Voltar

Como lidar com TOD — Transtorno Opositivo Desafiador na adolescência na escola?

O Transtorno Opositivo Desafiador, ou TOD, é um transtorno comportamental definido pelo DSM-V como um padrão de comportamento raivoso, vingativo, argumentativo e desafiador que dura pelo menos seis meses.

Um aluno com Transtorno Opositivo Desafiador (TOD) pode ser desafiador em sala de aula, pois testa a autoridade, busca ter o controle das situações, quebra regras e prolonga discussões. 

As causas do TOD ainda são desconhecidas, mas cientistas acreditam que podem ser genéticas, ambientais e biológicas, em conjunto. O diagnóstico ocorre com mais frequência em meninos, embora na adolescência ambos os sexos pareçam ser igualmente afetados. Também pode estar presente em crianças com TDAH.

Veja, neste artigo, como lidar com adolescentes com TOD na escola.

Transtorno Opositivo Desafiador

As crianças em uma certa idade, quando muito pequenas ou na adolescência, desafiam pais e professores. Esses comportamentos fazem parte dessas fases do desenvolvimento, mas não costumam perdurar.

Os alunos com TOD tendem a permanecerem com esses comportamentos, trazendo prejuízos a suas próprias vidas e a de todos que estão por perto, extrapolando limites. Seu comportamento problemático é mais extremo do que o de seus colegas e acontece com mais frequência.

A maioria das crianças passa pela fase do “não” para tudo, mas para os alunos com TOD ela nunca termina. Eles questionam tudo, o tempo todo, e se recusam a cumprir regras e solicitações. A necessidade de argumentar pode irritar os outros na tentativa de criar conflito. No entanto, se recusam a assumir a responsabilidade por seus erros ou comportamentos, culpando os outros por tudo.

As crianças com TOD parecem zangadas o tempo todo e perdem o controle à menor provocação. Suas reações exageradas podem evoluir para acessos de raiva e até agressividade. Essa raiva pode permanecer e se transformar em necessidade de vingança, pois eles podem ser rancorosos.

Esses comportamentos fazem com que os alunos com TOD tenham dificuldades em casa e na escola. É difícil para eles fazerem amigos e completar tarefas. Podem ficar deprimidos ou ansiosos, desenvolver transtornos de conduta ou abuso de substâncias à medida que crescem. A identificação e o tratamento precoces são vitais para ajudar essas crianças.

Como lidar com TOD na escola

Professores e pais devem trabalhar juntos para ajudar os alunos com TOD. Veja algumas orientações.

Seja consistente

Encontre uma forma de se comunicar com o adolescente com TOD que seja consistente, de forma que ele entenda a seriedade. Se ele tentar argumentar, os professores podem ser firmes e dizer que podem conversar em outro momento, incentivando o aluno a ir para um ambiente onde ele possa relaxar, caso precise se acalmar.

Crie um espaço de relaxamento

Crianças e adolescentes com TOD podem aprender a reconhecer quando estão se sentindo sobrecarregadas. Dar a eles um espaço seguro para se acalmar e repensar suas escolhas pode ser muito bom. Prepare um canto na sala de aula com livros, pinturas, jogos de encaixe para que eles possam ir quando sentirem que precisam de uma pausa.

Dê aos alunos a possibilidade de fazer escolhas

Crianças e adolescentes com TOD buscam ter controle das situações. O professor pode dar aos alunos opções de escolhas, para que se sintam protagonistas. É importante dar a eles tempo para processar e decidir qual escolha fazer. 

Como em outras situações, vale a pena permanecer consistente com as regras e a disciplina na sala de aula. Após dar aos alunos a possibilidade de fazer escolhas, reforce com eles as regras e os procedimentos da sala de aula.

Use o reforço positivo e recompensas

Crianças e adolescentes com TOD respondem ao reforço positivo muito bem. Ofereça a eles a chance de ganhar privilégios, em vez da punição, quando fizerem o que lhes é pedido. Ao usar um sistema de recompensa, certifique-se de que seja apropriado e não percebido como manipulação.

Evite confrontos

A maioria dos professores concorda que entrar em conflito os alunos com TOD para ganhar a discussão só aumenta o stress e a tensão em sala de aula. Conheça os comportamentos desafiadores do seu aluno e evite dar atenção a eles. Quanto mais você fizer isso, menos motivação ele terá de repetir esse comportamento.

Faça conexões pessoais

As crianças e adolescentes com TOD buscam ter um bom relacionamento com o professor que os ajuda a lidar com os problemas por conta própria, sem julgamentos. Construir uma conexão com eles ajudará a chegar à raiz do comportamento.

Descubra no que eles estão interessados ​​e converse com seus alunos durante os intervalos. Permita que eles estabeleçam metas e decidam juntos quais serão as consequências se não as cumprirem.

Se restou alguma dúvida sobre como lidar com alunos com TOD — Transtorno Opositivo Desafiador — deixe nos comentários!

Referências:

DA SILVA, Tatiane Cristina Gonçalves. TRANSTORNO OPOSITOR DESAFIADOR – COMO ENFRENTAR O TOD NA ESCOLA.

JACOMINI, Márcia Aparecida. Educar sem reprovar: desafio de uma escola para todos.

Você também pode se interessar...

5 respostas em “Como lidar com TOD — Transtorno Opositivo Desafiador na adolescência na escola?”

Tenho uma filha de 3 anos e meio e ela tem essas características do TOD. Iniciou aos 3 anos. Essa fase é normal esse comportamento? O TOD é apresentando em que faixa etária de idade?

Olá Heduana,
Primeiramente obrigada pela confiança!
Acesse nossos canais, temos muitas informações importantes lá que podem ter respostas para suas dúvidas. Vale a pena conferir!!!
YouTube: https://youtube.com/neurosabervideos
Facebook: NeuroSaber
Instagram: @neurosaberoficial
Artigos em nosso Blog: http://www.neurosaber.com.br/artigos
Conheça também nossos Programas, cursos e NeuroPalestras: https://lp.neurosaber.com.br/neurosaber-cursos/
Atenciosamente,
Equipe NeuroSaber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *