Skip to content Skip to footer

Como preparar seus alunos para a alfabetização

Uma professora e duas crianças com umareferente ao texto de como preparar os alunos para a alfabetização

A alfabetização é um processo fundamental relacionado ao desenvolvimento cognitivo das crianças. Trata-se do processo de aprendizagem da leitura e escrita, habilidades essenciais para a comunicação e compreensão do mundo ao seu redor. 

Esse processo é um tanto complexo, e é necessário ser entendido em sua essência. 

Durante a educação infantil, são desenvolvidas habilidades importantes à alfabetização, as chamadas habilidades preditoras. 

Ao iniciar o processo de alfabetização, é importante que a criança tenha adquirido essas habilidades. 

Estimular bem os alunos para iniciar a alfabetização é algo que precisa ser feito desde a Educação infantil, e é fundamental para garantir o sucesso no processo de aprendizagem ao longo de toda a vida. 

Neste artigo, falaremos sobre a importância da preparação dos seus alunos nos primeiros dias de aulas e mostraremos estratégias para que você consiga ter sucesso no processo de alfabetização, considerando as habilidades preditoras.

A importância da alfabetização:

Os primeiros anos de vida fazem parte de um período de extrema importância para o desenvolvimento cognitivo e intelectual das crianças, e é nesse momento que elas estão mais aptas para adquirirem novos conhecimentos e habilidades. 

Isso ocorre devido ao processo de maturação cerebral, quando o cérebro está formando conexões cada vez mais complexas entre os neurônios. 

Quando relacionamos a alfabetização com a educação infantil, é preciso que você entenda que se tratam de momentos diferentes, mas que se complementam, já que é durante a educação infantil que são estimuladas habilidades preditoras à alfabetização. É nesse período que monitoramos os sinais de prontidão para a alfabetização.

Na Educação infantil, portanto, são estimuladas habilidades metalinguísticas e metacognitivas para que a alfabetização aconteça de forma eficaz.

Dessa forma, a educação infantil se torna o momento certo para a implementação de atividades que desenvolvem habilidades preditoras que envolvem, por exemplo, a consciência fonológica, o princípio alfabético, a grafomotricidade e o vocabulário.

Portanto, a alfabetização é um processo complexo, e exige esforço e dedicação tanto do professor quanto do aluno.

Esse processo não ocorre rapidamente, e é preciso que os alunos sejam preparados de forma adequada, desde a Educação infantil, para que eles consigam desenvolver habilidades importantes. 

Além disso, há algumas ações a serem realizadas no início do ano letivo que podem beneficiar o processo de alfabetização. Um bom preparo pode ajudar a construir uma relação mais positiva e confiante entre o aluno e o professor, que se torna um facilitador no processo de aprendizagem.

Dicas de como preparar os seus alunos para os primeiros dias de aula:

Para preparar os alunos nos primeiros dias de aula, visando especialmente a alfabetização, é importante que os professores criem um ambiente acolhedor e seguro para as crianças. 

Os alunos devem se sentir à vontade para fazer perguntas e compartilhar suas experiências, de forma que sejam estimulados a participar ativamente do processo de aprendizagem.

Deve ser criado um clima em sala de aula que considere os erros como algo comum ao processo de aprendizagem, de forma que as crianças sejam encorajadas a se envolverem nas atividades sem medo de julgamento.

Além disso, para que sejam evitados erros no processo de alfabetização, nos primeiros 15 dias é preciso que o professor faça uma sondagem de habilidades das crianças para direcionar o processo de alfabetização.

É fundamental o professor conhecer quais são as habilidades que as crianças já adquiriram, quais são suas potencialidades e suas dificuldades. Somente dessa maneira o professor conseguirá planejar intervenções adequadas a toda a turma.

Essas habilidades são o conhecimento da letra e som e consciência fonológica, que você pode trabalhar de 20 a 30 minutos por dia e gerar resultados importantes para o desenvolvimento na alfabetização das crianças.

Uma estratégia eficaz para estimular os alunos no início do processo de alfabetização é o uso de um plano de ensino estruturado e sistematizado para desenvolvimento das habilidades preditoras. Sugere-se a aplicação de atividades que abordem os dois pilares fundamentais, consciência fonológica e princípio alfabético (correspondência entre letra e som), diariamente, com duração de 20 a 30 minutos. Além do planejamento estruturado e sistematizado, a instrução explícita também é uma estratégia que tem sido apontada como importante para esse processo.

2 habilidades preditoras essenciais para estimular durante a alfabetização dos seus alunos:

  1. Consciência fonológica:

O nosso sistema de escrita tem base no fonema, por isso é importante entender mais do que apenas o nome das letras.

Nós temos que fazer as nossas crianças saberem os fonemas das letras, e aprenderem a reproduzir os sons.

Você pode aplicar essa técnica em todas as crianças, típicas e atípicas, através de  metodologias baseadas em evidências.

Como fazer isso?

O nosso alfabeto possui 26 letras e 31 fonemas, e você pode trabalhar com os seus alunos uma letra por semana.

Você ainda pode trabalhar com eles através do nome da letra e o som. Porém, não esqueça de que é preciso ensinar palavras simples.

A instrução explícita é a forma de aprendizagem em que damos o modelo para a criança, mostrando a letra e fazendo a imitação do som em conjunto com a criança.

Além disso, na abordagem multissensorial, você pode passar o dedo na letra, ou pular corda para que a criança reproduza o som.

Essas áreas em conjunto, trabalham a audição, visão e a sensação e fazem com que a aprendizagem fique potencializada.

  1. Consciência fonológica:

A consciência fonológica é um conjunto de habilidades a serem desenvolvidas antes mesmo de as crianças conhecerem as letras. Ela envolve a identificação e manipulação dos sons que nós falamos. 

As habilidades que fazem parte da consciência fonológica são, por exemplo, a identificação e produção de rimas (palavras que terminam com o mesmo som), a identificação e produção de aliteração (palavras que comentam com o mesmo som), a consciência de palavras, a segmentação e a síntese silábica, e a segmentação e síntese fonêmica.  

Como fazer isso?

A consciência fonológica contempla habilidades que podem ser estimuladas por meio de brincadeiras e jogos. Por exemplo, para trabalhar com rimas é possível usar cantigas e poemas. Para trabalhar com aliteração, é possível utilizar trava-línguas e jogos como “stop”. Vale ressaltar que a instrução explícita e a abordagem multissensorial têm sido apontadas como estratégias que promovem maior eficiência no processo de aprendizagem. 

A partir desse conhecimento, a criança identifica os diferentes sons que formam nossa língua e consegue manipulá-los. Depois de adquirir essas habilidades, é possível que a criança comece a relacionar cada um desses sons às letras correspondentes. E, então, começa a estimulação do princípio alfabético. 

  1. Princípio alfabético:

O nosso sistema de escrita é baseado naquilo que falamos, ou seja, as letras são símbolos que representam fonemas (sons). Conhecer somente o nome das letras não é suficiente para que uma criança aprenda a ler e escrever. 

É preciso que ela aprenda os sons que as letras têm. Esse conhecimento é chamado de correspondência grafofonêmica, ou princípio alfabético.

Utilizar atividades e metodologia que envolva o ensino da correspondência grafofonêmica tem sido apontado pelas evidências científicas como algo fundamental no processo de alfabetização de todas as crianças, com ou sem dificuldades. 

Além disso, como já mencionado, é importante que essas atividades utilizem a instrução explícita e também a abordagem multissensorial.

Como fazer isso?

O nosso alfabeto possui 26 letras e 31 fonemas. É preciso trabalhar com os seus alunos uma letra por vez, apresentando explicitamente a letra, considerando a forma (desenho) e o som.  

É importante considerar também que as letras possuem diferentes complexidades. Por exemplo, as vogais são letras mais simples de aprender, devido ao som que elas representam e devem ser as primeiras a serem apresentadas. Depois, dentre as consoantes, letras que tem um som alongado (como o M e o F) são as menos complexas, as quais devem ser apresentadas após as vogais. Por fim, há letras como o X, mais complexas, visto a quantidade de sons que podem representar (basta observar seu som na palavra táxi, exercício, xícara, explicação – todos os sons são diferentes).

Instrução explícita e abordagem multissensorial

Como mencionado acima, a instrução explícita e a abordagem multissensorial são estratégias fundamentais, baseadas em evidências, para promover a educação de resultados. 

A instrução explícita envolve demonstrar aos alunos o que fazer e como fazer, monitorar a aprendizagem supervisionando possíveis dificuldades, até, por fim, estimular a prática autônoma das atividades. 

Já a abordagem multissensorial preconiza que as crianças utilizem diferentes canais sensoriais durante o processo de aprendizagem, tais como visual, auditivo e tátil. Quando a criança vê uma imagem, ouve um som e manipula algo por meio de movimentos corporais, a possibilidade de aprendizagem é aumentada. Dessa maneira, é fundamental utilizar o método multissensorial durante a alfabetização.

O método fônico é um método que contempla as estratégias apresentadas. Por isso é importante entendermos a importância do método fônico.

Vale ressaltar que a alfabetização é um processo contínuo e que exige tanto o acompanhamento constante do professor em sala de aula, quanto da família em casa, pois é essencial que as habilidades preditoras sejam estimuladas desde a Educação infantil. 

Além disso, é importante que essa estimulação seja reforçada no início do ano letivo, a fim de permitir que todos os alunos adquiram essas habilidades, garantindo assim o sucesso no processo de aprendizagem e o desenvolvimento pleno das potencialidades dos alunos.

A alfabetização é um processo fundamental para o desenvolvimento das crianças, e é importante que os professores criem um ambiente acolhedor e seguro para preparar os alunos nos primeiros dias de aula. 

A leitura em voz alta, jogos e atividades que envolvam o reconhecimento de letras e palavras, e a implementação dos métodos apresentados neste artigo, são estratégias eficazes para preparar os alunos.

Gostou do conteúdo sobre alfabetização? Acesse o nosso curso PROLEIA – Programa de Leitura, Escrita, Interpretação e Aprendizagem, e destrave o processo de Alfabetização de crianças típicas ou atípicas.

Aqui está um conteúdo que sabemos que você vai gostar:

5 Comments

Leave a comment

0.0/5