possibilitar a aprendizagem deste importante processo. Elas são habilidades básicas cujo desenvolvimento acontece em uma progressão previsível. Vejam quais são:

  • Escuta;
  • Aquisição de um vocabulário de alguns milhares de palavras;
  • Capacidade de imitar e produzir estruturas de frases básicas;
  • Uso da linguagem para expressar necessidades;
  • Reagir a outras pessoas;
  • Comentar sobre as próprias experiências;
  • Entender os outros.

Podemos dizer que as habilidades básicas de escuta e a consciência lexical (consciência da palavra) atuam como precursores essenciais para o desenvolvimento da consciência fonológica.
Para que a consciência fonológica aconteça de forma eficiente e bem-sucedida, é preciso que o desenvolvimento cognitivo ocorra em paralelo ao desenvolvimento linguístico/fonológico/semântico lexical.

O que mais pode ser trabalhado na consciência fonológica?

A consciência fonológica e a alfabetização são indispensáveis para as crianças. O uso de determinas atividades pode ser observado como sendo algo de total importância para a utilização da linguagem, como rima, aliteração, consciência de palavras e consciência silábica.
 

 
 

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *