Voltar

ESTRATÉGIAS DE COMPORTAMENTO PARA CRIANÇAS AUTISTAS: APOIANDO HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS

É preciso acompanhar e observar a criança autista de perto, auxiliando-a no desenvolvimento das habilidades socioemocionais.

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é categorizado como um transtorno do neurodesenvolvimento que afeta habilidades sociais e comunicativas. A criança autista apresenta comportamentos e interesses restritos, muitas vezes de forma repetitiva, por coisas ou seres que de alguma forma chamam sua atenção. Os sinais do autismo aparecem, em média, por volta de dois anos de idade e são variáveis de acordo com as especificidades de cada criança e o nível de gravidade.

Como critérios diagnóstico para o TEA, os profissionais observam alguns sinais e sintomas na criança, como: reciprocidade socioemocional deficitária, dificuldade em se comunicar, dificuldade em estabelecer amizades, em manter o contato visual, em usar linguagem corporal (gesticulação e expressões faciais) e em compartilhar suas vivências e interesses. Essas dificuldades interferem negativamente no desenvolvimento das habilidades socioemocionais, pois, para o autista, descrever, demonstrar e sentir emoções é um desafio. Portanto, se faz necessário o ensino e desenvolvimento das habilidades socioemocionais para a criança com TEA, com o intuito de promover seu crescimento social e pessoal.

Quando se fala em autismo, muitas vezes o primeiro foco são as dificuldades sensoriais, de comunicação ou comportamentais. No entanto, as questões emocionais merecem a mesma atenção, pois elas possuem um papel de extrema importância e estão diretamente relacionadas ao crescimento de outras habilidades para a criança autista. Por esse motivo, é imprescindível que as habilidades socioemocionais recebam um olhar especial, visando não só o desenvolvimento social e de outras habilidades, como também em gerar uma melhor qualidade de vida e convivência para a criança.

Trabalhar com a inteligência emocional de pessoas com TEA se tornou algo imprescindível, pois é a partir dessa habilidade que a criança vai começar a lidar e a desenvolver suas emoções. Dessa forma, ela conseguirá controlar melhor o próprio emocional em situações de euforia ou desconforto. Nesse contexto, a família e a escola são fundamentais, visto que é na família que o sujeito terá seu primeiro contato com sentimentos e emoções e é no âmbito escolar onde a criança começa a se relacionar com pessoas de fora do núcleo familiar, tendo uma convivência com colegas e professores em seu cotidiano.

ASPECTOS EMOCIONAIS DO TEA

As barreiras para propiciar o desenvolvimento das habilidades socioemocionais estão em grande parte relacionadas às dificuldades sociocomunicativos e aos comportamentos repetitivos e restritos. As dificuldades em expressar os próprios sentimentos, compartilhar vivências e interesses são obstáculos relevantes para o desenvolvimento das habilidades socioemocionais em crianças autistas. Além disso, existem características comuns do autismo que devem ser consideradas nesse processo, são elas:

– Ansiedade;

– Irritabilidade;

– Baixa tolerância às frustrações (dificuldade em lidar com os próprios sentimentos);

– Medos excessivos;

– Ataques de pânico;

– Interação social limitada.

IMPORTÂNCIA DAS HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS

Por mais que existam obstáculos característicos do autismo, é totalmente possível estimular as questões socioemocionais no indivíduo com TEA. Além de possível, é de extrema importância que essas habilidades sejam estimuladas desde cedo com o indivíduo. Ademais, para que esse trabalho seja feito de forma eficaz, é fundamental a orientação de profissionais com conhecimento no assunto, pois, mesmo sendo algo necessário, não é uma tarefa fácil e requer estratégias de pessoas que já possuem uma certa experiência na área. As habilidades socioemocionais auxiliam em despertar alguns pontos positivos na criança, como:

– Identificar seus próprios sentimentos;

– Comunicação eficaz, fluida e socialmente apropriada;

– Meios de identificar e desenvolver comportamentos para se acalmar e estratégias emocionais;

– Aprendizado de autocontrole.

ESTRATÉGIAS PARA DESENVOLVER AS HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS EM CRIANÇAS AUTISTAS

1.      NOMEAR EMOÇÕES: para algumas crianças, o aprendizado em se comunicar e se expressar melhor é rapidamente adquirido. As maiores dificuldades estão em certos sentimentos, como: medo, culpa, frustração, surpresa. Uma estratégia para vencer as dificuldades em lidar com esses sentimentos é nomeando cada um deles para que as crianças saibam dizer o que sentem. Isso pode ser feito por meio de histórias ou situações do cotidiano, conversando e mostrando exemplos para a criança, permitindo que ela também se expresse por meio da conversa ou até mesmo por desenhos. Dessa forma, ela vai saber o que está sentindo e vai conseguir expressar o sentimento e aprender a lidar com ele.

2.      EXPRESSÕES FACIAIS: o desenvolvimento das expressões faciais permite que a criança consiga entender melhor a linguagem corporal, deixando sua habilidade em se comunicar mais fluida e natural, de modo a otimizar sua compreensão e expressão. As expressões podem ser ensinadas a partir de materiais didáticos que mostrem em forma de desenho as expressões do rosto, bem como descrevendo o que significa cada uma delas, por exemplo: a ilustração de um rosto sorrindo descrito como o sentimento de felicidade ou um desenho com um rosto com os olhos arregalados e a boca aberta descrevendo um sentimento de surpresa. Além de aprender as expressões, a criança pode treiná-las na frente do espelho.

 3.      CONVERSAR: o diálogo em momentos de ansiedade ou frustração é importante para tirar o foco do que está gerando a crise na criança. Todavia, é de grande valia falar sobre o ocorrido e o sentimento que a criança sentiu depois que ela estiver mais calma. Com isso, ela vai aprendendo a controlar e lidar com determinado sentimento e diminuir o impacto que ele causa.

4.      PROMOVER AUTOESTIMA: destinar responsabilidades e tarefas para a criança realizar e, a cada vez que a tarefa for concluída com sucesso, elogiá-la ou fazer algo que ela goste como forma de recompensa pelo trabalho bem feito. Por meio dessas atitudes, a criança se sentirá útil e consequentemente importante, além de dar responsabilidades, que é algo essencial para o amadurecimento.

 5.      EMPATIA: ter empatia pelo próximo é fundamental e isso pode ser feito através de gestos simples, à exemplo: “seu coleguinha caiu, vamos ajudá-lo a se levantar”; “seu amigo não trouxe o lanche, vamos dividir o nosso com ele”.

Estimular estratégias de comportamento e apoiar o desenvolvimento das habilidades socioemocionais vai contribuir muito para o desenvolvimento da criança com TEA. Pratique com ela todos os dias essas novas aprendizagens!

REFERÊNCIAS

MOURA, Alanna Moura e; SANTOS, Bruna Monyara Lima dos; MARCHESINI, Anna Lúcia Sampaio. O brincar e sua influência no desenvolvimento de crianças com transtorno do espectro autista. Cad. Pós-Grad. Distúrb. Desenvolv.  São Paulo ,  v. 21, n. 1, p. 24-38, jun.  2021.   Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-03072021000100003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 12 jun.  2022. 

FONTANA, Christini Lucas. A COMPREENSÃO DO SEGUNDO PROFESSOR DA REDE PÚBLICA ACERCA DO DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS COMO PRÁTICA EDUCACIONAL DE ALUNOS COM O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA). Orientadora: Maria Paula Pereira. 2020. 28 f. TCC (Graduação) – Curso de Psicologia, Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL, Tubarão, 2020. Disponível em: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/16717. Acesso em: 12 jun. 2022.

5 formas de desenvolver habilidades socioemocionais em crianças autistas. Tonia Casarin, 2020. Disponível em: https://www.toniacasarin.com.br/blog/5-formas-de-desenvolver-habilidades-socioemocionais-em-criancas-autistas/. Acesso em: 12 jun. 2022.

Behavior Strategies for Children with Autism: Supporting Social-Emotional Skills. Zero To Three, 2022. Disponível em: https://www.zerotothree.org/resources/2173-behavior-strategies-for-children-with-autism-supporting-social-emotional-skills. Acesso em: 12 jun. 2022.

Você também pode se interessar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *